terça-feira, 2 de outubro de 2018

Floderneilson



“País Canalha é o que não paga precatórios”

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Carlos Maurício Mantiqueira

Ninguém é perfeito; nem um idiota. Em São Paulo tivemos aproximação máxima; um idiota prefeito !

O epigrafado talvez seja o candidato ideal. Um verdadeiro “aggiornamento” do anseio de Piero Della Francesca.

Ao imaginar uma cidade planejada, legou-nos um paradigma de beleza e proporção (vejam o livro ISBN 84-8156-220-3 pgs. 102 e 103).

Quase 550 anos depois, estamos almejando apenas uma cidade habitável; sem violência, sem pichadores, sem lixo.

A tragédia é de tal monta que o estado mais poderoso da federação está prestes a eleger um palhaço para a câmara alta e um despreparado para seu (des)governo.

Um outro estado, bastião da nacionalidade, possuidor de uma riqueza mineral infinita, corre o risco de eleger uma débil mental, por felonia de um urubu que rasgou a Constituição evitando que a proboscidea inelegível fosse.

Não é possível tolerar a inação do glorioso Exército Brasileiro diante do escárnio da mais alta corte eleitoral que “decidiu” NÃO cumprir a LEI do voto impresso.

Pior é ouvir que as InstituCães estão funcionando ...

Pafúncionando, isto sim !

O país à matroca e a onça não sai da toca ?

Contra assassinos bispos reclamemos ao Núncio.

E ao Papa , em fim, se não for papa-capim !

Carlos Maurício Mantiqueira é um livre pensador.

4 comentários:

jomabastos disse...

A tragédia é de tal monta, que em todos os estados do país mais poderoso da América Latina e um dos com maior potencialidade do mundo, estão prestes a serem eleitos não um, mas muitos palhaços, muitos comunistas e muitos acusados de corrupção, para o Congresso e para a Nação inteira.

Anônimo disse...

Em vídeo, Jair Bolsonaro lembra que os candidatos não poderão ser eleitos com menos de trinta mil votos e citou o nome de vários civis no PSL com chance na disputa. Como não falou o nome de nenhum militar, a não ser o do Major Olímpio para senador, isso significa que a ideia de lançar candidatos militares desconhecidos e sem recursos para financiar suas campanhas em tempo exíguo foi uma estratégia montada sem respaldo do candidato? Vemos candidatos militares desconhecidos que, por sua posição e conhecimento, poderiam contribuir muito mais com a elaboração de leis na Câmara do que militares com mais votos porque defendem melhorias para sua categoria.

Anônimo disse...

Em vídeo, Jair Bolsonaro lembra que os candidatos não poderão ser eleitos com menos de trinta mil votos e citou o nome de vários civis no PSL com chance na disputa. Como não falou o nome de nenhum militar, a não ser o do Major Olímpio para senador, isso significa que a ideia de lançar candidatos militares desconhecidos e sem recursos para financiar suas campanhas em tempo exíguo foi uma estratégia montada sem respaldo do candidato? Vemos candidatos militares desconhecidos que, por sua posição e conhecimento, poderiam contribuir muito mais com a elaboração de leis na Câmara do que militares com mais votos porque defendem melhorias para sua categoria.

ALMANAKUT BRASIL disse...

A foto acima parece filme de zumbis!