segunda-feira, 30 de abril de 2007

Traição

Edição de Artigos de Segunda-feira do Alerta Total http://alertatotal.blogspot.com/

Por Jorge Serrão

Os comandantes de unidades militares do Exército são obrigados a olhar com tristeza contida, diariamente, para o retrato colorido do presidente Lula da Silva, pendurado na parede dos gabinetes de comando nos quartéis. Os oficiais se sentem incomodados, em seu ambiente de trabalho, com a ironia do sorriso giocondesco do Comandante-em-Chefe das Forças Armadas. A imagem sorridente ficou mais cruel depois que o Comandante Lula ordenou um corte abrupto de 25 a 38% no orçamento do Exército para este ano.

O Exército ficou sem dinheiro até para garantir a simples alimentação diária da tropa. O Conselho Superior de Economia e Finanças do Exército não tem como fazer mágica diante da falta de dinheiro para as despesas de custeio. Apesar da situação de penúria – forçada pelo governo que esbanja dinheiro em publicidade, mas desinveste, criminosamente, nas Forças Armadas -, a ordem dada pelo Alto Comando do Exército aos seus subordinados é que “tudo deve funcionar normalmente”.

Como? Nem Freud explica. Muito menos o Comandante-em-Chefe Lula da Silva. A dorte dele é que as “legiões” não se revoltam abertamente. A gravidade de tal situação contra uma instituição nacional permanente conduz a algumas indesejáveis indagações. Até que ponto a tesourada presidencial, que atinge indefensavelmente todo o Ministério da Defesa, não representa um crime de responsabilidade, na medida em que o governo inviabiliza o cumprimento do artigo 142 da Constituição Federal?

Outras perguntas não querem calar no seio das “legiões”. Quem deve ser responsabilizado pelas conseqüências do corte orçamentário: o Comandante Lula ou os chefes militares? Quem está traindo a pátria: o promotor da “tesourada” ou os militares coniventes ou lenientes com tal irregularidade? Ou a traição vem de ambas as partes? Eis as questões objetivamente colocadas para serem respondidas por quem de direito. O mais triste e grave é que a resposta pode brotar do silêncio. Ainda bem, como diria Machado de Assis, que “há coisas que melhor se dizem calando”. O título deste filme, que já cansamos de ver será: "O Silêncio dos Culpados".

A situação é de penúria nas divisões, brigadas e organizações militares. A tesourada orçamentária do Comandante Lula praticamente inviabiliza, na prática, o funcionamento normal dos quartéis. Onde já se viu um Exército que cumpre a missão constitucional de defender a pátria, fazendo isto apenas em “meio expediente”? Aqui no Brasil é assim. As atividades logísticas de suprimento, manutenção, transporte e alimentação são as mais afetadas pelo corte de verba.

Do jeito que a situação está, não demora, o Comandante Lula terá a brilhante idéia de lançar um programa Fome Zero para o Exército. Por ironia, até o bem treinado “exército” do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra, que recentemente até invadiu terras do próprio Exército (e ninguém foi preso, como manda o Código Penal Militar), consegue se manter logisticamente, 24 horas mobilizado, graças às cestas básicas e outros programas assistenciais que recebe, generosamente, do governo do companheiro e Comandante Lula. Daqui a pouco, só falta os militares promoverem um motim ou uma greve, reivindicando isonomia com seus “colegas” do MST.

Melhor sorte que o Exército brasileiro terá o ex-guerrilheiro e atual Bolcheviquepropagandaminister Franklin Martins. O ilustre jornalista comanda os destinos das obesas verbas de publicidade e propaganda da Secretaria de Comunicação do Palácio do Planalto. Não terá problemas de falta de verbas o ex-revolucionário que, em 4 de setembro de 1969, participou do seqüestro do embaixador norte-americano Charles Burke Elbrick. Aliás, o governo Lula seqüestra recursos de outras áreas prioritárias de governo, como as Forças Armadas (nada amadas pelos petistas), para aplicar em outras áreas, como o “mensalão” pago regiamente à nossa “mídia amestrada”, cada vez mais carente de verbas e benesses oficiais.

