segunda-feira, 20 de fevereiro de 2006

Por que a mídia amestrada fala bem do governo: Lula já se comprometeu a gastar R$ 46 milhões em publicidade até este mês

Edição de Segunda-feira do http://alertatotal.blogspot.com

Ouça também o Alerta Total no seu computador.
Dê o seu voto para nosso podcast clicando no link:
http://podcast.br.inter.net/podcast/alertatotal

Pode entrar: Nossos links são seguros e protegidos de vírus pelos provedores.

Por Jorge Serrão

O presidente Lula da Silva faz a alegria dos veículos de comunicação, cada vez mais sedentos de verbas publicitárias oficiais. Nos primeiros 45 dias do ano, o governo federal já assumiu compromissos de gastar R$ 46 milhões e 800 mil na divulgação governamental. A maior parte desse dinheiro empenhado (R$ 25 milhões e 800 mil) está reservada à publicidade institucional, que cuida da imagem do governo. O curioso é que, até agora, o governo faz a promessa burocrática de gasto publicitário sem ter o orçamento 2006 aprovado pelo Congresso.

Até dezembro, o governo espera gastar R$ 364 milhões com propaganda na administração direta. Mas este valor não inclui os gastos das estatais, responsáveis pelo maior volume da publicidade oficial e que não se submetem ao controle do Siafi (sistema integrado de acompanhamento de gastos federais). No conjunto com as estatais, a publicidade oficial vem consumindo mais de R$ 1 bilhão por ano. A maior fatia paga a divulgação de campanhas na televisão.

Os “empenhos” (compromissos de gastos) em publicidade, registrados até 15 de fevereiro, representam o dobro do ritmo de gastos, em 2005. Até o final de fevereiro do ano passado, haviam sido empenhados R$ 23 milhões e 500 mil em publicidade institucional e de utilidade pública. O calendário eleitoral proíbe a propaganda institucional a partir de 30 de junho. Por isso, tanta pressa na verba para adoçar a boca da mídia.

Desde outubro, quando começou a investir pesado na recuperação de imagem junto aos setores mais pobres da população, o governo gastou R$ 40 milhões em publicidade oficial. Até 30 de junho, na segunda etapa da estratégia de marketing, o governo tem para gastar R$ 156 milhões. A dinheirama vai irrigar novas campanhas para consolidar a reconquista dos segmentos mais pobres. No entanto, o principal alvo é a classe média. Os temas em destaque estarão ligados à educação: os programas ProUni e Fundeb, a expansão do ensino universitário e o aumento do número de escolas técnicas.

Carandiru na Alltv

O Bicho vai pegar! Hoje à noite, pela primeira vez após 14 anos, o coronel e deputado estadual Ubiratan Guimarães (PTB-SP) estará frente-a-frente com o promotor que conseguiu sua condenação a 632 anos de prisão (recém anulada) e o procurador de justiça que terá a missão quase impossível de recorrer para mantê-la.

O programa Opinião Livre, apresentado pela jornalista Amanda Ansaldo, irá entrevistar nesta segunda- feira o Coronel Ubiratan Guimarães, comandante da Tropa de Choque encarregada de acabar com a rebelião na Casa de Detenção do Carandiru, em outubro de 1992, e que resultou na morte de 111 detentos.

Estarão presentes também ao programa o Advogado e Deputado Federal Vicente Caccione que defende o Coronel das acusações, o Criminalista Paulo Cremonesi, o Promotor Felipe Locke Cavalcanti, que atuou no julgamento pelo Juri Popular condenando o Cel. Ubiratan e o Procurador de Justiça do Ministério Público Estadual Pedro Henrique Demercian, designado pelo Procurador Geral para recorrer ao STJ, visando à manutenção da condenação.

O programa Opinião Livre vai ao ar todas às segundas das 21h00m às 23h00m horas, ao vivo. Pode ser assistido na Internet pelo site www.alltv.com.br

Revelação bomba

O Coronel Ubiratan Guimarães deverá revelar no programa uma informação que comprovaria sua não participação direta no comando do Massacre do Carandiru.

Consta dos autos do processo que, antes do massacre de presos acontecer, uma bomba de efeito moral estourou perto do ouvido do Coronel. Ubiratan teria apagado, sendo socorrido e levado a um hospital, fora da confusão. Logo, não foi ele, pessoalmente, quem liderou a invasão das celas e as 111 mortes.

