segunda-feira, 8 de abril de 2019

A conta do sucesso ou do fracasso



Show do Mourão em Harvard

“Todos os instrumentos são imperfeitos. O músico é que tem o desafio de encontrar a afinação”. (Paulo Moura, Músico)

Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Jorge Serrão - serrao@alertatotal.net

Governantes raramente são maestros. Poeticamente, pode-se afirmar que os governos, com certeza, são instrumentos imperfeitos. Afiná-los, parece missão quase impossível. O caso brasileiro é mais grave ainda. Os governos são submetidos à estrutura e modelagem do Estado-Ladrão. Se Freud não explica, Serginho Cabral não deixa qualquer dúvida. Assim, não é fácil lidar com governos cuja ação e resultado são afetados pelo crime, pelo desperdício, pela gastança e pela incompetência. Boa gestão é raridade. Ponto fora da curva. A rotina é o abismo.

Avaliar o sucesso ou o fracasso de um governo não deveria ser um trabalho simples. Exceto no Brasil, onde o vício da crítica destrutiva costuma falar mais alto. Meter o pau na gestão Bolsonaro é lugar comum para a maioria da mídia extrema. Um Presidente que se rotulou de direita (será que ele realmente é) se torna um alvo fácil de quem, até agora, não aceita sua vitória eleitoral. Parece que a campanha de 2018 ainda não acabou... Parece?... A turma no governo também precisa colaborar para afastar tal impressão...

No evento acadêmico para abordar o Brasil, na Universidade norte-americana de Harvard, o vice-Presidente Antônio Hamilton Mourão, mais uma vez, produziu uma análise correta da situação dos primeiros 100 dias do governo dele e do Bolsonaro: “Se o nosso governo falhar, errar demais –porque todo mundo erra -, mas se errar demais, não entregar o que está prometendo, essa conta irá para as Forças Armadas. Daí a nossa extrema preocupação”.

O negócio agora é bem diferente daquele “regime militar” que a extrema mídia sempre lembra de esculhambar. O Governo de Bolsonaro e Mourão é um regime que tem militares em vários pontos-chave, mas que chegou ao poder pela legitimidade do voto direto. Talvez, até por isso, os oficiais na ativa e da reserva estejam se atribuindo uma responsabilidade ainda maior com o sucesso da administração.  

O jogo não é fácil. Os militares já sabem que não podem cair na armadilha de acreditar que a tecnoburocracia resolverá os problemas estruturais do Estado e do Governo num passe de mágica com a cenetinha do Diário Oficial. Além disso, já descobriram que não se pode demorar para solucionar problemas, porque a paciência do eleitorado é muito curta. Assim, só resta  ao time de Bolsonaro acertar depressa e, acima de tudo, divulgar a comprovação daquilo que realmente melhorou.

A presente guerra de comunicação é mais complexa que a turma de Bolsonaro poderia imaginar e planejar. Por isso, o Presidente já determinou mudanças que podem ser benéficas. O fundamental, no entanto, é ter a clareza de que não adianta criar um esquema de comunicação se o governo não tiver, realmente, resultado verdadeiro para comunicar.

Por isso, nas reuniões desta semana, Bolsonaro deverá centrar na cobrança aos ministros. Quem mostrou serviço, fica. Do contrário, sai... Será simples, assim... Não tem outro jeito, nem jeitinho... A máquina e a mídia continuarão jogando contra... A base parlamentar continuará oferecendo dificuldades para negociar facilidades... O Presidente terá de demonstar muito equilíbrio emocional... As “caneladas verbais” devem ser evitadas e dadas só em casos de extrema necessidade...

O mais importante é que os governantes constatem que a conta do sucesso ou do fracasso será paga, de verdade, pelo eleitorado... Por isso, os erros banais podem não ser tão facilmente tolerados e perdoados pela população. Os próximos 100 dias não serão monótonos... É hora de acertar... É hora de apresentar uma agenda de realizações possíveis... Enfim, é hora de governar de verdade, com todo empenho e transparência.

Fragilidade

A Rede Globo é muito competente na hora de fazer oposição.

