sábado, 29 de dezembro de 2018

Santo de Casa não faz milagre



“País Canalha é o que não paga precatórios”

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Carlos Maurício Mantiqueira

Não adianta, amáveis leitores, este pobre escriba se esgoelar afirmando ser o Brasil uma superpotência.

Foi preciso que o líder de um dos países mais avançados tecnologicamente, o fizesse.

Em poucos dias abandonaremos a Era do Complexo de Vira-Lata e iniciaremos a Era das Oportunidades.

Repito (e repetirei à náusea): Temos comida, água potável e minérios.

É claro que o novo governo cometerá erros. Deverá corrigí-los imediatamente.

Idem, haverá brigas internas por diferenças de opinião, disputa pelo poder e/ou ciúmes. Tudo será administrado por quem teve VOTO.

Há muitas urgências e, por isso, devem ser atendidas primeiramente as urgências urgentíssimas.

É inadmissível que alguma criança morra de fome, de vermes ou de maus tratos.

É repugnante o estado miserável de nossos hospitais.

É intolerável a lerdeza e o descaso do judas ciário.

Começar uma reforma da previdência sem antes cobrar os devedores e extinguir os privilégios de políticos e pior que xingar a mãe dos brasileiros.

A reforma urgente e mais importante é a do sistema tributário. Deixemos o povo produzir sem medos, sem vinganças, sem entraves.

Carlos Maurício Mantiqueira é um livre pensador.

Um comentário:

jomabastos disse...

O Brasil é potencialmente uma Superpotência.
É a alta qualidade das terras agrícolas e florestais; é a riqueza mineral; são os 7500 km de costa; são os imensos rios e lagos; é a diversidade climática, etc. Há que trabalhar acima de tudo o nosso sistema educativo, o liberalismo e a democracia. Nada de fundamentalismos!

Há que desenvolver esse grande potencial existente nesta Nação e torná-la uma verdadeira superpotência.

Foram décadas de atraso que subdesenvolverem o país, emperrando e soterrando o potencial existente.
Foram os regimes militares, os 16 anos de comunismo/lulismo e a corrupção que fomentaram a incultura, a pobreza, a debilidade e o atraso nesta maravilhosa Nação.

Há que olhar em frente e acreditar no presente para que o futuro esteja a viver entre todos nós.