quinta-feira, 31 de agosto de 2006

Professor brasileiro denuncia ao embaixador norte-americano a omissão do ministro Bastos no combate ao cartel do oxigênio

Edição de Quinta-feira do Alerta Total http://alertatotal.blogspot.com/

Ouça também o Alerta Total no seu computador.
http://podcast.br.inter.net/podcast/alertatotal
Edição em áudio a partir de Meio-dia.

Adicione nosso blog e podcast a seus favoritos do Internet Explorer.

Por Jorge Serrão

Exclusivo – “O Brasil está, deliberadamente, descumprindo o Acordo de Cooperação firmado com os Estados Unidos para combater cartéis. O ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, se nega a notificar autoridades norte-americanas sobre as investigações que aqui estão sendo realizadas contra o “Cartel do Oxigênio” que encarece os custos hospitalares no País. Trata-se de um esquema de organização criminosa, cujos integrantes também atuam no mercado da América no Norte”.

A denúncia é do Professor de Lógica Matemática João Batista Pereira Vinhosa, que enviou uma carta ao Embaixador dos Estados Unidos no Brasil, Clifford Sobel. Este brasileiro do município de Itaperuna, no Noroeste do Estado do Rio de Janeiro, pede às autoridades de Defesa da Concorrência nos EUA, no Departamento de Justiça e na Comissão Federal de Comércio, que investiguem os abusos da empresa White Martins. A OAB já denunciou o escândalo ao presidente Lula, que passou a bola para o Ministério da Justiça.

João Batista Vinhosa denuncia que o Ministro da Justiça Márcio Thomaz Bastos – que comanda a área responsável por zelar pelo fiel cumprimento do Acordo – não se manifestou sobre o assunto, nem mesmo diante de um categórico documento a ele repassado pelo Presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Roberto Busato. O cidadão Vinhosa destaca que o ministro Thomaz Bastos conhece profundamente o quanto a empresa White Martins (líder do cartel) tem prejudicado o consumidor brasileiro. Vinhosa lembra que, “na condição de advogado da White Martins, nosso atual Ministro da Justiça fracassou ao alegar que a mesma agia honestamente nas licitações realizadas por nossos hospitais públicos”.

No documento ao Embaixador norte-americano, João Batista Vinhosa destaca que a empresa norte-americana Praxair Inc. é proprietária da totalidade das ações da White Martins, líder no setor de Oxigênio no Brasil. O cidadão denuncia: “O remanejamento de executivos entre as empresas é um forte indício de procedimentos comerciais idênticos. Logo, lícito torna-se inferir que o consumidor de seu país esteja sendo explorado da mesma maneira que o consumidor brasileiro”.

Na carta, enviada ontem, o brasileiro coloca o dedo na ferida: “Apesar das graves conseqüências que poderão advir deste fato (falência do Acordo, abalo da confiança entre as partes e inibição de futuras parcerias), as autoridades de nosso tão corrupto país têm agido de maneira preocupante, colocando em risco os últimos resquícios de credibilidade moral que ainda temos. Parece até que descumprir acordo não prejudica a reputação do país, com reflexos, inclusive, sobre uma das maiores pretensões de nossa política externa, que é ter assento no Conselho de Segurança da ONU”.

Vitória no Exército

João Batista Vinhosa tem obtido vitórias em sua guerra quase solitária contra o cartel do oxigênio e demais gases no Brasil.

Baseado em documentos a mim encaminhados pelo Exército Brasileiro, Vinhosa denunciou ao Tribunal de Contas da União o superfaturamento de Gases Medicinais praticado pela empresa White Martins contra o Hospital Central do Exército (HCE).

Demorou três anos, mas no dia 5 de julho deste ano, o TCU julgou o processo e fixou em R$ 6.618.085,28 o valor a ser devolvido aos Cofres Públicos.