Seus jornais locais definiram como pauta prioritária explorar o problema do DESEMPREGO.

Descobriram que a dificuldade na retomada da economia é a maior fragilidade do governo Bolsonaro - que poderia amenizar o problema desonerando empresas que contratarem desempregados imediatamente, conforme este Alerta Total já sugeriu em recente artigo...

Ou seja, só se quiser Bolsonaro só vai ficar refém dos efeitos do desemprego sobre sua imagem... 

Recado do Carvalhosa



Jurista Modesto Carvalhosa, na manifestação da Avenida Paulista, dá o recado correto aos sabotadores da Justiça no Brasil

Releia o artigo de domingo: Os próximos 100 dias de Bolsonaro









Vida que segue... Ave atque Vale! Fiquem com Deus. Nekan Adonai!

Jorge Serrão é Editor-chefe do Alerta Total. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos. Membro do Comitê Executivo do Movimento Avança Brasil - MAB - Conectando você com Talentos & Inteligência em Tempo Real com a Política Brasileira.
A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Apenas solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas.

© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 8 de Abril de 2019.

10 comentários:

Loumari disse...

BRASIL NAÇÃO CUJO DEUS É BAAL. O tal que chamam de arquitecto do universo, ou grande arquitecto. Deus dos maçons, ao que também chamam de venerável GADU. Estes são seus discípulos e ferventes servidores. Também se proclamam luciferinos ou luciferianos de raiz Lúcifer.

Em câmbio Venezuela é nação cujo Deus é o SENHOR DOS EXÉRCITOS. O DEUS DE ISRAEL. A Bíblia que tem os venezuelanos é a verdadeira.
Venezuelanos são filhos de Jacob, este mesmo Israel como prova a Sagrada Escritura Genealogia desde Adão até Noé e os filhos de Noé e seus descendentes, 1 CRÓNICAS 1:34 Abraão, pois, gerou a Isaac: e foram os filhos de Isaac, Esaú, e Israel,"
Israel a que David, chama de nosso pai Israel: 1 CRÓNICAS 29:10 Pelo que David louvou ao Senhor, perante os olhos de toda a congregação; e disse David; Bendito És Tu, Senhor, Deus de nosso pai Israel, de eternidade em eternidade."

Venezuelanos são filhos de Jacob, são filhos de David.
Portanto, brasileiros são filhos da prostituição. Da Semente maligna. A própria bíblia deles prova isso. Brasileiros são únicos no mundo com deuses e profetas que só eles conhecem.
Nos basta observar sua atitude e comportamento arrogante, sua prepotência, suas obras criadas a partir de astúcia, o segregacionismo, o racismo, a megalomania da sua elite, o indecoroso vocabulário desta gente que onde se exprimem, falam como o dragão, sempre adoptam a postura da agressividade e amam a violência (...), tudo isso é do carácter de Satanás.


A zelos me provocaram com aquilo que não é Deus; com as suas vaidades me provocaram à ira; portanto EU os provocarei a zelos com os que não são povo; com uma nação louca os despertarei à ira.
Porque um fogo se acendeu na minha ira, e arderá até ao mais profundo do inferno, consumirá a terra, com a sua novidade, e abrasará os fundamentos dos montes.
O seu vinho é ardente veneno de dragões, e peçonha cruel de víboras.
(DEUTERONÓMIO 32:21-33)


E ferirei de morte os seus filhos, e todas as igrejas saberão que EU SOU AQUELE QUE SONDA OS RINS E OS CORAÇÕES; e darei a cada um de vós segundo as vossas obras.
(APOCALIPSE 2:23)


E visitarei sobre o mundo a maldade, e sobre os ímpios a sua iniquidade; e farei cessar a arrogância dos atrevidos, e abaterei a soberba dos tiranos.
(ISAÍAS 13:11)


Aquele que testifica estas coisas diz: Certamente cedo venho. Ámen. Ora vem, Senhor Jesus!
A graça do nosso Senhor Jesus Cristo seja com todos vós! Ámen.
(APOCALIPSE 22:20,21)

Jayme Guedes disse...

