domingo, 17 de fevereiro de 2019

Desafios para o Bolsonaro gestor



Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Jorge Serrão - serrao@alertatotal.net
Membro do Comitê Executivo do
Movimento Avança Brasil

Depois da mais grave crise nos quase 50 dias de governo, o Presidente Jair Messias Bolsonaro será submetido a um teste de fogo: terá de comprovar aos eleitores, aos aliados e aos inimigos que tem plena capacidade e competência de gestão, tanto de pessoas quanto de crises. Será preciso agir e reagir com mais razão e menos emoção, porém tomando todo cuidado para o fígado não tomar o lugar do cérebro e do coração.

Alguns grupos de alto nível de pensamento nas redes sociais – mais focados em conceitos e raciocínios corretos e não em fofoquinhas midiáticas – produziram algumas análises muito úteis ao Presidente Bolsonaro, na nova fase pós-50 dias de governo. Afinal, Bolsonaro não pode se transformar em um enfeite na cadeira presidencial. Não pode perder a aposta feita pelo eleitorado de que é capaz de governar com competência. É isto que está em jogo agora.

Bolsonaro foi eleito para resolver três problemas que incomodam o imaginário popular: 1) a violência fora de controle; 2) a corrupção sistêmica; 3) a economia estagnada. A Reforma da Previdência não estava definida como “prioridade” no script da campanha, porém acabou se tornando o maior objetivo do governo por imposição da equipe econômica e do mercado financeiro que tem interesse em lucrar com o regime de capitalização. As complexas negociações da reforma consumirão muita energia de Bolsonaro. Isto pode comprometer a execução de uma agenda positiva.

Para isso, os livre-pensadores via internet recomendam que Bolsonaro tem de evitar e abandonar os velhos e deletérios vícios do poder. O governo precisa de um novo modus operandi. Toma-lá-dá-cá ainda não é fácil de driblar, porém deve ser evitado a todo custo. Desfazer a velha política exige muita visão estratégica e compromisso de um staff altamente capacidado.  

Porém, o ponto fundamental é integrar os 22 ministérios. Até Bolsonaro assumir, a constatação foi de que eles operavam isoladamente. Cada grupo cuidava de seu “feudo”. O Presidente parecia um ente ficcional perante um elenco de ministros que faziam a festa atendendo aos interesses de seus grupos.

A equipe de Bolsonaro – sobretudo os militares – tentam mudar tal realidade, tentando integrar ministérios e seus órgãos a um plano de governo feito (?) após a vitória e a posse governamental. Bolsonaro espera uma atuação correta, eficiente, honesta e rápida de seu time ministerial. Deu prazo fatal para metas cumpridas em 100 dias de governo. A turma tem 50 dias para chegar a resultados. O Presidente já sabe que alguns não conseguirão. Os “fracassados” rodarão. Pedirão para sair, ou serão saídos... Um freio de arrumação é inevitável.   

O affair Bebianno, certamente, será mais um duro aprendizado a um Presidente que vem de quase três décadas de parlamento, sem vivência administrativa. Podem ocorrer efeitos colaterais? Certamente que sim... No entanto, Bolsonaro precisa encontrar um craque para escalar na Secretaria-Geral da Presidência – que deve funcionar como meio-de-campo e ponto de equilíbrio do governo.

O Alerta Total insiste por 17 x 17: a boa governança dependerá de: 1) decisões corretas; 2) Comunicação direta, honesta, verdadeira e na velocidade certa, sem precipitações e factóides; 3) Um staff, com visão realmente estratégica, que seja competente na gestão de crises, ajudando o Presidente a tomar as decisões certas; 4) Bolsonaro deve confiar mais no seu vice Mourão – que consegue relaxar e até apresentar bom humor na hora de decidir o que precisa ser feito na solução de problemas; 5) Precisa se aconselhar mais com seus vários Generais de Exército que ocupam cargos-chaves no Palácio do Planalto.

Não é hora de pressa, porém de velocidade correta. Cinquenta dias passam voando até chegar a 100 - quando já está programada uma reescalação de alguns dos 22 ministros e de muitos outros colaboradores nos demais escalões governamentais. A crise de agora foi uma oportunidade para fazer melhor daqui a 50 dias. A chance não pode ser desperdiçada. Aé porque o País não agüenta...

Providência imediata para Bolsonaro. Praticar sua agenda positiva. Se for pautado pela ultrapassada mídia canalha, quem vai dançar é ele. A Dilma caiu assim...  

Vida que segue... Ave atque Vale! Fiquem com Deus. Nekan Adonai!

O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Independente, analítico e provocador de novos valores humanos, pela análise política e estratégica, com conhecimento criativo, informação fidedigna e verdade objetiva. Jorge Serrão é Jornalista, Radialista, Publicitário e Professor. Editor-chefe do blog Alerta Total: www.alertatotal.net. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos. 
A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Em nome da ética democrática, solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas. Nada custa um aviso sobre a livre publicação, para nosso simples conhecimento.

© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 17 de Fevereiro de 2019.

12 comentários:

Anônimo disse...

Essa charge é capciosa porque Carlos Bolsonaro defendeu o pai quando este estava fragilizado em um quarto de hospital, evitando que colocassem na boca e na conta do presidente Bolsonaro decisões que ele não tomou, para depois poderem dizer que ele estaria sem condição de governar.

jomabastos disse...

Os governantes vêm e vão... a mídia, seja de direita ou esquerda, sempre fica. É assim que funcionam a democracia e o liberalismo.
Portanto, é melhor o Presidente afinar bem a sua orquestra. Mas para afinar devidamente os instrumentos, há que ser e ter bons afinadores e ter equipamento adequado pra poder tomar os cuidados necessários.

jomabastos disse...

