domingo, 11 de novembro de 2018

Bolsonaro e as Heranças Malditas



Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net

O Flamengo parece o Supremo Tribunal Federal. Só dá “alegria” para a galera... Tem jogadores bem remunerados, mas que não perdem a chance de um reajuste, embora não estejam jogando à altura do que deseja a torcida. O Mengão tomou uma piaba do Botafogo – time do Jair Bolsonaro – que também torce pelo Palmeiras, cada vez mais líder do Brasileirão.

Já que falamos do futebol da vida pública, o time do STF tem tudo para ser o grande rival do “time” do Bolsonaro, do Mourão e do Moro. Ainda mais se a legítima pressão do árbitro de vídeo popular conseguir o milagre de convencer o perna-de-pau Michel Temer a vetar “a reposição salarial” dos magistrados e procuradores. Só que ele não deve vetar... Então, bola pra frente – e pro mato – porque o jogo é de campeonato...

No jogo da vida real, ainda bem que as coisas podem ser diferentes. Nenhum time das oligarquias pode subestimar a torcida. Somos um povo trabalhador, criativo e perseverante - que enfrenta diariamente os maiores juros do mundo, desemprego avassalador, criminalidade generalizada e ainda paga uma das maiores cargas fiscais do planeta para sustentar uma zelite política corrupta. Apesar de tudo, o povo consegue ser vencedor.

Venceu o recente jogo eleitoral. Só que não pode seguir jogando de salto alto. Cada palavra dita pelos novos mandatários eleitos deve levar em conta que esta eleição foi uma ruptura do time do bravo povo contra “O Mecanismo”. No entanto, o novo Presidente eleito vai herdar, como seus antecessores, aquilo que se convencionou chamar de herança maldita. Sorte nossa que o jogo é jogado...

Como ele foi eleito com o projeto de enfrentar, de verdade, o “Mecanismo”, os senhores Bolsonaro e Mourão não herdarão apenas uma herança maldita, mas sim um conjunto poderoso de heranças malditas. Para terem sucesso, vencendo o jogo no final, deverão hierarquizar suas batalhas. Eles devem buscar os fios condutores que permitam que mudanças estruturais ocorram a partir de efeito cascata.

Combater a Corrupção Sistêmica é fundamental. Tarefa Prioritária de todos os novos eleitos. Criar e fortalecer todos os instrumentos e sistemas de combate a corrupção é fortalecer as bases das mudanças estruturais.
Mas todos devemos estar cientes de que esse combate não será simples. “O Mecanismo” reagirá. Vai dar canelada de forma sorrateira e traiçoeira.
Para isso, vai buscar e vai contar com a cumplicidade dos nossos velhos veículos de mídia, tão acostumados a viverem pendurados nas benesses das verbas publicitárias do poder público.

Uma batalha invisível do “Mecanismo” contra os novos eleitos já se iniciou. A batalha da comunicação. É fundamental aos novos mandatários, do poder executivo e legislativo, entenderem que essa batalha de comunicação, quase uma guerra, é tão importante quanto as demais medidas legais e projetos que virão. Se errar na estratégia, aplicando a tática errada, pode sofrer algumas goleadas.

O poder público no Brasil está travado, de forma parasitária. Não somente perdulária. O poder público se transformou em um grande parasita que suga as riquezas geradas pela sociedade brasileira. E como está hoje, o poder público não sobreviverá sem o seu hospedeiro e refém: toda a sociedade brasileira. A República precisa ser reinstaurada, o Estado reconstruído e a Federação remodelada.

Vivemos a maior crise ética, moral, econômica e financeira nunca antes vista na História deste País. Os cartéis (públicos e privados) que alimentam esse grande parasita, o poder público, parece indiferente a tudo.

Quase diariamente, assistimos a operações do Ministério Público e das Polícias combatendo o crime organizado que desviaram centenas e mais centenas de milhões de reais. Fala-se em uma Lava Jato que movimentou trilhões de reais em recursos “roubados”.

Os esquemas do crime organizado se multiplicam como gafanhotos. Por isso, precisam ser combatidos e eliminados. A batalha da comunicação é fundamental. Deve ser conduzida por profissionais experientes, idôneos e conscientes da trama fraterna e do entrosamento existentes entre o crime organizado e a grande mídia no Brasil.

Por mais estranho que pareça, esse é um enfrentamento prioritário. “O Mecanismo” só pode ser vencido pela vontade coletiva que não existe na máquina estatal. Essa força popular vem exclusivamente da mobilização social, principalmente no mundo da Internet.

