sexta-feira, 23 de novembro de 2018

O papel bem definido do Vice “Gerentão”


Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Jorge Serrão - serrao@alertatotal.net
Membro do Comitê Executivo do
Movimento Avança Brasil

Tem notícia melhor que a escolha de um ministro da Educação com viés político/técnico (como o filósofo Ricardo Vélez Rodrigues)? Claro que tem... Mas a grande mídia, principalmente a televisiva, não deu o merecido destaque... O presidente eleito Jair Bolsonaro definiu, claramente, qual será o papel estratégico do seu vice. Antônio Hamilton Mourão exercerá a função de “Super-Gerente” – o coordenador do time de 17 ou 18 ministros (número em fase de definição).

Bolsonaro e Mourão definiram que caberá ao vice a responsabilidade de cuidar deum centro de governo. Mourão ficará responsável por monitorar as ações de cada ministério. Metas serão fixadas com os ministros. Vai acompanhar o planejamento e o andamento de projetos. Haverá um roteiro de condução e monitoramento. Com o respaldo de quem também tem a estabilidade dada pelo voto direto, o vice fará institucionalmente as cobranças. O Presidente será poupado do desgaste pessoal de um relacionamento mais tenso com os ministros.

Amante da equitação, Mourão promete que “o cavalo será bem montado”. Deixando de ser uma “figura decorativa” ou um perigoso “conspirador-sabotador”, o “Vice-gerentão” será uma novidade institucional. Mourão terá um gabinete próximo ao de Bolsonaro, no terceiro andar do Palácio do Planalto. Só falta definir se Mourão terá um papel de maior influência no famoso PPI – o Programa de Parcerias e Investimentos, que atualmente tem 25 projetos sob gestão do titular da Secretaria-Geral da Presidência da República.

Agora ficou mais claro, hierarquicamente, como vai fluir o relacionamento entre a Vice-Presidência, a Casa Civil, o Gabinete de Segurança Institucional e a Secretaria Geral da Presidência – que acumula muito poder: o Programa de Parceria de Investimentos (PPI), a Secretaria de Comunicação da Presidência (responsável pela comunicação oficial e pela distribuição de verba para a mídia) e a Empresa Brasil de Comunicação, além do programa de desburocratização e do GovTech (Governo Eletrônico).
       
Bolsonaro tomou a sábia decisão de ter Mourão como escudo. Assim, o relacionamento entre o Capitão reformado e o General na reserva tende a se estreirar, e não a gerar colisões e ciumeiras. Os dois têm personalidades fortes e falam a verdade “na lata”, porém demonstram extremo jogo de cintura e bom humor. Um é palmeirense/botafoguense. O outro é flamenguista. Um dos dois vai tirar a onda de Campeão Brasileiro de 2018.

Mas a grande ironia da História a ser celebrada é que, a partir de 1º de janeiro, os militares efetivamente tomarão o poder conquistado pelo voto. Agora, só falta aguardar a definição completa do ministério e a diplomação dos eleitos no dia 11 de dezembro. Depois, até a posse, a torcida será pela plena saúde de Bolsonaro – que vai se submeter a uma cirurgia, no dia 12, para “rejuntar” o aparelho digestivo afetado por aquele covarde facada de 6 de setembro.

Agora, da presente transição até os quatros anos programados de governo, será a oposição burra de esquerda quem terá de ter muito estômago para agüentar as reformas e mudanças estruturais que Bolsonaro e Mourão prometem realizar... Meliantes-militantes que se cuidem com os militares e seu variado “exército” de aliados com respaldo do voto popular...      

Releia a 3ª Edição de ontem: Escolha nota 10 de Bolsonaro para a Educação 

Confira também, de Ernesto Caruso: Um ano pelo Brasil – Serviço Alternativo




 

Vida que segue... Ave atque Vale! Fiquem com Deus. Nekan Adonai!

O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Independente, analítico e provocador de novos valores humanos, pela análise política e estratégica, com conhecimento criativo, informação fidedigna e verdade objetiva. Jorge Serrão é Jornalista, Radialista, Publicitário e Professor. Editor-chefe do blog Alerta Total: www.alertatotal.net. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos. 
A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Em nome da ética democrática, solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas. Nada custa um aviso sobre a livre publicação, para nosso simples conhecimento.

© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 23 de Novembro de 2018.

4 comentários:

jomabastos disse...

Não devemos esquecermo-nos que o Bolsonaro tem por agora somente 52 deputados para o apoiar na Câmara dos deputados. Muitos dos votantes no candidato Bolsonaro são unicamente anti-comunistas. Por conseguinte, o governo do Bolsonaro tem que fazer um trabalho muito bom, com a finalidade de conseguir uma maioria em seu apoio na Câmara de Deputados, para lograr as reformas e mudanças estruturais que Bolsonaro e Mourão prometem realizar.
O valor prático dos ministros só virá ao de cima consoante a qualidade da sua governação.


Anônimo disse...

O Lula tem casa própria, no nome dele, para uma possível prisão domiciliar? Acho que não. Se reclamar muito, manda para o manicômio judiciário, aguardando a chegada da Dilma.

Anônimo disse...

Trabalhei na época do movimento democrático que salvou o Brasil da ditadura comunista nos anos 60/80, numa estatal cheia de coronéis do exército. Eles pegavam nos pés dos civis que comandavam as empresas e não os deixavam desvirtuar da sua função profissional. Que seja agora e que o OCRIM seja enterrado e banido do Brasil.

Anônimo disse...

Por que o Lula evitou o Cesare Battisti, de ser extraditado, e agora o presidente Bolsonaro, não vai poder extradita-lo? Qual é a diferença entre presidentes?
A partir de janeiro vai ser assim.

BOLSONARO, VAI COLOCAR O BRASIL NO RUMO CERTO.

Queiram ou não.