sexta-feira, 5 de outubro de 2018

ZU, ZU BEM?!


“País Canalha é o que não paga precatórios”

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Carlos Maurício Mantiqueira

As idiossincrasias paternas revelam bem a personalidade do idiota e de suas “vítimas”.

Um cidadão pôs no filho o nome de AAAB, para que ele sempre figurasse em primeiro lugar nas listas alfabéticas.

Já outro, deu ao rebento o nome de Zuquim, visando o efeito oposto.

Um homem brilhantíssimo que teve seu auge intelectual no princípio do século XX, instruiu os filhos que dessem aos descendentes nomes “comerciais” ou seja, facilmente compreensíveis e memorizáveis por terceiros. Também ensinou que os descendentes homens poderiam escolher o seu visual até os 25 anos de idade; com barba, sem barba, com bigode ou sem bigode, etc.

Daí em diante deveriam manter a mesma aparência até o fim da vida. Abriu uma exceção: os que escolhessem cara Sem bigode, após os setenta anos, poderiam deixar crescê-lo. “Isto para que em seu velório o namorado da neta não pergunte se foi o avô ou a avó dela que faleceu”.

A vida seria mais fácil se todos nós tivéssemos bom senso.

Como não é o caso, tenhamos compaixão dos que, ainda indefesos, sofreram agressões familiares que lhes dificultaram a vida para sempre.

Após 1.932, em São Paulo derrotado, contava-se que um jovem ao atingir a maioridade pediu ao juiz para mudar o próprio nome. “Como você se chama?”; “ Getúlio Bosta”. “Pedido deferido; como você quer se chamar?”; “João Bosta!”.

Um pouco de maldade; Getúlio Vargas, apesar dos defeitos, era patriota e estadista. Muito melhor que os homúnculos atuais.

Carlos Maurício Mantiqueira é um livre pensador.

Um comentário:

Sérgio Alves de Oliveira disse...

Nada a ver com o meu parentesco distante com Getúlio Vargas, através da minha avó paterna (Dornelles). Mas considero Getúlio o melhor Presidente que já teve o Brasil,dando de "dez a zero" na soma de todos os outros. Basta lembrar a implantação ele que fez do INDUSTRIALISMO NACIONAL,da Petrobrás (que o PT quase quebrou),do surgimento da classe média,da Siderurgia,do "urbanismo",da proteção mínima ao trabalho,e tantas outras obras importantes. Mas a sua maior façanha é que ele não "atrapalhou" o desenvolvimento do Brasil,como fizeram os outros governos.