A ordem para invasão radical do Carandiru veio, diretamente, do Palácio dos Bandeirantes, ocupado, na época, pelo hoje deputado federal Luiz Antônio Fleury Filho.

Massacre econômico?

O Ministério Público do Trabalho está investigando a exploração de mão de obra presidiária no Estado de São Paulo.

Empresas são acusadas de fazer terceirização selvagem, transferindo sua produção para os presídios.

Trata-se de uma concorrência desleal, porque tais empresas que abusam do trabalho dos detentos não precisam recolher encargos trabalhistas para os presidiários, e ainda dispõem da infra-estrutura fornecida pelo Estado.

Neste caso, cadê o pessoal dos "Direitos Humanos dos presos" para se manifestar?

Mentirinha herdada

Os tucanos nem poderão criticar o presidente Lula por ter gastado, só no ano passado, R$ 18 milhões e 309 mil 980 reais e 95 centavos com “serviços e materiais de caráter secreto ou reservado”. Em 2004, secretamente, a gestão Lula detonou R$ 13 milhões 226 mil 346 reais e 41 centavos.

"As contas públicas brasileiras, hoje, têm uma transparência como em poucos lugares do mundo. Os senhores parlamentares, aqui presentes, sabem que podem ter acesso aos gastos do governo nos seus computadores – a todos os gastos do governo. Não há segredo na administração pública. Não há verbas secretas. Não há verbas reservadas. Nem o Presidente da República dispõe de verba de representação. É nada, é zero. Aqui, tudo é transparente. E isso é um grande progresso que foi introduzido na nossa gestão orçamentária. A Lei de Responsabilidade Fiscal, aprovada pelo Congresso, coroou essa visão de um país que é maduro e que sabe, portanto, que o dinheiro é do povo, não é do governo. Sendo do povo, tem que ser gerido com muito rigor e com muita competência”.

Quem disse isso, durante seu governo, não foi Lula. Mas sim o Presidente FHC, negando que houvesse “verbas secretas em sua gestão”. A declaração foi dada no discurso oficial de posse aos seus ministros, no começo do segundo mandato, no distante ano de 1998.

Os gastos secretos de FHC

O ex-presidente tucano só é desmentido pelos próprios números do Tesouro Nacional, vasculhados pela ONG Contas Abertas.

Em 1996, em valores nominais, o governo federal usou, secretamente, R$ 2 milhões 312 mil 676 reais e 70 centavos.

No ano de 97, o valor secreto gastou foi de R$ 2 milhões 861 mil 353 reais e 72 centavos.

Já em 98, FHC usou, secretamente, R$ 6 milhões 351 mil 255 reais e 83 centavos.

Em 1999, a verba secreta caiu um pouquinho: 5 milhões 781 mil 896 reais e 79 centavos.

No ano 2000, a gestão FHC continuou economizando, mas ainda gastou secretamente R$ 5 milhões 363 mil 34 reais e 11 centavos.

No ano seguinte, o gasto secreto subiu para R$ 6 milhões 554 mil 470 reais e 35 centavos.

Em 2002, ano eleitoral, o uso de verba secreta bateu a marca de R$ 9 milhões 958 mil 715 reais e 42 centavos.

Em 2003, a despesa secreta subiu novamente: R$ 10 milhões 439 mil 949 reais e 65 centavos.

Talvez os gastos tivessem sido, realmente, tão secretos que nem FHC ficou sabendo deles. Ou, então, a cadeira do ocupante do Palácio do Planalto tem nela inoculado o vírus da "inguinorança" (uma doença que faz o ocupante do poder ignorar tudo que acontece a sua volta) há mais tempo do que se pensava.

Secreto, porém legal

O emprego de tais “verbas secretas” é totalmente legal. Seu uso fica autorizado pelo velho decreto-lei 200/67, do Regime Militar, que estabelece que "a movimentação dos créditos destinados à realização de despesas reservadas ou confidenciais será feita sigilosamente e nesse caráter serão tomadas as contas dos responsáveis”.

Apenas os funcionários envolvidos em “projetos secretos” têm acesso às informações. Para isso, precisam assinar um documento de comprometimento com o sigilo. As despesas são tão secretas que sequer aparecem no Siafi (Sistema Integrado de Administração Financeira do Governo Federal).

