segunda-feira, 12 de março de 2007

Lula tem data limite para explicar aos EUA ligações de brasileiros com terrorismo, drogas e lavagem de dinheiro

Edição de Segunda-feira do Alerta Total http://alertatotal.blogspot.com/

Breve, o novo podcast Alerta Total no seu computador.
http://podcast.br.inter.net/podcast/alertatotal

Adicione nosso blog e podcast a seus favoritos do Internet Explorer.

Por Jorge Serrão

Quem tem tem medo. Ligações perigosas com grupos terroristas internacionais, aliança deles com o tráfico de drogas e importantes personalidades brasileiras envolvidas com lavagem de dinheiro. O presidente Lula da Silva ainda não conseguiu digerir estes que foram os motivos reais da rápida visita do presidente George Walker Bush ao Brasil. No próximo dia 31 de março, Lula viajará aos EUA. Mas nem terá muito tempo para curtir a hospedagem em Camp David, a residência oficial da presidência dos EUA nas montanhas de Maryland. O petista recebeu um prazo fatal do Departamento de Estado Norte Americano para se pronunciar e se posicionar sobre estes três temas explosivos relacionados com a segurança das Américas.

O principal temor do governo brasileiro é o tema lavagem de dinheiro, que se relaciona aos outros. Lula teme que surjam novas denúncias, nos EUA, envolvendo autoridades e políticos brasileiros – a exemplo do que ocorreu, semana passada com Paulo Salim Maluf. O principal medo de Lula é um eventual indiciamento de seu marketeiro Duda Mendonça, em Nova York. Lula já sabe que a bomba pode estourar no colo de mais gente importante, muito próxima dele.

Os EUA já têm um mapeamento completo das atividades de grupos envolvidos na operação de lavagem de dinheiro concentrada na tríplice fronteira entre Brasil, Paraguai e Argentina. Os EUA têm informações de agentes recrutados por prestadoras de serviços de segurança, como a DynCorp, a Brook Inc e a Blackwater. A Secretaria de Segurança Interna norte-americana, comandada por Michael Chertoff, tem informações sobre a atuação dos grupos radicais islâmicos Hamas e Hezbollah na região.

O problema é que segmentos da Polícia Federal brasileira não acreditam nisto. A PF acredita que a legalização de recursos clandestinos corre por conta de fraude financeira, do contrabando e do tráfico de drogas. Os EUA também querem receber do governo brasileiro os dados coletados pelo Sistema de Vigilância da Amazônia (Sivam) em relação às novas rotas utilizadas pelos fornecedores do mercado negro de armas para as guerrilhas colombiana e peruana.

O Departamento de Defesa norte-americano, através do Pentágono, pretende firmar acordos de intercâmbio com o Brasil para utilizar as bases aéreas de Boa Vista, Porto Velho e Manaus a fim de apoiar as missões de vigilância no espaço da Amazônia. Os EUA sabem que barcos e aviões piratas circulam pelos rios e pelo espaço aéreo do Suriname e da Guiana. O trabalho integrado dos jatos eletrônicos, radares e sensores do Sivam poderia monitorar esse movimento ilegal. O problema é se o Brasil dará tais informações.

Unha da Águia

Tem gente jurando que tem o dedo das águias norte-americanas o quase certo indiciamento de Roberto Jefferson, por formação de quadrilha, no caso dos correios que deu origem ao escândalo do Mensalão.

Junto com o deputado cassado e Presidente do PTB devem ser indiciados Maurício Marinho, ex-chefe do Departamento de Contratação e Administração de Material dos Correios; Antonio Osório, ex-diretor de Administração da estatal, indicado por Jefferson; Fernando Godoy, ex-assessor de Osório; e Marcus Vinícius Vasconcelos, genro de Jefferson.

Se a águia estiver mesmo na jogada, haja "Nervos de Aço", – que é a música de Lupicínio Rodrigues que Jefferson adora cantar.

