sábado, 16 de março de 2019

A Última Prega



Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Carlos Maurício Mantiqueira

Peço aos amáveis leitores que não se precipitem na interpretação do presente texto.

Não, não se trata da prega mestra.

Está mais para as pregações dos pavões sem razões.

Quando uma instituição de desprega do povo, está para ocorrer algo novo.

Em todos os setores da vida nacional.

A vaidade mata mais que arma de fogo.

De início, funciona como uma espécie de bumerangue de longo curso; demora para voltar, mas volta.

Para os urubus bocós (quase um pleonasmo) insisto em recomendar que leiam literatura quinhentista florentina.

Já foi transposto o ponto de não retorno.

O seu futuro é negro como suas vestes.

Por mais que fossem temidos, hoje são odiados.

Dias de top, top, top virão, como dizem os argentinos, “a la brevedad”.

Se a preguiça for maior que a curiosidade, substituam a leitura por um curto vídeo.

Dentre os ditados populares mais conhecidos está:

"Um dia do caçador, outro da caça”.

O povo brasileiro cansou de ser caçado em sua honra, em sua esperança em sua dignidade, em sua saúde, e, pior, em sua fé na justiça.

De repente, numa tarde cinzenta, o patriotismo nos reinventa e poremos cobro ao deboche, ao escárnio e às felonias.

Aves de mau agouro não conterão da boiada patriótica o estouro.

Vivemos um apagão pior que o país vizinho. Foi-se a inteligência (e a razão) dos que recebem nosso rico dinheirinho.

O mais feroz dos cães é o Cãotribuinte indignado.

Carlos Maurício Mantiqueira é um livre pensador.

3 comentários:

léo guedes disse...

Penso que ainda custará um tempo para que o Judiciário se altere. Para mim, um dos mais inexpressivos grupo de ministros do STF. Evidentemente o Brasil está reconhecendo isso principalmente em suas posições políticas em desacerto com os anseios dos brasileiros.

H. James Kutscka disse...

Nada a acrescentar, meu caro Mantiqueira. Que assim seja!

Anônimo disse...

Comentarista no blog do Aluízio Amorim disse: "Até porque a esquerda já percebeu que os militares não estão a fim de um governo propriamente de direita, por isso voltaram a ficar assanhados." Se isso não for verdade, pelo menos está dando essa impressão, e isso fragiliza a imagem do programa do presidente Bolsonaro perante a população, porque muitos que não viveram senão sob governo esquerdista duvidarão que a opção trazida pelo presidente seja uma escolha defensável para o país.