“Considerando que o TCU já havia aprovado as contas denunciadas, essa teria sido mais uma gatunagem contra hospital público que teria ficado impune, caso o Exército Brasileiro tivesse dificultado o acesso aos documentos por mim solicitados. No entanto, o Exército encaminhou-me pelo correio tudo que eu solicitei pelo correio, agindo com absoluta transparência e evitando a usual burocracia, eficiente escudo da corrupção”.

Na opinião de João Vinhosa, vale a pena lutar até o fim para deixar as coisas corretas na administração pública.

Derrota parcial em Macaé

Se demorou, mas venceu no caso do Exército, João Batista Vinhosa se transformou em vítima de um processo judicial por denunciar “ilicitudes nas aquisições de Gases Medicinais” realizadas pelo Hospital Público de Macaé (HPM), na região Norte Fluminense.

Procedi com o HPM da mesma maneira que procedi com o HCE: solicitei, por correspondência, cópia dos documentos que ampararam as aquisições realizadas pelo HPM. Fracassei, apesar de minha insistência. Mas por causa da matéria publicada no jornal Diário da Costa do Sol do dia 20/12/05 sob o título “Empresário denuncia fraudes no Hospital Público de Macaé”, a Fundação Municipal Hospitalar de Macaé (FMHM), mantenedora do HPM, contra mim moveu uma ação judicial na qual pede uma indenização de R$ 100.000,00 por danos morais”.

No dia 21 de agosto, João Vinhosa enviou uma carta ao prefeito de Macaé, Riverton Mussi, pedindo que sejam liberados os documentos (da mesma forma como fez o Exército Brasileiro) para que ele possa provar, na Justiça, o escândalo que está denunciando.

João Batista Vinhosa ainda lança um desafio:

Provado, de maneira incontestável, que está se tentando obter a condenação de um inocente, a moralidade administrativa recomenda que a FMHM desista da ação indenizatória e processe as empresas que fraudaram a pesquisa de preços”.

Pressa em sair do governo

Na Ilha da Fantasia, cercada de políticos honestos por todos os lados e encravada no Planalto Central, ainda é um mistério o mais novo motivo para que o ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, esteja “demissionário” pela enésima vez.

Bastos, que gostaria de deixar o governo Lula imediatamente, garante que não fica no ministério, a partir de 1º de Janeiro, caso o Presidente consiga se reeleger – como tudo indica que possa acontecer, de acordo com as pesquisas de opinião.

Thomaz Bastos quer retornar ao seu lucrativo escritório de advocacia – tão logo a “quarentena” do governo permita -, e voltar a ter momentos felizes de lazer, curtindo sua amada Carmem Miranda – a pequena notável cantora da qual ele se considera um dos maiores fãs no Brasil.

Protegendo o PT ou o PCC?

Não será surpresa se o jornal O Estado de São Paulo fizer um duro ataque à campanha estadual tucana ou contra seu candidato, em São Paulo.

A direção do Estadão está injuriada com uma postura de José Serra, que está atrapalhando o andamento de uma reportagem sobre um tema politicamente explosivo.

José Serra proibiu o Secretário de Segurança Pública Saulo Abreu de Castro de conceder qualquer entrevista ou fornecer o conteúdo de escutas telefônicas legais, autorizadas pela Justiça, que revelam conversas entre membros da facção criminosa Primeiro Comando do Capital e alguns dirigentes e famosos filiados ao Partido dos Trabalhadores, que têm interesses e negócios comuns na área de transporte (leia-se vans ou peruas).

José Serra teria alegado a Saulo que a divulgação só pode acontecer (se acontecer) depois da eleição.

Resta saber a quem deseja preservar, com o segredo de um fato grave, o ex-ministro da Saúde e ex-prefeito de São Paulo (que não cumpriu a promessa de ficar ao fim do mandato) – provável próximo governador do Estado em que atua o PCC (que faz aniversário hoje).

Aniversário do PCC

Os paulistas têm um péssimo motivo para comemorar.

A organização criminosa Primeiro Comando da Capital, especializada em terceirizar ataques terroristas e de guerrilha urbana com fins políticos, celebra hoje sua data de fundação.

