segunda-feira, 26 de junho de 2006

José Dirceu é um dos articuladores do Consórcio Volo que deseja comprar a Varig, demitir funcionários e alugar linhas rentáveis

Edição de Segunda-feira do Alerta Total http://alertatotal.blogspot.com/

Ouça também o Alerta Total no seu computador.
http://podcast.br.inter.net/podcast/alertatotal
Edição em áudio a partir de Meio-dia.

Adicione nosso blog e podcast a seus favoritos do Internet Explorer.

Por Jorge Serrão

O advogado José Dirceu de Oliveira e Silva é um dos articuladores do grupo de investidores, comandado pela Volo Brasil para adquirir a Varig, em um novo leilão que será anunciado hoje pelo juiz Luiz Roberto Ayoub, da 8ª Vara Empresarial do Rio de Janeiro. Liderada pelo empresário marco Antônio Audi, a Volo venceu duas duras batalhas – no Tribunal Regional Federal (TRF) da 1ª Região (em Brasília) e na Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) – para adquirir a VarigLog, ex-subsidiária de transporte de cargas da própria Varig.

O consórcio Volo teve de provar que seus investidores estrangeiros detinham o máximo de 20% de participação da empresa, como manda o Código Brasileiro de Aviação. Parceira do fundo norte-americano Mattlin Patterson, a Volo teria uma fórmula imediata para reestruturar a Varig. Um dos planos é demitir 80% dos 11 mil empregados do grupo Varig, devolver os aviões hoje em sistema de leasing e “arrendar” linhas internacionais para outras empresas interessadas. Além disso, os futuros controladores da banda boa da Varig esperam contar com o “crédito” da fortuna que a Varig tem a receber do governo federal, que lhe deve R$ 4 bilhões e 600 mil reais. A Varig também tem créditos de R$ 1 bilhão em ICMS com vários estados.

O cerco contra a Varig se aperta. A BR Distribuidora só garante o fornecimento de combustível para a Varig até hoje. A Infraero planeja impedir a decolagem de aviões se a empresa não repassar as taxas de embarque, à vista, a partir do dia 1º. Outra constante ameaça é da Justiça de Nova York, que pode determinar a apreensão de metade dos aviões da Varig nesta semana. A Varig tem cancelado mais de cem vôos por dia e já cortou, temporariamente, 50% das linhas internacionais e 30% das nacionais. Todos estes problemas pesam na decisão que será tomada logo mais pelo juiz Luiz Roberto Ayoub.

Depois de decidir invalidar o leilão da Varig realizado no último dia 8, pois o TGV (Trabalhadores do Grupo Varig) não conseguiu cumprir a promessa de depositar a primeira parcela de US$ 75 milhões para iniciar o processo de compra da empresa, a própria Justiça admite que a Volo aparece como única interessada em comprar a Varig. O consórcio Volo informou que teria interesse em injetar US$ 485 milhões na Varig, em troca de 90% das ações da empresa aérea - outros 5% ficariam com funcionários e o restante com os credores. A Volo havia condicionado a oficialização dessa proposta à aprovação da compra da VarigLog, que ocorreu neste final de semana.

A Justiça do Rio deverá anunciar hoje a data de um novo leilão pela companhia. Caso a proposta da Volo seja vencedora, o dinheiro injetado (US$ 485 milhões) não seria utilizado para pagar as dívidas de cerca de R$ 7 bilhões e 900 mil da Varig com seus credores, mas para sanear a companhia e garantir a continuidade de suas operações. Será a segunda tentativa da Volo de assimilar a Varig. Em abril, a empresa apresentou uma proposta parecida: injetar US$ 400 milhões em troca de 95% da Varig. Tal oferta acabou descartada por credores da companhia que consideraram grande o prejuízo de trocar a dívida a receber por apenas 5% das ações da nova Varig.

Na época, os trabalhadores da Varig criticaram a Volo por planejar o corte de cerca de metade do quadro de pessoal da empresa aérea. O risco de uma enxurrada de desempregados em massa desagrada ao juiz Luiz Roberto Ayoub. Dados do Sindicato dos Aeroviários denunciam que 70% dos atuais empregados da Varig não serão absorvidos por outras empresas aéreas, caso seja decretada a falência ou a empresa seja vendida para grupos que têm planos de demissão imediata da maior parte do pessoal. Além disso, os 30 por cento dos trabalhadores que conseguirem ser reempregados vão ganhar bem menos em empresas como TAM, GOL e similares.