Seu controle social fica prejudicado. Por isso, a comprovação da qualidade e a natureza de seus gastos ficam socialmente inviabilizadas.

Para o espaço

Como as verbas secretas do governo brasileiro “vão para o espaço”? Para responder a este intrigante mistério estratégico, o Tribunal de Contas da União começa a investigar estea semana uma suposta e bem financiada troca de favores entre o Programa Espacial Brasileiro e os russos.

O alvo é o acordo de US$ 10 milhões pagos pelo Brasil à Rússia para a viagem espacial do primeiro astronauta brasileiro e o uso do Centro de Lançamentos de Foguetes de Alcântara, no Maranhão.

A auditoria vai investigar a suspeita de que as verbas secretas, no valor de R$ 6 milhões 971 mil 514 reais e seis centavos – alocadas na rubrica número 120063 do Comando Geral de Tecnologia Aeroespacial –, tenham sido usadas na negociação com a Agência Federal Espacial Russa (Roscosmos) para “facilitar” o fechamento do “negócio”.

O acerto permitiu que o vôo do brasileiro fosse antecipado de outubro para março. O dinheiro foi todo empenhado e liquidado (gasto e pago, de forma secreta) no ano passado.

A antecipação da viagem espacial foi negociada, a peso de ouro, a pedido do governo brasileiro, para bem antes da eleição.

O ex-poderoso-ministro da Casa Civil, José Dirceu, teria participado, diretamente, das negociações com o diretor da Roscosmos, Anatoly Nicolaevitch Perminov.

Corrupção russa

Mais um caso de corrupção envolvendo os espertos russos: Exportadores brasileiros de carne bovina estão subornando funcionários russos. Pagam uma propina de US$ 125,00 por tonelada de carne, para furar o embargo decretado em razão dos focos de febre aftosa em Mato Grosso do Sul e no Paraná.

O esquema foi revelado ao jornal O Estado de São Paulo por um dos agentes mais experientes no comércio de carnes entre os dois países.

Pedindo para não ter o nome revelado, por temer represálias dos russos e de outros envolvidos, esse agente conta que a propina serve para que os veterinários que inspecionam as carnes façam vistas grossas à data do abatimento da carne.

Assim, produtos empacotados após 12 de dezembro continuam a ganhar o aval para seguir viagem rumo à Rússia, mesmo com o “embargo oficial impedindo a importação pelos russos”. No Brasil, quem faz a liberação das carnes para o mercado russo é a empresa Welby, com sede em Itajaí, município de Santa Catarina.

Caso para ser abafado

A Polícia Federal será "convencida" a desistir da idéia de abrir inquérito para indiciar os administradores de 18 bancos por suspeita de envolvimento com rede internacional de doleiros.

Os federais pretendem indiciar os administradores de bancos como Bradesco/BCN, Itaú, Unibanco e Banco do Brasil, além de estrangeiros como Santander, HSBC, Citibank, BankBoston e ABN-Amro. Entrariam na roda também os bancos Merril Lynch, pactual, Rural, e outros menos conhecidos do grande público como Schahin, Sofisa, Lloyds, Bic, Pine e Banrisul.

O total das movimentações sob investigação pode chegar a US$ 8 bilhões, entre os anos de 1997 a 2003. A suspeita é de que os bancos usassem 78 contas de doleiros para movimentar dinheiro de clientes fora do país.

Quem quisesse fazer remessa para fora repassava o valor no Brasil a um doleiro, que depositava a quantia para o cliente em conta do banco no exterior.

Os bancos negam as irregularidades apontadas e informam que as explicações sobre as movimentações já foram encaminhadas ao Banco Central. O federal que deixou vazar a informação sobre o inquérito corre o risco de entrar pelo cano, indo parar na chamada geladeira...

Explicando o inexplicável

O presidente Henrique Meirelles participa de audiência pública na Câmara, amanhã, às 15h.

O comandante do Banco Central torce para que não lhe façamperguntas embaraçosas sobre esse tal processo que a PF gostaria de mover contra 18 bancos. Meirelles foi convocado a prestar esclarecimentos aos integrantes da Comissão de Finanças e Tributação sobre as altas taxas de juros e a política cambial.

A audiência foi sugerida pelo deputado João Magalhães (PMDB-MG), que também quer informações sobre os principais credores da União, alegando que “nosso País é comandado pelo interesse dos bancos e dos rentistas”.