Também conhecida, nas cadeias, pelo código 15.3.3 (número que representa as posições das letras PCC no alfabeto), o bando já está comemorando desde a madrugada de terça para quarta-feira, com novos ataques que aterrorizam São Paulo, e recebem destaque total na mídia – para alegria dos bandidos e dos seus verdadeiros controladores.

Sob o comando de seu “chefe” Marcola, o PCC promete azucrinar a vida dos paulistas... Ninguém merece...

Aniversário da Confraria do Garoto

Os cariocas têm um bom motivo para comemorar. Confraria do Garoto, sob o comando do Xerife Nelson Couto, comemora hoje seu aniversário e o 31º Encontro Anual da Ordem dos Eméritos Cariocas da Gema.

A big festa acontece no "espaço oficial da Confraria" na calçada ao lado Teatro Municipal nesta quinta-feira, dia 31, as 13h, na Av. 13 de Maio, 13, no Centro do Rio de Janeiro.

O evento terá como "enredo" VIVA PAMPLONA”, em homenagem ao carnavalesco e jornalista Fernando Pamplona.

A Imperatriz Leopoldinense, acompanhada de Rosa Magalhães e Mocidade Independente, vai "rodar a bahiana" no Centro.

Ao seu lado estarão Haroldo Costa, Mestre Louro, Sabiá, um dos fundadores do Salgueiro, Velha Guarda, Raízes da Tijuca, Hans Donner e sua esposa Valéria Valenssa (também homenageada), o locutor relâmpago Ernani Pires Ferreira, José Carlos Araújo (o verdadeiro Garotinho), o Cel. Marcos Silva, Ruy Castro, Kate Lyra (tão boazinha!), Ricardo Cravo Albin. fundador do M.I.S., Ricardo Macieira, Secretário "Múltiplo", Izabelita dos Patins, Elias Nacif, Agência France Press, Evandro Teixeira, o Prof. Carlos Lessa, a trocadora do ônibus 350 -Angela Cruz e seus "passageiros", a filha de Ary Barroso (Dona Mariuza), Gigi da Mangueira, a Miss Brasil da Terceira Idade, o gari Renato Sorriso, Dercy Gonçalves e cariocas "gente boa" e adotivos, que tornam o Rio mais alegre e mais humano.

Todos serão recebidos com toque de clarins, tapete vermelho, pétalas de rosas, garçons com luvas de pelica e muita arruda-macho.

Frei Clarêncio Neotti, guardião do Convento Santo Antonio, dará o batismo aos presentes.

Cadáver politicamente insepulto

O jornalista Carlos Chagas antecipou em sua coluna da Tribuna da Imprensa, no último dia 26, e vale a pena ficar esperto.

O caso Celso Daniel receberá profundos acréscimos no sentido da demonstração de que o prefeito de Santo André foi mesmo assassinado por interesses ligados ao PT e ao sistema de arrecadação de recursos do partido.

Uma testemunha-chave dispõe-se a abrir os bastidores da questão até hoje inconclusa, envolvendo dirigentes petistas daqueles idos e detalhes de uma operação tão cruel quanto desastrada.

Razões do assassinato

Carlos Chagas adverte que, na versão que pode vir à tona, Celso Daniel foi assassinado porque preparava amplo dossiê da roubalheira promovida por membros da cúpula do PT, envolvendo a sua e outras prefeituras geridas pelo partido e empresas aquinhoadas com concessões e contratos de prestação de serviços.

O ex-prefeito de Santo André chegou a ser torturado e friamente executado, depois de dois dias de cativeiro.

A novidade está no aparecimento de provas, não apenas testemunhais sobre o crime que tira os petistas do sério.

Movimento internacional pró-Dirceu

Foi aprovado ontem o lançamento de um movimento internacional pela anistia e reabilitação do ex- Ministro José Dirceu, considerado vítima de “um golpe moralista da burguesia fascista”.

A deflagração oficial da campanha deve começar com um patético apelo de Fidel Castro, ainda no leito do hospital, em favor do revolucionário Dirceu.