Pressões para ter a Varig

Os interesses ocultos de figuras de proa do PT, como José Dirceu, aparecem em todos os passos do complicado e incerto processo de recuperação, venda ou decretação de falência da Varig.

Exemplo descarado foi o do executivo José Carlos da Rocha Lima, que apareceu como principal articulador do grupo de investidores que pretendia se associar ao TGV (Trabalhadores do Grupo Varig) na compra da Varig por US$ 449 milhões.

Ele foi o mesmo que, no ano passado, teve de prestar depoimentos à CPI dos Correios, durante a crise política deflagrada por denúncias do ex-deputado Roberto Jefferson (PTB-RJ).

Rocha Lima se defendeu de acusações de ter recebido R$ 50 mil, em 2002, da Skymaster (empresa suspeita de ter sido beneficiada em licitação da ECT).

O executivo confirmou ter recebido o dinheiro, mas alegou que foi pagamento por consultoria à Skycargas, subsidiária da Skymaster.

Rocha Lima foi ex-presidente da Empresa de Correios e Telégrafos (ECT) no início dos anos 90 e, entre 2001 e 2002, dirigiu a VarigLog, que cuidava da parte logística e de transporte de cargas da Varig.

José Carlos da Rocha Lima é dono da SYN Logística, empresa da qual fazem parte a empresa brasileira Fonditec e o fundo de investimentos americano Carlyle (que negou envolvimento no negócio).

História com um amigão de Lula

Outro episódio que mistura alguém muito próximo do presidente Lula com o caso Varig.

Uma auditoria interna levou a Varig a dispensar os serviços do advogado Roberto Teixeira, compadre do presidente Lula, conforme divulgou a revista Exame em 23 de março:

Se não fosse por uma auditoria, realizada pela administração da época, Teixeira seria beneficiário de um polpudo contrato. A título de serviços de consultoria, o advogado poderia receber até 105 milhões de reais. A transação foi descoberta em uma operação pente-fino que revelou dez acordos em condições suspeitas”.

Pelo acordo, o compadre de Lula teria direito a R$ 450 mil reais, divididos em três parcelas, e uma bolada caso a manobra desse certo - 15% do total dos créditos da empresa (os tais R$ 105 milhões). Com a suspensão do contrato, após o parecer da auditoria, Teixeira recebeu pelo menos R$ 300 mil reais pelo trabalho”.

Para uma boa leitura do caso Varig, recomendo a leitura do artigo do jornalista Pedro Porfírio, que traz essas informações à nossa memória, em http://www.palanquelivre.com/

Brasileiros endividados

Os brasileiros têm hoje pelo menos R$ 12,7 bilhões em dívidas atrasadas com bancos.

Apesar disso, esse número está sendo mascarado pelas estatísticas oficiais, que englobam o crédito com desconto em folha, de risco quase zero para os bancos.

O Alerta Total tem uma triste estória para contar, relatada por um senador.

Uma dona de casa lhe mandou uma carta contando que pegou emprestados R$ 5 mil na Caixa Econômica Federal, para reformar o banheiro de casa.

A tomadora do empréstimo pagaria 36 parcelas de 149 reais.

Quando pagou 10 prestações, conseguiu um dinheiro com um primo um dinheiro emprestado para quitar o débito com o banco.

Terrorismo dos bancos

Só que ela foi avisada que não poderia quitar o débito com a Caixa, embora tenha pago R$ 1.500 reais.

Segundo a Caixa, ainda devia R$ 4.789 reais, e teria de pagar mais 26 prestações.
Como o gerente da Caixa foi imflexível, a cliente recorreu ao Juizado Especial de Pequenas Causas.

Ganhou a ação, pois o juiz decretou que deveria pagar R$ 2.800 reais, e mais nada por isso.

O banco oficial recorreu da sentença, e, agora, entrou com ação de danos morais contra a simples dona de casa.

Conselho do Senador

O senador respondeu à cliente lesada que, dificilmente, o banco ganhará a ação em segunda instância.

