sábado, 24 de março de 2007

Lesão Cerebral ou Cultura da Sem-Vergonhice?

Edição de Artigos de Sábado do Alerta Total http://alertatotal.blogspot.com

Por Maria Lucia Barbosa

Atualmente algumas pessoas que se envergonham de serem brasileiras, perguntam: “Será que nosso povo perdeu a vergonha, pois acha natural tudo o que esse governo faz e ainda o reelege” Bem, isto faz parte de uma longa história, a nossa história, e seria necessário escrever um “Tratado de Sociologia da Sem-vergonhice” para formular resposta adequada. Em todo caso, tentarei dá-la, ainda que de modo bastante resumido.

Começo lembrando uma interpretação biológica baseada em leitura da Folha de S.Paulo, de 22/03/07. Segundo o jornal, neurocientistas pesquisaram e levantaram a hipótese de que existe uma parte específica do cérebro, (córtex prefrontal ventromedial) onde se alojam emoções, e que parece ser crítica para certos aspectos da moralidade. As pesquisas feitas com grupos de pacientes que apresentavam lesão nessa região cerebral mostraram que eles exibiam menos empatia, compaixão, culpa, vergonha e arrependimento.

Se analisarmos o governo que aí está notaremos que nunca dantes nesse país, autoridades, que deveriam dar bom exemplo, tiveram tão pouca empatia ou compaixão com relação ao povo. Vimos idosos de noventa anos ou mais em filas para provar que estavam vivos. A Saúde é um descalabro e nos atendimentos do SUS se observa a crueldade dispensada aos doentes. A violência vai vitimando, inclusive, crianças como João Hélio que foi morto barbaramente no país da impunidade e da indiferença dos governantes para com a dor alheia.

Rebaixaram os rendimentos da poupança para premiar os grandes investidores, prejudicando os menores. O FGTS poderá ser afetado do mesmo modo e o trabalhador, que sempre votou no Partido dos Trabalhadores, vai perder renda se perder da inflação. O apagão aéreo parece divertir o governo que nega a crise, enquanto o presidente da República finge que está tomando providências. A lista de maldades é vasta, sendo impossível enumerá-las todas em curto artigo.

Quanto aos sentimentos de culpa, vergonha e arrependimento inexistem. O presidente da República nada sabe, nada vê, se permite brincadeiras grosseiras como a do ponto G e deixa a vida levá-lo, que a vida dos poderosos é doce e boa. José Dirceu faz festa de aniversário, recebe Delúbio, “os quarenta” e muitos mais. Dizem que o ex-guerrilheiro é consultor regiamente pago em moldes capitalistas, não ficando claro que tipo de consultoria ele dá.

Pode-se apenas imaginar. Não se sabe se seu fiel auxiliar, Waldomiro Diniz, ou o gerente do PT, Marcos Valério, estavam presentes à festança. Mas, se não estavam, devem continuar festejando por aí, enquanto no Congresso mensaleiros e sanguessugas voltaram e tiveram seu contingente ampliado. É como se dissessem: Se o Executivo mandar, faremos todos.

Quanto à maioria dos brasileiros, se fosse estudada pelos neurocientistas provavelmente seria apontada como portadora da tal lesão cerebral. Mas, como penso que as teorias sobre o cérebro ainda engatinham nos caminhos da ciência, prefiro a opinião de Michael Koenigs que afirmou: “a reação da maquinaria emocional com respeito a questões morais é sem dúvida moldada por forças culturais”.

Em se tratando de cultura entendida como o complexo de valores, comportamentos e atitudes de uma dada sociedade, é válido afirmar que desde tempos coloniais fomos dúbios em questão morais. Individualistas por excelência. Preferimos nossa adorável bagunça à organização das associações baseadas em trabalho competente. Buscamos privilégios sem merecê-los. De nossas matrizes étnicas herdamos o culto ao ócio abençoado, o jeitinho, a festa, o atraso. E pesou sobre nós a Igreja da Contra-Reforma e da Inquisição.

