segunda-feira, 7 de janeiro de 2019

Muros x Murros



Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Carlos Henrique Abrão e Laércio Laurelli

Há quase trinta anos o muro de Berlim fora derrubado e com ele a expressão do socialismo, hoje o presidente norte americano, contrariamente à vontade da maioria do congresso democrata, cogita tomar medida excepcional de edificar muro na fronteira com o México e impedir que os refugiados adentrem o território dos EUA.

O valor seria pouco elevado diante do custo benefício de se evitar que milhares de rotas de fuga se esvaiam com rapidez,eficiência e brevidade. Diante desse quadro é autêntico dentro do espírito da globalização superar o impasse por meio da construção de uma barreira,já que a Europa abrigou nos últimos anos milhares de refugiados africanos.

Pensamos que a ideologia nacionalista é preponderante e a ameaça do presidente coloca entrechoque de interesse em rota de colisão e ameaça paralisar a governabilidade de sua administração. Os muros devem ser destruídos e não construídos já que a humanidade vive a universalização de um mundo sem fronteiras, pode até taxar a entrada do turista ou elevar o valor dos que pretendem obter visto de trabalho e permanência
definitiva.

O modelo é um precedente perigoso que se consolida a cada dia quando o presidente norte americano quer   o custeio da obra para fincar o muro já que seu pensamento de ser pago pelo governo Mexicano não ganhou apoio algum. Muitos muros separaram os povos, em tempo de guerra fria ou de subversão ao poderio econômico, mas a sinalização do governo é refratária à forma de pensar do presidente,e os membros do congresso são preponderantemente democratas ao passo que o Senado tem inclinação republicana.

Qualquer solução impedirá que o muro se transforme num murro na mesa para que se decida pela força ou intransigência. As consequências já começam a ser sentidas em várias cidades americanas mediante greve e paralisação dos serviços públicos,além do que 29 milhões de americanos são amparados pelo estado para o bem estar social.

Enfim, uma moderação no diálogo poderia por fim à idéia fixa do presidente da república,mas veremos quem dará e quem sofrerá os murros da luta democrata que tentará por fim às investigações que se somam para por fim à continuidade do sossego do governo de Trump, o futuro dirá quem vencerá se o muro ou os murros estridentes de uma aventura de imposição de barreira e limitação total da entrada de estrangeiros no País.

Carlos Henrique Abrão (ativa) e Laércio Laurelli (aposentado) são Desembargadores do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo.

4 comentários:

Q disse...

Donald Trump deveria se preocupar com os inimigos internos, afinal há 15 milhões de muçulmanos nos EUA e algumas cidades dos EUA já têm maioria muçulmana como Patterson.

Os mexicanos são um problema mas são cristãos e acabarão ajudando os rua ..

jomabastos disse...

Há que haver moderação em tudo e em todos.

Anônimo disse...

O apelo à moderação está sendo usado para obter a capitulação norteamericana ao governo mundial.

Anônimo disse...

No Brasil esse muro já existe há tempos, separando os ricos magistrados e membros do farsante ministério público dos demais cidadãos brasileiros mortais, pois basta ver a quantidade de mordomias e privilégios absurdos que essas duas classes ostentam, para destruirmos o discursinho cínico e canalha, desses dois vagabundos safados dessa toga imunda que vivem nesse bloguezinho de merda, postando artigos de fezes.