domingo, 6 de janeiro de 2019

Etiqueta em tempos de Smartphones



“País Canalha é o que não paga precatórios”

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Carlos Maurício Mantiqueira
Use o menos possível. Quem faz a chamada deve identificar-se imediatamente, dizendo: “Aqui é fulano; você pode falar ?”

Se a resposta for afirmativa, seja breve.

Quando se recebe uma ligação de número não identificado, devemos não atender a chamada e, imediatamente, enviar mensagem de texto (MSM) com o seguinte texto:” Por favor, identifique-se para que eu possa incluir seu número na lista de contatos.”

Se a pessoa que fez a ligação não se identificar é porque a chamada é de telemarketing, engano, ou sem importância.

A forma civilizada de comunicação não urgente é por e-mail. A pessoa abrirá a mensagem quando lhe for mais conveniente.

A “praga” moderna é o WhatsApp. Idiotas enviam dezenas de mensagens por dia com assuntos absolutamente irrelevantes. A solução é ter uma segunda linha, no plano mais barato possível. Se algum inconveniente pedir seu número de celular, dê apenas esse; também chamado de “número para os chatos”.

No mais, tratemos todos como o saudoso Odorico Paraguaçu; a “nível de excelência”.

Em uma reunião, use o mínimo possível seu telefone móvel. Só atenda chamadas de seus entes queridos e, se possível, diga-lhes que está numa reunião e retornará mais tarde.

É altamente ofensivo falar com terceiros sobre assuntos não urgentes, deixando o interlocutor presente fisicamente, num segundo plano.

Lembrem-se: “gentleman é quem não magoa ninguém sem querer”.

Carlos Maurício Mantiqueira é um livre pensador.

2 comentários:

Anônimo disse...

Ela foi escolhida por ser irrelevante, justamente para poder ser descartada quando necessário.

H. James Kutscka disse...

Perfeito amigo.