sexta-feira, 20 de janeiro de 2006

TCU vê problemas na publicidade de Lula, e CPI quer reconvocar Duda Mendonça para explicar transferência$ milionária$ no BankBoston

Edição de Sexta-feira-feira do http://alertatotal.blogspot.com/

Ouça também o podcast rádio Alerta Total: http://podcast.br.inter.net/podcast/alertatotal

Por Jorge Serrão

O senador Álvaro Dias (PSDB-PR) e o deputado Gustavo Fruet (PSDB-PR) consideram “inevitável” uma nova convocação do publicitário Duda Mendonça para depor na CPI dos Correios, depois da constatação de que o baiano transferiu R$ 4 milhões de sua conta no BankBoston a parentes e a uma de suas empresas dias antes de depor na CPI dos Correios, em 11 de agosto de 2005.

Naquele depoimento, Duda Mendonça admitiu ter recebido dinheiro ilegalmente, no exterior, por serviços prestados ao PT na eleição de 2002. Para integrantes da CPI, as transações mostram o temor do publicitário de ter o dinheiro retido se fosse decretado o bloqueio de seus bens.

Duda redistribuiu R$ 500 mil para um genro, R$ 2 milhões e 500 mil para a empresa de seus cinco filhos e R$ 1 milhão para a agência Duda Mendonça Associados. A conta era no BankBoston, que já foi dirigido mundialmente pelo Presidente Henrique Meirelles, do Banco Central. A revelação é do jornal "Folha de São Paulo", com base em documentos da CPI.

O advogado de Duda alega coincidência de datas e diz que as transferências foram empréstimos feitos pelo publicitário, cujos valores já voltaram para a mesma conta. O publicitário recebeu e está seguindo a recomendação de sair de cena, para evitar maiores conflitos.

Na semana passada, Duda prometeu processar a revista Veja, pela publicação da reportagem “Marketing Bandido” que o acusa de praticar crimes de lavagem de dinheiro, sonegação de impostos e tráfico de influência.

Problemas na publicidade

O Tribunal de Contas da União está concluindo uma auditoria nos processos licitatórios e nos contratos de propaganda e publicidade, entre os anos de 2001 e 2005, do Governo Federal.

Técnicos do TCU encontraram despesas estranhas à atividade de publicidade e propaganda, pagamentos superfaturados, comissões indevidas às agências contratadas e a intermediação indevida das agências para a aquisição de bens ou serviços de terceiros que deveriam ser licitados. Foram identificadas várias notas frias, incapazes de comprovar a boa e regular aplicação dos recursos públicos, bem como foram apontados possíveis ilícitos fiscais.

Também constataram uma constante falta de controle na execução dos contratos, demonstrada pela ocorrência de diversos pagamentos sem a efetiva comprovação de prestação dos serviços, realização de despesas fora do objeto do contrato, e extrapolação de limites orçamentários.

Além da Secretaria de Comunicação da Presidência (Secom), foram fiscalizados: Eletrobrás, Eletronorte, Eletronuclear, ECT, Fundo Nacional de Segurança e Educação do Trânsito, Transpetro, Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal, Câmara dos Deputados, Infraero, Ministério da Previdência Social, Ministério da Saúde, BNDES, Ministério do Turismo, Embratur, Ministério do Trabalho e Emprego, Ministério da Cultura, Ministério do Esporte, Banco do Nordeste do Brasil, Basa, e Furnas.

O TCU considerou “deficiente” a atuação da Secom, que detinha a condição de gestora, normatizadora e fiscalizadora do Sistema de Comunicação (Sicom).

Gastos disparam no RJ

O governo Rosinha Garotinho ampliou em quase 2.800% a verba publicitária no ano passado

De uma dotação orçamentária inicial de R$ 3 milhões, o programa de trabalho 'Serviços de Comunicação e Divulgação', rubrica que inclui verbas para publicidade e propaganda, saltou para R$ 85 milhões e 400 mil no fim de 2005.

Desse total, a governadora do Estado, Rosinha Matheus, já liquidou efetivamente R$ 82 milhões e 500 mil, ou seja 96,6%.