Agora é o momento dos ideólogos. Pessoas com experiência e vivência no combate diário da comunicação devem jogar o jogo para vencer tanta herança maldita. A galera irá à loucura... O time da Penitenciária será vencido...



Vida que segue... Ave atque Vale! Fiquem com Deus. Nekan Adonai!

O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Independente, analítico e provocador de novos valores humanos, pela análise política e estratégica, com conhecimento criativo, informação fidedigna e verdade objetiva. Jorge Serrão é Jornalista, Radialista, Publicitário e Professor. Editor-chefe do blog Alerta Total: www.alertatotal.net. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos. 
A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Em nome da ética democrática, solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas. Nada custa um aviso sobre a livre publicação, para nosso simples conhecimento.

© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 11 de Novembro de 2018.

4 comentários:

Unknown disse...

Esse Eunicio é um vagabundo. Cadeia neles.

Maurício Mesquita Carvalho disse...

Estão se esquecendo da Lei de Responsabilidade Fiscal. É a Lei Complementar nº 101, de 4 de maio de 2000. O seu art. 21 dispõe que "É nulo de pleno direito o ato que provoque aumento de despesa com pessoal e não atenda;
Parágrafo único. Também é nulo de pleno direito o ato de que resulte aumento de despesa com pessoal expedido nos 180 (cento e oitenta) dias anteriores ao final do mandato do titular do Respectivo Poder ou órgão referido no art. 20.

Anônimo disse...

Ao Membro do Comitê Executivo do
Movimento Avança Brasil

Ações Fundamentais:
1 - Fazer acontecer a Auditoria Cidadã da Dívida Pública;

2 - Fazer acontecer a Autuação pela PGFN junto a Vale por tentar enganar o Fisco. Subfaturamento de Exportações de minérios para a Subsidiária da Vale em Singapura (exportado a 10% do valor). Retroagindo 5 anos essa "AUTUAÇÃO REPRESADA" na PGFN, desde outubro de 2017, alcançava o montante de de R$ 51 bilhões;

3 - Fazer com que o Governo Mineiro, crie um imposto sobre a exportação de Nióbio (CBMM - Araxá), isso para um primeiro momento, para saber o quanto exporta e a que valor, depois, com ações junto ao Governo Federal, suspender a concessão de exploração e para aí vender a preço real. É a redenção do Brasil. Sanear as finanças de Minas Gerais, criar um Fundo do Lucro do Nióbio para suprir, sem necessidade de reforma,o pagamento da Previdência do Regime Geral.

Simples assim. Mãos à Obra.

Em tempo: A CODEMIG é sócia da CBMM e um parceiro Sulcoreano (15% das ações) com cláusulas secretas no Contrato e com um US$ 1 bilhão de luvas, para o Aecinho do Pó por ter aceito o ingresso do Sulcoreano, isso ocorreu em 2011).

Bôra... Erregacem as mangas...

Anônimo disse...

Ao Membro do Comitê Executivo do
Movimento Avança Brasil

Ações Fundamentais:
1 - Fazer acontecer a Auditoria Cidadã da Dívida Pública;

2 - Fazer acontecer a Autuação pela PGFN junto a Vale por tentar enganar o Fisco. Subfaturamento de Exportações de minérios para a Subsidiária da Vale em Singapura (exportado a 10% do valor). Retroagindo 5 anos essa "AUTUAÇÃO REPRESADA" na PGFN, desde outubro de 2017, alcançava o montante de de R$ 51 bilhões;

3 - Fazer com que o Governo Mineiro, crie um imposto sobre a exportação de Nióbio (CBMM - Araxá), isso para um primeiro momento, para saber o quanto exporta e a que valor, depois, com ações junto ao Governo Federal, suspender a concessão de exploração e para aí vender a preço real. É a redenção do Brasil. Sanear as finanças de Minas Gerais, criar um Fundo do Lucro do Nióbio para suprir, sem necessidade de reforma,o pagamento da Previdência do Regime Geral.

Simples assim. Mãos à Obra.

Em tempo: A CODEMIG é sócia da CBMM e um parceiro Sulcoreano (15% das ações) com cláusulas secretas no Contrato e com um US$ 1 bilhão de luvas, para o Aecinho do Pó por ter aceito o ingresso do Sulcoreano, isso ocorreu em 2011).

Bôra... Erregacem as mangas...