João Magalhães assinala que diversos setores da economia nacional têm apresentado indicadores negativos e enfrentam uma das maiores crises dos últimos tempos, com queda de produção e fechamento de diversas indústrias. Enquanto isso, os grandes bancos devem lucrar mais de R$ 5 bilhões este ano...

Linha Direta com Banqueiros

O Ministério da Fazenda foge do assunto como o Diabo da cruz. Mas a quebra de sigilo do telefone celular de número (61) 8111-7197, registrado em nome da Presidência da República, pode trazer muita dor de cabeça para o ministro Antônio Palocci Filho.

O celular é usado por seu assessor direto: por Ademirson Ariovaldo da Silva.

Oposicionistas querem saber por o ex-presidente do Banco Central Armínio Fraga telefonou tanto para o celular usado por Ademirson ou receberam ligações dele às dezenas entre 2003 e 2005.

Armínio, atualmente, trabalha para o Unibanco, onde o ex-ministro da Fazenda de FHC, Pedro Malan, ocupa uma diretoria.

Desgraça de celular

A quebra do sigilo telefônico do celular (61) 8111-7197 revela outro personagem ligado a Rogério Buratti e Vladimir Poleto, ex-assessores do ministro Antonio Palocci na prefeitura de Ribeirão Preto, ambos investigados pela CPI dos Bingos.

É Carlos Eduardo Valente, lobista que atua no mercado financeiro carioca. Entre os dias 4 e 7 de abril de 2003, período em que a assinatura do polêmico contrato entre a Gtech e a Caixa Econômica Federal ficou emperrada, Valente ligou quatro vezes para o celular usado por Ademirson Ariovaldo da Silva.

Três chamadas duraram pouco mais de um minuto e a quarta, cinco minutos.

No dia 10 daquele mês, um dia após a assinatura do contrato, Valente acionou Ademirson sete vezes. O assessor de Palocci, por sua vez, ligou de volta três vezes.

Roberto Valente, irmão e sócio do lobista, também ligou para o celular usado por Ademirson e foi atendido.

Tráfico de influência?

Gravação telefônica feita pelo Ministério Público em São Paulo, com autorização judicial, levantou suspeita sobre eventual tráfico de influência no gabinete de Palocci.

Em conversa com Buratti no dia 3 de julho de 2004, Poleto comenta que Ademirson lhe telefonara pedindo o número de Edson Menezes, presidente do Prosper, dizendo que o 'chefe' queria falar com o banqueiro.

Ademirson nega a existência desse pedido. Palocci sustenta que só recebeu o presidente do Prosper em Brasília três meses depois do telefonema auditado e, assim mesmo como dirigente da Bolsa de Valores do Rio, que está desativada.

O Ministério Público considera sombria a relação do Banco Prosper e seus consultores com o Ministério da Fazenda. Até porque Carlos Valente já se apresentou como consultor do banco carioca Prosper, apesar de a instituição negar oficialmente essa ligação profissional.

Linha quentíssima

A análise feita até agora dos telefonemas ainda é parcial, mas já reforça a desconfiança entre integrantes da CPI dos Bingos de que as ligações de suspeitos de irregularidades e tráfico de influência se destinavam ao próprio ministro, e não ao assessor Ademirson Ariosvaldo.

Novos dados da quebra de sigilo telefônico de Ademirson revelam telefonemas de outros personagens como o ex-executivo do grupo Leão & Leão, Marcelo Franzine (investigado pelo Ministério Público por fraudes em licitações), o lobista do mercado financeiro carioca Carlos Eduardo Valente, ligado ao Banco Prosper, e os empresários José Roberto Colnaghi (aquele do jatinho que teria transportado dólares cubanos e o próprio Palocci em diversas ocasiões) e Roberto Carlos Kuzweil (dono do Ômega blindado que cansou de dar carona a membros da cúpula do PT).

O celular também registra centenas de ligações já conhecidas de ex-colaboradores do próprio Palocci, como Rogério Tadeu Buratti, Vladimir Poleto e Ralf Barquete. Ademirson justificou as ligações como sendo troca de amenidades entre amigos.

Até para Jeane?

A auditoria legal na linha do celular (61) 8111-7197 revela que houve diversas trocas de telefonemas entre o gabinete do Ministério da Fazenda e a ”promotora de eventos” Jeane Mary Córner, conhecida como a maior organizadora de festinhas da Ilha da Fantasia.

