segunda-feira, 8 de outubro de 2018

PT sabe que Bolsonaro é favorito no segundo turno



Edição Extra do Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Jorge Serrão - serrao@alertatotal.net

Os brasileiros dedaram mudança na urna eletrônica. A disputa de segundo turno será entre Jair x Já Era. Com 49 milhões de votos (46%), Jair Bolsonaro (PSL) por pouco não venceu a eleição presidencial no primeiro turno. Seu adversário/inimigo será Fernando Haddad – o poste do Presodentro Lula. Embora tenha obtido 31 milhões de votos (29%), O PT registrou o pior desempenho desde 1998, quando Lula conquistou 31% dos votos válidos.

O Brasil saiu geograficamente dividido do pleito. Bolsonaro ganhou nas regiões Norte (exceto Pará), Centro Oeste, Sudeste e Sul. Haddad venceu, expressivamente, em todos os estados do Nordeste. A boa votação, no entanto, não esconde a gigantesca e consolidada rejeição ao petismo e afins, exceto entre os eleitores nordestinos. O antipetismo tende a ser derrotado novamente. Bolsonaro desponta como favorito para a loteria do segundo turno, no dia 28. Seu eleitorado é fiel e o voto útil contra o PT deve prevalecer.

No entanto, todo cuidado é pouco, porque a petelândia já conta com a adesão quase natural de Ciro Gomes, Marina Silva e Guilherme Boulos. Fernando Haddad vai nesta segunda-feira à cela improvisada da Polícia Federal, em Curitiba, para receber os parabéns e as orientações de seu chefão Luiz Inácio da Silva. Dificilmente, o PT conseguirá uma guinada ao “centro” para ampliar alianças. Bolsonaro tende a herdar alguns apoios. Os eleitores se dividirão, e muitos optarão pela anulação ou pelo voto útil anti-PT.

Bolsonaro é favorito. Só que precisa tomar alguns cuidados. Terá de aprimorar as articulações pessoais com os deputados e senadores eleitos, além de afinar os acordos com quem ainda tem mandato, voto e poder nos estados, sobretudo onde haverá segundo turno. Bolsonaro tem de evitar declarações zangadas e mal-humoradas. O “Mito” precisa adotar uma postura de líder da Nação e definir algumas propostas claras de governo que pode implantar imediatamente, sem necessidade de apelar ao Congresso Nacional.

Talvez não seja recomendável indicar quem serão seus nomes fortes para os ministérios que serão reduzidos. Melhor não gerar desgaste prévio para os indicados. Bolsonaro tem de avaliar, cuidadosamente, a participação em “debates”. O enfrentamento radical e raivoso interessa ao PT, não ao candidato do PSL. Bolsonaro tem de deixar claro e ressaltar que seu governo vai se pautar pela Austeridade, Transparência e Honestidade. Haddad não tem condição moral de prometer a mesma coisa...

Para Bolsonaro é fundamental uma campanha inteligente, sem agressões desnecessárias. O “Mito” deve recomendar a seus eleitores que não cometam o erro de compartilhar piadas ofensivas contra os nordestinos que não votaram nele e apoiaram o PT de modo consolidado, que não deve ser revertido no segundo turno. Mesmo que não tenha grande efeito eleitoral agora, Bolsonaro deve apresentar mais propostas para agradar os nordestinos.

É preciso repetir por 13 x 13: Bolsonaro não pode incorrer, em nenhum momento, em discursos de ódio, por mais que seja provocado pelos inimigos. Junto com o aliado Ciro Gomes, Fernando Haddad fará o diabo para colar em Bolsonaro o falso conceito de “candidato fascista”. Bolsonaro tem de insistir no compromisso do diálogo franco e aberto para a pacificação nacional.

Se não cometer deslizes idiotas e imperdoáveis, apesar da natural oposição midiática, sairá vencedor também no segundo turno. O óbvio ululante é não cair em armadilhas retóricas da decadente esquerda que já comprovou sua incompetência de gestão e abuso de corrupção para governar o Brasil.

Enfim, novamente, Bolsonaro só perde a eleição para ele mesmo. A prioridade é cuidar da saúde, não deixar a vaidade subir à cabeça e não falar besteira. Bolsonaro tem de se mostrar um estadista pronto para substituir o Presidencialismo de coalizão pelo Presidencialismo de Conciliação – sem colisão.

