domingo, 20 de janeiro de 2019

Transparência pós-Davos


Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Jorge Serrão - serrao@alertatotal.net
Membro do Comitê Executivo do
Movimento Avança Brasil

Vende-se facilmente a notícia de que o poderio econômico global está empolgado com viagem do Presidente Jair Bolsonaro ao World Economic Forum, em Davos. Tomara que o Chefe de Estado brasileiro não entre numa fria geopolítica, nos gelados Alpes Suíços. Bolsonaro jantará com os principais líderes da Oligarquia Financeira Transnacional que controla o Planeta Terra. O principal objetivo do Fórum é puro marketing do Poder Globalitário: deixar claro quem manda no jogo, na hora de fechar os maiores negócios internacionais.

O evento tem uma utilidade prática para Bolsonaro. O Presidente brasileiro espera redesenhar sua imagem perante o mundo. Na campanha eleitoral, a esquerda foi eficaz na apresentação negativa do Bolsonaro, pintando-o internacionalmente como um “fascista, autoritário, de extrema-direita”. Desenharam Bolsonaro como um “Trump dos Trópicos”. Tal imagem é tão falsa como uma nota de 13 dólares com a efígie da Rainha da Inglaterra, emitida pelo Banco Central dos EUA, que é vendido como “independente”, porém é controlado, na verdade, por seus acionistas, os principais banqueiros internacionais, desde quando o sistema da “Reserva Federal” foi implantado nos fins de 1913.

Os “Donos do Mundo” constatarão que Bolsonaro é diferente. Tem nada a ver com Donald Trump. O Presidente dos EUA é um bilionário homem de negócios nos ramos imobiliário, do turismo e da comunicação. Bolsonaro é um servidor público militar com um patrimônio de classe média – e olhe lá. Trump se dá ao luxo de ignorar o beija-mão ao seus poderosos pares em Davos. Bolsonaro vai debutar em um jantar no qual o Brasil será o prato principal. Os controladores globalitários têm certeza de que o Brasil só tem soberania na retórica diplomática. Na prática, somos um obediente País Capimunista, na periferia econômica do Planeta Terra.

Bolsonaro lá fora, o Presidente do Brasil em exercício será Antônio Hamilton Mourão. Temos outra diferença para o País de Trump – que continua presidente onde estiver o Air Force One e aquela maleta que pode deflagrar uma guerra nuclear. O Brasil ainda adota aquele conceito estúpido de que, deixou o território, o chefe de Estado passa, automaticamente, o cargo ao substituto eventual. Definitivamente, temos muito a evoluir institucionalmente...

Mourão assume e terá de gerenciar uma inútil crise política gerada por um erro estratégico de comunicação do deputado estadual e futuro senador Flávio Bolsonaro. Há seis meses, o Ministério Público Estadual do Rio de Janeiro investiga assessores de 21 parlamentares. Os “aspones” – e não necessariamente “Suas Excelências” são suspeitos de lavagem de dinheiro. O caso do Flávio ganhou repercussão porque ele é o filho do 01 da República.

Semana passada, depois que descobriu que fora alvo de quebra de sigilo e de uma investigação “secreta”, Flávio recorreu ao Supremo Tribunal Federal para mandar parar as investigações e exigir a anulação de provas obtidas e vazadas ilegalmente. Na presidência interina do STF, durante as férias forenses, o ministro Luiz Fux acatou o pedido e trancou as investigações as investigações contra Queiroz – que até hoje não deu uma explicação oficial convincente para suas movimentações financeiras atípicas que, por indução da mídia e da oposição, atingiram o filho do Presidente da República.

A treta tem mais um capítulo. Vazou – e o Globo publicou – que foi de R$ 7 milhões, entre 2014 e 2017, a movimentação financeira nas contas do Fabrício Queiroz. As cifras vêm dos arquivos do COAF – órgão federal de controle das atividades financeiras. Atualmente sob controle de Sérgio Moro, o COAF terá de explicar como vazaram apenas os dados de Queiroz, porém não vieram à tona informações sobre os aspones de outros 21 parlamentares. O canalha rigor seletivo no vazamento criminoso está mais que evidente.

A extrema imprensa ganhou, de bandeja, todos os argumentos (confiáveis ou não) para detonar a tese oficial de que os problemas do primeiro-filho não afetam o Presidente da República. O erro estratégico de comunicação agravou o escândalo taticamente fabricado por adversários e inimigos de Bolsonaro. Os treteiros usam o argumento (verdadeiro ou falso) de que Queiroz também era considerado “amigo” pelo próprio Jair Bolsonaro – que afirmou ter emprestado dinheiro ao assessor do Flávio que devolveu a quantia depositando na conta da primeira-dama Michelle.