O parlamentar aconselhou a dona de casa a entrar com um mandado de segurança para que seu nome seja excluído de qualquer órgão de proteção ao crédito.

Recomendou que a cliente lesada guarde o dinheiro, e espere a decisão final.

Vida fácil de banqueiro no Brasil

Os bancos brasileiros fazem hoje 37 milhões de operações com cartões de débito por dia.

O ganho de todo o sistema financeiro é R$ 1 bilhão e 400 milhões só em compras com cartões de débito.

Os bancos ficam com 2,5% do valor.

O mercado financeiro consegue lucros líquidos de R$ 2 bilhões de reais a cada 30 dias.

Tudo com juros altos, tarifas bancárias absurdas e rolando a dívida do governo.

Plim-Plim do Leão

O Ministério Público Federal e a Super Receita Federal investigam os sorteios de prêmios feitos pela Rede Globo desde o início da Copa.

A vênuis platinada já arrecadou R$ 60 milhões com a promoção "Seleção do Faustão", pela qual quem envia mensagens de celular, ao custo de R$ 4 reais, participa dos sorteios.

O problema é que a emissora só está autorizada pela Super Receita Federal a distribuir prêmios gratuitamente.

A Globo alega que o sorteio apenas promove boletins informativos por celular, e o custo se refere à venda deles.

PCC e PT: tudo a ver?

Tem tudo para feder ainda mais o caso da ligação perigosa entre o Primeiro Comando da Capital, um ex-secretário da prefeita Marta Suplicy, e algumas cooperativas de vans (peruas) que circulam pela capital paulista.

Em depoimento à Polícia, o presidente da Cooper Pam, Luiz Carlos Efigênio Pacheco, declarou ao Delegado Marcelo Fortunato que o ex-secretário municipal de Transportes, Jilmar Tatto, recebeu R$ 500 mil reais para favorecer um grupo de perueiros ligados ao PCC no processo de licitação para a exploração da região sul da capital.

Tatto, candidato a deputado federal pelo PT, teve a prisão preventiva pedida pelo delegado, mas a Justiça ainda não apreciou o pedido.

Pandora” (como é conhecido o líder dos perueiros) foi solto na quinta-feira, depois de passar dez dias preso.

Agora, essa tal "caixinha" de Pandora vai complicar ainda mais a imagem dos petistas.

Mais uma do Delúbio Soares

Acabam de chegar ao Ministério Público Federal três páginas de um depoimento que revelam uma faceta ainda desconhecida do esquema de caixa 2 montado dentro do PT pelo ex-tesoureiro do partido, Delúbio Soares.

Wendell Resende de Olivera, ex-motorista da deputada federal Neide Aparecida (PT-GO), declarou oficialmente à Polícia Federal que Delúbio, ao longo de mais de um ano, repassou dinheiro vivo à deputada, usando contas de assessores para não chamar atenção.

Outra técnica de despiste era a de fazer remessas picadas, em quantias relativamente pequenas, para não chamar atenção das autoridades financeiras.

A revista ISTOÉ obteve com exclusividade uma cópia do depoimento.

Ideli se explicando

A Procuradoria-Geral da República já pediu explicações à líder do PT no Senado, Ideli Salvatti, sobre os R$ 2 milhões movimentados na sua conta bancária entre janeiro de 2004 e setembro de 2005.

Rendimentos, empréstimos e a venda de carros declarados pela senadora correspondem à metade do montante.

O desafio da senadora petista será explicar de onde vem a outra metade do dinheiro.

Tudo em famíglia

A Central de Tele-atendimento da Previdência Social, que o presidente Lula entregou, semana passada, no Recife - obra ainda não acabada - vai ser comandada pela Datamétrica Consultoria e Pesquisa.

A empresa pertence à família do deputado do PT, Maurício Rands (PE).

O contrato é pela bagatela de R$ 29 milhões e 900 mil reais, com direito a representação em toda a região Nordeste.

Nada é fiscalizado

O governo não fiscaliza a maior parte do dinheiro que distribui em convênios celebrados por seus órgãos e autarquias com estados e prefeituras e mesmo com entidades privadas, como é o caso das organizações não-governamentais, as ONGs.

