quarta-feira, 15 de maio de 2019

BACENJUD – O Waterloo dos Bancos



Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Carlos Maurício Mantiqueira

Depois do “confisco” da poupança no desgoverno Collor e a quase nula reação popular diante de tal barbaridade, as lombrigas do implantadores da Nova Ordem Mundial ficaram assanhadas.

"Se o “gado” não reagiu à afronta coletiva, uma rês solitária nada fará!”

Assim surgiu a ideia “genial” da canga financeira. Não sei se partiu do judas ciário ou da maquiavélica banca.

"Não importa!” como dizem os argentinos, mais acostumados à tirania do estado que nós brasileiros.

O fato é que nossos “hermanos”, desde o berçário da maternidade, começam a pensar somente em dólares norte americanos e na melhor fórmula de transferi-los a contas no exterior, longe das garras impudicas.

Nosso povo, mais inculto, mal consegue falar corretamente o português. A língua dos gringos, nem pensar. “Existe outro dinheiro (na verdade moeda) além do mil-réis, cruzeiro, cruzeiro novo, cruzado, cruzado novo, cruzeiro real ou real (ufa!) ?”

De toda essa “suruba” financeira o povo brasileiro aprendeu uma lição: Banco é igual a chuveiro frio; a gente entra correndo e sai correndo.

A menos que surja um novo diabrete e decrete a perda do valor liberatório de nosso papel-moeda (como na Índia, recentemente) os bancos não mais conseguirão convencer os otários de sempre, de que são um local seguro para a guarda das suadas economias.

Seus sócios, os urubus lagostacomentes que se cuidem. Mataram a galinha dos ovos de ouro. Crime de Lesa-Pátria?

Carlos Maurício Mantiqueira é um livre pensador.

2 comentários:

Anônimo disse...

Que feixassem essa merda.

Anônimo disse...

Nossa! Essa com "i" e "x" doeu.