quinta-feira, 25 de abril de 2019

Carlos x Mourão: Tretas e as verdades que libertam


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Christina Fontenelle

O presidente Jair Messias Bolsonaro precisa vir a público, em rede nacional, esclarecer ao povo brasileiro sobre as fofocas internas e externas falando de intrigas entre ele e seu vice-presidente, bem como as de entre seguidores de Olavo e militares. Essa coisa toda está tomando proporções inimagináveis e precisa ser estancada. Não há a menor possibilidade de investimentos externos no país, bem como a de que empresários brasileiros apostem nisso aqui, com a situação de insegurança institucional que está sendo construída e mantida. Não se trata de pauta conservadora versus progressista coisa nenhuma. A questão é a de governabilidade mesmo.

Essa briga entre Olavo e Mourão começou bem antes das eleições, quando Olavo fez um vídeo chamando o general de traidor, porque supunha que sua filiação ao PRTB tivesse a ver com candidatura à presidência, vindo a concorrer, pois, com Bolsonaro. Desculpou-se depois, ao ver as inúmeras declarações de Mourão de que jamais viria como candidato à presidência, enquanto Bolsonaro estivesse na disputa. Mais tarde, com a impossibilidade de o general Heleno assumir a candidatura a vice, na chapa de Bolsonaro, surgiu a disputa pela vaga. Venceu Mourão – escolhido pessoalmente pelo presidente, como este mesmo revelou depois do pleito em que foi eleito.

A campanha de achincalhamento de Mourão começou de verdade, depois das eleições, quando o vice-presidente fez declarações à imprensa sobre o aborto. Disse que, ao final, “cabe à mulher decidir”. Fizeram um verdadeiro escândalo! Chamaram Mourão de abortista e de traidor da pauta conservadora. Engraçado, porque Bolsonaro fez essa mesmíssima declaração, várias vezes, inclusive durante a campanha presidencial do ano passado (veja no final desse artigo os links). Escândalo? Nenhum. Silêncio ensurdecedor. Pior do que isso: nenhum defensor da tal pauta conservadora que elegeu Bolsonaro teve a honestidade de colocar estas declarações de Bolsonaro, idênticas às do vice, para falar sobre o episódio. Mourão não é abortista coisa nenhuma, bem como Bolsonaro. Nunca defenderam tal pauta. Ambos, ao se referirem à decisão das mulheres, o fizeram com base na realidade dos fatos, sem entrar em mérito de valores.

Depois jogaram pedras em Mourão por ter mantido encontros com árabes muçulmanos, dentro de sua agenda. Bolsonaro estava em viagem, fora do país. Na ocasião, questionado sobre resoluções a respeito da transferência da embaixada do Brasil em Israel para Jerusalém, Mourão disse que não havia nada oficialmente decidido e que a decisão final sobre o assunto caberia ao presidente Bolsonaro. Ignoraram as falas do vice completamente. A turma da pauta conservadora esbravejava que Mourão era um traidor por se encontrar com muçulmanos, que era contra a transferência da embaixada, que era um desafiador do presidente etc. Pois bem, semanas depois, o presidente Bolsonaro teve os mesmos encontros, só que mais efusivos quanto à amizade e às boas relações que mantemos historicamente com os povos árabes. Falou sobre a não transferência da embaixada, por enquanto. Protestos da turma da pauta? Absolutamente nenhum. Espiral do silêncio. Nada.

Em seguida, a questão da Venezuela. Uma comitiva brasileira foi enviada à Colômbia para lidar com o caso de ajuda humanitária. Equipe uníssona. Um repórter perguntou, propositadamente, é claro, sobre a situação da população da Venezuela, refém de um governo tirano e desarmada. Mourão declarou que, NAQUELA SITUAÇÃO, era bom o fato de estar desarmada, para que não houvesse uma guerra civil sangrenta. Sim, tão somente naquela situação. Não, ele não falou sobre se a população sempre estivesse armada não chegaria àquela situação. Porque talvez não tivesse mesmo chegado. Mas, hoje, na atual circunstância, se viesse a estar repentinamente armada, seria a desculpa ideal para que Maduro terminasse de massacrar mais ainda a população, com risco de termos um Vietnã aqui na América Latina. O que ocorre na Venezuela é o resultado do que já sabemos sobre a esquerdização da AL. Os dois últimos governantes do Brasil tiveram boa parcela de culpa no que lá ocorre hoje. Não está sendo fácil resolver. Mas, isso é outro assunto. O fato é que, para o pessoal da pauta conservadora, nosso vice-presidente passou a ser rotulado de desarmamentista, quando já cansou de defender o direito de defesa dos brasileiros inúmeras vezes. Incontáveis vezes. Quem insiste em dizer isso, sabe que está mentindo.