Os números são do Sistema Integrado de Administração Financeira para Estados e Municípios (Siafem).

Investimento pré-eleitoral?

Para 2006, ano eleitoral, o governo do Estado do RJ estimou em R$ 20 milhões os gastos com publicidade e propaganda.

O valor é quase sete vezes o valor inicial previsto na Lei Orçamentária de 2005.

Para verificar de que forma e onde esses recursos estão sendo aplicados, o Tribunal de Contas do Estado do Rio (TCE-RJ) está concluindo uma inspeção nos gastos da comunicação de janeiro a agosto de 2005, comparando com igual período do ano anterior.

Conexão tucana?

Uma nota técnica à disposição da CPI dos Correios revela que uma conta da agência SMP&B, do empresário Marcos Valério, no Banco Industrial e Comercial S/A recebeu R$ 104 milhões, nos anos de 1997 e 1998.

O dinheiro teria vindo de duas entidades públicas sob a responsabilidade de governadores tucanos.

Com medo da mídia?

A Justiça de Jersey, na Inglaterra, rejeitou um pedido do ex-prefeito Paulo Maluf (PP), que queria evitar que informações bancárias de lá fossem compartilhadas com o Brasil.

O ex-prefeito é acusado de enviar para a ilha, ilegalmente, pelo menos US$ 200 milhões.

Um dos argumentos dos advogados de Maluf é o risco de divulgação de dados sigilosos pela mídia brasileira.

Marta se salvando

O Tribunal de Justiça de São Paulo acatou ontem recurso movido pela defesa da ex-prefeita Marta Suplicy (PT) e concedeu liminar que suspendeu o indiciamento da petista por ter contratado uma entidade de prestação de serviço para a prefeitura paulistana sem fazer licitação.

O Grupo de Trabalho e Pesquisa de Orientação Sexual (GTPOS), entidade da qual Marta foi fundadora, recebeu R$ 2 milhões para dar orientação sexual aos alunos da rede pública de ensino.

A denúncia contra a ex-prefeita foi apresentada pelo promotor José Eduardo Ismael Lutti, para quem houve uma combinação prévia entre as duas partes a fim de descartar o processo de licitação, “evitando-se a salutar disputa entre outras empresas ou entidades com a mesma capacidade de prestar os serviços a serem contratadas”.

Um morto, um bêbado e um desmiolado

A CPI dos Bingos descobriu que um advogado do PT, Hélio Silveira, ajudou na defesa e pagou despesas de Éder Eustáquio Macedo, apontado como o motorista que dirigiu um carro que teria transportado US$ 3 milhões doados pelo governo de Cuba para o caixa 2 do partido.

Macedo prestou ontem um depoimento cheio de contradições a CPI, o que aumentou ainda mais as suspeitas. O motorista trabalha atualmente como funcionário comissionado do Ministério da Fazenda no Rio.

Revelou ter conseguido o emprego com Ademirson Ariosvaldo da Silva, secretário do ministro Antonio Palocci.

O Senador Romeu Tuma (PFL-SP) resumiu o depoimento com uma frase irônica:

"A denúncia da doação de Cuba tem um morto, um bêbado e agora um desmiolado".

Briga de morte no Senado

O veto do governador Geraldo Alckmin ao projeto que proibia a exploração de máquinas caça-níveis no Estado de São Paulo provocou ontem uma hecatombe, de baixo nível, entre os Senadores Aloísio Mercadante (PT-SP) e Antônio Carlos Magalhães (PFL-BA).

Da tribuna, Mercadante esbravejou que “Alckmin voltava a dar carta branca aos empresários de jogo, os contraventores, tradicionais financiadores de campanhas eleitorais”... O Senador Tasso Jereissati (PSDB-CE) ouviu a crítica pelo sistema de som, correu para o plenário e lembrou que era o PT o envolvido com o jogo financiando campanhas, via Waldomiro Diniz.

