terça-feira, 8 de janeiro de 2019

O amargo cinismo do rentismo

Ensaio pré-carnavalesco 

2a Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Jorge Serrão - serrao@alertatotal.net
Membro do Comitê Executivo do
Movimento Avança Brasil

Não bastará uma mera investigação da “Xerifa” do mercado de capitais no Brasil para desvendar as jogadas de “informação privilegiada para manipulações financeiras”. É preciso ir muito além da fiscalização da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) para entender o providencial sobe-e-desce na cotação de ações da Petrobras.

Seria um trabalho para a esfera de Sérgio Moro, via Polícia Federal e COAF. As negociações podem esconder outros crimes – que tornam a simples especulação brincadeira de criança. Existem indícios de lavagem de dinheiro. Como se explica o alto volume investido de fora para dentro na compra e venda de ações?   

A CVM tem mesmo de investigar como especuladores estão aproveitando a vitória eleitoral de Jair Bolsonaro e, agora, o início de governo, para faturar com altas circunstanciais na cotação das ações preferenciais da Petrobrás. É notória a troca de posições de detentores de papéis. Muitos movimentos ocorrem, calculadamente, com menos de 5% de participação. O negócio é driblar a lei que obriga a divulgar uma movimentação maior, via comunicado ao mercado em “Fato Relevante”.

Há três registros de “altas artificiais” com prováveis mudanças de troca de mãos de papéis PTR4 entre grandes investidores institucionais. A primeira foi em maio, durante a “greve” dos caminhoneiros até a derrubada de Pedro Parente. A segunda, após o anuncio da vitória de Bolsonaro no segundo turno, na segunda-feira, die 29 de novembro. A terceira foi ontem, quando a equipe econômica assumiu as rédeas do poder.

Há uma volúpia em torno da indefinição sobre a Cessão Onerosa da Petrobrás. A mesma ganância se verifica nos movimentos estratégicos em torno da futura privatização da Petrobras (via redução da participação acionária da União ou pelo fatiamento, com a venda das subsidiárias da “estatal” de economia mista).

O problema real é a movimentação de volumes fantásticos de determinado ativo, a partir de informações de dentro da empresa, da área econômica do governo ou da mentira produzida pelos delinqüentes de mercado, com reprodução instantânea na mídia tradicional ou nas redes sociais. Parece um jogo no cassino do Al Capone. Os espertalhões estrategistas faturam alto. Os “minorotários” tomam na bolsa...

Eis o amargo cinismo do rentismo no Brasil. O negócio é especular, ganhar dinheiro fácil e rápido, a qualquer custo, inclusive criminosamente. Atentos analistas de mercado observam que, desde 2 de janeiro, a Bolsa (B3) tem negociado R$ 15 bilhões por dia. Só a Petrobrás tem movimentado, em média, R$ 2 bilhões diários. Perguntinha básica: Tal movimento de entra e sal tem sido monitorado, devidamente, pela CVM?

Aliás, a CVM deve explicações aos investidores sobre os prejuízos bilionários causados pela má gestão (temerária, criminosa ou incompetente) de executivos e membros dos conselhos de Administração e Fiscal da Petrobras, nos tempos terríveis em que Lula e Dilma presidiram o Brasil.

O Presidente Jair Bolsonaro e seu Super-Ministro-da-Economia Paulo Guedes bem que podiam agendar uma conversa oficial, no Palácio do Planalto, com o presidente da CVM, Marcelo Barbosa. É fundamental que Bolsonaro tome conhecimento dos problemas e crimes denunciados por investidores minoritários (ou, melhor dizendo, minorotários).

Mourão do BB

É muito sórdida a exploração midiática que se faz da promoção de carreira recebida por Antônio Hamilton Rossel Mourão no Banco do Brasil.

O filho do Vice Presidente da República é funcionário de carreira, há 18 anos, no BB.

O fato de só agora ter ingressado no PAET (Programa de Alternativas para Executivos em Transição) não se deve a um “pistolão” do pai.

O Mourão do BB, que atua na área de agronegócio, não teve chances antes simplesmente porque os melhores cargos da instituição estavam ocupados por velhos esquemas de aparelhamento político.

Cabe apenas ao Presidente do BB, Rubem Novaes, justificar por que o filho do Mourão fez jus a um aumento salarial de R$ 12 mil para R$ 36 mil reais.

O Mourão do BB não pode acabar sacaneado só por causa do parentesco com o Mourão do Jaburu...

Nota oficial do Banco do Brasil

O BB soltou, no final da tarde, o seguinte comunicado oficial:

O Banco do Brasil informa que Antônio Hamilton Rossell Mourão foi nomeado ontem, 7, para o cargo de assessor especial da Presidência. O cargo é de livre provimento da Presidência do BB e a nomeação atende aos critérios previstos em normas internas e no estatuto do Banco.
      
Antônio Hamilton é funcionário do BB há 18 anos e trabalhava há 11 anos como assessor na Diretoria de Agronegócios. Ele é formado em Administração de Empresas e possui pós-graduações em Agronegócios e em Desenvolvimento Sustentável.  

A respeito, o presidente do BB, Rubem Novaes, afirmou que o funcionário Antônio Hamilton possui excelente formação e capacidade técnica. "Antônio é de minha absoluta confiança e foi escolhido para minha assessoria, e nela continuará, em função de sua competência. O que é de se estranhar é que não tenha, no passado, alcançado postos mais destacados no Banco", disse Novaes.

Confira a 1ª Edição de hoje: Quem fatura manipulando ações da Petrobras?

Releia a 2ª Edição de ontem: Temporada de caça aos Imbecis   


Vida que segue... Ave atque Vale! Fiquem com Deus. Nekan Adonai!

O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Independente, analítico e provocador de novos valores humanos, pela análise política e estratégica, com conhecimento criativo, informação fidedigna e verdade objetiva. Jorge Serrão é Jornalista, Radialista, Publicitário e Professor. Editor-chefe do blog Alerta Total: www.alertatotal.net. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos. 
A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Em nome da ética democrática, solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas. Nada custa um aviso sobre a livre publicação, para nosso simples conhecimento.

© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 8 de Janeiro de 2019.

3 comentários:

Anônimo disse...

LOGO COM UM GOVERNADOR COMUNISTA-PT ACONTECENDO ISSO NO CEARÁ?
Muito estranho!
Quem sabe forçando a barra para ver se soltam Lula que "ele dará o jeito nisso" e não duvidaria dessa estrategia e essa besta solta, nesse tempo, voltaria contra o governo Bolsonaro-povo, como procedia anteriormente...
Tem de se enfrentar como puder, calar as esquerdas e prender e, se as esquerdas partirem para o confronto, Bolsonaro topar a parada!
Ou, quem sabe, o agitador e revolucionario George Soros noutro front, especialista de conflitar, tumultuar povos, açulando as esquerdas daqui?
Garantido é que os comunistas são treteiros, peçonhentos e mestres na obra de enganar de seus reais propósitos, ALÉM DE DOUTORES EM ACUSAREM OS OUTROS DO QUE FAZEM DE TRAMÓIAS...

Anônimo disse...

Parabéns, Jorge Serrão! Vc apenas mostrou o pouco conhecimento que tem do mercado financeiro, da função e da atuação da CVM e de quebra do qué é e como funciona a lavagem de dinheiro.
Fraca a matéria...

Anônimo disse...

Há um potencial novo articulista para fazer justiça à importância do mercado financeiro e esclarecer sobre a lavagem de dinheiro?