O escândalo foi turbinado pelo estúpido silêncio do Queiroz (que foi submetido a uma cirurgia para a retirada de um câncer intestinal). A extrema imprensa insiste na tese de que o “Presidente está emparedado”, que “tem laranja no liquidificador de Bolsonaro” e que o “Palácio do Planalto tenta blindar o Presidente, criticando a investigação”. O Globo usa as palavras do Secretário Especial de Comunicação da Presidência, Floriano Barbosa: “Esse assunto não é referente ao Poder Executivo, nem ao Planalto”.

O Presidente que assume interinamente neste domingo à noite, Antônio Hamilton Mourão, apenas repetiu o que tem dito desde o começo do escândalo: “É uma questão do Flávio Bolsonaro, não tem nada a ver com o Governo Federal. Esse assunto pertence ao Flávio e aos assessores dele. Vamos aguardar os esclarecimentos que tiverem de ocorrer por parte dele mesmo e da própria investigação que está em curso”.

O pepino não deve ser encarado como uma Crise, mas sim como uma oportunidade para o Presidente e seus integrantes de governo comprovarem o compromisso com a transparência e o combate à corrupção, doa a quem doer. Não adianta tentar minimizar a crise apenas nas habituais negativas dos discursos oficiais. O desgaste só será revertido com muita seriedade, serenidade e (vale insistir na palavrinha mágica) TRANSPARÊNCIA.

Tomara que o episódio seja devida e legalmente investigado. Oxalá que o resultado sirva de exemplo para gerar uma pressão popular que mude o sistema de parlamentares com excesso de “assessores-de-porra-nenhuma” (aspones) hiper-ultra-bem-remunerados. É preciso acabar com esquemas de lavagem de dinheiro e outras negociatas em gabinetes pelo Brasil afora. Transparência Total, já!

Depois que retornar de Davos, essa crise ainda estará rendendo... Só que a prioridade de Bolsonaro será cuidar da saúde. A cirurgia para normalizar a atividade intestinal exigirá extremo repouso do Presidente. Acontece que Mourão está pronto para presidir e “arrancar rolhas” que surjam pelo caminho.


Vida que segue... Ave atque Vale! Fiquem com Deus. Nekan Adonai!

O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Independente, analítico e provocador de novos valores humanos, pela análise política e estratégica, com conhecimento criativo, informação fidedigna e verdade objetiva. Jorge Serrão é Jornalista, Radialista, Publicitário e Professor. Editor-chefe do blog Alerta Total: www.alertatotal.net. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos. 
A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Em nome da ética democrática, solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas. Nada custa um aviso sobre a livre publicação, para nosso simples conhecimento.

© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 20 de Janeiro de 2019.

6 comentários:

Anônimo disse...

NUTAVAEL DIZ...
A QUEM INTERESSA QUE O FLAVIO BOLSONARO NAO INGRESSE NO SENADO?OBVIAMENTE O SENADOR SEM VERGONHA CRETINO CAPITAO DO MATO, CABELEIRA.
ELE ESTA ENCRENCADO COM A LAVA JATO ATE O ULTIMO CABELO QUE NAO POSSUI NESTE FALTA DE CEREBRO BRASILEIRO QUE USA O DINHEIRO PUBLICO PARA IMPLANTAR CABELOS NA SUA SEDE EM VEZ DE TRABALHAR PELO PAIS.
PERGUNTA QUE NAO QUER CALAR. ONDE ESTAO AS DOZE MAQUINHINHAS FAJUTAS DE TOMAR CONTA DE SEUS PARES NO SENADO QUE SUMIRAM DO MAPA? O VAGABUNDO SEM VERGONHA E SEM CARATER QUE AINDA TEM A CARA DE PAU DE SE APRESENTAR NO SENADO ESCONDEU ONDE?
POR QUE E TAO FACIL E ESCONDER EVIDENCIAS DESTAS CINCO MIDIAS DE MERDA DO BRASIL E SO ESTAO TOMANDO CONTA DO QUE NAO INTERESSA PORQUE ESTAO SENDO PREJUDICADOS PELOS SEUS ALTOS SALARIOS A CUSTA DO SUOR E SOFRIMENTO DO POVO BRASILEIRO.
ESSA MIDIA DE MERDA TEM QUE SER RIFADA DO PAIS ELES SAO OS MAIORES MAUS ELEMENTOS DA NAÇAO COM SUAS ASSOCIAÇOES AOS TRAFICO E TRAFICANTES DE DROGAS DAS FAVELAS. ISTO ATE OS MORTOD DE BEM DO PÁIS SABEM.
ESSES VAGABUNDOS DA MIDIA MORTA E DOS SUPREMOS ELEITORAL E FEDERAL TAMBEM MORTOS SAO A MAIOR PROVA QUE NAO ESTAO TRABALHANDO PARA NOSSO DESENVOLVIMENTO MAS SIM NOSSO SEPULTAMENTO COMO HOMENS E MULHERES DE BEM QUE SAEM DIARIAMENTE PARA CUMPRIR SUAS TAREFAS E OBEDECER A LEI. ESTA NA NORA DE UMA CONSTITUIÇAO CIDADA NOVA. SEM LEVAR EM CONTA AS FACÇOES CRIMINOSAS INSTALADAS NO PAIS. SINDICATOS, QUARENTASPARTIDINHOS VERMELHOS MEIA BOCA, MONTES DE SINISTROS QUE NAO VALEM O QUE CAGABEM E PRINCIPALMENTE DIREITOS DE QUEM NAO TRABALHA E SO FURUNFA, COME E CAGA. O FATO DE DAR O RABO, SER SAPATONA, PRETO, BRANCO, FAVELADO E RICAO NAO DEVE SER LEVADO EM CONTA. OS TRANITORIOS DOS CONGRESSO FEDERAL, ESTADUAL E MUNICIPAL, SENADO E SUPREMA CORTE QUE GANHARAM SEUS EMPREGOS SEM TER CLALIFICAÇAO PARA TAL NAO TEM QUE SER LEVADO EM CONTA. ESCOLHA PESSOAL QUE O INDIVIDUO ACATE SEUS ESCOLHAS E NAO O PAIS E NOSSO SUADO DINHEIRO. CONSTITUIÇAO CIDADA NOVA E NOVAS FORMAS DE CONDUZIR MINISTROS PARA SENTAREM O RABO NA SUPREMA CORTE. O PAU QUE DA EM FRANCISCO TEM QUE DAR EM CHICO. SO TRES PARTIDOS DIREITA, CENTRO E ESQUERDA O RESTO E CONVERSA DE SUBDESENVOLVIDO DE MERDA QUE NAO QUER TIRAR O PE DO CHIQUEIRO. MORARAM OU QUEREM QUE SE DESENHE.

