quinta-feira, 29 de novembro de 2018

Esquerda e Lulismo: insensatez, irracionalidade e estupidez



Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Reinaldo Gonçalves

O futuro da esquerda brasileira depende de uma mudança de abordagem. Não se trata de autocrítica, nem refundação, e, sim, de vôo da Fênix. A esquerda precisa incinerar seus cadáveres podres, jogar as cinzas aos ventos, definir uma ética na política e construir novas organizações, lideranças, propostas, alianças e bases.

O PT, o PSOL, o PCdoB e o PDT, suas práticas e lideranças, provocam repulsa não somente no campo do populismo de direita como também no campo progressista de direita e de esquerda. O PSB (Partido Socialista Brasileiro), por seu turno, está na centro-direita ou, na melhor das hipóteses, no centro do compasso político e, ademais, parece ter vocação para partido-satélite.

O PDT, ademais, degradou-se a tal ponto que lançou para candidato à presidência da República em 2018 uma figura que se autoproclama progressista ou atuante no campo da centro-esquerda. Porém, essa figura dramática está fortemente marcada por autoritarismo despudorado, violência repulsiva, oportunismo ignóbil, atraso atávico, demagogia rastaquera e vacuidade político-ideológica. Enfim, uma fraude perigosa. Isso evidencia, de forma conclusiva, o nível de degenerescência da esquerda brasileira!

No contexto do Lulismo, a adoção da estratégia da oposição “faca nos dentes” é evidenciada pela transformação de figurantes de terceira classe em coadjuvantes no processo político-eleitoral em 2018. Um figurante de centro aparece como cavalo de Tróia na corrida presidencial enquanto figurantes da esquerda (retórica) radical são projetados nacionalmente. Em troca de projeção (e expectativas de benefícios futuros), esses figurantes entregam fidelidade e desempenham o papel de cães de fila do Lulismo. Eles vociferam paralisação do país, invasão de imóvel domiciliar, indulto para condenado e quejandos.

Reinaldo Gonçalves é Professor Titular do Instituto de Economia, Universidade Federal do Rio de Janeiro. Esse texto é de total e exclusiva responsabilidade do autor e, portanto, não expressa qualquer posição das instituições às quais está vinculado. O texto baseia-se em informações e dados disponíveis até 30 de outubro de 2018. In Governo Bolsonaro, Brasil 2019-22: Cenários (Versão 8/11/2018)

5 comentários:

Anônimo disse...

Mas não sabe fazer isso, só o contrário criando idolatria entre seus figurões.

jomabastos disse...

O Reinaldo Gonçalves é mais um que mistura comunistas e associados pró-comunistas com o centro-esquerda brasileiro. É, do meu ponto de vista, um erro de muitos pensadores políticos deste país.
Os eleitores de centro-esquerda e os centro-direita podem misturar-se mas nunca virarão comunistas, porque são na sua maioria são conservadores, não de ideologia, mas nas suas famílias, no seu interior e no seu modo de pensar e viver.

Unknown disse...

Meu caro, leio com frequência este blog, acho que a esquerda deveria era não existir, mas já que existe, que fique como está, para que todos vejam o que é o marxismoleninismotrotskismostalinismo.

GILBERTO disse...

Meu caro, leio com frequência este blog, acho que a esquerda deveria era não existir, mas já que existe, que fique como está, para que todos vejam o que é o marxismoleninismotrotskismostalinismo.

Anônimo disse...

As famílias de centro-esquerda terão seus descendentes mergulhados na esquerda devido ao gramscismo.A esquerda conta com o efeito corrosivo da doutrinação através de gerações, além de os liberais abrirem espaço para o comunismo por considerarem apenas o aspecto econômico da realidade, minimizando seu aspecto político (e principalmente de valores). Muitos pais são surpreendidos com a mudança operada na sensibilidade de seus filhos, e normalmente descobrem isso quando envelhecem e dependem deles.