ACM saiu em socorro de Tasso e Alckmin detonando: “O que está aborrecendo o senador Mercadante é que a CPI dos Bingos está realmente desmascarando todos os atos lesivos ao país, acobertados pelo PT, até mesmo os crimes praticados pelos petistas, como o assassinato do Celso Daniel (prefeito de Santo André) e do Toninho (prefeito de Campinas)”.

Resultado da pancadaria

ACM avisou que a CPI ouvirá o depoimento do legista Paulo Vasques, que assumiu a análise do caso Celso Daniel depois da morte do colega Carlos Delmontes. ACM usou uma malvada justificativa para trazer o perito ao Congresso:

Um (Delmontes) vocês já conseguiram matar”...

Mercadante pulou na hora: “Quem matou? Você está mencionando o meu envolvimento em alguma questão?

ACM continuou batendo: “Vocês estão encobrindo crime sim. Não querem que apure”.

Mercadante replicou: “Nada me machucou mais do que vê-lo (Celso Daniel) deitado na lama, assassinado como foi. Como o senhor pode fazer uma acusação dessa me conhecendo há tantos anos?”.

ACM, em pura malvadeza, alegou: “Não estou dizendo que o senhor matou, não, seus correligionários mataram...”

Mercadante pulou de novo: “Então diga os nomes que eu quero saber para tomar providência”...

O caso Celso Daniel, um cadáver politicamente insepulto, ainda promete feder mais ainda...

Omissão no caso Toninho

Os promotores de Justiça de Campinas (SP) Ricardo José Gasques de Almeida Silvares e Fernando Pereira Vianna, que atuam nas investigações sobre o assassinato do prefeito da cidade Toninho do PT, acusaram a Polícia Civil de ter se omitido no caso.

Os promotores, que depuseram ontem na CPI dos Bingos, reclamaram que a policia “não queria chegar aos verdadeiros responsáveis” pela morte, ocorrida em setembro de 2001.

Denunciaram que os policiais encarregados do trabalho ignoraram indícios e deixaram de ouvir testemunhas importantes.

Apesar disso, os dois não contestaram a conclusão do inquérito de que o assassinato tratou-se de um crime comum, embora o Ministério Público não descarte nenhuma hipótese.

Pizza adiada para o plenário

Em um dos dias mais tensos desde o início do escândalo do Mensalão, o Conselho de Ética da Câmara recebeu relatórios propondo a cassação de Roberto Brant (PFL-MG) e professor Luizinho (PT-SP).

A votação deve ser na próxima semana.

A apresentação do parecer sobre Luizinho foi tumultuada: o relator, Pedro Canedo (PP-GO), fez ajustes no texto antes da leitura e foi acusado de ter cedido a pressões para mudar o voto. A intenção anterior dele era aliviar a barra de Luizinho. Preferiu adiar a “pizza” para a apreciação do plenário...

Comparação bandida

Acusado de receber R$ 20 mil do Mensalão, professor Luizinho (PT-SP) acha um exagero o pedido para que seja cassado:

"O Conselho de Ética não pode querer dar a pena de morte para quem bate uma carteira”.

O relator Pedro Canedo recomendou a cassação do professor Luizinho sob o argumento de que “o deputado mentiu, e mentira é falta de decoro".

Roubaram o deputado

Os bandidos perderam mesmo o respeito... O deputado estadual pernambucano Isaías Régis (PDT) perdeu R$ 25 mil em um assalto na cidade de Garanhuns, cidade natal do Presidente Lula, a 230 quilômetros da capital.

Dois dos seus assessores, Alcides Rodrigues e Roberto Ivo, foram assaltados por dois motoqueiros armados de pistola, quando chegavam à residência do primeiro. Os motoqueiros renderam os dois assessores e levaram tudo: relógios, telefones celulares e os R$ 25 mil que tinham sido sacados pouco antes na agência do Bradesco naquele município.

O deputado confirmou que o dinheiro era seu e disse que seria utilizado para adiantar pagamento de férias de servidores da Associação Comercial e Industrial de Garanhuns, da qual é presidente.

Custo do Tapa-buraco

A recuperação de cada quilômetro de rodovia, feita com licitação, custa, em média, R$ 8 mil e 700.