Só em 2006, o governo do Comandante Lula torrou R$ 1.015.773.838 em publicidade oficial. O valor bilionário, em pleno ano eleitoral, foi recorde na história do Brasil. O ministro Franklin Martins argumentou que os números da publicidade "refletem uma presença forte das estatais, pois elas estão entre as maiores do Brasil e precisam competir no mercado". Apenas por comparação, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso gastou R$ 953,7 milhões em propaganda no ano de 2001. A Secom corrigiu este valor pelo IGPM, da Fundação Getulio Vargas.

Lula gasta cada vez mais com publicidade e propaganda. No seu primeiro ano, em 2003, o petista investiu R$ 667,6 milhões. Os gastos subiram para R$ 956,1 milhões em 2004. No ano seguinte, com os escândalos do “mensalão”, o governo “investiu” R$ 963 milhões em propaganda.. Para chegar ao recorde de R$ 1,015 bilhão no ano passado, o Comandante Lula foi obrigado a fazer gastos concentrados no primeiro semestre e nos últimos dois meses do ano passado. Afinal, durante a fase eleitoral, há restrições legais à publicidade estatal. A Sorte dos tesoureiros da mídia amestrada é que existe a prestidigitação orçamentária. Quando interessa, o governo tem muito dinheiro para torrar.

Mais grave que tal situação é o fato de José Serra (SP), Aécio Neves (MG), Blairo Maggi (MT), Luiz Henrique da Silveira (SC), Marcelo Déda (SE), Roberto Requião (PR), Wellington Dias (PI), Eduardo Braga (AM), Eduardo Campos (PE) e André Puccinelli (MS) se apresentarem hoje, todos subservientes, a empresários e banqueiros das mais importantes instituições norte-americanas e inglesas. Todos participam do Forum de Desenvolvimento Sustentável 2007, da Associação das Nações Unidas - Brasil - Anubra. Os onze governadores de Estados Brasileiros estão em Nova York a convite do empresário Mario Garnero, que é um dos representantes dos banqueiros ingleses Rothschild em nosso País. Os mesmos Rothschild que controlam nossa dívida externa desde 1824, cuidaram e cuidam do programa de privatizações desde a Era FHC e que fazem a reestruturação da BM& F Brasil (a Bolsa de Mercadorias e Futuros).

Resumo da Ópera “Brazil”, um espetáculo repleto de traições, sob a batuta do Comandante Lula:

Aos amigos e aliados da mídia amestrada, tudo. Aos militares, que têm o dever constitucional de defender a pátria, nem a Lei Orçamentária”.

Cabe, agora, apenas perguntar quem são os traidores reais dessa história toda. Responda quem tiver coragem ou um mínimo de vergonha na consciência.

PS - O Portal Terra informa: "Quarenta e quatro juízes do trabalho e ministros do Tribunal Superior do Trabalho (TST) participam durante o feriado prolongado de 1º de maio de um congresso patrocinado pela Federação Brasileira dos Bancos (Febraban), em Natal, no Rio Grande do Norte. O transporte e a hospedagem em um hotel de luxo foram pagos pela entidade. Segundo o jornal Folha de São Paulo, grande parte dos magistrados ainda compareceu ao evento acompanhado das mulheres ou dos maridos. A Febraban também custeou as despesas com a viagem e a hospedagem dos familiares. O pacote, de valor não revelado, inclui ainda alimentação e lazer. O congresso, batizado de "14º Ciclo de Estudos de Direito do Trabalho", começou sábado e termina amanhã".

Tal notícia merece comentários?

Jorge Serrão, jornalista radialista e publicitário, é Editor-chefe do blog e podcast Alerta Total. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos. http://alertatotal.blogspot.com/ e http://podcast.br.inter.net/podcast/alertatotal

10 comentários:

marco disse...

O corte no orçamento das Forças Armadas faz parte,evidentemente,do plano de desmoralizá-las;a quadrilha no poder não as perdoa pela contra-revolução de 64. Começo a temer pela segurança nacional em face de possíveis ações dos governos do caribenho Chaves e do andino Morales.São milhares de quilômetros a defender e isso não se consegue com Forças Armadas sucateadas.Acordem,senhores,acordem!

Anônimo disse...