A iniciativa pró-Zé foi debatida ontem na reunião paralela da auto-denominada “esquerda tradicional” à fundação da Comunidade Sul-americana de Nações (imaginada por Hugo Chaves para substituir o Mercosul).

De volta ao governo?

O representante do Brasil no encontro, o assessor internacional de Lula, Marco Aurélio Garcia informou que a volta de Dirceu ao Governo será a primeira providência de Lula caso seja reeleito, situação que considera garantida.

Garcia informará aos aliados que já está tudo esquematizado, pronto um ante-projeto de lei e estabelecidas as devidas combinações com setores pluripartidários para o retorno de Dirceu.

O Alerta Total já antecipou que, no próximo mandato, José Dirceu será “Secretário particular do Presidente Lula”.

Só que, ao contrário do que desejam alguns petistas, o “posto” não seria ocupado “no governo”, mas sim em uma secretaria montada pelo PT, que já está ajeitando um imóvel alugado ao lado da sede do partido, em Brasília, para acomodar o Super Zé.

Geraldo grampeado

Nos bastidores da campanha eleitoral, circulava ontem a revelação de que todos os passos do Picolé de Chuchu foram mapeados por seus adversários, através de suas conversas telefônicas.

Agora, Geraldo Alckmin quer saber quem foi que grampeou seus telefones ilegalmente.

O tucano não quer mais saber de falar ao celular – pelo menos algum assunto que tenha alguma importância.

Nóis erremos, mas acertemos!

Na nota “Lobby do Jeep indestrutívelAlerta Total de ontem errou na grafia da empresa norte-americana que ofereceu seus super jeeps blindados para segurança pública no Rio de Janeiro, São Paulo e também para o Exército.

É “Hummer” – e não Hamer (como redigimos, e se pronuncia) – o carrinho que têm alto poder de destruição e segurança para os ocupantes.

No entanto, é certa a informação de que a empresa pensa em vender 1.200 viaturas, cada uma custando o valor subsidiado de US$ 45 mil dólares – quando na verdade custam US$ 60 mil dólares.

Nosso redator, que tem uma escolaridade digna de um Presidente da República, confundiu a pronúncia da marca do super-jeep com a grafia.

O leitor que nos fez o alerta sobre o erro dá a dica para que você conheça mais detalhes sobre o super-carro em http://www.hummer.com

O direito de botar a boca no trombone

Não é cabível a instauração de ação penal ou civil contra congressista por suas opiniões palavras ou votos, no exercício de suas funções, quer sejam manifestadas na tribuna do Congresso ou reproduzidas nos meios de comunicação.

Com este entendimento, o ministro Celso de Mello confirmou a posição que consagra a inviolabilidade do mandato parlamentar em matéria de opinião.

Foi assim que o STF rejeitou o pedido de interpelação feito pelo deputado Henrique Fontana (PT-RS) contra o senador Antonio Carlos Magalhães (PFL-BA).

Problema pessoal

Como o pedido de interpelação é um passo prévio para a abertura de ação penal - e não cabe a ação penal -, “torna-se juridicamente inviável a própria formulação do pedido de explicações”.

Henrique Fontana entrou no Supremo Tribunal Federal com pedido de interpelação contra ACM, que da tribuna do Senado, o teria acusado e ao seu partido de estar associado à invasão do Congresso por um grupo de sem terra.

Fontana acusa o bondoso ACM de ter proferido uma série de inverdades e de acusações, ofendendo-o na honra pessoal.

O Poderoso trator paraibano

Um de nossos agentes secretos espalhados no Nordeste brasileiro revela: Além de comerem o dinheiro das ambulâncias, os deputados federais, atolados até o pescoço com o caso das sanguessugas, também foram por demais generosos na compra de tratores para os mais diversos segmentos do Estado da Paraíba.

