domingo, 17 de dezembro de 2006

O Presidente e os Comandantes Militares das FFAA

Edição de Artigos de Domingo do Alerta Total http://alertatotal.blogspot.com

Por Valmir Pereira

Em recente artigo de Jorge Serrão (Alerta Total), foi divulgado que o Presidente Lula teria recomendado aos Comandantes Militares da FFAA, para que contenham quaisquer insatisfações contra o governo e permaneçam neutros em situações críticas; em contra partida, teriam a promessa de que as Forças receberiam mais investimentos, no segundo mandato, além da garantia de que os militares não seriam afetados por quaisquer (?) medidas macro - econômicas a serem adotadas pelo governo.

Uma outra orientação referiu – se à aproximação estratégica militar com a Venezuela. Os chefes militares teriam sido aconselhados a concordar com a política do governo de "formar um bloco de atuação com as demais forças armadas da América Latina".
Podemos questionar a veracidade do artigo, contudo, não podemos duvidar de sua plausibilidade.

Ardiloso, o Presidente por certo quer anular qualquer oposição, mesmo silenciosa, que venha dos quartéis. Por isso, ao prometer manter incólume ou até destinar recursos para engordar o orçamento, sabidamente insuficiente, das Forças Armadas, manieta instituições avessas ao seus projetos. Ao mesmo tempo, com seu aval ou complacência, autoriza ou simplesmente se omite, quando círculos próximos ao poder atacam de todas as formas aquelas instituições, inclusive incentivando a sindicalização de militares, mormente, os de patentes mais baixas e concedendo polpudas indenizações e pensões vitalícias aos "perseguidos políticos".

Não sem propósito, atualmente, a orquestração para a promoção dos agentes do terrorismo e as insinuações explicitas à ação injusta e, por vezes criminosa, dos militares que cumpriam sua missão no combate a delinqüentes subversivo – terroristas, têm sido acintosa, e sua divulgação pela mídia, implacável. Bendita Rede Globo e seus programadores, e um séquito de "Kamaradas", que com reportagens e entrevistas levadas ao ar no momento oportuno, desvirtuam e demonizam a ação das Forças Armadas na luta contra a subversão e a desordem e patrocinam o "heroísmo" e a ótica da esquerda, em doses homeopáticas. Assim, promovem uma "lavagem cerebral" virulenta na população, a qual, sem a existência de uma oposição organizada e atuante, não esboçará qualquer tipo de reação.

"Aloprados" foi a expressão cunhada pelo Presidente para nomear os conhecidos agentes do caso dossiê, legítimos transgressores, com nomes e endereços conhecidos, avalizando e amenizando com deslavada cumplicidade, atos e atores deploráveis.
Ao que tudo indica, conviveremos "ab aeterno" com um bando de complacentes Generais, e com um bando de exaltados e prestigiados "aloprados".

Breve teremos o espetáculo do almoço dos Oficiais – Generais com o Presidente, oportunidade em que sua majestade descerá de seu trono e com palavras doces e de soar sincero e compungido, exortará a importância dos militares, louvará sua maravilhosa disciplina, ressaltará como eles têm permanecido quietos, mesmo quando provocados, ressaltará a grandeza da classe em suportar sem um reles arreganhar de dentes todas as pedradas que leva. Belíssima postura, exatamente a que interessa à marcha inexorável do comunismo tupiniquim.

Como receberá aquela seleta platéia um discurso cheio de palavras ocas, previamente conhecido, pois não fugirá da mesmice e de um amontoado de supérfluos e dúbios elogios acerca da importância da Força Armadas ?

Não cremos que a distinta platéia, pelo menos sua porcentagem lúcida, possa aquietar suas preocupações e desesperanças com o funesto destino das Instituições Militares e com o da Nação, pois basta acompanhar com atenção e acurado senso critico, o que a esquerda, com medidas por vezes disfarçadas e sub-reptícias, e por outras descaradamente explícitas, sem oposição, avança rumo ao socialismo (comunismo não soa bem) da sociedade brasileira.
Inútil esperar ou rezar pela cólera divina. Quando acordarmos será tarde demais.

Valmir Fonseca Azevedo Pereira é General R1. Publicado em 13 de dezembro de 2006 no site www.ternuma.com.br Artigo profeticamente escrito antes do almoço de Lula com os militares.

2 comentários:

Anônimo disse...

Prezados:

O povo já se deu conta de que tudo isso pode ser uma grande joga da esquerda, do tipo cortina de fumaça, e com isso desestabilizar as três instituições, JUDICIÁRIO, LEGISLATIVO e o próprio EXECUTIVO, para dar um golpe e tomar o poder.

Nélio

Anônimo disse...

Não é de hoje,caro General,que o PT tenta subverter a hierarquia nas Instituições.Sou professor universitário e posso dar meu testemunho.A Universidade brasileira foi um dos seus primeiros alvos,quando da "democratização"que sofreu, quando houve a decisão de escolher os dirigentes por voto direto de professores,funcionários e estudantes;isso pôs fim à hierarquia na Universidade.Estudantes decidindo quem seria o próximo Reitor...Caro General,seria como se nas FFAA os soldados escolhessem o seu Comandante.Um absurdo!Grande chance,portanto, para os oportunistas de esquerda tomarem,pelo voto, os cargos de decisão,comprometendo assim,com suas posições radicais e anacrônicas,a qualidade das Instituições de Ensino Superior no Brasil.Hoje não existe mais a figura do professor,com P maiúsculo,livre pensador.O que existe é um didata engajado, "politicamente correto",cuja preocupação maior é agradar aos alunos e não se indispor com as direções superiores,quase todas engajadas também.Dividir para governar foi a técnica usada pela esquerda na Universidade e está sendo o método utilizado pelo PT/Lula nas Instituições brasileiras.
Caro General,espero,assim como todo brasileiro patriota também espera,que as forças vivas verdadeiramente nacionalistas desse País não permitam que aconteça a hecatombe que se avizinha e que,a cada dia,fica mais clara.