Mas as obras sem concorrência nas estradas, como as da operação “Tapa Buraco”, fizeram o preço disparar para R$ 25 mil. O dinheiro empregado será suficiente apenas para uma intervenção superficial, com durabilidade máxima de um ano. Ou seja, no próximo verão, terá que ser feito tudo de novo.

Os dados são do próprio Ministério dos Transportes. O Tribunal de Contas da União promete investigar quem está tapando o buraco de quem nessa estória...

Dinheiro jogado fora

Os poderes Executivo, Legislativo e Judiciário da União gastaram, em 2005, R$ 88 milhões e 600 mil com fotocópias ou xerox.

Esse valor é um pouquinho maior que todos os investimentos realizados (R$ 87 milhões e 400 mil), no mesmo período, pelo Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), que comporta os principais programas sociais do governo federal.

Cópias de papel estão entre os 10 itens de custeio mais caros para governo federal.

Os números são do Sistema Integrado de Administração Financeira (Siafi). A revelação é da ONG Contas Abertas.

O que daria para fazer?

Levando em conta que atualmente o preço de uma fotocópia está em torno de R$ 0,15 (quinze centavos), com o valor gasto pelo governo federal em 2005, um cidadão comum poderia tirar 590.396.548 fotocópias ou comprar 4.163 carros Fiat Mille.

Isso significa que, por dia, 1.617.525 cópias podem ter sido feitas pela União, o que dá uma média de 46.215 cópias por órgão dos poderes Legislativo, Executivo e Judiciário.

Se revertidas em recursos, no ano passado, tais cópias poderiam ter arcado com todos os investimentos dos ministérios do Meio Ambiente, de Minas e Energia, dos Esportes, do Trabalho e Emprego e da Previdência Social juntos.

A ONG Contas Abertas calcula que, se isso tivesse ocorrido, ainda sobraria de troco para os cofres públicos cerca de R$ 15 milhões e 900 mil.

Mínimo incruado

Terminou sem acordo a quinta reunião para definir o novo valor do salário mínimo e a correção da tabela do Imposto de Renda.

As centrais sindicais propuseram ao governo elevar o piso salarial de R$ 300 para R$ 350 (a partir de abril) e um reajuste de 8% na tabela do Leão, defasada em 57% - segundo avaliação do sindicato dos Auditores Fiscais (a Unafisco).

O ministro Luiz Marinho (Trabalho) não descartou as propostas:

"Vamos fazer agora todas as continhas".

Na próxima terça-feira haverá uma sexta reunião, agora com o presidente Lula, para ver se acabam decidindo alguma coisa...

Comemorando o quê?

O brasileiro nunca pagou tanto imposto como no ano passado. A arrecadação de impostos e contribuições federais totalizou R$ 364 bilhões e 136 milhões, em 2005. Houve um crescimento real (que desconta a inflação) de 8,02% sobre o ano anterior.

A arrecadação da Previdência somou R$ 115 bilhões e 897 milhões, o que corresponde a um crescimento de 7,23% sobre 2004.

É o melhor resultado da história, segundo levantamento divulgado ontem à tarde pelo secretário da Receita Federal, Jorge Rachid.

O problema é comemorar tamanha arrecadação, em um País com renda concentrada, juros estratosféricos, enorme sonegação e elevadíssima carga tributária. Apesar das promessas do governo de alívio fiscal, especialistas calculam que casa tributária subiu para 38% de tudo que é produzido no País (o PIB, Produto Interno Bruto).

Surdez econômica

O presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf, voltou a criticar o Banco Central por não ter reduzido mais fortemente os juros:

Economia de sucesso é aquela que, com sua obsessão pelo crescimento, multiplica empregos, gera renda, amplia as oportunidades de inclusão e ascensão e torna a sociedade mais equilibrada, suprida em suas necessidades básicas e, portanto, mais feliz. Esta não é certamente e infelizmente a obsessão do BC".