Impunidade togada

Nem Freud consegue explicar a relação do Judiciário consigo mesmo.

Um levantamento realizado em março de 2007 constata que, dos 27 Tribunais de Justiça dos estados brasileiros, 14 nunca abriram processos administrativos contra seus desembargadores.

Apenas 19 investigações foram abertas em nove TJs. Três foram punidos. Quatro tribunais não responderam ao levantamento.

Muitas apurações em curso

Até 2005, quando o Conselho Nacional de Justiça foi criado, apenas os TJs poderiam processar os 1300 desembargadores.

O Conselho Nacional de Justiça informa que estão em curso no órgão 1.724 apurações contra magistrados.

Exemplo bizarro: Desde 1989, o TJ de São Paulo, com 360 desembargadores, abriu apenas três processos disciplinares e arquivou todos.

Punição quase impossível

Dificilmente um desembargador pode ser demitido do cargo, por depender de sentença definitiva em processo judicial.

Pela legislação, em processo disciplinar, um magistrado pode ser colocado em disposição ou aposentado compulsoriamente.

Em processos criminais, os magistrados respondem no Superior Tribunal de Justiça por terem foro privilegiado.

Mas o STJ nunca condenou um desembargador.

A quantidade irrisória de processos e punições nos TJs evidencia uma tradição do corporativismo no Judiciário.

Tem muito a ensinar

Um grande amigo do presidente Lula entra na rede mundial de computadores.

O ex-diretor da Abin (Agência Brasileira de Inteligência), Mauro Marcelo Lima e Silva, lança hoje seu site particular que pode ser acessado em http://www.mauromarcelo.com/

Delegado formado pelo FBI, a polícia federal dos Estados Unidos, Mauro Marcelo saiu da Abin há dois anos.

Hoje trabalha no 23º Distrito Policial, em Perdizes, na zona Oeste de São Paulo.

O policial é especialista em assuntos de internet e tecnologia de segurança, tanto que já comandou a primeira delegacia de crimes informáticos criada no Brasil.

Caiu por quê?

O delegado Mauro foi derrubado da Abin quando teceu agudas críticas ao Congresso Nacional.

Chamou os parlamentares de “bestas-feras”, na tentativa de defender um agente na Abin, que filmou o funcionário dos Correios Maurício Marinho, recebendo aquele mensalãozinho de R$ 3 mil.

Ligado ao PTB, Maurício Marinho interpretou a arapongagem como uma tentativa de o PT usar a Abin para desarticular o presidente petebista Roberto Jefferson.

Outra quase barbárie

Bandidos assaltaram uma família na madrugada deste domingo em Irajá, na zona norte do Rio de Janeiro, e jogaram para fora do carro uma criança de sete anos que dormia no banco de trás.

O garoto, identificado como Tiago, nada sofreu fisicamente, além do trauma.

O caso lembrou a morte do menino João Hélio, que chocou o país há cerca de um mês

A diferença é que houve perseguição e novo tiroteio, e a polícia conseguiu prender a quadrilha de bárbaros

No confronto, um bandido morreu e dois ficaram feridos e foram levados para hospitais da região.

De acordo com a polícia, dos cinco bandidos, três eram menores de idade, com os quais foram apreendidos dois revólveres.

Lula não gostou

O PMDB anunciou ontem, na convenção nacional em Brasília, a decisão de lançar candidato próprio à Presidência da República.

Tri-eleito para presidir a legenda, o deputado Michel Temer defendeu a proposta.

Temer foi no embalo das declarações feitas pelo ex-ministro José Dirceu, segundo o qual o candidato da coalizão governista poderá não ser um petista.

O deputado avisou que quer contar com o apoio do presidente Lula ao PMDB.

Garotinho de sorte

Depois de abandonar a reunião do PMDB, em Brasília, e ameaçar se desligar da legenda, o ex-governador Anthony Garotinho virou o jogo e conseguiu integrar a Executiva Nacional do PMDB (cúpula formada por 13 integrantes do partido).