Prezado Serrão, eu parei de defender os militares. Não que não mereçam, mas eles próprios não estão dando mostras de insatisfação com a situação de humilhação a que estão sendo submetidos. E esta situação, é certo, não diz respeito somente à eles mas aos próprios destinos do Brasil. Sabemos de sobras que esta situação de desativação e humilhações das Forças Armadas é ordenada pelo “poder mundial” e seguido à risca pelo lacaio de plantão (Lula), como também pelo lacaio anterior (FHC); fenocópias de estadistas.
Sabemos, ainda, que militares são adestrados e condicionados para obedecer, sempre. Com isso entendemos que estes também já obedeceram ao “poder mundial” quando aplicaram o golpe de 1964; e mantiveram-se no poder até que fossem ordenados para deixá-lo. Hoje o país e os próprios militares estão sendo vítimas de tanta “OBEDIÊNCIA”.

Abraço,

RIGHT WING disse...

SEGUINDO A RISCA OS ESTATUTOS DO FORO DE SÃO PAULO E AS ORDEM DO MEGA INVESTIDOR DE ESQUERDA GEORGE SOROS!!!!

O BRASIL FOI,É, E SEMPRE SERÁ UMA COLÔNIA!

NENHUMA NOVIDADE!!!!

EXISTEM PAÍSES QUE NASCERAM PARA SER LÍDERES!

HÁ PAÍSES QUE NASCERAM PARA SER LIDERADOS!

O BRASIL SEMPRE SERÁ LIDERADO!!!!

Anônimo disse...

O fato é que as FFAA e a Igreja Católica "nestepaiz" foram e pelo jeito não continuam mais a ser as únicas instituições organizadas capazes de confrontar os traidores. Tanto aqueles a serviço dos interesses de grupos econômicos, quanto aqueles a serviços da insanidade que visa instaurar a cultura revolucionária materialista e anti-cristã "nestepaiz".

Resumo: eliminando a Igreja Católica e as FFAA, e sendo a sociedade extremamente desorganizada e fraca. As porteiras foram definitivamente abertas para revolucionários e usurpadores.

Nada mais a dizer.

AOS PASSAGEIROS DO TITANIC disse...

A MENTIRA TEM PERNA CURTA*


Por Ênio José Toniolo ( eniotoniolo@pop.com.br)


A esquerda costuma espalhar o mito de que seus expoentes são operários de salário mínimo, meeiros, bóias-frias, pobres criaturas suburbanas. A direita seria formada de latifundiários, grã-finos, freqüentadores das colunas sociais. Ora, nada mais contrário à realidade dos fatos. E menciono alguns, apenas para comprovar.

Iniciemos pelo patriarca da esquerda: Karl Marx casou-se com uma aristocrata alemã, Jenny von Westphalen, descendente, pelo lado materno, da alta aristocracia da Escócia e filha de um nobre. [1] Ela usava nos cartões de visita o título de Baronesa von Westphalen. [2] O próprio Marx pouco trabalhou, vivendo às custas das mesadas de seu companheiro de idéias, Friedrich Engels - filho de grande burguês, diz Garaudy. [3] Engels deu a Marx dinheiro suficiente para viver com folga o resto da vida e até mesmo para que um genro de Marx adquirisse um verdadeiro palacete de trinta aposentos. [4] Dentre os comunistas mais chegados a Marx, praticamente nenhum era proletário no sentido comunista da palavra. [5] Marx não dava muita atenção a seus parentes próximos, porém orgulhava-se dos ricos primos Philips da Holanda – conhecidos fabricantes de eletrodomésticos. [6]

O libertário Pedro Kroptkine pertencia a uma das mais velhas famílias da nobreza russa. Seu pai tinha terras onde ocupava cerca de mil e duzentos trabalhadores, em três províncias russas. Dispunha de cinqüenta criados na residência em Moscou, e vinte e cinco na casa de campo. [7] Também o guerrilheiro Pol Pot nunca trabalhou. [8]

Trotksy era filho de um rico proprietário de terras. [9]

Malenkov, como Lenine e outros bolchevistas, era filho de pais abastados.[10]

Mao Tse-Tung não foi diferente: era filho de um próspero agricultor[11] , "que logo se tornaria o mais rico de seu vale."[12]

Caio Prado Júnior era herdeiro de uma das mais abastadas famílias do país – dona de fazendas e indústrias - e fez uma parte de seus estudos secundários na Inglaterra. [13] Morava no "bairro dos ricos autênticos, com tradição e fidalguia": Higienópolis. [14]

Jean-Paul Sartre costumava andar com um milhão de francos no bolso, na época cerca de 37 salários mínimos brasileiros. [15]

