quarta-feira, 16 de janeiro de 2019

Andando na ponta dos pés


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por H. James Kutscka

Sonhar, talvez o predicado mais importante do ser humano.
Um ato quase divino; nos sonhos somos onipotentes criamos mundos, utopias e distopias a nosso bel prazer.

A ciência, endeusada pelos cérebros lógicos e matemáticos, não seria nada ou em nada de prático resultaria se não fossem os sonhadores.
Existiria o submarino nuclear se Júlio Verne não tivesse sonhado com o Náutilus de “20 Mil Léguas Submarinas?    

Teria o homem ido à Lua não fosse o romance “Da terra à Lua” do mesmo Júlio Verne e o posterior “Primeiros homens na Lua” de Herbert George Wells?
Werner Von Braun teria tido a ideia por ele próprio, não tivesse lido avidamente, essas e outras histórias similares escritas por sonhadores, durante toda sua infância e adolescência?

Voaríamos pelos ares não fosse Leonardo Da Vinci?

Sonhos podem parecer impossíveis quando se lê as notícias nos jornais ou se assiste aos noticiários da TV, no entanto, como se vê pelos exemplos anteriores, é mister sonhar.

Hoje temos na Presidência da República, um homem que ousou sonhar com um país honesto.

Gente que nunca pensamos ver na cadeia, está hoje vendo o sol nascer quadrado.

Os “médicos” cubanos foram mandados para Cuba que os pariu.

O Itamaraty, de repente, percebeu que Maduro é um ditador vulgar e Cuba não é um paraíso de liberdade e Battisti foi preso na Bolívia depois de passarmos pela vergonha de tê-lo  deixado fugir.

O que alguns já sabiam há muito tempo, está vindo à luz para as massas; o dinheiro que deveria ser destinado à nossa saúde pública e educação, foi doado para ditaduras socialistas na África e América Latina, em troca de gordas propinas para os governantes de então. 

Estamos vivendo sem sombra de dúvidas, um momento mágico; sugiro à oposição andar na ponta dos pés para não acordar a onça.

A sugestão também vale para os filhos e amigos do presidente, nesse caso para não romper a magia.

Quanto ao presidente, vai a sugestão: - É preciso pensar séria e urgentemente em nomear um porta voz, antes de cometer involuntariamente um sincericídio.

Estamos juntos!

H. James Kutscka é Escritor e Publicitário.

Um comentário:

Anônimo disse...

O presidente precisa de um orientador experiente para evitar armadilhas da imprensa, mas continuar com sua comunicação direta com o público, pois seu carisma é que garante a força e unidade de seu governo. Se essa comunicação direta for interrompida, passará a impressão de que o presidente é refém de forças hostis ao povo.