Nosso agente destaca o trabalho tratoral do grandalhão Carlos Dunga (PTB-PB), atual candidato a primeiro suplente de senador na chapa do tucano Cícero Lucena, que apresentou várias emendas ao orçamento da União para a aquisição das máquinas:

Emenda nº 35290002/2001 no valor de R$ 220.000,00 para o município Juareizinho (PB)
Emenda nº 35290003/2001 no valor de R$ 220.000,00 para o município Paulista (PB)
Emenda nº 35290004/2001 no valor de R$ 220.000,00 para o município Itaporanga (PB)
Emenda nº 35290005/2001 no valor de R$ 135.000,00 para o município Catolé da Rocha (PB)
Emenda nº 35290006/2001 no valor de R$ 70.000,00 para o município Barra de São Miguel (PB)
Emenda nº 35290007/2001 no valor de R$ 105.000,00 para o município de Garrotes (PB)
Emenda nº 35290008/2001 no valor de R$ 70.000,00 para o município de Serra Branca (PB)
Emenda nº 35290009/2001 no valor de R$ 50.000,00 para o município de Serra Redonda (PB)
Emenda nº 35290010/2001 no valor de R$ 50.000,00 para o município de Cabaceiras (PB)
Emenda nº 35290011/2001 no valor de R$ 50.000,00 para o município de Emas (PB)
Emenda nº 35290011/2002 no valor de R$ 90.000,00 para o município de Caturité (PB)
Emenda nº 35290019/2002 no valor de R$ 100.000,00 para o município de Santa Rita (PB)
Emenda nº 35290002/2005 no valor de R$ 1.460.000,00 para o estado da Paraíba
Emenda nº 35290010/2006 no valor de R$ 500.000,00 para o estado da Paraíba

Carlos Dunga é candidato a primeiro suplente de senador na chapa do tucano Cícero Lucena.

Salários de Marajá

Após 18 anos de tentativas, o Brasil ainda não conseguiu determinar um limite para os salários e aposentadorias do serviço público.

No Executivo federal, existem 129 funcionários que recebem, por mês acima, do limite em vigor para a União (de R$ 24 mil e 500 reais, que é o valor de um salário de Ministro do Supremo Tribunal Federal).

Os “marajás” estão principalmente nas universidades, onde a maior remuneração chega a R$ 38 mil e 270 reais.

Culpa da Justiça?

Ninguém consegue aplicar o teto porque a Justiça tem sido generosa com os servidores que recorrem a ela.

Prevalece no Judiciário o entendimento de que a garantia constitucional da irredutibilidade de vencimentos se sobrepõe ao teto, também criado pela Constituição de 1988.

Até 1998, o maior obstáculo era a interpretação de que vantagens pessoais, como gratificações, principal motivo dos altos salários, não se sujeitavam ao limite.

A Emenda 19 atacou o problema, mas também não funcionou porque amarrou a vigência da nova regra a uma lei de iniciativa comum dos chefes dos Três Poderes da União que nunca foi proposta.

A Emenda 41, de 2003, veio para corrigir os defeitos da 19, mas sua implementação esbarrou na questão da irredutibilidade.

O recente recuo do Supremo Tribunal Federal (STF), ao rever o corte feito em 2004 nas aposentadorias de quatro de seus ex-ministros, abriu caminho para que outros tribunais, principalmente nos Estados, deixassem de se enquadrar nas duas resoluções baixadas em março deste ano pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ), guardião do limite remuneratório no Judiciário.

O empreguismo paralamentar

A Câmara dos Deputados conta com 15 mil e 600 funcionários na ativa.

Mas apenas 3.579 são efetivos (contratados mediante concurso público).

Nos gabinetes, estão lotados 9.821 secretários parlamentares, com salários entre R$ 300 e R$ 4 mil, que são de livre nomeação.

Além desse quadro, existem mais 2.266 CNEs (Cargos de Natureza Especial), espalhados principalmente pelos cargos da Mesa Diretora e pelas lideranças partidárias, mais órgãos técnicos.

Todos são cargos de livre nomeação, e seus ocupantes podem ser demitidos a qualquer momento.

Driblando sempre a lei

Os CNEs foram criados para suprir uma carência de pessoal na Câmara, enquanto não havia concurso público.