Levantamento feito pela Controladoria Geral da União, iniciado em 2002 e abrangendo o período até o final de maio último, revela que de R$ 11 bilhões repassados, nada menos de R$ 8 bilhões e 700 milhões não foram fiscalizados.

O TCU constatou que foi fiscalizado adequadamente mais da metade do dinheiro repassado, ou sejam, 69%.

TCU agindo como pode

Nada menos de R$ 5 bilhões e 900 mil reais de contas da União referentes a 2005, julgadas pelo Tribunal, não tiveram sequer prestação de contas.

Por isso, o Tribunal de Contas da União decidiu aprofundar as investigações sobre os gastos de órgãos federais e ministérios.

Começou em 2002, partindo de irregularidades constatadas em prefeituras de Minas Gerais.

De trinta municípios auditados, nada menos de 23 apresentaram graves irregularidades.

Notícias velhas...

O trecho do acórdão do Tribunal de Contas da União datado do dia 24 de maio último, tendo como relator o ministro Augusto Sherman, constata:

Não foram poucas as notícias veiculadas pela mídia impressa e televisiva acerca do desvio de recursos de convênios federais para aquisição de ambulâncias, inicialmente identificado por levantamento do TCU e CGU e posteriormente objeto da Operação Sanguessuga da Polícia Federal”.

E o texto define bem nossa cruel realidade institucional: “Tal situação é antiga e não dá sinais de melhora nos tempos atuais”.

Marvada terceirização

As despesas do governo do estado do Rio de Janeiro com serviços e terceirizações passaram de R$ 2 bilhões e 400 milhões (em 2002) para R$ 4 bilhões (em 2005).

O crescimento dos gastos nesses quatro anos do governo Rosinha, que foi mais acentuado em secretarias como Saúde, Educação e Segurança, está sendo investigado pelo Tribunal de Contas do Estado.

O governo Rosinha Garotinho tenta atribuir o problema da terceirização de mão de obra à necessidade de atender ao aumento da demanda da população.

ONGduto dos Garotinho

O rombo do governo do Estado do Rio com a contratação de ONGs, usando a Fundação Escola de Serviço Público como intermediária, chegaria a R$ 900 milhões de reais - segundo se especula no Tribunal de Contas do Estado.

Para não comprometer o futuro político de seu marido, a governadora Rosinha, em decreto, teria chamado para ela toda a condição de ordenadora de tais despesas, o que a fará responder na Justiça, tão logo seja acionada.

Uma inspeção do TCE verificou que existem R$ 59 milhões de reais "sem demonstração dos gastos" entre o que as secretarias contrataram da FESP e o que a FESP contratou de ONGs.

Justiça virtual

Imagine um advogado enviar, do seu escritório no interior do País, uma petição a um Tribunal Superior em Brasília, via internet, sem precisar viajar.

Essa digitalização dos processos, trazendo mais agilidade, economia, transparência e facilidade, é um dos temas do Encontro de Operadores da Justiça Virtual, que se realiza em Brasília, de quarta até sexta-feira, no hotel Carlton.

O evento é uma realização conjunta do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e do Conselho da Justiça Federal (CJF) e tem o objetivo de criar uma rede virtual para a tramitação eletrônica de processos no Brasil.

O deputado federal José Eduardo Cardozo (PT-SP) falará no evento sobre o projeto de lei que trata da tramitação eletrônica de processos (PL 5828/01), do qual é relator na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) da Câmara dos Deputados.

Banco sobre presos

O sistema penitenciário brasileiro abriga atualmente 361.402 presos em regimes fechado, semi-aberto, provisório e sob medida de segurança.

É o que revela um levantamento divulgado pelo Departamento Penitenciário Nacional (Depen). Com o objetivo de ter maior controle sobre a população carcerária do País, o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) está criando uma base de dados com informações sobre os detentos, tanto os de presídios estaduais como aqueles que serão removidos para as penitenciárias federais.

A iniciativa de criar essa base de dados nacional partiu da presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Ellen Gracie, que também preside o CNJ.

Dados sigilosos

De acordo com o juiz Eduardo Francisco Marcondes, do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo não há previsão para o início do funcionamento do banco de dados, mas um prazo de 90 dias fixado desde o dia 8 para que técnicos determinem como o banco será operado.

