domingo, 7 de abril de 2019

Velez ó Cípede



Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Carlos Maurício Mantiqueira

velocípede
substantivo masculino:
cada um dos antigos veículos, de duas ou três rodas, que antecederam a bicicleta.
veículo de três rodas, que se move impelido por dois pedais ligados à roda dianteira.
esse veículo, em tamanho reduzido, para uso de crianças.
adjetivo de dois gêneros
que tem pés velozes, que anda velozmente.
adjetivo de dois gêneros
que vai com rapidez; veloz.

Saibam os amáveis leitores que o gato (o cão lombiano) subiu no telhado.

Não obstante seus méritos pessoais, o fato é que entrou numa gelada.
O mistério (digo, ministério) do ninho das cobras.
Onde os traidores da Pátria edificaram suas maléficas obras.
Uma ou duas gerações perdidas. Analfabetos funcionais, sem asseio, tatuados quando não também drogados.
Já os filhos das “zelite” estudam (ou estudaram) em colégios sob orientação estrangeira, sem compromisso em formar cidadãos brasileiros e sim “robots” homogêneos para servir a Nova Ordem Mundial.
Deus ilumine o nosso querido Presidente quando tiver que escolher um novo chefe da Educação.
Por gratidão, nomeou algumas pessoas ligadas ao passado, ou pior, aos bancos, que sugam metade do orçamento da União só para pagamento dos juros de uma dívida fictícia.
Na Educação, se errar novamente, o Brasil vai atrasar mais algumas décadas.
Carlos Maurício Mantiqueira é um livre pensador.

3 comentários:

Anônimo disse...

Concordo no que diz respeito à Educação.O Brasil, nas mãos da esquerda burra, ficou anos para trás ! O que é preciso agora é uma nova Lei de Diretrizes e Bases para a Educação.Mais urgente ainda é exigir dos alunos respeito aos professores, o que não está acontecendo! Os diretores de escola precisam de mecanismos com o apoio da Lei, para que possam excluir do meio maus elementos sem a menor noção de responsabilidade,drogados que transformam a escola em seu habitat.Os diretores hoje estão de mãos amarradas,se tomam alguma atitude,lá vem o Conselho Tutelar!

jomabastos disse...

Não podemos esperar que os jovens violentos sejam voluntários para se internarem em escolas ou colégios militares. Há que obrigá-los a frequentarem escolas militares, para que a violência das ruas diminua substancialmente. Os jovens de hoje são o Brasil de amanhã.
Há que internar os jovens violentos em escolas militares ou controladas por militares, com a finalidade de estudarem cursos técnicos profissionais médios e superiores. Não podemos estar continuamente a mantê-los nas ruas ou em presídios. Nas ruas só espalham a violência. Nos presídios, só aprendem mais violência. Há que interná-los em escolas militares ou gerida por militares.

Não existe uma verdadeira proposta do executivo para colmatar a violência e o analfabetismo funcional que prolifera na gente jovem desta Nação. A violência juvenil somente pode ser combatida pela sua raiz, com verdadeira educação escolar e social em escolas e colégios militares ou geridos por militares.
Necessitamos de reestruturar de raiz e criar infraestrutura necessária e suficiente para a educação no Brasil.

jomabastos disse...

Os grandes traidores da Pátria, os corruptos de todas as cores políticas, desde sempre vêm destruindo o Brasil a todos os níveis. E os comunistas durante dezasseis anos, somando o tempo do Temer vice da Dilma comunista, ajudaram a enterrar o país em uma cova extremamente profunda.
Já agora, onde estavam os militares durante a desgovernação comunista?
Pois, havia esquecido uma questão fundamental: quando começam a julgar os estadistas acusados de corrupção?