Inclusive, em um dessas “festinhas”, o ex-amigo e (agora aparente inimigo de Palocci) Rogério Tadeu Buratti conheceu o atual amor de sua vida. Buratti detonou até seu casamento de mais de 12 anos por causa da jovem que conheceu no evento.

O grande temor do Planalto é que Jeane Mary Córner compareça à CPI e revele quem do governo ou da equipe da Fazenda participava de tais festas que ela organizava com tanto brilho, assessorada por suas maravilhosas meninas.

Zerando a Corrupção

Aumentar a Produção, Reduzir as Taxas de Juros, Gerar Empregos, Reduzir os Impostos, Ajustar o Câmbio e Incentivar as Exportações, Promover Educação de Qualidade a todos os brasileiros, Combater Incessantemente a Corrupção e a Impunidade, Equilibrar os Gastos do Governo e Crescer 9% ao ano.

Essas são as intenções sonhadas pelo grupo que acaba de lançar um manifesto do Movimento Corrupção Zero.

O manifesto é assinado pelo engenheiro civil, Sinval Silva Filho, especialista em engenharia econômica.

O site do movimento é: http://www.mczero.org/

Vem ou não vem?

O comando da CPI dos Correios marcou para amanhã a decisão sobre se a comissão vai ou não convocar o ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, para falar, entre outras assuntos, sobre as investigações que a Polícia Federal faz sobre a lista de Furnas, documento que traz os nomes de 156 políticos que teriam sido beneficiados de um esquema que existiria na estatal para arrecadar contribuições de campanha.

No mesmo dia, a CPI também deve decidir a data em que será marcado o depoimento de Nilton Monteiro, lobista que divulgou a lista e que é suspeito de tê-la fabricado.

Na semana passada, o presidente da comissão, senador Delcídio Amaral, deixou claro que só pretende convocar Monteiro depois de a PF dizer se considera a lista falsa ou verdadeira.

A PF já avisou que a cópia é verdadeira, pois foi registrada em cartório a partir de um original. O problema é: se a lista é verdadeira em seu conteúdo, no todo ou em parte. Este dilema está tirando o sono de muito mineiro gente boa...

Caixa 2 vem de longe

A CPI dos Correios descobriu indícios de que as campanhas do marqueteiro Duda Mendonça para o PT nas eleições de 2004 foram pagas via caixa dois. Naquele ano, o publicitário trabalhou para seis candidaturas a prefeito pelo partido, uma das quais a tentativa de reeleição de Marta Suplicy em São Paulo.

Os técnicos da comissão verificaram que os R$ 9 milhões e 300 mil que Duda teria recebido oficialmente dos comitês não entraram nas contas do publicitário. Os peritos não encontraram nenhum registro de depósito dos comitês de campanha para as duas contas da CEP Comunicação e Estratégia Política — empresa de Duda que prestou os serviços — nem para as outras contas ligadas ao marqueteiro.

Suspeita-se que Duda tenha recebido em espécie e gasto os recursos com os fornecedores. Ou que o pagamento tenha sido feito no exterior, como na campanha de 2002.

Agora, a CPI investiga se o mesmo mecanismo aconteceu em 2000, quando o publicitário trabalhou para o PSDB e para Paulo Maluf.

Paulinho nas páginas

Na última segunda-feira, o ex-prefeito Paulo Maluf (PP) foi manchete de um jornal da ilha de Jersey, no canal da Mancha, onde é acusado pelo Ministério Público de manter cerca de US$ 200 milhões em contas bancárias não declaradas no Brasil.

Com o título “Prefeito do Brasil ocultou milhões na ilha”, o jornal Jersey Evening Post narrou a investigação promovida no Brasil contra o ex-prefeito, a utilização de bancos da ilha (que é um paraíso fiscal) na ocultação de valores supostamente desviados de obras públicas e as várias tentativas de Maluf na Justiça de Jersey para impedir a remessa de documentos bancários ao Brasil.

A reportagem mostra um quadro explicativo sobre Maluf que aborda a prisão dele e do filho por tentativa de intimidar testemunhas. Estes jornalistas ingleses são uns fofoqueiros... Maluf nega tudo, para variar.

Políticos devendo alto

Os políticos paulistas devem R$ 36 bilhões ao povo. Se pudesse retornar aos cofres públicos, tal grana devida seria mais que o dobro do Orçamento da cidade de São Paulo, que é de R$ 17 bilhões e 200 milhões.