O pai de Fidel Castro era um latifundiário que possuía oitocentos hectares de terras e arrendava outros dez mil. [16] Nunca se soube que o ditador cubano tivesse algum emprego. Seu companheiro Che Guevara confessa: Nenhum dos guerrilheiros que se estabeleceram na Sierra Maestra teve um passado de operário ou camponês, ninguém passou fome, a não ser transitoriamente durante os anos de guerrilha. [17] A respeito dele, diz um comunista cubano: "Ernesto Guevara nació en 1928 en Argentina, en una familia con cierta holgura económica, culta, de ideas socialistas." [18]

Salvador Allende era filho de advogado, neto de médico e descendente de importantes personagens da independência chilena; casou-se com a filha de uma respeitável família e morou sempre nos melhores bairros de Santiago. Nunca disfarçou a inclinação pelos bons vinhos, pratos refinados e coleções de obras de arte. Em seu bem fornido guarda-roupa enfileirava-se uma numerosa coleção de ternos de impecável corte, finos sapatos e duzentas gravatas, sobre as quais usava sempre uma pérola. Pouco exerceu a Medicina, já que foi senador por 25 anos, com mordomias garantidas. [19]

Olof Palme, o ex-primeiro ministro sueco, era "o mais esquerdista dos líderes ocidentais" – mas nascera na classe abastada. [20]

O falecido líder do PC italiano, Enrico Berlinguer, descendia de marqueses catalães, e seu nome figurava no "Livro de Ouro da Nobreza Européia". Costumava passar as férias na Sardenha natal, onde velejava em seu barco. Ele e o irmão chegaram a possuir uma ilha particular, de 110 hectares. [21] Por outro lado, o senador mais rico da Itália, em 1988, Guido Rossi, pertencia ao Partido Comunista. [22]

Mateotti, o socialista morto pela polícia de Mussolini, era filho de ricos agricultores. [23]

François Mitterrand possuía uma residência em Paris, uma casa na praia, dois pequenos terrenos no campo, além do saldo bancário. [24]

Gabriel García Márquez, grande amigo de Fidel Castro, recebia em 1981, só de direitos autorais, 22 milhões de cruzeiros, cerca de 170 mil dólares por ano. [25] Em entrevista, admitiu que sua obra lhe proporcionava entre 350.000 e 400.000 dólares anuais. [26]

Jorge Amado revela num escrito autobiográfico: Era filho de fazendeiro, assim como vários amigos seus. [27]

A mãe de Olga Benário (amante e talvez esposa de Luís Carlos Prestes) morava na capital da Baviera, em casa elegante, cheia de objetos de arte. O primeiro amante de Olga, Otto Braun, era comunista chique, de gravata meticulosamente amarrada, cabelos ajeitados com brilhantina, calças bem vincadas, e cachimbo aristocrático. [28] Aliás, se alguém procurar a carteira profissional de Prestes vai ter uma surpresa. Parece que sua última ocupação fixa foi ali por 1922, quando era capitão do Exército. O Secretário-Geral do PC gostava só de música clássica. [29]

Ao falecer no Uruguai, João Goulart morava numa fazenda de 3.600 hectares, com 6.000 ovelhas e 3.000 cabeças de gado Hereford.[30] Tinha várias outras propriedades, tanto que um seu filho natural, Noé Silveira, recebeu de herança uma fazenda em São Borja, com 2.0232 hectares, uma casa, um terreno e boa soma em dinheiro.[31] No final do processo de investigação de paternidade, Noé recebeu metade dos bens da irmã, Denise, avaliados em cem milhões de dólares. [32] No matrimônio de Denise, aliás, houve "o maior banquete de casamento dos últimos anos". [33] Outro filho, o João Vicente, possuía uma fazenda de 70.000 hectares no Maranhão. [34] A viúva de Jango, Maria Teresa, pôs à venda um sobrado em Punta Del Este, onde o ex-presidente passou parte do seu exílio; a duas quadras da praia, avaliaram-no em 400.000 dólares.[35]

Sérgio Buarque de Holanda foi um jovem bem-nascido que, formado em Direito, teve uma confortável carreira de burocrata à sua espera. [36]

Nosso paranaense Vieira Neto só bebia uísque escocês, fumava cachimbo com fumo inglês e tinha iate em Guaratuba. [37]