Teve mais. Uma atrás da outra. A seguinte foi a fala do general Mourão em evento na Universidade Harvard. Impecável, isso sim, foi a palestra do vice-presidente. Exaltou o presidente Bolsonaro e seu governo, além de desfazer a péssima impressão sobre nosso país que a esquerda fez o favor de divulgar lá fora. Na fase de perguntas, um senhor da plateia fez um questionamento sobre a diferença entre Mourão e o presidente militar Ernesto Geisel, ao que o vice-presidente respondeu, ‘na lata’: “eu fui eleito, Geisel não”. Foi aplaudido de pé. Não deu nem para terminar de falar. Menos de dez minutos depois da transmissão ao vivo desse evento, já havia nas redes gente dizendo que Mourão teria desmoralizado os governos militares ao dizer que não foram eleitos e que, portanto, os tinha como ditaduras. Ora, tenham a santa paciência... É óbvio, evidente, que Mourão estava falando de votos diretos – de 57 milhões de eleitores. Além de já ter defendido o regime diversas vezes.

Agora, sobre essa mesma conferência, jogaram nas redes sociais um panfleto que alegam ter estado circulando nas mãos de estudantes de Harvard, convidando para o evento. No tal panfleto, estaria implícito que Mourão era formidável e Bolsonaro um horror. Espalharam por aqui que o tal panfleto se tratava de convite oficial e que Mourão teria aceitado deliberadamente, apesar da comparação com o presidente. Ora, ora, ora... Bolsonaro foi quem autorizou o comparecimento de Mourão ao evento, mediante um outro convite oficial. Isso é óbvio! Nosso vice foi lá e se saiu muito bem, exaltando a figura do próprio Bolsonaro.

Também criaram polêmica com uma ‘curtida’ que o perfil do Twitter do general Mourão teria dado num tweet da jornalista Raquel Sherazade, no qual a mesma tecia elogios ao vice, mas que, no final, o comparava pejorativamente ao presidente. Não foi Mourão quem curtiu o tweet e sim o administrador da conta, distraidamente. Alertado pelo público e pelo próprio Mourão, logo depois, o tal tweet foi ‘descurtido’. Mas, a turma da guerrilha anti Mourão continua, até hoje, falando no assunto, sem mencionar a ‘descurtida’.  

Citados aqui foram os principais episódios, para que se pudesse ter a noção de como fatos e falas têm sido distorcidos e/ou omitidos, em nome de uma campanha para difamar o vice-presidente e outros militares que estão no governo. Sim, pelo nível intelectual dos criadores de tais distorções, o problema está bem longe de ser simplesmente cognitivo. Isso está sendo feito, deliberadamente. Tem alvos determinados e pratica bem o que temos visto a esquerda fazer por aqui, há anos. O método é o mesmo. Já vimos esse filme.

O presidente Jair Bolsonaro já enviou duas mensagens, pelo porta-voz do governo, pedindo que cessem as ofensas entre os dois lados. Ontem, entretanto, o próprio filho de Bolsonaro foi o principal veiculador de ataques ao general Mourão. Situação difícil para o presidente que, é claro, sempre será pai de Carlos Bolsonaro. 

Se alguém ainda não percebeu, podemos tentar mostrar algo aqui. O presidente Bolsonaro não está mais em campanha. Quase não fala mais diretamente com a imprensa. Quem foi elencado para isso foi o porta-voz da presidência e o general Mourão, a quem também foi dada a incumbência de lidar com as questões mais polêmicas, delimitando atritos. Mourão tem desempenhado esse papel com maestria - tem segurado bastante a animosidade da imprensa com o governo, bem como a de boa parte da oposição. Ao contrário do que se esperaria, caso vivêssemos a normalidade, é a própria autointitulada parte mais intelectualizada da direita que tem feito uma oposição mais agressiva - só que direcionada ao vice-presidente e aos militares. Bem, na verdade, quem não entende muito de guerra psicológica é que não esperava que alguma coisa assim fosse acontecer - já havia sinais anteriores à eleição que davam algumas pistas.