Os dados serão reunidos com o auxílio das secretarias de Administração Penitenciária, de Segurança Pública e de Justiça de todos os estados do Brasil, além do Poder Judiciário.

O juiz ressaltou ainda que, em princípio, a base de dados ficará centralizada no Conselho Nacional de Justiça e a pessoas ligadas à execução penal como, por exemplo, promotores de execução criminal e de justiça, o juizes de execução penal, procuradores da República, defensores de um réu que esteja cumprindo pena e diretores de estabelecimentos prisionais.

O acesso não pode ser aberto para qualquer pessoa, porque existem informações que precisam ser legalmente preservadas sobre a intimidade dos presos, sobre a pena que ele cumpre, o crime que praticou.

Fugindo da escola

Nada menos que 31 jovens brasileiros desistem do futuro e abandonam a escola, a cada hora.
Por dia, somam 744 os ex-estudantes que desistem de estudar formalmente.

São meninos e meninas, com idade entre 15 e 17 anos, que se desencantam com a incapacidade de alguns professores de ensinar e com as más condições do sistema educacional.

Em toda a América Latina, a evasão tira da sala de aula um adolescente a cada 28 segundos. Os dados de nosso quadro negro da educação foram apresentados neste final de semana durante a conferência internacional “Ações de Responsabilidade Social em Educação: Melhores Práticas na América Latina”, na Praia do Forte (Bahia).

População precisa cobrar

Um relatório divulgado pelo Programa de Promoção da Reforma Educativa na América Latina e no Caribe (Preal), durante a conferência, revela que os países latino-americanos têm investido mais em educação nos últimos anos, estabelecendo e consolidando sistemas nacionais de exames e avaliações e ampliando o número de crianças e jovens matriculados.

Apesar dos avanços, a qualidade educacional ainda continua comprometida. De acordo com o relatório, a América Latina teve os resultados mais baixos em todos os exames globais de aproveitamento dos alunos.

Para reverter esse quadro, o Preal mostra que é necessário estabelecer padrões, realizar avaliações e apresentar os resultados para a população, além de promover reformas sistemáticas para tornar as escolas responsáveis pelo alcance dos objetivos educacionais.

O empresariado também pode contribuir investindo em projetos específicos.

Papel do Fundef?

Criado há dez anos para aumentar investimentos na educação fundamental, o Fundef movimentou R$ 175 bilhões, mas não eliminou desigualdades regionais.

Aumentou o número de matriculados, embora ainda faltem resultados quanto à qualidade do ensino.

Se a sociedade brasileira não cobrar os resultados, não tem melhora na educação – que foi considerada a prioridade do próximo mandato do presidente Lula, em seu discurso na convenção nacional do PT, neste fim de semana.

O crime do padre Belikan

O ex-padre José Eduardo Belikan confessou que manteve relacionamento sexual com uma garota de 15 anos quando estava à frente da Paróquia Santo Antônio, em Marília, no interior de São Paulo.

Belikan abandonou o cargo em outubro de 2005, depois de ser preso sob acusação de corrupção de menores.

Segundo denúncia do Ministério Público, ele teria abusado de duas irmãs – uma de 16 e outra 15 anos de idade.

O padre teria servido bebida alcoólica e transmitido doença venérea a uma das garotas.

Não tem defesa

Libertado para responder às acusações, o padre admitiu, em depoimento prestado no Fórum de Marília, ter se relacionado com a garota mais nova desde 2004 e mesmo depois da abertura do inquérito policial no ano seguinte.

O religioso negou, porém, as outras acusações. A denúncia envolvendo a garota de 16 anos foi arquivada por ter sido apresentada fora do prazo legal.

Para o MP, Belikan usou de sua autoridade religiosa sobre as garotas para cometer os abusos.

Ladrões de raridade

Duas réplicas de microfones que relembram a chamada época de ouro da Rádio Nacional do Rio de Janeiro foram furtadas do Teatro Maison de France, no bairro do Castelo, onde se realiza o espetáculo “Rádio Nacional: as Ondas que Conquistaram o Brasil”, em cartaz há cinco meses.