Balanço final     

Os Institutos de pesquisa falharam feio e foram os grandes derrotados da eleição. As metodologias precisam ser revistas. Até porque os resultados (equivocados) têm poder de influência direta sobre a vontade do eleitorado. Os números (errados) induzem o voto.

Outro ponto negativo da eleição foi a  votação usando o sistema biométrico. Muitos equipamentos não conseguiram fazer a leitura da impressão digital dos eleitores. A falha atrasou a votação em muitos lugares.

Bacana do primeiro turno? Muita gente que se julgava previamente eleita entrou pelo cano. A dedada foi cruel para alguns. Acontece que aquela sonhada super-renovação não ocorreu. Basta analisar a listagem dos eleitos nos Estados.

A bronca dos eleitores fez uma pequena limpeza.









Vida que segue... Ave atque Vale! Fiquem com Deus. Nekan Adonai!

O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Independente, analítico e provocador de novos valores humanos, pela análise política e estratégica, com conhecimento criativo, informação fidedigna e verdade objetiva. Jorge Serrão é Jornalista, Radialista, Publicitário e Professor. Editor-chefe do blog Alerta Total: www.alertatotal.net. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos. 
A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Em nome da ética democrática, solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas. Nada custa um aviso sobre a livre publicação, para nosso simples conhecimento.

© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 7 de Outubro de 2018.

6 comentários:

Anônimo disse...

Nobre jornalista Jorge Serrão,quando será denunciado pelo MINISTÉRIO PUBLICO, o ANDRADE,SAUDADE,VONTADE,HADDAD?
Se cometeu algum mal feito, então que seja denunciado, para que a JUSTIÇA, faça sua parte.

Anônimo disse...

Por que os outros presos não tem esse mesmo tratamento em termos de visita?
Será que é porque se trata do ome mais onesto do mundo? Então não existe os dias de visita para presos? Como para esse, que não tem curso superior, foi condenado igual aos outros, recebe visitas assim?
Ainda falta merdelê do Paloffi, no ventilador dos corruptos.

jomabastos disse...

PRESIDENTE X CONGRESSO - QUEM MANDA MAIS?
Não existe uma medida objetiva sobre quem manda mais no presidencialismo.
Mas a palavra final é do Congresso Nacional.
A nível formal, o Congresso é quem dá a última palavra, já que este pode derrubar, embora com custos, os Vetos da Presidência, as Medidas Provisórias e os Projetos Lei com Regime de Urgência.

Pra que o Governo faça passar as suas medidas facilmente e sem crise, há que ter a capacidade de negociar antecipadamente e rapidamente com o Congresso e não tomar decisões totalmente autônomas.

Penso que deveria formar um Ministério da Segurança e Administração Interna, para tratar da polícia em geral, da violência, do narcotráfico e do controlo fronteiriço e marítimo.

Sim, o Bolsonaro muito dificilmente não irá ser eleito.
Mas ele tem que aprender a respeitar o eleitorado, para não ter problemas no dia 28.
Ele tem que deixar de ser ultraliberal e passar a ser unicamente liberal.
Não são necessários extremismos neste país, mas sim muito trabalho para recuperar a Nação
das maldades feitas pelo PT e comunistas associados.
O Bolsonaro não tem que dividir o país entre esquerda e direita, porque ele irá ser o presidente de todos os brasileiros.

Já aconteceu alguma limpeza nestas eleições.
Mas cerca metade dos corruptos foram reeleitos. Infelizmente.
Mas cerca de 46 deputados federais e senadores perderam o foro privilegiado, vão fazer fileira para serem atendidos pelo Moro e outros juízes e já devem estar tremendo de medo.

Anônimo disse...

Fraudes nas urnas!! Lá no blog do Polibio Braga tem informações quentes!!!!

Anônimo disse...

Uma senhora de aparência muito simples saiu do prédio em que votei, cismando em voz alta que lhe haviam dito que o número da candidata Marina era 12, mas que a foto que apareceu na tela, quando digitou o número 12, era de outro candidato. Quantas pessoas analfabetas (essencialmente conservadoras) podem ter sido induzidas a erro por cabos eleitorais de candidatos?

Anônimo disse...

Uma senhora de aparência muito simples saiu do prédio em que votei, cismando em voz alta que lhe haviam dito que o número da candidata Marina era 12, mas que a foto que apareceu na tela, quando digitou o número 12, era de outro candidato. Quantas pessoas analfabetas (essencialmente conservadoras) podem ter sido induzidas a erro por cabos eleitorais de candidatos?