domingo, 10 de março de 2019

José de Abreu e Maria do Rosário praticam “bulling” com Guaidó


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Sérgio Alves de Oliveira

Quem pensou já ter visto tudo que é  idiotice que pode acontecer no mundo  se enganou.

Mais recentemente, a dupla de palhaços que mais tem feito sucesso no picadeiro político do Brasil, com as suas intermináveis “gracinhas” –por  sinal, “sem graça alguma” -são os autoproclamados novos Presidente e Vice-Presidente da República do Brasil, respectivamente, José de Abreu e  Maria do Rosário.

O primeiro, como “ator”, foi produzido a partir da mesma “matrix” que deu origem ao tal “Jean Wyllis”, ou seja, a Rede Globo, que foi um trampolim para uma infinidade de  outras esquisitisses, estupidezes e mediocridades fornecidas  para ajudar a  avacalhar com a política brasileira.                             

A segunda, Deputada Federal Maria do Rosário, pode ser considerada parte do “lixo” contaminado  esquerdopata que prosperou na política de “Pindorama”, egressa da “OCLO-CLEPTOCRACIA” (mistura de oclocracia com cleptocracia ), ou seja, de uma democracia comandada por ladrões , deturpada, degenerada, “às avessas”, com expressiva participação de gente desonesta e  sem virtudes democráticas portando um título de eleitor ,que é a  sua principal “matéria prima”, em proveito dos  patifes que se infiltraram na política para dela fazer uma perpétua  e rentável carreira.

Ao imitarem, de forma muito “barata”,  e sem qualquer “originalidade”, o episódio  político que se passa na Venezuela -  onde o Presidente da Assembleia Nacional e líder da oposição, com base na constituição local  ,Juan Guaidó,se autoproclamou  Presidente da República, interinamente, até que realizadas novas eleições presidenciais  legítimas, com fiscalização por organismos internacionais idôneos -  esses dois “infelizes” brasileiros, da mesma linha ideológica de Nicolás Maduro, certamente estão pretendendo debochar ou praticar bullyng com Juan  Guaidó.

Esse gesto dos dois palhaços brasileiros foi não só uma atitude de solidariedade em relação ao tirano venezuelano ,e à esquerda em geral, mas antes de tudo uma medida para “aparecer” na grande mídia, na certeza de que teriam essa “cobertura”, como de fato tiveram.                                   

Mas não levaram em conta a seriedade e legitimidade do processo  que se passa no vizinho país, inclusive com expressivo reconhecimento internacional de mais de 50 países, e mesmo de algumas organizações internacionais, exceto das “matrizes” socialistas, Rússia , China  e Cuba , certamente em vista das  dependências comerciais recíprocas  envolvidas.

Sérgio Alves de Oliveira é Advogado e Sociólogo.

3 comentários:

Ldol Oliveira disse...

Guiado bullying e coisa pequena ele tem que ser chamado de guidoG de tramp.traidor da pátria venezuelana

Antenado. disse...

E o Maduro que queima comida e remédios? É o que ? Um covarde genocida?

Anônimo disse...

Parece que o incêndio nos caminhões foi provocado acidentalmente por coquetel molotov de opositor do regime de Maduro.