A confusão começou quando o nome do ex-governador do Rio foi retirado, em cima da hora, da chapa da executiva nacional.

Indignado com a força do grupo ligado ao governador Sérgio Cabral — que conseguiu a nomeação do deputado Nelson Bornier (PMDB-RJ) para a primeira-secretaria da executiva —, Garotinho apontou o dedo para o presidente da Alerj, Jorge Picciani, e culpou-o por suas agruras.

Pouco depois, em uma reunião fechada na sala vip do Centro de Convenções, o ex-governador anunciou que deixaria a presidência estadual do partido e abandonou a convenção, acompanhado da mulher, a ex-governadora Rosinha Matheus, sem falar com os jornalistas.

Mas a situação foi contornada depois que o grupo do Rio Grande do Norte, liderado pelo deputado Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), ofereceu a vaga ao ex-governador, que passará a ocupar o cargo de segundo-secretário da executiva.

Furor carguístico

Michel Temer deve comunicar oficialmente a Lula a vontade do PMDB de ampliar seus espaços no governo petista.

Na conversa, vai reiterar o pedido por um quarto ministério.

O PMDB garantiu Comunicações, Minas e Energia e Integração Nacional.
Mas quer Agricultura ou Turismo, além da manutenção do comando de cinco estatais — Eletronorte, Correios e Telégrafos, Eletrosul, Transpetro e Ceam (Amazonas), de 20 cargos de chefia.

Eles querem bem pouco... Quase nada... E Lula vai ter que dar...

Será verdade?

Plantações de soja e cana-de-açúcar poderão ser afetadas na América Latina, já nos próximos dois ou três anos, por causa dos efeitos do aquecimento global.

A previsão consta de um novo e dramático relatório climático da ONU.

Se o clima conseguir ser pior que os juros dos empréstimos bancários, os agricultores estão ferrados mesmo.

Culpa da floresta?

A floresta amazônica será vítima e vilã do aquecimento global.

Um novo modelo meteorológico, apresentado ontem no Rio de Janeiro, mostra que a selva tropical é uma espécie de controle remoto do oceano Pacífico.

Impactada, ela tende a desequilibrar todo o sistema climático daquela região.

Debate fundamental

A ONG Abepolar (Associação Brasileira de Ecologia e de Prevenção à Poluição das Águas e do Ar - a mais antiga ong ambiental do setor do País e na América Latina) promove, em São Paulo, nos dias 20 e 21 de março, na Escola Politécnica da USP, o Encontro Nacional sobre Mudanças Climáticas e Defesa Civil.

O evento será em parceria com a Escola Politécnica da USP e com o Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo.

Maiores informações e inscrições pelos telefones: (11) 3672-3222 ramal 32 / 3721-2252 / 3875-0179 ou Fax: 3672-8593. e-mail:abepolar@ajato.com.br

Vida que segue...

Fiquem com Deus!

O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Inteligente, inovador, fortemente analítico e propositivo, utilizando as mais modernas tecnologias para transmissão instantânea e eletrônica de informação privilegiada e análise estratégica, junto com a difusão de novos conhecimentos voltados para a construção e consolidação de novos valores humanos.

2 comentários:

BagliBlog disse...

Prezado Jorge Serrão, bom dia.

Porra que notícia maneira, hein? Ótimo saber que os "americanas" vai apertar os "alemão" daqui envolvidos com a patifaria dos últimos anos. Que coação fantástica! Torço para que tudo dê certo, mas só acho uma certa injustiça somente o "Thomas Bob Jefferson" pagar o duck, não acha?

Se a nossa PF não consegue rastrear dólares, o líder dos aliadas sabem, e muito bem encontrar o fio da meada.

Há muito tempo que você não publicava algo tão alentador, forte e cheio de esperança.