A Corrupção origina Violência e Economia estagnada;
a Economia estagnada origina Violência;
a falta de Cultura e Educação acadêmica origina Violência;
a Violência origina Violência.

Para dar início a reduzir substancialmente a corrupção, há que começar por acabar com o Foro Privilegiado para crimes, não permitindo que pessoas acusadas ou condenadas por um crime, possam ocupar ou vir a ocupar qualquer cargo político ou de gestão pública.
E a corrupção iria diminuir rapidamente!

Para eliminar a violência, é vital prevenir que, 60 mil homicídios não aconteçam neste país.
Para isso é necessário evitar ao máximo que o narcotráfico e a violência aconteçam.
É necessário que todos os brasileiros das periferias, aqueles que atualmente têm acesso ao narcotráfico e à violência, tenham seu tempo ocupado, dispondo de boa educação e cultura.
Em vez de criar presídios para os marginais, deveriam ser criados colégios militares, internos e externos, para os jovens, antes que estes virem malfeitores e traficantes.
E a economia, obrigatoriamente, tem que desenvolver-se rapidamente para poder absorver esta nova leva de gente profissionalmente preparada.
E a violência iria diminuir drasticamente!

Paulo Robson Ferreira disse...

Um camarada que tem Trump como ídolo, Olavo de Carvalho como guru e vontade de trocar a embaixada para Jerusalém, pode até ser honesto, mas sofre de uma galopante falta de inteligência emocional.

Anônimo disse...

Ótimo texto, realístico e construtivo. Já a figura que o acompanha passa uma mensagem totalmente diferente. De crítica a família Bolsonaro e de deboche. Por que?

Jayme Guedes Filho disse...

Enquanto o elefante passava a imprensa só via a pulga. A questão é outra: como o dirigente de um partido- organizações que fazem pesquisa diária durante as campanhas eleitorais - destina dinheiro público a quatro dias da votação para um candidato que recebe cem votos?Candidato que depois falta a um depoimento à PF e dizem estar "fora do Brasil". Vale dizer, fugiu. Pense, Serrão. Alguma vez o ministro demitido deu alguma explicação para essa "aberração"? Não, nunca. Também foge. Quando falou, desviou o foco, repetindo o estatuto do partido: "o partido destina os recursos aos diretórios que os destina aos candidatos que, por sua vez, prestam conta". É esse o questionamento? Precisa mais? É óbvio que houve desvio de dinheiro público. Mas a imprensa prefere focra no filho do presidente que está certíssimo. Ao mentir dizendo que falou com o presidente três vezes, sugerindo que tinha se explicado, o Bebiano mereceu o desmentido do filho e o do pai. Eu não preciso de mais nada para saber o que houve. A única lealdade de um presidente eleito é devida ao povo. Nossa imprensa ainda tem que evoluir muito.

Anônimo disse...

Precisa primeiro ocupar os espaços para poder governar. Se continuar enveredando pelo lado dos interesses dos banqueiros acabará não só queimado, mas nas mãos dos agiotas até o fim, como verdadeiro fantoche. No entanto, precisa, com urgência, abaixar os impostos para liberar as empresas de tanta obrigação fiscal. É preciso que o setor privado recupere sua capacidade de investimento e só ocorre investimento se houver lucro, coisa que os comunistas detestam, pois quanto mais lucro, mas forte fica o setor privado.

Anônimo disse...

Parece que o blog está torcendo pelo Mourão e militares. O deslumbrado Mourão nada mais quer do que prejudicar Bolsonaro e tomar seu lugar. Por isso tenho asco dele.Antes de conhecê-lo, até gostava e torcia por ele, sentimento que se esvaiu tão logo mostrou descaradamente a que veio. Até bb de colo percebe que Mourão é inimigo e outros militares tb, mas, este é notório.
Portanto, até tu, Alerta Total? Tô de olho.
Esther

Unknown disse...

Enquanto isso o Lula ladrão tá preso. Aguardem. Vem muito mais. Q acha q tá ruim vá pra Cuba ou Venezuela
Ou ainda se hospedar em 1 das mansões do ladrão q tem pelo mundo afora.

Anônimo disse...

Ora, Serrão, é óbvio que O ESPERTALHÃO BEBBIANO TENTOU JOGAR NO COLO DE BOLSONARO a questão das candidaturas laranjas e o desvio de recursos de campanha!!
Só achei a reação de Bolsonaro MUITO TÍMIDA!! Deveria tê-lo demitido no instante em que veio com esse papo furado, tentando DIVIDIR A RESPONSABILIDADE pelos roubos do PSL com o PR, o que fatalmente levaria ao IMPEACHMENT de Bolsonaro!!

Anônimo disse...

Serrão COMPROU A VERSÃO daqueles que sonharam ter em mãos o motivo para pedir o impeachment de Bolsonaro! Deram com os burros n'água, porque o Presidente, mesmo hospitalizado, desarmou a ARAPUCA DE BEBBIANO!!

Anônimo disse...

A firmeza de caráter de Bolsonaro e seus filhos desarmou a arapuca de uma teia cerrada de interesses. E ainda dizem que ele é ignorante e despreparado! Sua inteligência emocional se traduz na sabedoria de perceber que a excessiva racionalidade conduz a sociedade à psicopatia. O presidente já deu várias demonstrações de seu coração generoso. Ele surgiu como opção eletiva após muitas orações do povo brasileiro (que continua rezando por seu governo), porque todas as saídas do buraco, a que a esquerda (com a indiferença dos liberais) havia levado o Brasil, haviam sido laboriosamente bloqueadas ao longo das administrações PSDB-PT.