A questão principal aqui é a de que há um projeto bem definido de desenvolvimento para o Brasil que, junto com os EUA e Israel, faria parte fundamental do bloco Ocidental de poder, em oposição ao Oriental eurasiano, na luta pelo resgate civilizacional. Tudo de ruim que está acontecendo aqui tem o dedo fantástico de globalistas antiocidentais, quer estejam explícitos ou não. É um jogo de xadrez bem complicado. Encontrar uma chance de tentar destruir aqueles que estão de fato construindo os pilares desta reação de resgate ocidental é um trunfo indispensável aos nossos inimigos. Sejam os operadores que estejam por trás desta chance quem forem. É preciso tentar compreender minimamente este cenário.

Fico por aqui, porque não convém, ainda, discorrer sobre outras obviedades que vêm se revelando no cenário atual.

Matérias de Bolsonaro sobre aborto:




Christina Fontenelle é Jornalista e Ativista Conservadora. Originalmente publicado no site ViraNews em 24 de abril de 2019.

13 comentários:

Anônimo disse...

O próprio presidente Bolsonaro afirmou, sobre as declarações do seu vice, que se trata de estratégia; por isso, é estranho o filho Carlos afirmar sua crescente prevenção contra as atitudes de Mourão. A impressão que fica é a linha tênue entre a estratégia pró-presidente e o risco de estratégia pró regime militar, se o presidente não garantir o apoio do povo que o elegeu.

Anônimo disse...

REALMENTE ESTA MAIS DO QUE CARACTERIZADO O GRANDE ACORDAO FEITO PARA QUE OS VAGABUNDOS QUE ROUBARAO O PAIS SAIAM COM OS DINHEIROS E PRIVILEGIOS QUE ROUBARAO DA NOSSA NAÇAO. FALACIAS, FALACIAS, FALACIAS, NAO RESOLVEM NADA. O QUE RESOLVE REALMENTE E AÇAO. CONTINUA COM MAESTRIA AS MESMAS FALACIAS DE BASTIDORES PARA OCULTAR O GRANDE ACORDAO FEITO EM DIREÇAO A IMPUNIDADE.
NOSSAS FFAA ESTAO CALADAS E A IMPUNIDADE ROLANDO EM TODOS OS QUADRANTES DA MALDIÇAO DA MUMIA QUE SE CHAMA SUPREMOS ISTO E AQUILO.
QUERER DEFENDER A, B, E C QUANDO A REALIDADE ESTA DEBAIXO DE NOSSOS OLHOS E QUERER CONTINUAR A VIVER NA ESCURIDAO.
NINGUEM, NINGUEM MESMO QUE ESTEJA SENTADO NOS BENEFICIOS DESEJA QUE A LUZ ENTRE EM TODOS OS LUGARES. ISTO E UM FATO. CONTRA OS FATOS NAO TEM FALACIA QUE ACABE COM AS MENTIRAS. MORARAO OU QUEREM QUE SE DESENHE? DESDE 2015 ESTAMOS VIVENDO DE FALACIAS E ROUBOS. ROUBOS ESCANCARADOS A CEU ABERTO. O QUE FOI DITO FOI DITO E NAO TEM DESCULPA QUE APAGUE. O QUE APAGA AS MENTIRAS SAO AS VERDADES E ATE AGORA SO ESTAMOS VENDO PESSOAS E MAIS PESSOAS QUERENDO DEFENDER O SEUS STATUS QUO. O RESTO E CONVERSA DE SUBDESNVOLVIDO DE MERDA QUE CONTINUA FAZENDO O PAPEL DE PANO DE CHAO E NAO QUER SAIR DO ESGOTO. FALEI.

Anônimo disse...


BLOG DO ALUIZIO AMORIM
quarta-feira, abril 24, 2019

O VÍDEO-BOMBA DE OLAVO DE CARVALHO
https://youtu.be/IvIu8kOXx5c

Os últimos acontecimentos políticos no Brasil que levaram Jair Messias Bolsonaro à Presidência da República não se resumem apenas ao fato eleitoral em si mesmo. Na verdade todos esses acontecimentos, inclusive a tentativa de assassinato do então candidato Jair Bolsonaro, fizeram emergir das profundezas da história do Brasil, sobretudo a partir do golpe da República de 1889, uma torrente de fatos cabulosos que agora estão à vista de todos. Basta prestar atenção sem descuidar de interligar fatos aparentemente desconexos. A historiografia oficial cuidou com extremo zelo de impedir que a verdade chegasse à tona.