Na avaliação de Skaf, só haverá crescimento este ano se o órgão “ouvir os gritos da economia” e atentar para os dados da indústria. O Comitê de Política Monetária do Banco Central só baixou os juros (a taxa Selic) em 0,75%.

Para o presidente da Fiesp, "o BC é moeda, é inflação, não importam o desenvolvimento e o emprego". Triste verdade...

Sobe, desce ou cai?

Assessores do presidente Lula alegaram que a queda dos juros foi o "mínimo tolerável": Menos que isso seria complicado, e causaria uma crise:

"Se cortassem um ponto, a decisão seria classificada como política”.

Se cortassem meio ponto, alguém seria demitido”.

Traduzindo: Se corta um ponto, cairia Henrique Meirelles. Se corta meio ponto, quem dançava era o Secretário do Tesouro, Joaquim Levy, que vinha criticando o conservadorismo na queda dos juros. O meio termo (0,75%) deixa tudo como está...

Cultura da sonegação

Operação da Receita e da Polícia Federal descobriu fraudes fiscais em cinco estados do Norte.
Investigação na região revelou que empresas do Sudeste abriram firmas fantasmas e usaram outras formalmente constituídas para receber mercadorias com incentivo fiscal.

Das firmas investigadas na região Norte, 14% não existiam. Estima-se que as fraudes tenham rendido às empresas do Sudeste ganhos de até 40% sobre os produtos vendidos.

A Receita informou que entre as fraudadoras estão algumas das maiores empresas do país, mas não forneceu nomes. O órgão alegou necessidade de manter o sigilo fiscal.

Empresa mais fácil?

O Governo enviará ao Congresso nos próximos dias projeto de lei para reduzir o tempo médio de abertura de empresas, de 152 para até 15 dias, no máximo. A minuta está pronta na Casa Civil.

O secretário de Desenvolvimento da Produção do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Antônio Sérgio Martins, revela que o projeto cria a Rede Nacional para a Simplificação do Registro de Empresas (Redesim), que fornecerá "alvará condicionado", com o qual as empresas nascentes poderão funcionar até a saída do alvará definitivo.

A grande questão é: Não adianta desburocratizar e simplificar a vida dos empresários, com o Redesim, sem antes baixar as taxas de juros e, principalmente, a elevada carga de impostos – que consomem 40%, no mínimo, de tudo que é produzido.

Matando por um emprego

A polícia paulista prendeu ontem uma jovem de 22 anos, suspeita de encomendar a morte de uma mulher para ficar com o emprego dela. Carolina de Paula Farias Santos foi presa em Cubatão, na Baixada Santista, juntamente com dois comparsas.

Carolina teria contratado Edson e Aislan Dionísio Nascimento (um dos foragidos), pagando R$ 3 mil, para ameaçar Renata Boreli, de 24 anos, funcionária da Petrocoque, em Cubatão.

No dia 18 de novembro, ao sair da empresa em direção a São Bernardo do Campo, onde mora, Renata teve seu carro interceptado por outro veículo. Os dois ocupantes do carro fizeram diversos disparos contra Renata, que ficou ferida no ombro. Após o incidente, Renata passou a receber telefonemas ameaçadores que diziam para ela não voltar ao emprego.

Carolina havia sido funcionária temporária da Petrocoque, ocupando o lugar de Renata que cobriu a licença-maternidade de uma colega. No dia 28 de dezembro, essa colega, Monica Tamer de Almeida, foi morta quando saía de casa rumo ao trabalho, em Santos, no litoral paulista.

Carolina teria confessado que mandou matar Monica para que Renata fosse obrigada a ocupar um outro posto. Monica deixou dois filhos pequenos.

Lula pouco na frente?

O Ibope divulgou ontem uma pesquisa nacional, mas com simulações apenas de primeiro turno.

No cenário em que o nome tucano é o do prefeito de São Paulo, José Serra, ele aparece com 31%, em empate técnico com o presidente Lula, que teria 35%. Anthony Garotinho, que dificilmente conseguirá ser candidato pelo PMDB, aparece com 12%.