Os sucessivos governos do PT destruíram a por dezesseis anos e agora queremos medir o governo Bolsonaro em dias, cem dias? Foram 16 anos, ou 192 meses ou ainda, já que preferem medir em dias, 5.760 dias. Cobrar que tudo se resolva em cem dias? O pior dos adversários do Bolsonaro não pensaria em nada melhor do que essa infantil medição dos cem dias.

Anônimo disse...

http://vindodospampas.blogspot.com/
segunda-feira, 8 de abril de 2019
Com Dilma o Governo ficou "gigolô" da seguridade social e dos trabalhadores ✰ Artigo de Sérgio Alves de Oliveira

Eu fico absolutamente perplexo com os protestos, denúncias e “boicotes” que a imensa maioria dos políticos do PT, e da esquerdalha associada, estão fazendo para impedir a reforma da previdência social.

Na verdade, a necessidade de uma “mexida” na previdência social vem de longa data, com diversos presidentes postergando a adoção das medidas necessárias e empurrando o problema com a “barriga”.

Tudo acabou “estourando” no Governo de Jair Bolsonaro, recém instalado.

Se esse problema já se arrastava de há muito, durante a gestão de Dilma Rousseff ele foi agravado, tornando-se absolutamente indispensável atacá-lo logo e de frente, sob pena de quebra de “meio” país.

Ocorre, ”porém, contudo, entretanto, todavia”, que o tiro de misericórdia na falência da previdência social partiu exatamente de uma iniciativa do próprio PT, que teve decisiva participação da então Presidente Dilma, que conseguiu aprovação no Poder Legislativo Federal (Câmara e Senado) da PEC (Proposta de Emenda à Constituição) Nº 87/2015.

Esse detalhe, na verdade, não é nenhum” segredo de Estado”, mas não tem merecido a atenção devida da mídia, que mais confunde e engana, que esclarece. Mas foi a “gota d’água” que gerou a necessidade absoluta e a inadiabilidade da reforma da previdência.

Mediante essa famigerada PEC, foi prorrogada a Desvinculação das Receitas da União (DRU), até 2023, ampliando, ademais, de 20% para 30% o percentual da Receita a desvinculada.

Trocando esse absurdo em miúdos, com essa emenda o Governo passou a ter o direito de dar o destino que bem entender a 30% das contribuições desviadas, isto é “roubados”, das CONTRIBUIÇÕES SOCIAIS, e que deveriam ser destinados à Saúde, Assistência e Previdência Social, para que esse desvio atendesse o chamado “superavit primário”, ou seja, uma reserva para poder pagar a DÍVIDA PÚBLICA (de caráter questionável), onde os banqueiros são os maiores credores.continua....

Anônimo disse...



http://vindodospampas.blogspot.com/ continua II

Resumidamente: essa “vigarice” que fizeram com a Constituição significou que o Governo passou a se apropriar de 30% das contribuições previdenciárias dos trabalhadores, que deveriam servir para fazer frente inclusive a seus futuros benefícios (aposentadoria, etc), e que foram “desviados” para pagar a Despesa Pública, portanto, com total desvio de finalidade das contribuições.

E Bolsonaro assumiu tendo “de cara” que engolir e pagar essa emenda constitucional, incrivelmente hoje sendo acusado pelos esquerdopatas de ser o maior “bandido” da previdência social, no momento em que “esquecem”, muito convenientemente, que foram eles próprios que deram causa à essa situação calamitosa da previdência.