O ponto fora da curva da dita intelectualidade brasileira é apenas o filósofo, jornalista e escritor Olavo de Carvalho que meteu o dedo na ferida por meio de sua copiosa obra literária que os jornalistas da mainstream media relegaram durante anos. Afinal, a grande mídia é e sempre foi a principal ponta de lança do establishment. E nem precisa gastar muito texto para tentar explicar isso, já que resta claro e evidente para a sociedade brasileira pelos últimos eventos políticos que culminaram com a avassaladora vitória de Jair Bolsonaro.

Pois bem. Esses acontecimentos políticos recentes acabaram colocando Olavo de Carvalho no centro desse furacão. Tanto é que ele gravou o vídeo que abre esta postagem e que merece ser visto e ouvido com atenção.
Postado por Aluizio Amorim às 4/24/2019

Anônimo disse...

Será que o Lula, citaria parte de um texto, dos livros que lera nesse tempo de cárcere?
Assim será um candidato especial à ABL, por excesso de leitura, coisa inédita.

Anônimo disse...

CABE AO MOURAO O PAPELDE VICE, E NAO QUERER OS HOLOFOtes, que nao são dele.

Sem bolsonaro emcabeçando com os conservadores, Mourao sozinho não seria eleito nem sindico de predio.
Acho descabivel as atitudes do vice, o papel dele seria como do Mike Pence faz com Trump.
Os militares já deram as costas para o Brasil, nos 30 anos da nova republica, eu ví passeatas pelas cidades pedindo a sonhada interveiçao, mas literalmente "cagaram" para quem ia as ruas para pedir o 142...alem de taxatem de loucos, o proprio Mourao o fez.E agora tiveram a sorte de se eleger somente devido ao um homem, que há 20 anos se expoem sozinho.
Morao tem seu destaque, mas é melhor fazer seu papel que realmente lhe cabe, o de Vice.

Loumari disse...

De sabedoria outrora se nos ensina que, CARIDADE bem ordenada deve começar por si mesmo.
Esta madame é destas que a Palavra de Deus diz: nem sabem que coisa é envergonhar-se.
Você é conservadora de quê mesmo? Do genómico que se perpetra no seu próprio país? conservadora de o quê você é? de sessenta e três mil mortes assassinados por ano? de uma nação que já só fede sangue é cadáveres? Um pouco de vergonha não lhe faria nada mal.
Cuida de seu país que cujas terras já foram transformadas em um oceano de sangue e cemitério a céu aberto e deixa os venezuelanos cuidar de seu país e velar por suas vidas.
No Brasil se soma mais de cinquenta milhões de pobres, brasileiros que vivem em condições desumanas, crianças sangue de vosso sangue, carne de vossa carne estão cheias pelas ruas das cidades, esfomeadas, enfermas, e esta besta sente mais amor por povo venezuelano?

Que Deus tenha piedade desta tão cruel criatura.


La dura respuesta de Maduro a Jair Bolsonaro tras amenazar con invadir Venezuela

Este 12 de abril de 2019 el Presidente de #Venezuela, Nicolás Maduro, le responde a Jair Bolsonaro, su homólogo en Brasil, luego de que éste amenazara con invadir Venezuela. Palabras en cadena nacional en reunión con estudiantes y con el Consejo Mundial de Paz.

https://www.youtube.com/watch?v=QwdSlbqSt7g

Unknown disse...

Vice na contramão
April 25, 2019

Por: Marco Angeli
https://www.areuniao.com/single-post/2019/04/25/Vice-na-contram%C3%A3o?fbclid=IwAR0WlsBYObOLVifMDoM0JGd-sz9Er6adzkP-xPZ6CUPv_dMj3NaWLJFHI9Q


No rastro das asneiras proferidas pelo vice presidente Hamilton Mourão desde que assumiu o cargo, resta uma dúvida crucial:
A quem serve mesmo Mourão?

E serão mesmo asneiras simplesmente?
Na semana passada a posição mais do que dúbia de Mourão bateu de frente com Carlos Bolsonaro e Olavo de Carvalho.
Bolsonaro e Olavo não pouparam críticas ao vice que por sua vez não poupa o próprio presidente -a quem deveria servir- demonstrando uma estranha e suspeita independência.
Carlos, o 02, afirmou que o cargo de vice ‘caiu no colo’ de Mourão.
Nada mais correto.
Basta lembrar que a figura mais cotada para o cargo era Janaína Paschoal, que acabou não aceitando, abrindo a vaga.