A conta é feita pelo Ministério Público Estadual, que move 1.300 inquéritos por improbidade administrativa contra parlamentares, ex-prefeitos e ex-funcionários do governo do estado e da prefeitura.

Estão em tramitação 119 processos com base nas leis de improbidade administrativa e de ação civil pública contra esses políticos. Outros 40 processos já foram julgados em última instância (transitaram em julgado), resultando na condenação dos políticos.

Mas, contando com um batalhão de advogados do primeiro time, contratados a peso de ouro, os políticos buscam até o último recurso jurídico para postergar as ações.

Os campeões nos processos

Os promotores denunciam os políticos por improbidade, corrupção, má-gestão e enriquecimento ilícito, e iniciam ações para cobrar tais dívidas.

O campeão do ranking de devedores é o ex-prefeito Celso Pitta (PTB), com um débito de R$ 10 bilhões e 300 mil.

Paulo Maluf (PP) está em segundo, com R$ 9 bilhões e 55 milhões.

Marta Suplicy (PT), em terceiro, com R$ 1 bilhão 116 mil.

Se condenados, além do ressarcimento financeiro, os três políticos podem sofrer sanções políticas e perder o direito de exercer cargo público por até oito anos.

O problema é que os casos se arrastam nos tribunais, pela montoeira de recursos possíveis. No final das contas, quem comete o crime acaba eleito, e o crime termina prescrito ao longo dos anos.

Processos bilionários

No processo de superfaturamento sobre a obra da Avenida Águas Espraiadas, o Ministério Público cobra do ex-prefeito Paulo Maluf R$ 5 bilhões e 91 milhões.

A investigação se estendeu à área criminal, e o ex-prefeito e seu filho Flávio Maluf são acusados de formação de quadrilha, corrupção passiva, evasão de divisas e lavagem de dinheiro. Foi com essa investigação que o Ministério Público chegou a contas no exterior que seriam do ex-prefeito e de sua família.

O ex-prefeito Maluf responde a outro processo bilionário, o qual perdeu em primeira instância, mas aguarda a apelação. É uma acusação que se refere à sua gestão entre 1993 e 1996. O valor cobrado é de R$ 2 bilhões e 55 milhões.

Sucessor de Maluf e seu afilhado político, Celso Pitta é réu em 20 processos, alguns deles quando era secretário de Fazenda de Maluf, hoje seu desafeto.

Segundo o MP, Pitta tem de devolver R$ 10 bilhões e 300 mil aos cofres públicos. O maior processo é sobre os precatórios: R$ 9 bilhões e 300 milhões.

Há outros dois sobre manobras no orçamento municipal, somando R$ 1 bilhão e 100 mil.

Marta Suplicy responde a seis processos de improbidade administrativa, somando R$ 1 bilhão 116 mil.

Os dois maiores (de R$ 590 milhões e 600 mil, e R$ 562 milhões e 900 mil) se referem a supostas manobras no orçamento municipal para expandir os gastos da prefeitura e foram acolhidos pela Justiça no ano passado.

Quando o buraco vira rombo

Pouco mais de um mês após o início da operação tapa-buracos do governo federal, lançado em tom de campanha pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, algumas das principais rodovias do país continuam apresentando péssimas condições de trafegabilidade.

Além do período de chuvas, que dificulta e torna menos eficientes os trabalhos de reparos, muitas das obras foram mal executadas, algumas empreiteiras utilizaram materiais impróprios e outras não estão cumprindo o cronograma. Até obras sem contrato já foram identificadas — o que é ilegal, apesar de a operação ser classificada como de emergencial e dispensar licitação.

Nos buracos que precisarão ser tapados de novo, o governo está gastando R$ 440 milhões. As empreiteiras vibram com a verba, em um ano em que elas costumam ajudar muita campanha eleitoral.

Puxa saco dos poderosos

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva conversou ontem com o simpático cantor Bono Vox, líder da banda irlandesa U2 e ativista da luta contra as desigualdades sociais.

Falaram sobre o Programa Nacional de Biodiesel e das ações de combate à pobreza no País.

O líder do U2, que se apresenta hoje em São Paulo, como bom puxa-saco dos governantes de todo o mundo, promete doar sua guitarra para o Fome Zero.