No cenário com o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, Lula aparece com 38%, e o tucano tem apenas 17%, empatado tecnicamente com Anthony Garotinho (PMDB), que teria 16%.

A margem de erro é de 2 pontos percentuais para cima ou para baixo.

Dá para digerir?

O presidente Lula teve ontem um jantar esvaziado com alguns parlamentares do PMDB, na residência do senador Ney Suassuna. Da reunião-boca nervosa participaram o líder do governo no Congresso, Fernando Bezerra( PTB-RN) e o presidente do Senado, Renan Calheiros(PMDB-AL).

Lula comeu carne de sol, bacalhau e carneiro, de sobremesa souflé de jaca, acompanhado de vários ministros, entre eles Jaques Wagner, das Relações Institucionais ; Dilma Rousseff, chefe da Casa Civil; Silas Rondeou, das Minas e Energia, e Hélio Costa, das Comunicações.

Suassuna entregou a Lula três projetos: duas PECs (Propostas de Emendas Constitucionais) instituindo aposentadoria para ex-presidentes com salário de ministro do STF, férias de 20 dias anuais e a construção de um memorial para os ex-presidentes.

Já o acordo com o PMDB para fazer parte da chapa eleitoral petista é assunto que ainda será difícil de digerir no partido, apesar da insistência de Lula.

Nada de aluguel

O secretário estadual de Governo e Coordenação do Rio, Anthony Garotinho, que disputará as prévias do PMDB, defendeu nesta quinta-feira o lançamento de uma candidatura própria do partido para a Presidência da República.

Ao contrário do que defendem alguns integrantes da legenda, Garotinho descartou uma possível aliança com o PT e afirmou que "o PMDB não é partido de aluguel".

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva, no entanto, ainda não desistiu e tenta costurar uma aliança com o PMDB para as eleições de outubro.

Serra ou Alckmin?

Simulação feita pelo jornal "Estado de São Paulo" com 52 dos 53 deputados do PSDB na Câmara mostrou o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, à frente na preferência da bancada para ser o candidato do partido à Presidência. Alckmin obteve 27 votos, ante 15 votos do prefeito José Serra.

Uma outra enquete realizada pelo jornal "O Globo" revela que as bancadas do PSDB na Câmara e no Senado também preferem o governador Geraldo Alckmin ao prefeito José Serra como candidato a presidente. Em 64 votos, Alckmin teve 33 e Serra, 22.

Cabe, agora, aos tucanos saírem de cima do muro nesta sucessão...

FHC indeciso?

Em Oxford, na Inglaterra, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso contestou notícias de que já teria decidido apoiar o prefeito José Serra para ser o candidato do PSDB à Presidência da República, em detrimento do governador Geraldo Alckmin.

FHC defendeu que a escolha seja feita até março.

O ex-presidente aproveitou para defender a manutenção da reeleição, afirmando que “quatro anos não dá para fazer nada”.

Viva o Nepotismo!

Parentes de magistrados, funcionários do Tribunal de Justiça de Minas Gerais entram com processo judicial para não serem exonerados de seus cargos, conforme exige a resolução nº 7 do Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

Doze funcionários que possuem grau de parentesco com desembargadores e juízes e não passaram em concursos públicos conseguiram uma tutela antecipada que, provisoriamente, os mantêm no atual cargo.

Assim, o presidente do Tribunal de Justiça fica livre da dura tarefa de exonerá-los até o julgamento definitivo da ação. As demissões deveriam ocorrer até o dia 14 de fevereiro.

Morte de deputado

O corpo do deputado estadual Edson Vargas (PMN, do Espírito Santo) será sepultado hoje às 17 horas. Edson Vargas morreu em um acidente na BR 101 Norte, em Aracruz, no início da tarde de ontem.

O parlamentar estava em um veículo oficial da Assembléia Legislativa, quando perdeu o controle em uma curva, invadiu a contramão e bateu de frente na carreta Volvo que transportava combustível. A colisão aconteceu no Km 189 na altura do distrito de Guaraná. Edson Vargas morreu na hora. O motorista da carreta, André Luiz de Oliveira nada sofreu.