A pergunta que se impõe: seria necessário tanto sacrifício dos trabalhadores nas suas aposentadorias se todas as suas contribuições previdenciárias tivessem o destino correto?
Sérgio Alves de Oliveira - Advogado e Sociólogo
NUTAVAEL DIZ... AS CINCO MERDIAS PODRES E HIPOCRITAS QUE VIVERAM SOB O GUARDA CHUVAS DA HIPOCRISIA VERMELHA TODOS ELES ANOS. SE FARTARAO DE COMER A CUSTA DO TRABALHADOR. PAGANDO, PAGANDO E PAGANDOALTIMISSIMOS SALARIOS E UMA MALANDRAGEN ENORME DE ARTISTAS QUE TROUXERAO PARA NOSSO PAIS ESTE BANDO DE PROGRAMAS DE MERDA QUE SO FAZEM SUCESSO NO MERDA SUL, MERDA EUROPA E MERDA AFRICA E NO CERCADINHO DE ESTUDANTES E ARTISTAS QUE VAO PARA OS ESTADOS UNIDOS E VIVEM DENTRO DESTE CERCADO SE SUBMETENDO A FAZER OS PIORES SERVIÇOS NA AMERICA DO NORTE PORQUE NAO TEM CACIFE, NAO TEM INSTRUÇAO E NAO APRENDEM INGLES E MUITO MENOS ENTRAM NOS ESTADOS UNIDOS PELA PORTA DA FRENTE. NOSSO PAIS E UMA PIADA. CONTINUA...

Anônimo disse...



http://vindodospampas.blogspot.com/ continua III e termina


UMA PIADA DE MAU GOSTO. A MERDIA DE MERDA CONTINUA EM ESTAÇOES QUE PERTENCEM AO NOSSO PAIS DIVULGANDO PUTARIA, SEXO, DROGAS, VAGABUNDAGEM EXPLICITA EM HORARIOS IMPROPRIOS PARA NOSSA JUVENTUDE QUE JA NASCEU ESTRAGADA QUANDO TRES ESTADOS DEVERIAM ESTAR IMPULSIONANDO PARA FRENTE FAZEM QUESTAO DE CONTINUAR NOSSA MARCHA FUNEBRE. MEU GLORIOSO SUM PAULO, RIO DE JANEIRO E MINAS TODOS AFOCINHADOS COM OS TRAFICANTES DE DROGAS. PARA QUE QUARENTA PARTIDINHOS MEIA BOCA. PARA QUE SUPREMOS BESTEIROL QUE NAO TRABSALHAM MAS AJUDAM OS TRAFICANTES DAS LEIS QUE E SOLTAR TUDO QUANDO E MELIANTE DO PODER. ATE QUANDO ESTA PALHAÇADA VAI CONTINUAR. E NOSSAS FORÇAS ARMADAS PORQUE AINDA NAO DESCONECTOU A BANDIDAGEM FAZENDO A LIMPESA TOTAL NESSAS VIGARICES ETERNAS. O POVAO DISSE ONTEM O QUE QUER. O QUE E PRECISO PARA VERMOS AÇAO E NAO CONVERSAS DE BASTIDORES COM OS AMEM AMEM QUERENDO CONTINUAR COM O DIREITO DE NASCER DO PAIS E QUE NAO SAI DA ESTACA ZERO POR CAUSA DA MIDIA DE MERDA QUE SO DA NOTICIA QUE NAO INTERESSA E TRAZ PROGRAMAS QUE NAO INTERESSAM E SAO AJUDADAS POR NOSSAS IGREJAS QUE NAO ENSINAO NADA A SEUS FIES E PRINCIPALMENTE TAMBEM ESTAO AFOCINHADAS COM OS CANALHAS MUNDIAS. CONSTITUIÇAO NOVA E SOMENTE QUATRO PARTIDOS. UM DA DIREITA, UM DA ESQUERDA UM DO CENTRO E UM INDEPENDENDE SEM LAÇOS POLITICOS ALGUM. MORARAO OU QUEREM QUE SE DESENHE. O RESTO E CONVERSA DE PAPAGAIOS QUE QUEREM SOMENTE TIRAR E NAO TRAZER NADA DE UTIL PARA O PAIS. CHEGA DE ENROLAÇAO. VAMOS AO QUE INTERESSA. INDEPENDENCIA OU MORTE.