Quero ver a canalha cantar de galo, agora.

Abração,

P.S.: O post tá quase pronto. Tá ficando ótimo. rs...

Anônimo disse...

Filhos da Ditadura
Na visão de João Henrique Rieder

Como bem mencionou Clovis Rossi em "Um Perigo e uma Covardia", Folha de 03.03.07, tudo que de mau acontece neste governo é culpa de governos anteriores, principalmente de FHC e da ditadura militar. Particularmente gostei de ambos, por terem privilegiado a competência. Na revolução de 1964, que de revolução só teve o nome, já que os militares não precisaram dar um tiro sequer, pois os valentes esquerdistas já tinham, voluntariamente, abandonado o país. Lula só é o que é, graças aos militares, que permitiram seus megacomícios, por verem nele um autêntico líder popular, muito diferente dos radicais de esquerda da época, verdadeiros clones de Guevara, porém sem sua bravura, nem inteligência.

Eles queriam para o Brasil, o comunismo da Rússia, China, Cuba, onde não havia oposição, quem discordasse do regime era sumariamente julgado e fuzilado.Eu só conheci dois radicais valentes. Capitão Lamarca e Marighela. Morreram lutando em cidades não em guerrilhas no meio do sertão. Estranhamente, nenhum deles é reverenciado, sequer citado.

Dirceu foi um medíocre líder estudantil. Vivia no saco de Vladimir Palmeira, sendo por isso preso. Foi deportado, voltou incógnito, escondido no interior do Paraná, período em que foi torturado pelo próprio medo de ser descoberto, mesmo após diversas operações plásticas.Depois puxou saco de Lula, hoje é um sem-saco, que da consultoria no assunto.

Nas décadas de sessenta e setenta, o Brasil experimentou seus maiores índices de desenvolvimento, com obras como Hidrelétrica de Itaipu, Usina Nuclear de Angra dos Reis, Ponte Rio Niterói, Metrô de São Paulo, Transamazônica, indústria automobilística, farmacêutica, pólos industriais de Duque de Caxias, Cubatão, ABC, Capuava, Paulínia, Camaçari, Belo Horizonte, Triunfo, de centros de excelência como Embrapa ( pesquisa agrícola), Cenpes Petrobrás (plataformas marinhas e tecnologia de águas profundas). Era o Milagre Econômico.

Quase não havia desemprego, todos trabalhadores com carteira assinada, eram poucas as favelas. Se fizessem uma pesquisa com o povo brasileiro, sobre quando e por quanto tempo foi fechado o Congresso, talvez menos de 1% de nossa população lembraria e certamente ninguém sentiu falta dos nossos congressistas, que por sinal eram infinitamente superiores aos severinos, luisinhos, babás, neves, costas, genros e netos de hoje. Nosso Congresso decide tudo através do voto de lideranças, em caráter de urgência urgentíssima. Para essa ditadura dissimulada, certamente não necessitamos de 594 representantes. Atualmente também construímos gasodutos, refinarias, usinas de alcool, para Venezuela, Bolívia, Uruguai. Paraguai já ensaia querer maior participação no faturamento de Itaipu. A grande responsável por essa situação é a ditadura militar, por ter criado a Lei da Anistia, que não só proporcionou o retorno de nossos fugitivos, mas continua distribuindo, às nossas custas, polpudas indenizações e aposentadorias vitalícias, inclusive para fetos. São os verdadeiros filhos da ditadura Hoje os torturados somos nós, com tiroteios, assaltos, mortes de crianças por balas perdidas, altos índices de desemprego, degradação do ensino, aparelhamento do serviço público por companheiros e camaradas, falsos vestibulares através de cotas de incompetência e preconceito racial.

Sem dúvida, a prosperidade de muitos de nossos governantes e parlamentares, é uma eloqüente demonstração de sua incansável luta pelo crescimento de nosso subdesenvolvimento.