Chuchu para tudo

Alheio aos recados da cúpula tucana para refrear seu ímpeto de concorrer à Presidência, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), já marcou data e circunstância para deixar o comando do Estado.

Será o dia 31 de março, uma sexta-feira, após a inauguração da extensão da linha 2 do Metrô paulistano, uma de suas bandeiras de pré-campanha.A maior parte do secretariado também sairá com seu chefe. O comando do Estado ficará com o pefelista Cláudio Lembo.

O governador espera ser o escolhido do PSDB para concorrer à presidência e anunciou o mote de sua campanha: "Crescimento pra chuchu, emprego pra chuchu".

O slogan é uma clara referência ao apelido "Picolé de Chuchu", dado a ele pelo colunista José Simão. De Chuchu Alckmin não tem nada há muito tempo... Vai para o tudo ou nada...

Esperando pelo Serra

O triunvirato tucano que definirá o candidato do PSDB a presidente da República avisou ao prefeito de São Paulo, José Serra, que aguarda uma resposta definitiva dele até a quarta-feira de Cinzas, 1º de março.

Se ele aceitar a candidatura, como é sua tendência, o governador paulista, Geraldo Alckmin, será enquadrado pelo trio — composto pelo presidente do PSDB, senador Tasso Jereissati (CE), o ex-presidente da República Fernando Henrique Cardoso e o governador de Minas, Aécio Neves.

Serra queria esticar o seu cronograma de decisão até o final da primeira quinzena de março. Mas FHC,Tasso e Aécio advertiram que ele deveria sair do Carnaval candidato ou liberar a vaga para Alckmin.

Os tucanos constataram, com atraso, que é necessária uma definição mais rápida para a oposição fazer contraponto imediato ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que estaria sozinho em campanha enquanto o PSDB vive indefinido e brigando entre si.

Bola de cristal

Não adianta chorar, Garotinho! O governador do Rio Grande do Sul e pré-candidato do PMDB à presidência da República, Germano Rigotto, garante que já conta com a maioria dos votos para vencer a prévia do partido, que ocorrerá no dia 19 de março.

De verdade, o ex-governador Garotinho só conta, nas prévias, com o apoio do Estado do Rio, e Goiás - devido ao fator evangélico dos lideres maiores do PMDB local.

Baixando a cabeça

O presidente da Bolívia, Evo Morales, comprometeu-se a reduzir os cultivos de coca excedentes na zona central de Chapare e aplicar uma política de "cocaína zero".

Morales assumiu o compromisso no encontro com o embaixador dos Estados Unidos naquele país, David Greenlee.

Segundo Morales, as plantações excedentes são as que estão acima do "cato de coca", uma medida equivalente a uma superfície de 40 metros por 40 metros. O norte-americano gostou do que ouviu. Não demora, junto com Lula, o índio também vira parceiro estratégico da Casa Branca na América Latina... É do Katraka!!!!!

Subindo o tom

Quem não se curva aos Estados Unidos e parte para a pancada é o presidente da Venezuela. Hugo Chávez avisou que está tomando “medidas” para suspender o fornecimento de petróleo venezuelano aos EUA, se a Casa Branca continuar tentando desestabilizar seu governo.

O governo dos EUA deveria saber que, se for além do limite, não terá petróleo venezuelano”.

Chávez deu seu grito na sexta-feira passada, um dia depois de a secretária americana de Estado, Condoleezza Rice, ter dito que ele representava um dos maiores problemas na América Latina.

A Venezuela é o quinto maior exportador de petróleo do mundo. Metade de sua produção vai para os EUA. E Bush, especialista em ganhar dinheiro com petróleo, sabe muito bem disso.

A gente somos inútil?

Mais de um quarto dos jovens entre 15 e 24 anos das oito principais regiões metropolitanas não trabalham nem estudam.

É o que revela um estudo do Ibase (Instituto Brasileiro de Análises Sociais e Econômicas) e do instituto Pólis com 8.000 jovens.

Segundo a pesquisa, 27% dos brasileiros dessa faixa etária se encontram sem atividades profissionais nem educacionais. Quadro semelhante é revelado pela PME (Pesquisa Mensal de Emprego) do IBGE.

Feita em seis regiões metropolitanas, ela indica que em dezembro 23% da população (ou 1 milhão e 700 mil jovens) de 16 a 24 anos não estudava nem trabalhava e que 1 milhão e 100 mil (67%) nem sequer buscou emprego no mês da pesquisa.