Jaci Capistrano disse...

O Flávio não pediu para parar a investigação. O Min Fux é que decidiu suspender até decisão do relator, Min Marco Aurélio.
Ele somente pediu para saber qual é o seu foro – onde ele responde, e tem decisão do STF dizendo que os detentores de foro devem consultar o STF para que este diga qual o órgão competente para julgar.

Não confunda órgão competente com foro privilegiado.

Jaci Capistrano disse...

No caso dos petistas e cia tinha processo aberto, tinha Juiz. No caso presente não tem nem processo. O que tem é o MP RJ vazando o COAF à conta gotas para a Globo todo dia a fim de derrubar o governo e enfraquecer uma possível candidatura do Flávio ao senado que certamente atrapalharia os planos de Renan Calheiros o coroné de Alagoas.

A Globo te contou que ele tem 2 franquias da Kopenhagen, o que poderia explicar facilmente os depósitos em dinheiro na conta dele? Te contou que ninguém foge de uma processo que não existe? O povo nem entende como funciona um processo penal e já se acha juiz.

jomabastos disse...

A verdade é que o Bolsonaro apoia diretamente os governos de extrema-esquerda ou ultraliberais - o Ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, é porta voz dessa concordância ideológica.

jomabastos disse...

Ótimo artigo!

"Oxalá que o resultado sirva de exemplo para gerar uma pressão popular que mude o sistema de parlamentares com excesso de “assessores-de-porra-nenhuma” (aspones) hiper-ultra-bem-remunerados. É preciso acabar com esquemas de lavagem de dinheiro e outras negociatas em gabinetes pelo Brasil afora. Transparência Total, já!".

O Brasil necessita de urgente Transparência Total a nível econômico, judiciário, político e social.
O Brasil necessita de acabar de imediato com o Foro Privilegiado.
O Brasil necessita trabalhar rapidamente e profundamente a anticorrupção para todo mundo, não oferecendo privilégios nem desvantagens a qualquer ideologia partidária.

Se o atual governo fizer uma reforma satisfatória da Previdência, o país pode vir a ter um crescimento e desenvolvimento robusto.
As privatizações também são extremamente importantes para o não desgaste econômico do Estado brasileiro.
Soluções muito bem alicerçadas são necessárias para a Educação, para a Saúde, para o Saneamento Básico, para a Violência e para a infraestrutura logística e de transportes da nação.

Mas, por enquanto, o governo está entretendo o eleitor com MP`s e Decretos de reduzida importância, a uma população que não sabe aprovar e desaprovar, talvez porque nunca tentou ou aprendeu a capacitar-se a olhar diretamente para os erros e omissões da governação. O povo tem que habilitar-se a criticar o que considera que está menos certo ou errado, e simultaneamente a apresentar soluções para as todas as suas críticas e também para as necessidades do país.

H. James Kutscka disse...

Perfeito Serrão.