Hoje em dia continuamos a viver atrás de facilidades preferivelmente alcançadas por esperteza ou doação de alguma autoridade paternal. Não temos de modo geral o sentido de conquista no tocante ao esforço pessoal, não nos faltando, porém, a capacidade predatória. Não sabemos exercer o poder, mas tão-somente nos beneficiar do poder. Simulamos democracia, mas somos autoritários. Preferimos sempre culpar alguém ou algo para nos eximirmos de nossas responsabilidades. Somos ufanistas com relação à nossa cultura da malandragem e da sem-vergonhice.

Recentemente chegamos ao fundo do poço. A ausência total de valores estimula a mentira e a corrupção. O mínimo de moralidade pública e privada foi corroída no país onde todos são “heróis”.

Será que o povo brasileiro sofre de lesão cerebral? Não creio, pois isto nos eximiria de qualquer responsabilidade. Prefiro dizer que levamos ao paroxismo a cultura da sem-vergonhice, consentida e consciente, aquela que as mais altas autoridades esbanjam como patrimônio nacional. Na pátria de Macunaíma quem rouba, faz. Quem mata tem seus direito humanos preservados. Afinal, somos todos éticos e “não existe pecado do lado de baixo do Equador”. Não há do que se queixar.

Maria Lucia Victor Barbosa é Socióloga.

3 comentários:

Manoel Vigas disse...

Maria Lucia Victor Barbosa.

Saudações.

O grande problema para que você entenda o que acontece no Brasil é simplesmente porque você é Socióloga.

Todas essas “cadeiras” que envolvem o “social” estão impregnadas em seu âmago de “meias verdades” e principalmente de uma postura da nova desconstrução da consciência, mais conhecida como “politicamente correta”.

Jamais num curso normal de “Economia”, “Sociologia”, “Psicologia”, etc. você encontrará um professor/a capaz de deixar o aluno pensar !!!

Seu conceito que veio de berço(o bom conceito natural), no que tange a “ética”, a “moral”, aos “bons costumes” e ao “livre pensar”, foram transmutados para o novo “politicamente correto”.

Caso você tenha em seu íntimo algo que diz “não estou concordando”, fatalmente não faltará quem a corrija (principalmente durante seu curso universitário), inclusive com alguma forma de crítica dura, algo assim:

.... alguma colocação do tipo: “você é racista”.

Já ouvimos:

CUIDADO VOCÊ COM ESSAS IDÉIAS PODERÁ SER PUNIDA.

Assim você não vai chegar a lugar algum...

Aí, está o grande “gap”, a grande desinformação plantada para ser repetida.
Repetida pelos próprios alienados que padecem com essa desinformação.

Você está totalmente impedida de pensar e de pesquisar.

Ao longo dos anos a “meia verdade” tornar-se-á uma verdade inconteste (inconsciente).

VOCÊ ESTARÁ ASSIM FAZENDO PARTE DOS INCUTOS E SEMI-SELVAGENS BRASILEIROS COOPTADOS PELA DESINFORMAÇÃO.

SÃO OS IDIOTAS LATINO-AMERICANOS !!!

DESINFORMAÇÃO PLANTADA PARA SER USADA EM PROVEITO DOS COLONIZADORES !!!

Qualquer INFORMAÇÃO CONSTRUTIVA (que coloca a nú a dureza da verdade) é destorcida.
O que vale para a “colação de grau”(objetivo geral para futuro emprego) é ser politicamente correto.

NUNCA DISCORDAR DO PROFESSOR/A QUE POR SUA VEZ TAMBÉM NÃO QUER SE ABORRECER (PERDER O EMPREGO).

Não há discussão.
Todo o assunto “etnia” (BRANCO, NEGRO, AMARELO ETC...) é colocado para ser decorado e repetido.

POLITICAMENTE CORRETO, "OFF COURSE"

Entender como o BRASIL está hoje constituido de “raças diversas”, nem pensar !!!

Você já pensou num professor que colocasse em discussão livros polêmicos para serem discutidos em sala de aula ?

Aguém que mandasse você ler o “outro lado”, para depois criar sua própria e abalizada conclusão ?

Por exemplo, pensamentos divergentes da “comunidade religiosa” ?

Comunidade religiosa que só teve lucro(pecuniário e escravagista intelectual) até o presente momento ?

Fico por aqui.

(NÃO QUERO SER PRESO !!!)

Atenciosamente.