As seleções públicas começaram, as contratações ocorreram, mas os parlamentares continuaram se valendo dos cargos para empregar quem bem entendem.

Seiscentos cargos de confiança criados para assessorar órgãos técnicos da Câmara dos Deputados estão loteados politicamente entre 149 deputados e 24 ex-parlamentares — números que correspondem a um terço da Casa.

Super-salários

Com salários entre R$ 1.900 e R$ 8.200, esses assessores estão efetivamente acomodados nos gabinetes dos deputados, nos cargos da Mesa Diretora, nas lideranças partidárias e até nos escritórios dos deputados nos seus estados de origem

Existem cargos ocupados por parentes de parlamentares, sem contar os funcionários fantasmas.

Somados, os cargos resultam numa despesa extra mensal de R$ 1 milhão e 600 mil reais — ou R$ 20 milhões por ano.

Tempo de Resistência

Quem quiser ver, na telinha, Denize Crispim, José Dirceu, Franklin Martins e Leopoldo Paulino como “artistas de cinema” deve se ligar hoje (31 de agosto) no Programa DOC Brasil, que será exibido a partir das 23h 40min na TV Cultura da Rede Brasil ou na Tv Thathi/ Canal 33 UHF ou 22 Net.

É um filme de André Ristum, com roteiro de Ícaro Martins, baseado no livro Tempo de Resistência e nos depoimentos dos companheiros que lutaram contra o Golpe Militar e a Ditadura articulada pelos Estados Unidos e a elite brasileira entreguista” – conforme destaca a propaganda do evento.

Na sinopse, aparecem como destaques: “O contra-ataque da direita, incluindo estudantes ligados ao CCC e a perseguição aos integrantes dos movimentos de oposição. O Congresso da UNE, em Ibiúna, SP. A atuação da ALN, FALN, UPR, MR-8 e os vários grupos de esquerda.Foi acompanhada a terceira etapa do Golpe, com o progressivo fechamento do cerco aos integrantes dos movimentos de resistência à ditadura. Os Atos Institucionais e a escalada de violência. O surgimento da guerrilha e sua repressão, fazendo várias vítimas que caíram lutando ou nas sessões de tortura. As crescentes derrotas das organizações revolucionárias, com as prisões ou o exílio de seus integrantes”.

Site a Verdade Sufocada

Apresentando uma versão bem diferente do filme em que Dirceu e companhia são estrelas, o Coronel Carlos Alberto Brilhante Ustra, autor do livro A Verdade Sufocada, acaba de lançar a página da Internet da publicação.

“Nele serão colocados pequenos trechos do livro "A Verdade Sufocada - A história que a esquerda não quer que o Brasil conheça-, tão boicotado pela maioria da mídia. No site você também pode ler trechos do livro " Rompendo o silêncio”, publicado em 1987, e realizar download gratuito do mesmo. Visite-o. Mande sua opinião colabore. Mande sugestões, artigos”.

O site é: http://www.averdadesufocada.com/

Boa sugestão de matéria

Sugestão do jornalista Magnho José, especialista na cobertura e análise do noticiário de jogos no Brasil, depois de uma polêmica reportagem criticando os bingos:

O Globo deveria pautar reportagem com os desdobramentos das investigações do Ministério Público Federal, sobre a promoção "Seleção do Faustão", realizada durante a Copa do Mundo pela TV Globo. A Globosat utilizou uma brecha na legislação para realizar um sorteio de prêmios”.

Segundo a Folha de SP, a arrecadação superou R$ 80 milhões, sem que houvesse fiscalização de qualquer órgão federal sobre a lisura do sorteio e da entrega dos prêmios, além de não ter havido nenhuma contrapartida social.

Assalto oculto ao nosso bolso

O consumidor brasileiro é o maior prejudicado pelos impostos camuflados aplicados contra empresas e bancos.

Um dos setores vítimas da carga tributária – e que penaliza diretamente o bolso da população – é o setor de energia elétrica.

Os impostos ocultos contribuíram para que as tarifas pagas pelos consumidores aumentassem, em média, 250% nos últimos dez anos.