Mourão, além de criticar abertamente Bolsonaro, em seus afagos com a imprensalha que adora, elogia comunistas notórios como Chico Mendes, se encontra amavelmente com lideranças da CUT, critica a despetização da Casa Civil (afirmando que petistas poderiam ser tratados com mais ‘carinho’), é contrário à privatização dos Correios e se auto proclama porta voz de Bolsonaro para ‘coisas que o presidente não pode falar’....
Entre outras quimeras.
Mas o pior é sua critica à ‘polarização’, discurso típico da esquerdalha, onde defende que Bolsonaro deve abandonar a pauta conservadora e se dirigir mais para o centro.
Ora, foi justamente a pauta conservadora que deu a vitória e os votos dos brasileiros á Bolsonaro.
Desistir dessa pauta seria literalmente trair a confiança dos milhões de brasileiros que votaram no presidente.
Seria, numa analogia simples, a mesma ‘Carta aos Brasileiros’ divulgada por lula logo após ser eleito, onde ele desiste de seu padrão radical, se aproxima dos globalistas e inaugura a maior era de corrupção e roubalheira da história deste país.

Mourão não é uma criança e a treta que arma não parece ser apenas besteira. Parece ser estratégia.
Uma estratégia para formar um governo dentro de outro, para mais tarde tomar o poder.

A simples aproximação com FHC - e os elogios rasgados do ex presidente ao general - já são bem significativos.
FHC é uma figura nefasta para o país e para a sociedade brasileira.

Mourão, saindo do nada, parece não se conformar em ser vice.
Parece querer ser o numero um.
Se esquece que, para isso, teve zero votos.
Nenhum brasileiro votou em Mourão.
Os brasileiros votaram em Bolsonaro.
E é ele, apenas ele, que queremos como mandatário da nação.

Em tempo: a atuação duvidosa de Mourão fica mais significativa quando consideramos este difícil início do governo Bolsonaro e o momento delicado de aprovação da reforma da Previdência.

Anônimo disse...

Cristina , parabéns pelo seu artigo muito bem escrito, analitico.e ponderado. As fofocasve o mi, mi,mi entre o PR e o VICE sao alimentados pela esquerda. A mesma esquerda que nao sabe , e nao quer saber, que seus ídolos FIDEL CASTRO e GUEVARA lutavam pelo poder , e que CASTRO mandou GUEVARA para a morte na BOLÍVIA e depois culpou a CIA . !!!

Q disse...

Um ocidente cristão deveria negociar só com países Árabes cristãos.
Enquanto comprarmos ou vendermos para um país que professa uma religião que nos odeia e quer nos matar estamos fadados a terminar como Constantinopla

Projeto Padre Cícero & Frei Damião - Os Dois Maiores Inimigos de Comunistas disse...

A ilustre jornalista que escreveu esse texto,
foi emprestada da Folha ou da Carta Capital?

Anônimo disse...

A defesa de Mourão a Bebbiano e a entrevista dele a Andréia Sadi mostrou bem quem ele é PONTO

Projeto Padre Cícero & Frei Damião - Os Dois Maiores Inimigos de Comunistas disse...

Por que a ilustre jornalista não entrevista
o General Mourão Prestes Bebianno II ?

adilson disse...

O mourão que foi escolhido,foi aquele que criticava enfaticamente o foro de sp e as intenções nefastas dos comunopetistas,em nos levar direto prá venezuela-br.Já eleito,por meio e obra de JB,esquece tudo,e emerge um mourão que adora estar na globo,á vontade e satisfeito,se sentindo a bolacha do pacote.Ai começou a estranheza e todo mundo começou a prestar atenção.E ele não se importou,gostou até,pois continuou na mesma linha.Prá mim ,nos tempos turbulentos de dilma e cia,pós 2013,sempre observava prá que lado ia a globo,não só eu,muitos,e cravava no sentido contrário,e foi batata,elegemos JB.O incomodo com o vice começou assim,estranheza,pulga atráz da orelha.Ele,demasiado a vontade no terreno dos contrários,um acinte frisado com gosto por ele,como tomada de posicionamento.Fiquei perplexo,mas,a principio não quiz alimentar essa ignomia em curso,acreditando em correção de rota,mas não houve,pelo contrário.Era maior a vontade dele em se mostrar amistoso com todos aqueles que constatamos a duras penas,serem realmente inimigos totalitários,que nos quer na direção de cuba,em todos os aspectos;do que desfazer nossa impressão,nossa total prevenção contra tais entes,malignos para o pais e população.O que ele esperava,que ficassemos quietos,vendo um escolhido para nos defender,se esfregando com gosto,em nossos algozes?Não,não foi OC,que começou esse epsódio!