domingo, 17 de fevereiro de 2019

Para articuladinhos e filhos dos outros



Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Renato Sant’Ana

Em Porto Alegre, um grupo de mães e pais articuladinhos convocou, para 18/02/19, a realização de um "café da manhã", nas lanchonetes de oito bons colégios, para recepcionar os alunos ao início do ano letivo. A malandragem é clara, um ato que obedece ao que ditou Guilherme Boulos horas após a eleição de Bolsonaro: "Seremos resistência".

É uma grande patuscada ideológica. Para começar, o que eles querem é fazer a cabeça dos filhos dos outros, que os seus próprios já estarão catequizados. O negócio é envolver os adolescentes ainda não doutrinados, arregimentando-os para infernizar o novo governo.

Aliás, há um aspecto que beira o cinismo. Ao que parece, o motor da iniciativa é uma tal Associação Pais & Mães pela Democracia. Mas o que entendem por democracia? As atitudes, os refrões, as ameaças, tudo o que expressaram depois do resultado das urnas em 2018, trombeteando uma "resistência", revela incapacidade de reconhecer a legitimidade do que o eleitor escolheu. É aquela mentalidade: "adversário é inimigo!" Isso é autoritarismo puro! Como falar em democracia?

A maioria até pode estar de boa-fé, mas muito desinformada. Vamos lá. Só duas questões para testificar a desinformação dos pressurosos pais: Quantos deles saberão o que é o Foro de S. Paulo? E quantos saberão no que teria dado o infame Plano Nacional de Direitos Humanos, que Lula, guiado pelo tal Foro, felizmente sem sucesso, tentou implantar em 2009?

Quem não consegue responder com clareza não compreende as maquinações subterrâneas do projeto de poder que, em 2018, foi representado por Boulos e Haddad, que dão as tintas para a tal "resistência". E quem compreende e apoia está de má-fé.

Na miopia desses alienados, que não entendem a democracia, é usurpação haver um governo que não siga o ideário da raivosa esquerda.

Pois que fique claro, nem mesmo a omissão dos demais pode legitimar essa investida ideológica. Erram no conteúdo, erram na forma. Não é democrático o propósito de arruinar o governo do Brasil para favorecer o projeto de poder da esquerda. E democrático não é arrogar-se o papel de fazer a cabeça dos filhos dos outros.

Renato Sant'Ana é Psicólogo e Advogado.

5 comentários:

Anônimo disse...

Paulo Pavesi fez acordo com a ministra Damares, e encerrou a greve de fome.

jomabastos disse...

Não há que infernizar o governo... o governo inferniza-se a si próprio.

jomabastos disse...

Há que ter forte esperança na atual administração, mas não podemos ter o governo como aquele que faz tudo bem... há que saber criticar... criticar!?...não!?... pois até já falam em o mito se reeleger em 2022.

jomabastos disse...


Nada de misturar Direitos Humanos com socialismo/comunismo.
O que o Lula tentou implantar não foram os Direitos Humanos - os Direitos Humanos o socialismo latino nunca conheceu - mas sim o comunismo e a corrupção. Os lulistas quase conseguiram destruir o país. Mas o lulismo já lá foi.
No entanto os atuais corruptos do Congresso, das câmaras de deputados e governos estaduais e das Prefeituras, continuam a desmantelar o Brasil. E o atual governo pouco ou nada faz para aniquilar a corrupção.

Anônimo disse...

Para aniquilar a corrupção, é preciso alterar a legislação revolucionária que premia os bandidos, e isso é o que Bolsonaro encomendou a Sérgio Moro. Tudo está por fazer, e Bolsonaro precisa do apoio da parte sã da sociedade para fazer a mudança legal que corrigirá os costumes viciados que desmantelam o país.