segunda-feira, 28 de janeiro de 2019

Vivemos num mar de lama física e moral



Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por H. James Kutscka

Brumadinho, nome de cidade que poderia ser parte de um conto de fadas, da noite para o dia, próximo à hora do almoço, virou nome de um inferno de lama que enterrou dezenas ou centenas de pessoas inocentes.

Muitos, não importa o número. Um já seria revoltante; morto engolindo a lama, mistura de terra, concreto e restos de mineração, pesada, indigesta, mortal.

Se a Represa do Feijão (irônica coincidência para o nome de um assassino que mata na hora do almoço), estava com todas as licenças ambientais e de segurança em dia, como asseguram as autoridades e a própria mineradora, e mesmo assim o pior aconteceu, torna-se necessário investigar quem expediu tais licenças.

Segundo a imprensa (aqui não importa qual) há menos de um mês, um exercício para o caso de rompimento da mesma represa havia sido levado à efeito.

A pergunta de um milhão de dólares é a seguinte:  Antes desse exercício, quando foi feito o último similar?

Através da televisão, já tenho a dimensão da tragédia que “talvez” pudesse ter sido evitada, o que vi foi suficiente, não preciso mais detalhes, se repete Mariana.

Triste resultado da falta de responsabilidade das autoridades envolvidas com a segurança de tais obras.

Ainda sobre o tema, nossa aproximação com Israel já mostra os primeiros frutos, um avião com técnicos e ajuda humanitária foi enviado ao Brasil para a tarefa de resgatar vítimas e restaurar o eco sistema “todá, Lehaim”!

Por outro lado, um deputado abre mão do mandato a que foi eleito, por se dizer perseguido, até mesmo ameaçado de morte e diz que vai deixar o país.

O leitor, pode com toda razão, se perguntar: o que tem a ver uma coisa com a outra.

Simples, meu caro Watson!   O mar de lama moral do título.
Nesse caso, mistura de corrupção, mentiras, imoralidades, falta de caráter e outros atributos da maioria dos políticos dessa nossa pátria amada, idolatrada, salve, salve!

Tal fato seria gravíssimo para um país que se diz democrático, não fosse tal deputado (parte de uma tribo em que alguns membros menos discretos,  são dados a gestos tresloucados  como cuspir em quem discorda de suas ideias e ter chiliques), o mesmo sujeitinho que cuspiu na cara de  quem viria  a  ser nosso atual presidente.

Também devemos levar em conta que ele já havia deixado o país quando fez tal declaração.

Então, mais uma pergunta de um milhão de dólares :  Teria  alguém o avisado  que corria no Brasil um boato de que ele havia estado  com Adélio (o teleguiado  da facada no futuro presidente), um dia antes  do acontecido,  e como quem tem cu, tem medo, ( embora  ele não tenha muito respeito pelo dele ) tenha resolvido ficar fora de nossas fronteiras por uns tempos.

Nesse caso, sugiro escolher bem o país, pois se houver um fundo de verdade nos boatos, um pedido de extradição pode acontecer.

Uma boa ideia é ir para Cuba, o paraíso socialista onde Che Guevara matava todos os que não faziam o uso primordial do “furíco”, ou Caracas,  de seu ídolo Podre, mas esse último destino é menos recomendável, parece que está para mudar apesar do conselho de segurança da ONU estar  segundo a Globo “dividido”, USA, Reino Unido e França  a favor de  Juan Guaidó, e vejam só que surpresa, China e Rússia a favor de Maduro.

Para terminar, pode até parecer loucura, mas acabo de receber a informação de que a mãe e a irmã de Adélio (ele mesmo, o da faca), trabalhavam no gabinete de Maria do Rosário.

Chega!  já é lama demais para apenas um artigo.

H. James Kutscka é Escritor e Publicitário.

4 comentários:

jomabastos disse...

Quem ainda fala do Jean Wyllys, é mais tolo do que ele.

Falar, escrever, fazer referência aos muitos políticos corruptos e incapazes que comandam o nosso país, todo mundo praticamente vive de boca cerrada. Porquê? Hein?

Quem fala ou escreve sobre os políticos menos limpos que exercem no atual executivo?
Quem fala ou escreve sobre os políticos sujos que exercem no atual país?

jomabastos disse...

Pelo seu texto, a autor deste artigo também é dos que ainda culpa o mundo exterior dos males que destroem o âmago do nosso país. Infelizmente!

jomabastos disse...

Será surpresa a China e Rússia estarem favor de Maduro? É a força do petróleo e do comunismo a funcionarem.
Os EUA ainda alimentam a ditadura de Maduro, através da compra de petróleo à Venezuela. Também desconhecia?

jomabastos disse...

Se a Rússia e a China têm veto na ONU, é natural que a ONU esteja dividida. Certo? Ou não?