segunda-feira, 11 de fevereiro de 2019

A Previdência Privada e a Imprevidência Pública


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por H. James Kutscka

Não sei o que me preocupa mais: Nosso novo Ministro da Economia, escolhido a dedo pelo nosso presidente, figurinha carimbada do mercado financeiro buscando apoio para as reformas da Previdência que segundo ele são necessárias e urgentes (não se esqueçam da história do escorpião e do sapo, a natureza prevalece sobre a razão), ou o desespero de Gilmar Mendes pedindo ajuda ao seu coleguinha Dias Tofolli, ao perceber que finalmente a Polícia Federal está no seu encalço.

No primeiro caso, o que espanta (não fosse sabermos que os que mais teriam a ganhar com as medidas ensaiadas seriam os bancos) é que o ministro, que nos últimos dias se esforça mais que nunca para  levar a efeito dita reforma, com toda certeza sabe  que pelo menos 80%  dos recursos da Previdência são utilizados para pagar aposentadorias e benesses de 20%  de privilegiados, servidores públicos, políticos e juízes, não  contempla  em seus planos eliminar essas mordomias. Pretende como todos antecessores, ao aventar tal “reforma”, esfolar novamente os 20% que ganham míseros R$ 954,00 por mês.

Somente em 2015, segundo dados de auditores do próprio Governo Federal, foram desvinculados 66 bilhões de Reais  da Saúde, Previdência e Seguridade Social, para outras finalidades, autorizados por uma emenda constitucional do Governo. A Previdência apesar das distorções, não fosse esse fato, apresentaria superávit.

Ora, ministro, tome tento!

O senhor não está mais tratando com aquela gente que elegeu a “anta do planalto” e o “muar de São Bernardo”, como seus antecessores.

Graças às redes sociais, que tiraram o monopólio da “verdade” das mãos da mídia, que sustentava e era sustentada pelos governos anteriores, o povo hoje sabe com certeza, o que antes apenas os mais expertos intuíam.

Não vamos engolir uma reforma da Previdência que não retire os benefícios espúrios dos que se creem acima da lei, e se reforme a constituição para impedir desvios de recursos através de emendas.

No segundo caso, está um deles, um dos que se crê habitante do Olimpo.

Como os deuses da mitologia, este também carece de escrúpulos e porta uma carranca de quem comeu coisa estragada com sua boca de bagre.

Pois bem, aparentemente os ventos dos novos tempos estão trazendo a maré de lama para as alturas do monte Olimpo e já atingem as portas do João Plenário (personagem que satiriza os políticos corruptos no programa do SBT “A praça é Nossa”) da vida real.

Como quem tem cu tem medo e até os deuses do Olimpo o tem, João Plenário, assim como o “cabeleira” o fez a semana passada de madrugada, pediu providências de Dias Toffoli.

Como esse último faz parte da mesma quadrilha instalada por ex-presidentes canalhas na mais alta corte de justiça do país, temos motivos para ter a esperança que morram todos abraçados na lama que alcançou as alturas onde habitam tais seres, infelizmente bem reais.   
Seja como for, aconteça o que acontecer, a partir de agora nada será como antes.

O Brasil saiu do coma que o acometia há mais de trinta anos, graças a sua imensa saúde e riqueza, os vermes que o acamaram não tiveram a força necessária para matá-lo, a recuperação será lenta, mas o futuro que se lhe apresenta, será radiante e cheio de perspectivas para as novas gerações.

H. James Kutscka é Escritor e Publicitário.

Nenhum comentário: