quinta-feira, 19 de janeiro de 2006

CPI pressiona ministro da Justiça para liberar dados dos EUA que identifiquem dono de conta de R$ 705 milhões no exterior

Edição de Quinta-feira do http://alertatotal.blogspot.com/

Ouça também o podcast rádio Alerta Total: http://podcast.br.inter.net/podcast/alertatotal

Por Jorge Serrão

Exclusivo - A CPI dos Correios tenta identificar quem é o verdadeiro dono de R$ 705 milhões (em valores convertidos para Real) depositados em uma conta corrente de uma agência bancária da Flórida. O titular da conta milionária – e quem realmente está por trás dele – pode ser descoberto se o Ministério da Justiça liberar para a CPI as informações enviadas pela Promotoria Distrital de Nova York.

Integrantes da CPI reclamam que o ministro Márcio Thomaz Bastos, a quem caberia liberar as informações vindas dos Estados Unidos, não está colaborando para a identificação do dono da conta. Mas é certo que o dinheiro lá depositado vem do esquema gerenciado pelo publicitário Marcos Valério.

O não envio de informações à CPI também conta com o apoio do promotor novaiorquino Adam Kaufmann – que teme um mal uso de informações sigilosas pelos brasileiros, divulgando problemas de cidadãos norte-americanos, de forma não autorizada, o que geraria ações judiciais lá nos EUA.

Um deputado integrante da CPI adverte que o publicitário baiano Duda Mendonça não é o titular da conta agora investigada, como se chegou a especular, embora ele tenha duas contas identificadas nos EUA suspeitas de receber recursos do Valerioduto.

Baiano na berlinda

A CPI dos Correios rastreou R$ 2 milhões e 200 mil em 82 depósitos feitos, nos últimos cinco anos com dinheiro vivo e sem origem identificada nas contas ligadas ao publicitário Duda Mendonça e sua sócia, Zilmar Fernandes da Silveira.

Técnicos da comissão anotaram 46 depósitos a partir de 2003, já no governo Lula.

A CPI considera as transações suspeitas por não haver o registro do nome do depositante e pelo mecanismo do depósito: grandes quantias em dinheiro, indício consistente sobre a origem duvidosa desses recursos.

Coaf comeu mosca?

Pela natureza das transações, o BankBoston, que administra as contas, deveria ter alertado o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) quando pelo menos três dos depósitos foram feitos.

Os técnicos já descobriram operações de R$ 400 mil, R$ 300 mil e R$ 255 mil – todas em dinheiro e sem o nome do depositante.

Em tempo: o ex-presidente do BankBoston é o atual Presidente do Banco Central do Brasil: Henrique Meirelles. Talvez ele pudesse dar explicações, também, à CPI sobre tal fenônemo.

Doleiros na Justiça

O Ministério Público Federal denunciou uma organização criminosa formada por quatro doleiros e donos de empresas de câmbio e turismo que atuariam há anos à margem do Sistema Financeiro Oficial.

A quadrilha denunciada era composta por Ivan Moniz Freire, seus filhos Ivan Newlands Moniz Freire e Flávio Newlands Moniz Freire, além de Hélio Oliveira Gusmão. Eles eram sócios em pelo menos 13 empresas do conglomerado Vigo.

Os denunciados são acusados de fazer operações de câmbio não autorizadas para promover evasão de divisas. Através das casas de câmbio do grupo Vigo, foram remetidos milhões de dólares ao exterior, por pessoas físicas e jurídicas, pelas subcontas Avalon e Navi, entre outras, na conta-mãe Beacon Hill, a mesma usada por políticos como Paulo Maluf.

Os acusados responderão pelos crimes de operar instituição financeira sem autorização, gestão fraudulenta desse tipo de instituição, movimentação de recursos paralelamente à contabilidade exigida pela lei, realização de operação de câmbio não autorizada e com prestação de informações falsas ao BC, lavagem de dinheiro e formação de quadrilha.

O caso está na 5a Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro desde dezembro. É fruto de um inquérito policial instaurado em 2001 e das investigações do Caso Banestado – a maior pizza de nossa história.

Como funcionava o esquema?

A Vigo remetia dinheiro ao exterior sem prestar informações ao Banco Central.
Através da subconta Avalon, de Ivan Moniz Freire, foram realizadas várias movimentações financeiras que somam US$ 37 milhões de 1998 a 2002. Já a subconta Navy, de Ivan e seus filhos, recebeu US$ 450 milhões em 1998.

Segundo o BC, de maio de 1993 a maio de 1994, a Vigo remeteu aproximadamente US$ 30 milhões.

Do dinheiro arrecadado em 1994 pelos agentes da Vigo, cerca de 65% foi remetido para a Colômbia, 20% para o Brasil e 15% para outros países, entre eles as Ilhas Virgens.

Receita investiga

A conta-mãe Beacon Hill, foi identificada a partir das investigações de movimentações financeiras irregulares em contas mantidas na agência do Banestado, em Nova York, para onde foram muitos recursos via contas CC5.

Além delas, eram usadas operações de "dólar-cabo", em que o cliente deseja comprar moeda estrangeira, mas com remessa ou depósito direto no exterior.

Nesse caso, ele deposita ou entrega reais ao doleiro, que, em um prazo médio de 48 horas, determina um débito em sua conta no exterior ou outra que indicar, em moeda estrangeira.

A Beacon Hill constitui a chamada conta-mãe, por ter várias subcontas, usadas em grande parte por doleiros brasileiros para administrar e repassar somas saídas criminosamente do Brasil.

Atualmente, a Receita Federal apura débitos fiscais referentes aos remetentes e beneficiários de remessas ao exterior por subcontas constatadas na Operação Farol da Colina.

Rural nega conta lá fora

O vice-presidente do Banco Rural, José Roberto Salgado, garantiu à CPI dos Correios desconhecer a existência de contas do empresário Marcos Valério de Souza nas subsidiárias internacionais da instituição.

Ele explicou que, embora controladas pelo rural, as empresas com sede no Uruguai, nas Bahamas e em Portugal são independentes e obedecem às leis dos países onde estão sediadas.

O executivo assegurou que o Rural jamais fez remessas ao exterior para Valério e se ofereceu para solicitar mais informações sobre o assunto às subsidiárias.

Para o relator da CPI, deputado Osmar Serraglio (PMDB-PR), o fato de Salgado não ter reunido dados sobre as movimentações financeiras de Valério - mesmo sabendo que foi para isso que foi convocado a depor - só contribui para prejudicar sua credibilidade e a da instituição que representa.

Contas petistas rejeitadas

Auditoria do Tribunal de Contas da União (TCU) recomenda a rejeição das contas do PT referentes a 2003.

Um dossiê remetido ao Tribunal Superior Eleitoral pede que o partido devolva R$ 1 milhão e 900 mil, referentes a despesas pagas com dinheiro do Fundo Partidário e sem notas fiscais, além de R$ 25 mil e 900 de gastos irregulares com passagens aéreas. O dinheiro do fundo partidário só pode ser usado para manutenção e folha de pessoal.

O TCU verificou que “a economicidade não foi observada em alguns atos da gestão do Fundo Partidário”. Os técnicos constataram pagamento de passagens para pessoas sem relação com a sigla e fretamento indiscriminado de aviões.

Se o TSE acatar as sugestões, o PT pode ficar sem Fundo Partidário para o ano que vem. O secretário de Finanças do PT, Paulo Ferreira, negou as irregularidades e promete comprovar tudo, em fevereiro, no Tribunal.

Amigão investigado

A CPI dos Bingos quebrou os sigilos bancários, fiscal e telefônico de Paulo Okamotto, que preside o Sebrae, é amigo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e foi seu tesoureiro na disputa pelo Planalto em 1989.

Okamotto é investigado por ter pagado, entre 2003 e 2004, uma dívida de R$ 29.436,26 do presidente com o PT.

Na CPI, ele não explicou com quais recursos quitou o débito. A comissão suspeita que a dívida tenha sido paga com dinheiro do caixa dois operado pelo empresário Marcos Valério e apura uso indevido de dinheiro público, do fundo partidário, para despesas de Lula.

Compadre vai depor?

A CPI dos Bingos também aprovou ontem o requerimento que convoca para depor o advogado Roberto Teixeira, compadre do presidente Lula, que morou numa boa casa do advogado em São Bernardo, no ABC paulista, durante anos, sem pagar aluguel.

Teixeira foi advogado da empresa Consultoria para Empresas e Municípios (CPEM), que cuidaria de desviar recursos de prefeituras administradas pelo PT para os cofres do partido, dando origem ao gordo caixa dois que hoje os petistas não conseguem explicar – conforme denunciou à CPI o ex-petista Paulo de Tarso Venceslau.

Lula detestou as duas decisões da CPI sobre os amigos Okamoto e Teixeira.

Baixou Hospital

O advogado Roberto Teixeira, compadre do presidente Lula, foi submetido ontem a cirurgia no Hospital Sírio-Libanês para implante de cinco pontes de safena.

Os médicos responsáveis foram Roberto Kalil Filho e Fábio Jatene. Teixeira é advogado da Transbrasil e padrinho de Luiz Cláudio, filho de Lula.

Tomara que se recupere depressa, para poder encarar a CPI.

Estadão batendo

O jornal Estado de São Paulo está mesmo em rota de colisão editorial com o Planalto.

Com um artigo “Nitroglicerina pura”, o jornal publica que Lula é o principal culpado pelo descarrilamento ético do PT, que deve a ele, mais do que a ninguém, a sua existência.

O Estadão prevê que “Lula não escapará à condenação do tribunal da História”.

Dirceu Plantador?

O senador Cristovam Buarque (PDT-DF), que foi ministro da Educação por um ano, até ser demitido (por telefone) pelo presidente Lula, denuncia que “José Dirceu ou gente dele” plantavam inúmeras notas na imprensa dando conta de sua “incompetência” e “resultados fracos” no MEC.

Buarque acusa os mesmos difamadores de o incluíam na cota dos ministros que “não levavam soluções” para o governo e descreviam um processo de fritura.

Pré-candidato do PDT à Presidência da República, Cristovam Buarque fez essas revelações em entrevista à “Agência Repórter Social” a mesma que, na semana passada, publicou uma polêmica entrevista com o professor Bernardo Kucinski, talvez o único crítico interno (contratado oficialmente para a função) do governo Lula.

Brincando com o procurador?

A intervenção do Ministério Público Eleitoral não foi suficiente para mudar a agenda de campanha do secretário estadual de Governo e Coordenação, Anthony Garotinho.

Um dia depois de o procurador eleitoral interino, Rogério Nascimento, ter anunciado que pediria a abertura de inquérito na Polícia Federal para investigar o encontro do dia anterior, no Riachuelo, Garotinho, foi ontem a mais uma reunião com beneficiários do Cheque-Cidadão, dessa vez em Campo Grande.

O secretário estadual de Família e Assistência Social, Fernando William, garantiu que Garotinho, nos encontros, cumpre seu papel de secretário, que é também de coordenar projetos.

Façam o jogo, senhores!

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB ), vetou nesta quarta-feira o projeto de lei que proibia o funcionamento de caça-níqueis em bares e restaurantes do estado.

A informação foi divulgada pela assessoria de imprensa do deputado Romeu Tuma, autor do projeto.

O deputado lamentou a decisão do governador porque o projeto poderia colaborar para a diminuição da violência.

O argumento do governador para vetar o projeto seria de que o assunto é da esfera do governo federal. O projeto havia sido aprovado na Assembléia Legislativa no final de 2005.

FHC neutro?

Os dois presidenciáveis do PSDB, o prefeito José Serra e o governador Geraldo Alckmin, negaram ontem que o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso já tenha se decidido em favor do prefeito para a disputar a Presidência da República.

Os líderes do partido da Câmara e no Senado, Alberto Goldman (SP) e Arthur Virgílio (AM), respectivamente, também disseram ignorar que tal escolha tenha sido feita.

Na verdade, o candidato ideal de FHC seria ninguém menos que o próprio FHC. Ninguém mais...

Nem surdo, nem mudo

O assessor para Assuntos Internacionais da Presidência da República, Marco Aurélio Garcia, advertiu que a iniciativa do PSDB de entrar com uma representação contra o presidente Lula pelo pronunciamento em cadeia nacional de rádio e televisão na noite de segunda-feira é uma tentativa dos tucanos estabelecer um estado de sítio às avessas para impedir o presidente de governar.

Marco Aurélio ironiza que “o PSDB gostaria de um presidente mudo”, mas Lula “não é nem surdo nem mudo” e “vai continuar falando”.

Os tucanos entraram com uma ação contra o presidente no Tribunal Superior Eleitoral e no Ministério Público Federal alegando que Lula convocou a rede não para falar sobre a quitação antecipada da dívida do país com o FMI, como anunciou o Planalto, mas sim para fazer campanha eleitoral.

Preparando a censura

Depois da tentativa frustrada de criar o Conselho Federal de Jornalismo para cercear a atividade, o governo Lula busca mais uma vez atacar a liberdade de imprensa.

O Planalto se prepara para enviar ao Congresso projeto de lei que prevê pena de prisão para o jornalista que divulgar conteúdo de escutas telefônicas ou conversas gravadas sem o conhecimento de um dos interlocutores, ainda que realizados com autorização judicial.

A criminalização da atividade jornalística tem repercussões mais amplas. A pretexto de combater abusos, ela termina por restringir o uso de um instrumento crucial para a divulgação e a elucidação de casos recentes de assalto aos cofres públicos. Trata-se de censura da pior qualidade.

Censura ultrapassada

O Ministério Público Estadual e a Polícia Civil de São Paulo apreenderam 1.680 exemplares do livro "Protocolos dos Sábios do Sião", na Centauro Editora, na Freguesia do Ó, na zona norte da Capital.

O livro conta a história de uma conspiração judaica para a conquista do mundo. Seu conteúdo foi interpretado como discriminatório pela Justiça, que expediu um mandado de busca e apreensão.
Ninguém menos que o ditador nazista Adolf Hitler usava os escritos, considerados apócrifos, para justificar a matança de R$ 6 milhões de judeus, nas décadas de 1930 e 1940 na Europa-6 milhões morreram no período.

Mas, hoje, censurar tal publicação é falta do que fazer...

Livros do Ditador

O juiz chileno Carlos Cerda, que investiga as contas secretas de Augusto Pinochet no exterior, ordenou ontem o embargo de todas as bibliotecas que o ex-ditador possui.

O juiz Cerda pediu à polícia que notifique Pinochet da determinação e explicou que se trata de uma medida cautelar para evitar que os livros se dispersem.

Segundo fontes judiciais, o objetivo do embargo é determinar a origem do dinheiro que o ex-ditador usou para comprar os textos e evitar que eles sejam vendidos.

Pinochet é dono de uma fortuna não explicada que passa dos US$ 27 milhões, segundo a investigação judicial.

Nova queima de arquivo?

Está desaparecido desde novembro o rapaz acusado de matar o prefeito petista Celso Daniel, de Santo André. Ele foi visto pela última vez pela família cinco meses depois de fugir da Febem, onde estava preso em regime semi-aberto.

Uma parente revela que ele fugiu por medo de morrer... Promotores vão fazer uma busca em cartórios para descobrir se está morto.

Lelo, como L.S.N. é conhecido, faz 21 anos em 4 de fevereiro. Ele admitiu ter disparado sete tiros de pistola 9 milímetros à curta distância no prefeito indefeso. Alegou ter acatado ordens de José Edison da Silva, líder do bando que seqüestrou Daniel exatos quatro anos atrás, na noite de 18 de janeiro de 2002.

Existem oito os réus no processo sobre a execução do prefeito. Seis estão presos, um aguarda julgamento em liberdade por ordem do Supremo Tribunal Federal. É o empresário Sérgio Gomes da Silva, o Sombra, a quem a promotoria criminal atribui papel de mandante do crime.

O Alerta Total apurou que o oitavo acusado, Lelo pretendia fazer novas declarações bombásticas sobre o caso. Tomara que não tenha sido transformado em mais um arquivo morto...

Sombra pede socorro

Em uma das gravações secretas e ilegais do Caso Celso Daniel, em posse da Justiça e ouvidas pelo juiz Rocha Mattos (acusado de corrupção), o Sombra (o empresário Sérgio Soares da Silva) cobra, nervosamente, a intervenção imediata do ex-assessor da Prefeitura de Santo André e hoje assessor presidencial Gilberto Carvalho.

O podcast Alerta Total divulga o trecho da gravação, antes que venha a censura...

O Alerta Total adverte que tal gravação é ilegal, fruto de grampo telefônico feito na época da morte do prefeito Celso Daniel.

Ataque ao caixa 2

Líderes de vários partidos na Câmara querem alterar em parte da portaria conjunta do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e da Receita Federal com medidas que pretendem combater a prática de caixa dois.

Os deputados criticam o fato de o TSE, a quem cabe o poder de fiscalizar as eleições, ter transferido parte desses poderes à Receita, que é um órgão do Executivo, subordinado, portanto, subordinado ao presidente da República, interessado direto no resultado do pleito.

O presidente do TSE, Carlos Velloso, insiste que a medida só dificultará o caixa dois e quem é contra é porque está com medo.

34 alvos da CPI

No relatório preliminar que apresentou ontem à CPI dos Bingos, o senador Garibaldi Alves (PMDB-RN) denuncia que houve pagamento de propina na renovação do contrato da multinacional GTech com a Caixa Econômica Federal.

Garibaldi pede ao Ministério Público o indiciamento de 3 empresas e 34 pessoas. Estão na lista o presidente da Caixa, Jorge Mattoso, o ex-subsecretário de Assuntos Parlamentares da Casa Civil Waldomiro Diniz, o secretário particular do ministro Antonio Palocci, Ademirson Ariosvaldo da Silva, e dois ex-assessores seus na prefeitura de Ribeirão Preto-Rogério Buratti e Vladimir Poleto.

O relator sugere que eles sejam acusados de formação de quadrilha, corrupção passiva, crime de irregularidade em licitação e improbidade administrativa. Como recebeu pedido de vista coletivo, o texto só será levado a votação na CPI na quarta-feira que vem.

Lista de problemas

Eis as principais irregularidades que Garibaldi acredita terem sido comprovadas pela comissão:

• Contratação da Racimec, em 1993, sem licitação para a implantação de sistema piloto do modelo on-line real time de loteria, desobedecendo à Lei nº 8.666/93 e dando vantagem irregular à empresa na concorrência feita em 1994;
• Direcionamento da concorrência, vencida pela Racimec, sócia da Gtech;
• Inclusão de serviços não-lotéricos na execução do contrato, não previstos no edital, e sem licitação;
• Ação deliberada para a criação de uma situação de dependência tecnológica da CEF em relação à empresa contratada;
• Celebração de sucessivos termos aditivos prevendo reajustes de preços fora dos parâmetros legais ou contratuais;
• Deliberada omissão de cobrança de multas em decorrência do descumprimento de cláusulas contratuais;
• Inexistência de qualquer controle efetivo pela CEF quanto ao cumprimento do contrato e termos aditivos pela contratada;
• Indícios de pagamento de propina a pessoas ligadas a agentes públicos para facilitar a renovação do contrato em 2003;
• Indícios de uso do escritório de advocacia MM Consultoria para pagar propinas e lavar dinheiro.

Acusada nega tudo

A GTech contestou o relatório parcial da CPI dos Bingos, alegando que o texto elaborado pelo senador Garibaldi Alves se baseia em suposições e não apresenta prova de suas afirmações.

A empresa assegura que “contrato entre a Gtech Brasil e a Caixa não é — e nunca foi — lesivo à União” e que, entre 1997, quando começou a prestar seus serviços, e 2004, “as loterias online do Brasil arrecadaram um total de R$ 22 bilhões e 300 milhões.

A GTech lembra que o valor é 154% superior ao período anterior ao início do contrato.

Deputado se explica

O deputado João Herrmann Neto (SP) entregou ao presidente do PDT, Carlos Lupi, um documento em que tenta explicar o fato de ter recebido, durante dois anos, pagamentos mensais da empresa de transporte aéreo Beta, num total de R$ 79 mil.

A comissão de ética do PDT, que já suspendeu a filiação de Herrmann, vai avaliar se suas explicações são convincentes ou não. O deputado apresentou todos os seus extratos bancários, sua declaração de Imposto de Renda e notas fiscais cujos valores e datas coincidem com os depósitos feitos pela Beta, entre 2 de abril de 2003 e 22 de fevereiro de 2005.

Segundo Herrmann, o dinheiro dizia respeito a reembolsos de despesas que ele tinha com a manutenção de um carro de propriedade do presidente da Beta, Ioannis Amerssonis, que servia à família dos dois em São Paulo.

A empresa é investigada pela CPI dos Correios e é acusada de fazer conluio com a Skymaster para fraudar licitação da estatal na operação da rede postal noturna.

Pizza para Luizinho

O deputado Pedro Canedo (PP-GO), relator do processo contra o Professor Luizinho (PT-SP) no Conselho de Ética, concluiu seu parecer sobre o caso e, na leitura que deverá fazer do seu voto hoje, vai pedir o arquivamento da ação.

Canedo alegará que foi um funcionário do gabinete de Luizinho, e não o petista, quem solicitou recursos ao então tesoureiro do PT Delúbio Soares, recebeu o dinheiro do Valerioduto e entregou-o a candidatos do PT na região do ABC, base eleitoral do deputado paulista.

O relator, além de pertencer a um dos partidos que foram beneficiados pelo esquema Marcos Valério de Souza, foi um dos dois integrantes do Conselho de Ética que votaram pela absolvição do deputado Romeu Queiroz (PTB-MG), acusado de receber R$ 450 mil das contas do empresário.

Marcha do Mensalão

O podcast Alerta Total tem a honra de antecipar a música que será um dos maiores sucessos do carnaval que se aproxima: a Marcha do Mensalão, dos compositores Waldyr Argento Júnior e Jorge Costa Filho.

Chega de salário extra

O plenário do Senado aprovou, em votação simbólica, o projeto de decreto legislativo de autoria do deputado Raul Jungmann (PPS-PE), que acaba com o pagamento de salário adicional aos parlamentares em caso de convocação extraordinária do Congresso.

O texto foi aprovado na terça à noite na Câmara e deve ser publicado hoje no Diário Oficial do Congresso Nacional.

Pena que mudança não vale para a atual convocação.

Protegendo faltosos

O Senado conseguiu reverter ontem a decisão judicial que determinava o corte de ponto de parlamentares faltosos e a devolução dos salários extras dos que não compareceram ao Congresso pelo menos três vezes por semana durante a autoconvocação extraordinária do Legislativo.

O presidente do Congresso, senador Renan Calheiros (PMDB-AL), anunciou que o juiz Carlos Augusto Pires Brandão, do Tribunal Regional Federal da 1ª Região, anulou os efeitos da decisão do juiz Márcio José de Aguiar Barbosa, da 20ª Vara Federal do Distrito Federal, em favor da ação popular impetrada pelo advogado Pedro Elói contra o pagamento do salário extras a deputados e senadores que faltaram ao trabalho em dezembro e janeiro.

De acordo com Calheiros, o juiz acatou o agravo de instrumento apresentado pela assessoria jurídica do Senado contra a decisão porque entendeu que a decisão sobre o pagamento dos parlamentares cabe apenas ao Poder Legislativo.

Eles sempre vencem

O reajuste da tarifa dos ônibus municipais do Rio de Janeiro entra em vigor a partir da 0h da sexta-feira, segundo a prefeitura.

A passagem vai aumentar de R$ 1,80 para R$ 1,90, após decisão do Superior Tribunal de Justiça, que suspendeu os efeitos da liminar que impedia o reajuste.

Os empresários de ônibus, donos dos lobbies mais poderosos do País, sempre vencem na Justiça... Por que será?

Morte estranha

O comissário da 1ª Vara da Infância, da Juventude e do idoso Marcelo Macedo Martins, de 36 anos, foi morto anteontem à noite com um tiro na cabeça à queima-roupa na Avenida Vinte e Quatro de Maio, no Engenho Novo.

Há dois meses, Marcelo foi alvo de uma sindicância interna por condutas funcionais irregulares e afastado do cargo.

Tortura, nunca mais?

O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro ofereceu denúncia contra um cabo e oito soldados da Polícia Militar lotados no Getam de Niterói (Grande Rio), acusados de abandonar seu posto de trabalho, na Região Oceânica daquele município, para seqüestrar, torturar e roubar um rapaz no bairro Arsenal, no município vizinho de São Gonçalo. O crime aconteceu no dia 7 de janeiro passado.

Os denunciados são o cabo Edson Luiz da Conceição Coimbra e os soldados Alexandre Gabriel da Fonseca Lima, Márcio Nóbrega Tourinho, Alexandre de Souza Machado, Roberto de Jesus Madeira, Anderson Duarte Mohana, Felipe Viana Anchieta, Márcio Rodrigues da Silva e Vinicius Rohan de Almeida.

É a Barbárie!

Tortura in Sampa

O Tribunal de Justiça de São Paulo julga hoje um advogado e policiais civis acusados de tortura na cidade da Tatuí, no interior do estado. O caso, ocorrido há nove anos, é acompanhado por diversas entidades internacionais e nacionais de direitos humanos.

No dia 12 de julho de 1997, o adolescente José Rafael Brezer, com 15 anos na época, foi tirado de sua casa, na cidade de Tatuí pelo advogado José Rubens do Amaral Lincoln (ex-presidente da subsecção da OAB de Tatuí). Também participaram da ação, a investigadora de polícia Maria da Graça Lincoln Rezende (irmã do advogado) e o policial civil Oséias Rosa.

Eles são acusados de colocarem o adolescente à força em um automóvel sem placas, conduzido pelo advogado. A vítima denunciou que sofreu violência física, ficou o tempo todo sob ameaça de arma de fogo e foi levada para uma chácara, onde foi torturada e ameaçada de morte, inclusive por meio de roleta russa.

Os agressores queriam que o rapaz confessasse que teria comprado do próprio filho do advogado jóias de propriedade da família, para serem utilizadas na aquisição de entorpecentes com traficantes.

São Paulo segura...

Uma equipe de reportagem da Rede TV! virou notícia: foi roubada na manhã de ontem, no centro de São Paulo.

A equipe havia acabado de gravar uma matéria sobre o recadastramento de idosos em uma agência da Previdência Social no Viaduto da Santa Efigênia quando foi abordada por um homem armado, segundo a polícia.

O assaltante ameaçou a equipe e levou uma filmadora. O caso foi registrado no 3º DP (Santa Efigênia).

Novo endereço de Boris

O jornalista Boris Casoy, que deixou a Rede Record no início do mês, pode estrear mês que vem na Rede TV!

Boris leva junto seu fiel escudeiro, o diretor Dácio Nitrini, e a comentarista de economia e apresentadora Salete Lemos.

É a fofoca que rola nos bastidores. No entanto, até o final do ano, Boris, Dácio e Salete continuarão recebendo seus salários regiamente pagos pela emissora do Bispo Macedo, conforme o acordo de rescisão contratual.

Baixando juros na porrada

O Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central cortou 0,75 ponto percentual da taxa básica de juros da economia, que passa a ser de 17,25% ao ano.

Trata-se de um corte muito conservador, dado que a taxa ficará congelada por 49 dias, pois a próxima reunião do Copom será em março, segundo novo cronograma.

O BC sustenta que a decisão foi tomada por unanimidade, o que provocou ceticismo dos economistas, já que a reunião foi uma das mais longas da história — começou por volta de 17h e terminou 21h40. O tempo sugere que o debate foi acirrado, cheio de pancadas verbais.

Bengala para Indiana Jones

O ator Harrison Ford deu aos produtores Steven Spielberg e George Lucas um prazo de dois anos para a produção do quarto filme da série Indiana Jones.

"Estou gostando da possibilidade de fazer mais um filme e há tempos não sinto uma chance tão positiva de que aconteça, mas se nada ocorrer em dois anos é melhor esquecer".

O ator de 63 anos teme que, em pouco tempo, não esteja mais em condições de fazer um papel que exige muito fisicamente.

Vida que segue...

Novas informações a qualquer momento.

Recramações, ilogios ou revelações bomba para:
jorgeserrao@gbl.com.br

Façam comentários clicando no link abaixo.

Ouçam as informações clicando no link da rádio (podcast) Alerta Total:
http://podcast.br.inter.net/podcast/alertatotal

Fiquem com Deus!

O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Inteligente, inovador, fortemente analítico e propositivo, utilizando as mais modernas tecnologias para transmissão instantânea e eletrônica de informação privilegiada e análise estratégica, junto com a difusão de novos conhecimentos voltados para a construção e consolidação de novos valores humanos.