O deputado saiu de São Mateus, na região Norte, e seguia para Vitória, onde participaria de uma sessão na Assembléia Legislativa. Uma mulher, identificada como Jaqueline de Souza Gomes, de 21 anos, também estava no veículo, de carona, e foi levada para o Hospital São Camilo, em Aracruz. A vítima chegou bastante abalada, mas passa bem.

Universal briga na Zâmbia

Membros da Universal entraram com um recurso na Suprema Corte da Zâmbia para anular a expulsão daquele país africano.

O governo deu um ultimato de sete dias para que dois pastores brasileiros que dirigiam a igreja em Zâmbia, Carlos Barcelos e Jammiya Claver, deixassem o país.

A Igreja Universal foi banida da Zâmbia em 1997, mas voltou a operar no país sob uma ordem judicial.

Lula não vai ao Fórum?

Ao sair do encontro na Granja do Torto com os presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Néstor Kircher, o presidente da Venezuela, Hugo Chávez, avisou que Lula informou a ele que não participará do Fórum Social Mundial, que será realizado em Caracas na próxima semana.

Lula também não irá ao Fórum Econômico Mundial, em Davos, também na semana que vem.

Segundo Chávez, Lula alegou razões de trabalho. O presidente venezuelano negou que o presidente brasileiro esteja com medo de enfrentar protestos durante o fórum, que reúne ONGs de todo o mundo.

Cheios de idéias

Reunidos em Brasília, os presidentes de Brasil, Argentina e Venezuela decidiram criar o Banco do Sul, um organismo regional de financiamento de projetos sociais e econômicos.

Lula, Néstor Kircher e Hugo Chávez reiteraram o compromisso de construir o Gasoduto do Sul, um projeto de US$ 20 bilhões que levará o gás das jazidas do Caribe venezuelano para Brasil, Argentina, Uruguai, Chile e Paraguai.

Os três países pretendem ainda integrar sua indústria bélica e compor um Conselho de Defesa da América do Sul, para formular a estratégia defensiva do continente.

Chávez sugeriu uma "Otan sul-americana". Para o chanceler Celso Amorim, "integração é palavra forte". Os EUA não vão gostar...

Pelos direitos civis

Um grupo formado por entidades da sociedade civil e pelo governo federal vai acompanhar de maneira permanente as atividades internacionais do Brasil na área de direitos humanos, especialmente nas comissões da ONU e da OEA (Organização dos Estados Americanos) sobre o assunto. A iniciativa deve se concretizar ainda no primeiro trimestre de 2006.

A sugestão para a formação de um comitê de acompanhamento surgiu em setembro do ano passado, quando foi lançado o informe “Política Externa e Direitos Humanos: O Brasil na Comissão de Direitos Humanos da ONU”.

O estudo, realizado pela organização não-governamental Conectas, com o apoio da SUR (Rede Universitária de Direitos Humanos) e do PNUD, analisou a atuação do Brasil no órgão da ONU que tem a função de zelar pela garantia das liberdades civis no mundo.

Veja o arquivo do trabalho através do link:

Política Externa e Direitos Humanos: O Brasil na Comissão de Direitos Humanos da ONU.

Guerra pela audiência

A vontade da Record em ultrapassar a Globo no Ibope acabou se transformando numa gafe da emissora.

A Record divulgou, com base nos dados preliminares do Ibope, que a sua novela "Prova de Amor" teria ficado com 25 pontos, contra 21, 6 do Jornal Nacional.

Porém, na tarde de ontem, o Ibope ajustou seus números e colocou o JN na frente em todo tempo que disputou com a Record.

A emissora do Bispo Macedo jogou a culpa no sistema de prévias do medidor do Ibope:

"Os números divulgados ontem, às 21h20, pela Record, logo após a exibição do capítulo 75, são dados oficiais referentes à prévia do Ibope (real time) e apontaram a liderança isolada da Record durante cinco minutos e empate em outros três".

De toda forma, os números do Ibope (certos ou errados) são uma prova de que o telespectador não tanto amor assim pela novela Bang-Bang, que antecede ao JN Global...