Anônimo disse...

http://lorotaspoliticaseverdades.blogspot.com/

É PRECISO ENTENDER QUE PUBLICIDADE COMERCIAL NÃO MUDA IMAGEM DE NENHUM GOVERNO

Resultado de imagem para publicidade oficial charges
Charge do Ivan Cabral (ivancabral.com)

No café da manhã com jornalistas, nesta sexta-feira, o presidente Jair Bolsonaro anunciou que vai nomear Fábio Wajngarten para chefiar a Secretaria de Comunicação do governo. Na minha opinião, um publicitário tornar-se responsável pelo setor vital da comunicação de um governo não resolve a questão envolvendo a imagem pública do presidente. Só funciona para destacar campanhas de interesse coletivo no campo da saúde, educação e transportes. Mas não alcança o campo político sobre o qual repousa a imagem do governo, ou de qualquer governo.

Um publicitário, que é o caso de Fábio Wajngarten, como é natural de sua profissão, provavelmente irá optar por esse caminho. Isso porque seu pensamento está voltado para aquisição de espaços nos jornais e emissoras de televisão. E não estará focalizando o desafio da questão jornalística.

SEM EFEITO – Pelo seguinte: quando qualquer governo adquire espaço nos jornais, rádio ou emissoras de televisão só pode ocupá-los em casos de interesse da própria administração.

Portanto, não surte efeito pessoal para o governo ou para o presidente. Pois a opinião pública sabe muito bem que ninguém vai adquirir peças publicitárias para ser isento consigo mesmo. Tal percepção volta-se para neutralizar o caráter político das mensagens. Publicidade comercial só funciona no campo de ação de empresas. Sei muito bem – como todos sabem – que a inserção de textos ou imagens pagas proporcionam uma comissão de 20% para os corretores que as agenciam, além do custo dos anúncios, enquanto a comunicação jornalística flui sem pagamento algum.

Vamos citar como exemplo a matéria de Sérgio Dávila, Folha de São Paulo, edição de sábado, que destacou os pontos principais abordados por Bolsonaro no café da manhã de sexta-feira.

EM TODA A MÍDIA – A publicação dessa matéria como divulgação do presidente da República, ganhou destaque não só na Folha, como também em O Globo, no Estadão e em toda a imprensa, incluindo rádio, TV e internet. E o governo não pagou nada por isso.

Agora, para que a divulgação política seja efetiva, é imprescindível a exibição de fatos concretos, de interesse coletivo.

A diferença entre os setores jornalísticos e a publicidade comercial é a mesma que separa o teorema do axioma.

08 de abril de 2019

Pedro do Coutto

Anônimo disse...


BLOG DO ALUIZIO AMORIM
segunda-feira, abril 08, 2019

COM BOLSONARO PRESIDENTE POVO BRASILEIRO VOLTA A TINGIR NOSSAS CIDADES DE VERDE E AMARELO ENQUANTO O 'ESTABLISHMENT' PROMOVE UM FESTIM DOS DERROTADOS.

Neste vídeo do canal Folha Política no Youtube dá uma idéia do ânimo político do povo brasileiro que, com Jair Bolsonaro na Presidência do Brasil, readquiriu o protagonismo político. Na sequência, leiam o meu artigo especial.

As ruas das cidades do Brasil, neste domingo 7 de abril de 2019, voltaram a ser tingidas pelas cores verde e amarela do Pavilhão Nacional, a mostrar que o povo brasileiro não vai dar de barato a conquista consumada nas urnas no pleito presidencial de 2018 que levou Jair Messias Bolsonaro à Presidência da República. E isto comprova também o que tenho afirmado reiteradamente nas minhas análises é que a grande mídia não forma mais a opinião pública. Haja vista os conteúdos dos outrora grandes jornais brasileiros, dos programa de televisão e do rádio, todos eles concentrados em destruir a liderança inquestionável do Presidente Jair Bolsonaro. E, justo neste domingo, esses sequazes dos comunistas arranjaram até uma pesquisa destinada a desidratar a evidente popularidade do Presidente Bolsonaro.

Aliás, chegaram a terceirizar com a universidade de Harvard, nos Estados Unidos, um convescote esquerdista reunindo neste final de semana os perdedores da última eleição presidencial e velhos caciques políticos. Sabe-se quem esteve lá, porém não se sabe quem financiou esse festim dos derrotados.