Cedidas pela Radiobrás, as peças ficavam no cenário, e fazem parte do patrimônio da empresa.

Caso os microfones não apareçam, novas réplicas devem ser feitas e entregues à empresa.

Dívida interessa aos estrangeiros

Os investidores estrangeiros ficaram com 11% do total de títulos do Tesouro Nacional vendidos no mercado primário entre fevereiro e maio deste ano.

As operações equivalem a R$ 9 bilhões e 700 milhões de reais.

Os investidores estrangeiros adquiriram 57% do total de títulos ofertados com vencimento acima de dez anos.

Também ficaram com 25% dos títulos com vencimento entre três e dez anos e com 4% daqueles com vencimento de até três anos.

Do total das NTN-Bs (Notas do Tesouro Nacional Série B, atreladas ao índice de preços IPCA) ofertadas de fevereiro a maio no mercado primário, os estrangeiros compraram 35% e apenas 6% dos papéis prefixados.

Investimentos à vista

Os fundos de private equity, que compram participação em empresas, preparam uma nova rodada de investimentos no Brasil.

Na Comissão de Valores Mobiliários (CVM), há registros da criação de pelo menos dez fundos, que somam mais de R$ 5 bilhões em patrimônio.

Entre as novas carteiras, está o fundo Logística Brasil, de R$ 500 milhões, e o Angra Infra-estrutura, de R$ 750 milhões.

Os números deste ano superam de longe os de 2005, quando foram registrados na CVM fundos que somavam R$ 2 bilhões e 100 milhões de reais. Em 2004, o patrimônio das carteiras de fundos foi de R$ 1 bilhão e 420 milhões de reais.

As estimativas são de que os fundos já levantaram mais de US$ 4 bilhões nos últimos 12 meses com ofertas de ações.

Explosão de energia

O Operador Nacional do Sistema Elétrico, que coordena a geração de energia em todo País, vai ficar “ligadão”, amanhã, no que pode acontecer antes e depois do jogo da seleção brasileira contra Gana.

Após o fim do jogo do Brasil contra a Croácia, a volta de milhões de torcedores às atividades provocou um crescimento do consumo de 11.500 megawatts (MW) em apenas 15 minutos.

Esse volume de energia equivale a uma cidade como Brasília (que consome cerca de 730 MW médios) sendo ligada a cada minuto.

O crescimento da demanda equivale à capacidade de geração de uma usina do porte de Itaipu.

Risco de apagões

O ONS informou que preparou todo o sistema interligado do Sul, Sudeste, Centro-Oeste e Nordeste, para evitar problemas com as bruscas quedas no consumo e o forte aumento da demanda que se verificou logo após o jogo.

O consumo de energia, que estava em torno de 50 mil MW médios minutos antes do início do jogo, teve uma queda de 5.300 MW em apenas 18 minutos.

Esse volume corresponde ao consumo dos estados da Bahia e de Pernambuco juntos.

Briga para inglês ver

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso aproveitou a convenção estadual do PSDB em São Paulo para mandar um aviso ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva: aceita o desafio de comparar seu governo com a gestão do PT.

FHC esbravejou que Lula é "bom de garganta" e que os petistas estão "cacarejando sobre ovos postos por outros".

Em discurso, FHC alegou que Lula só leva vantagem sobre ele nos quesitos corrupção e gastos com publicidade.

Vozes do atraso

Anteontem, quando se lançou candidato à reeleição, Lula chamou tucanos e pefelistas de "vozes do atraso".

O candidato petista à reeleição atacou a gestão tucana (1995-2002), estimulou o PT a compará-lo com o antecessor e disse que, em três anos e meio, fez mais do que FHC fez em oito.

FHC respondeu: "Eu quero a comparação do meu governo com o governo atual. Eu quero, e vou dizer por quê. Teve coisas que eles fizeram mais do que nós: muita corrupção, os escândalos, aí ganharam. Também gastaram muito. É muita publicidade, é muita propaganda, é muita palavra para encobrir o nada. Aí, ganharam".

O presidente-candidato Lula deve dar uma resposta mais tarde a FHC.

Esqueceram de mim

O noticiário de ontem à noite da GloboNews simplesmente ignorou que o senador Marcelo Crivella é candidato ao governo do Estado do Rio de Janeiro pelo Partido Republicano Brasileiro.