(Sou economista, mas não fale essa palavra muito alto...tenho vergonha na cara)

Manoel Vigas

SOCORROOOOOOOOO disse...

Querem calar os jornalistas do Amapá

Abaixo, a "Carta Aberta à População" assinada pelo Sindicato dos Jornalistas do Amapá e outras entidades a respeito do "assédio judicial" aos jornalistas daquele Estado:



"Absurdo 1 - O senador José Sarney



Durante a campanha eleitoral do ano passado, a jornalista Alcinéa Cavalcante publicou no blog alcinea.zip.net, um dos mais acessados no Amapá, uma nota sobre José Sarney, que concorria a um novo mandato de senador pelo Estado. Um internauta acessou o blog e deixou um comentário afirmando que José Sarney fede, fede muito. Que fique bem claro: o comentário foi lançado por um internauta, um leitor, não pela jornalista. Mesmo assim, o blog foi censurado e retirado do ar pelo provedor, no caso a UOL. Como se não bastasse, Alcinéa Cavalcante foi indiciada pela Polícia Federal e está respondendo a processo por injúria, calúnia e difamação.



Absurdo 2 - O desembargador Honildo Amaral



Censurada e vendo a sua liberdade de expressão cerceada, Alcinea Cavalcante lançou um novo blog, o alcineacavalcante.blogspot.com. Operando no novo endereço virtual, a jornalista ousou publicar a fotografia de um prédio que está sendo construído (suntuoso para os padrões amapaenses) pelo desembargador Honildo Amaral de Mello e Castro no centro de Macapá, mais precisamente na esquina da rua São José com a avenida Coriolano Jucá. O jornalista Correa Neto, outro profissional dos mais respeitados da imprensa amapaense, reproduziu a fotografia em seu blog (correaneto.com.br) e fez alguns comentários a respeito da grandiosidade do prédio em questão, argumentando que os recursos investidos na construção são incompatíveis com os ganhos do desembargador Honildo Amaral. Detalhe: o nome do proprietário está estampado, para que todos leiam, na placa da construção. Sentindo-se ofendido, o desembargador decidiu processar Correa Neto e Alcinéa Cavalcante por injúria, calúnia e difamação.



Os donos do poder querem calar os jornalistas



Ações judiciais desta natureza (entendemos como assédio judicial) confirmam que a situação está ficando insustentável para os jornalistas amapaenses. Tudo indica que os donos do poder estão decididos a estabelecer uma indústria da indenização, firmada em perseguições e represálias a jornalistas. Não se pode mais denunciar ou noticiar nada. O profissional que ousar cumprir o seu papel de jornalista está sujeito a ser processado. É um absurdo o que está acontecendo. É cerceamento da liberdade de pensamento e expressão, coisa que não se vê no restante do país – um prejuízo ao estado democrático e de direito, diriam senadores e desembargadores comprometidos com a democracia.



A situação é greve e causará sérios danos aos profissionais de imprensa - e o pior deles é a intimidação. Vamos acionar o Congresso Nacional, o Tribunal Superior Eleitoral, o Conselho Nacional de Justiça e, se preciso for, a Anistia Internacional, para garantir a liberdade de imprensa e o direito da sociedade à informação. Processar Alcinéa Cavalcante e qualquer outro jornalista é pisar na história da imprensa do Amapá, uma história que independe de desembargadores e de senadores importados".



Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Amapá, Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Pará, Federação Nacional dos Jornalistas, Sindicato dos Servidores Públicos Federais, Sindicato dos Bancários Pará/Amapá, Sindicato dos Urbanitários, Conlutas, Associação dos Moradores do Jardim Felicidade I, Associação de Mulheres Empreendedoras, Associação Amapaense de Escritores, Articulação de Mulheres do Amapá

Anônimo disse...

Maria Lucia, como bem disse o Manuel Vigas - que não quer ser preso - a questão é fácil de ser respondida. É que está tudo dominado. A cabeça do povo foi "moldada" para o "socialisshmo". Então se quem está roubando, mentindo, falcatruando e administrando mal e feio for do pensamento "socialisshta" ou politicamente correto", que dá no mesmo, está perdoado e abençoado. Agora se o mesmo pecado for cometido por outros que não os tais, verás a fúria que se levantará dos "lesionados cerebrais". Queres apostar?