Mas o que interessa é o ronco das ruas que neste domingo foi ouvido em alto e bom som. Em várias cidades brasileiras multidões se reuniram para exigir a CPI da Lava Toga e o impeachment dos Ministros do STF, como mostram à farta vídeos postados no Youtube e uma profusão de fotografias que viajam céleres pelas redes sociais.l

E, mais uma vez, quem mobilizou essas multidões em várias cidades brasileiras neste domingo não foi a grande mídia, muito menos partidos políticos, mas as redes sociais, sites e blogs independentes. O paradigma comunicacional neste século XXI não é mais a dita mainstream media.

No que concerne ao caso brasileiro o mote que mobiliza as pessoas num domingo a vestir verde e amarelo e sair às ruas está ancorado num fato que é a fé e a esperança no Governo do Presidente Jair Bolsonaro. O povo se sente de fato, pela primeira vez na história da República, como protagonista de um processo de mudança política e sabe que de fato foi ele, o povo, que levou Jair Bolsonaro para o Palácio do Planalto, que o carregou nos ombros pelas ruas inclusive no momento em que foi alvejado por uma facada. Todavia, em que pese os incréus, milagres acontecem. Jair Bolsonaro sobreviveu! CONTINUA....

Anônimo disse...



Postado Aluizio Amorim às 4/08/2019 CONTINUA II E TERMINA

Portanto, as coisas não poderiam ser diferentes. E as manifestações de rua neste domingo deixaram um recado muito claro ao establishment e seus operadores das redações que povo brasileiro não arredou um milímetro no seu apoio ao Presidente Jair Bolsonaro. Podem fazer quantas pesquisas quiserem, elaborar as tramoias mais ridículas, as fake news mais caricatas, as histórias mais pérfidas. Nada disso dissolverá a fé, a expectativa, a certeza de que não haverá volta ao passado. Um acontecimento significativo como foi o pleito eleitoral que levou Jair Bolsonaro ao Palácio do Planalto e colocou o establishment na lona não acontece por acaso, muito menos dentro dos parâmetros da sorte e do azar.

Em suma, a última eleição presidencial no Brasil tem evidentemente um viés histórico sem paralelo na vida política brasileira desde o golpe da Proclamação da República. Essa percepção não é apenas apanágio restrito a politólogos, ela habita corações e mentes de uma miríade de brasileiros de todas as faixas etárias, de todas as condições econômicas, de todos os graus de instrução e até mesmo daqueles que por razões variadas não foram escolarizados.

Em síntese este é o ânimo político popular pós-eleitoral dominante que contrasta com os truques rasteiros do establishment por meio da grande mídia. Tanto é que sem recursos financeiros e midiáticos, sem nada, o dono da situação é pela primeira em nossa história simplesmente o povo. E o cacife político do Presidente Jair Bolsonaro deriva desse amplo arco de apoio multifacetado que é raro acontecer.
Postado por Aluizio Amorim às 4/08/2019

jomabastos disse...

"Meter o pau na gestão Bolsonaro é lugar comum para a maioria da mídia"
O grande papel da mídia, qualquer q seja a tendência política do jornalista, quando escreve ou fala de política, é "meter o pau", criticar, opinar, etc. Quanto mais a mídia "meter o pau", mais cuidado os políticos terão nos seus comportamentos e nas suas decisões estatais, governamentais e pessoais.
Aqueles que querem e desejam que a mídia seja automaticamente "simpática", "amiga" e "parceira" da gestão política, judiciária e do executivo de um país, que procure os sites e blogues que apoiam abertamente os seus estadistas de eleição, quer eles façam besteira ou não. Ou então que embarquem para um país em que presida o autoritarismo.

Anônimo disse...

Puta que me pariu. Como se explica um cidadão, que em tese, tem a alma mais "onesta", do mundo, de repente, aparecer com essa quantidade de milhões, em suas contas bancárias?
Qual é outro funcionário, que não ganhou na Loteria, que apresente essa grana toda?
Ainda falta o grande Palocci, jogar mais merddelê, no ventilador desses corruPTos.