Por que será que o nome dele foi omitido na matéria que fazia um balanço das candidaturas e coligações?

Ou porque o senador é bispo licenciado da Igreja Universal do Reino de Deus?

Festa no Clube Militar

Toma posse hoje, às 16 horas, no Rio de Janeiro, o novo presidente do Clube Militar, General de Exército Gilberto Barbosa de Figueiredo.

Ele vai suceder o General de Exército Luiz Gonzaga Schroeder Lessa.

O General de Exército Figueiredo teve 1999 votos contra 1884 General de Brigada Paulo Assis.

E dia 30 de junho, a Big Band Tupy, regida pelo premiado maestro Bruno Rodrigues, anima o baile de 119 anos de aniversário de fundação do Clube Militar, a Casa da República.

São Pedro vai assistir...

Nesta terça-feira, às 21 h, Fernando Guida tratará de Pesca, a partir de aspectos técnicos, sociais, culturais e ambientais, em seu programa de tv pela internet, Ecologia e Cidadania, em www.interativawebtv.com.br.

Os convidados são Félix Valentim e Joel Vieira, ambos especialistas com larga experiência no tema, tanto no exercício de cargos de direção na área pública e acadêmica como em trabalhos no campo.

Na terça, 21h, basta entrar em http://www.interativawebtv.com.br/ e o programa aparece na tela. Participe do "chat", ao vivo.

O Canal 36 da NET também transmite o Ecologia e Cidadania, às quartas e sextas-feiras, às 20h, para as cidades de São Gonçalo e Niterói.

Viva o monoólio da TV

Daniel Castro, na Folha de São Paulo, adverte: O decreto que o presidente Lula deverá assinar nesta semana, instituindo a TV digital no País, vai manter o "monopólio do ar" exercido pelas atuais grandes redes.

O documento será um texto curto, com linhas gerais sobre a transição da TV analógica para a digital. A Folha apurou que o decreto atenderá às reivindicações vitais das redes de TV.

Como pediram em ofício ao presidente, as redes receberão um novo canal de seis megahertz.

Assim, praticamente se fecha por dez anos o espectro de UHF e VHF em São Paulo e Rio para novas redes de TV e para outros usos das freqüências, como internet e telefonia.

A entrada das teles no negócio da TV aberta, tão temida pelas redes, ficará bloqueada.

A culpa é do boneco

Durante uma apresentação, um ventríloquo estava contando todo o seu repertório de piadas de loiras, com sua marionete Zequinha.

De repente, uma loiraça se levantou e começou a discursar:

- Já ouvi o suficiente das suas piadas denegrindo as loiras, seu idiota. O que o faz pensar que pode estereotipar as mulheres desse jeito? O que tem a ver os atributos físicos de uma pessoa com o seu valor como ser humano? São caras como você que impedem que mulheres como eu sejam respeitadas no trabalho e na comunidade, que nos impedem de alcançar o pleno potencial como pessoa. Por sua causa e por causa das pessoas da sua laia, perpetua-se a discriminação, não só contra as loiras, mas contra as mulheres em geral... Tudo em nome desse pseudo-humor!
Perplexo e envergonhado, o ventríloquo começou a se desculpar:

- Minha senhora, não foi essa a minha intenção...

E a inteligente loira, em tom raivoso, interrompe:

- Fique fora disso, meu senhor! Eu estou falando com esse rapazinho desprezível que está sentado no seu colo!

Detalhe: adivinha em quem a loura vai votar em outubro? No boneco do ventríloco, é claro!

Vida que segue...

Novas informações a qualquer momento.

Recramasões, ilogius ou revelasões bomba para:
jorgeserrao@gbl.com.br

Faça comentários clicando no link abaixo.

Ouça as informações clicando no link da rádio (podcast) Alerta Total:
http://podcast.br.inter.net/podcast/alertatotal/

Fiquem com Deus!

O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Inteligente, inovador, fortemente analítico e propositivo, utilizando as mais modernas tecnologias para transmissão instantânea e eletrônica de informação privilegiada e análise estratégica, junto com a difusão de novos conhecimentos voltados para a construção e consolidação de novos valores humanos.