Um levantamento da consultoria PriceWaterhouseCoopers - divulgado pelo Instituto Acende Brasil - mostra que o setor elétrico é campeão em pagamento de tributos no Brasil, em comparação com todos os outros países pesquisados.

Cláudio Sales, presidente do Acende Brasil, critica que “utilizar as empresas de energia elétrica como coletoras de impostos foi a forma que o governo encontrou de terceirizar suas responsabilidades".

Bancos sofrem; nós pagamos!

Os impostos ocultos afetam o setor financeiro, e o bolso de quem pega dinheiro emprestado ou tem conta corrente com tarifas altíssimas.

Por causa dos recolhimentos compulsórios ao Banco Central, os bancos não podem emprestar todos os recursos disponíveis.

O custo para o tomador de crédito é de uma taxa anual de 29,40%, depois que os bancos são obrigados a recolher compulsórios. Pagar CPMF, Imposto de Renda, Pis, Cofins e Imposto sobre Operações Financeiras – o IOF.

Impostura do governo

O valor do imposto oculto é superior ao total de crédito oferecido à indústria, ou ao total do crédito rural e habitacional juntos.

Em junho, o total de recolhimentos compulsórios no Banco Central do Brasil era de R$ 155 bilhões.

Segundo Roberto Luis Troster, economista-chefe da Febraban, baixar o custo do crédito interessa aos bancos e à nação.

Aliás, baixar os impostos e eliminar a tributação oculta também interessa ao bolso dos consumidores brasileiros.

Na cidade sem meu carro

Hoje começa, no Rio de Janeiro, a primeira celebração de um Movimento internacional em defesa do meio ambiente e da qualidade de vida nas cidades, que acontece anualmente no dia 22 de setembro.

Trata-se da Jornada "Na Cidade Sem Meu Carro", que tem uma programação curiosa – e de fazer inveja a qualquer paulista -, a partir das 18 horas.

Será o Desafio Intermodal, uma espécie de "Corrida urbana" ponto a ponto, na hora do rush, utilizando diferentes modais de transporte: Bicicletas, Ônibus, Carro, Taxi, Metrô, Patins.

Um grande desafio

A largada acontece Central do Brasil às 18h. Cada participante sairá da Central do Brasil e deverá chegar a Praça Antero de Quental passando obrigatoriamente pela Estação do Metrô da Siqueira Campos em Copacabana.

Todos devem respeitar as leis de trânsito e as regras de segurança de cada modal utilizado.
Além disso, o motorista do automóvel particular e da bicicleta deverá estar com seu veículo estacionado na largada e deverá estacioná-lo para chegar ao ponto de encontro final como pedestre.

Serão computados dados como tempo de viagem, despesas, emissão de poluentes entre outros.
Neste dia, será iniciada a distribuição de folhetos convidando o cidadão a deixar seu carro em casa no dia 22.

Vida que segue...

Novas informações a qualquer momento.

Recramasões, ilogius ou revelasões bomba para:
jorgeserrao@gbl.com.br
Faça comentários clicando no link abaixo.

Ouça as informações clicando no link da rádio (podcast) Alerta Total:
http://podcast.br.inter.net/podcast/alertatotal/

Fiquem com Deus!

O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Inteligente, inovador, fortemente analítico e propositivo, utilizando as mais modernas tecnologias para transmissão instantânea e eletrônica de informação privilegiada e análise estratégica, junto com a difusão de novos conhecimentos voltados para a construção e consolidação de novos valores humanos.

Um comentário:

Anônimo disse...

A Prefeitura de Macaé, com toda a riqueza dos royalties e a arrecadação milionária proveniente de IPTU, ISS etc, continua passando a perna na população. Desta vez suspenderam os pagamentos dos empenhos dos convênios com a UFF e FeMASS, e os professores que asseguram a qualidade do Ensino Superior nessas duas entidades estão sem salário, justamente nas férias. Grande recompensa pelo trabalho realizado.
E então Sr. Prefeito, onde está o dinheiro? O gato comeu e ninguém viu?