Poluindo o rio?

A Fundação Estadual do Meio Ambiente de Minas Gerais vai multar a Votorantim Metais devido a um vazamento de rejeitos em um afluente do Rio São Francisco, no município de Três Marias, região central do estado.

Técnicos recolheram amostras de água para confirmar se houve ou não contaminação após o acidente, mas material não chegou a ter contato diretamente com o leito do rio.

O vazamento ocorreu na terça-feira em uma tubulação que leva rejeitos para uma barragem da unidade. De acordo com a empresa, o material saiu pela tubulação por um período de 10 a 20 minutos. Os rejeitos ficaram retidos no sistema de contenção projetado para emergências e parte atingiu o córrego Consciência, afluente do São Francisco.

Nudez em outdoor autorizada

O prefeito de Campinas, Hélio de Oliveira Santos (PDT), vetou o projeto de lei do vereador Carlos Chiminazzo (do mesmo partido), que proíbe a utilização de imagens de pessoas nuas, semi-nuas ou que insinuem nudez, para convencer o consumidor a adquirir um produto.

Segundo a prefeitura, o projeto é uma censura prévia à manifestação do pensamento, garantida pelo artigo 5º da Constituição. O projeto de lei foi apresentado à Câmara de Vereadores em 28 de março de 2005. O veto do prefeito ocorreu no dia 16 de janeiro deste ano.

O projeto de lei volta agora para a Câmara, que decidirá se aceita ou não o veto do prefeito. Se aceitar, o caso se encerra e o projeto deixa de existir.

Crack in Rio?

Policiais do 18º BPM (Jacarepaguá) apreenderam esta noite cerca de 500 trouxinhas de maconhas, pedras de crack e papelotes de cocaína durante uma operação na Cidade de Deus. Ninguém foi preso. O material foi levado para a 32ª DP(Taquara).

Curiosa a apreensão de crack, porque existe um “acordo” velado no mundo do tráfico para que a pesada droga não entre no Rio de Janeiro, só em São Paulo.

Indícios de que os bandidos do PCC podem estar ampliando suas fronteiras...

Torpedinho dos bandidos

Presos paulistas, ligados ao PCC, vêm se comunicando com outros criminosos por meio de mensagens de celulares.

Os torpedos, como são chamadas as mensagens eletrônicas, não podem ser captados nas escutas feitas em presídios.

Uma solução seria o bloqueio do sinal de telefonia imóvel nesses locais. Mas a solução definitiva seria impedir que telefones entrem na cadeia... Não seria mais fácil, seguro e barato?

Livre pela dieta

Um prisioneiro emagreceu cerca de 14 quilos para poder passar por um buraco que ele abrira em uma parede de tijolos da prisão de "segurança máxima" de Sydney, na Austrália.

Robert Cole, de 36 anos, que estava cumprindo pena por roubo e agressão, recebia tratamento no hospital da prisão de Long Bay quando conseguiu escapar, na noite de terça-feira ou na manhã de quarta-feira.

Cole pesava 70 quilos quando entrou na prisão, em fevereiro de 2003. Em sua última pesagem, estava com 56 quilos.

Se Robert Cole ficará livre da dieta, de agora em diante, paira a dúvida. Mas que a dieta livrou ele da privação da liberdade, isto é “vero”...

Vida que segue...

Novas informações a qualquer momento.

Recramações, ilogios ou revelações bomba para:
jorgeserrao@gbl.com.br

Façam comentários clicando no link abaixo.

Ouçam as informações clicando no link da rádio (podcast) Alerta Total:http://podcast.br.inter.net/podcast/alertatotal

Fiquem com Deus!

O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Inteligente, inovador, fortemente analítico e propositivo, utilizando as mais modernas tecnologias para transmissão instantânea e eletrônica de informação privilegiada e análise estratégica, junto com a difusão de novos conhecimentos voltados para a construção e consolidação de novos valores humanos.

Um comentário:

Anônimo disse...

You have an outstanding good and well structured site. I enjoyed browsing through it film editing schools