Sorte do Imperador

Ave Ceasar! O Rolling Stones passou pelo Rio sem causar estragos, mesmo que o noticiário da Rede Record (mais recente inimiga do Prefeito do Rio) invente em dizer o contrário.

Cesar Maia comemora com as seguintes palavras: “Show dos Stones: 2 milhões de pessoas o que equivale a 6 vezes o Woodstock, a 4 vezes os eventos do Edir Macedo, a 2 vezes a concentração com o Papa. Custo para a prefeitura: R$ 2 milhões de reais. Receitas com tributos - estimada por baixo: R$ 50 milhões de reais.Cesar lembra ocupação da rede hoteleira na cidade alcançou este mês o índice de 92%".

A Polícia Civil contabilizou 269 registros neste sábado, na área do show dos Rolling Stones, divididos entre a 12ª DP (Leme), a 13ª DP (Copacabana) e a base avançada montada em frente ao Hotel Meridien. Foram feitos ainda dois flagrantes por roubo e dois por furto. No estande do Juizado Especial Criminal, foram apresentados dois casos por desacato a policiais civis e militares e três casos de porte e uso de entorpecentes.

Em tempo: Cesar e A Record estão brigando por dois motivos: o prefeito deu o show dos Rolling Stones para a Globo, e Cesar tem criticado a eventual candidatura de Marcelo Crivella (bispo licenciado da Igreja Universal) ao governo do Rio de Janeiro.

007 banguela

O novo James Bond perdeu dois dentes ao levar um soco na primeira cena de luta, na gravação do próximo filme "Cassino Royale".

A refilmagem, que lança o ator Daniel Craig ao papel de 007, deu trabalho ao dentista dele.

Como a refilmagem está sendo feita em Praga, nenhum dentista local foi capaz de consertar a boca do 007. A produção do filme teve de levar o dentista do ator de Londres para lá.

Nas próximas cenas de ação Craig usará protetores.

Mamãe vovó

Uma americana de 62 anos deu à luz ao seu décimo-segundo filho.O menino nasceu com três quilos e está passando bem.Ela é a quarta mulher sexagenária a dar à luz.

Janise Wulf, que tem 20 netos e três bisnetos, está casada pela terceira vez. Seu marido tem 48 anos.

O casal já tinha dois filhos, e ela queria mais um. Todos os três foram concebidos por meio de fertilização in vitro.

Promoção das meninas

O Distrito da Luz Vermelha, bairro de Amsterdã em que funcionam bordéis há 800 anos, promoveu no sábado uma promoção inédita: um dia de visita gratuita.

A promoção foi concebida para melhor a imagem do bairro. Vinte e cinco casas abriram suas portas para centenas de turistas e moradores. A promoção só não incluiu sexo gratuito.

Os curiosos só puderam visitar quartos, assistir a um pouco da performance das strippers e conversar com as dançarinas que fazem a chamada "dança do colo", que não envolve ato sexual. Na Holanda, assim como na Alemanha, a prostituição é legalizada.

Pegando galinha na praia?

Bombeiros do G-Mar resgataram, na tarde de ontem, e já mandaram para tratamento no zoológico de Niterói um gavião safado que atacava surfistas na Praia de Grumari, na zona oeste do Rio.

Dois guarda-vidas usaram uma rede para apanhar o animal, que estava com uma das asas machucadas e não conseguia voar.

De acordo com o coronel bombeiro Marcos Silva, a causa do ferimento seria um objeto arremessado contra o bicho.

O fato é novidade porque Gavião gosta mesmo é de pegar pintos. A não ser que os surfistas que ele andou bicando sejam uns galinhas...

Vida que segue...

Novas informações a qualquer momento.

Recramasões, ilogius ou revelasões bomba para:
jorgeserrao@gbl.com.br

Façam comentários clicando no link abaixo.

Ouçam as informações clicando no link da rádio (podcast) Alerta Total:
http://podcast.br.inter.net/podcast/alertatotal/

Fiquem com Deus!

O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Inteligente, inovador, fortemente analítico e propositivo, utilizando as mais modernas tecnologias para transmissão instantânea e eletrônica de informação privilegiada e análise estratégica, junto com a difusão de novos conhecimentos voltados para a construção e consolidação de novos valores humanos.