Miguel Arraes, membro de uma das mais tradicionais famílias do alto sertão cearense, nasceu rico e fazendeiro. Casou-se pela primeira vez com uma jovem pernambucana das mais aristocráticas famílias da Zona da Mata, e se tornou concunhado do riquíssimo e poderoso usineiro e senador Cid Sampaio. [38] Ao voltar do exílio, Miguel Arraes instalou-se num palacete, no aristocrático bairro recifense da Casa Forte, cujo aluguel era de Cr$ 30 mil mensais – cerca de 14 salários mínimos. [39] São pitorescas suas negaças à revista Veja (12-07-1979) para não contar exatamente com que meios vivia durante o exílio na Argélia. Disse que foi assessor de algumas empresas, mas não houve jeito de descobrir em quais... Depois de ter vendido o controle que tinha sobre uma livraria de Paris, os interesses da família Arraes na França limitavam-se à empresa Sudhemis, que importava e exportava para a Argélia, Angola e Moçambique. [40]

Fernando Henrique Cardoso foi "o mais distinto scholar marxista a liderar uma nação desde a morte de Lênin. Como um jovem professor, pertencia a um grupo que dissecou cuidadosamente os três volumes de O capital e muitos outros clássicos marxistas." [41] Declarava-se um intelectual "crítico do imperialismo" e "teórico da dependência" [42] "um intelectual de passado esquerdista", "egresso do marxismo" [43], que sofreu grande influência de Marx, Sartre, Lukács e Florestan Fernandes. [44] É bisneto de um governador de Goiás e neto de marechal, filho de um general, advogado e deputado. [45] Passou oito anos de seu governo "encenando que brigava com o MST, ao mesmo tempo que alimentava o movimento com gordas verbas e todo tipo de proteção." [46] Só exigiu que a força do Estado - e até do Exército - se movesse em defesa do direito de propriedade quando o MST ocupou a sua fazenda, em Buritis.

Marta Suplicy, mesmo antes de ingressar na vida pública, não fazia compras em supermercados "nem morta"; ela treinava copeiras e cozinheiras a ponto de se dar ao luxo de nem sequer entrar na cozinha. [47] No final de 2002, estava se preparando para mudar-se com o "namorado" argentino para a casa ocupada pelo ex-marido, Eduardo Suplicy, avaliada em 2,5 milhões de reais - uns 694.400 dólares.[48] Outros detalhes de sua vida nada proletária são bem conhecidos do público.

O então senador José Paulo Bisol (PSB), candidato a vice-presidente na chapa de Lula em 1989 era proprietário da fazenda São Vicente da Direita, com 1.097 hectares, em Buritis, e outra em Unaí, ambas em Minas Gerais. [49]

Leonel Brizola possuía em 1986 um patrimônio avaliado em dois milhões de dólares, representado principalmente por duas fazendas no Uruguai (El Repecho e La Tala de Yi), com 3.181 hectares, onde criava sete mil ovelhas.[50] Com razão um adversário perguntou: "Como pode um dos maiores latifundiários do Sul do País falar em acesso à terra por meio da posse?" [51] Seu candidato a vice-presidente, em 1989, detinha um patrimônio que, só em poupanças, chegava a 37,6 milhões de cruzeiros novos, cerca de 13,6 milhões de dólares. [52] Mais tarde, em 2001, a revista Veja publicou reportagem, sustentando que sua propriedade uruguaia valia 4,5 milhões de dólares; o rebanho estimado era de 16 mil cabeças ¾ 6 mil bois e 10 mil ovelhas. Além disso, recebia três aposentadorias: 5.600 reais como ex-governador do RGS, 6.175 reais como ex-governador do Rio e 980 reais por ter sido duas vezes deputado federal, num total mensal de 12.755 reais, [53] na época cerca de 4.850 dólares.

Experimente alguém reunir quinhentos anticomunistas para um evento, numa capital brasileira; os obstáculos financeiros serão quase intransponíveis. No entanto, um dos últimos eventos do Forum Social Mundial reuniu em Porto Alegre 100.000 pessoas, de 121 países e 5.500 ONGs.[54] De algum misterioso lugar vieram passagens, hotéis e refeições para essa multidão enorme...

Basta de exemplos da "pobreza" da esquerda, meu leitor. E agora, com licença, que como bom "milionário" da direita, vou dar minhas suadas aulas...


* Se preferir, leia o texto no endereço:
http://www.ternuma.com.br/mentira2.htm

DANIEL PEARL disse...

O noticiário internacional dos jornalões é editado de forma que depõe contra o próprio jornalismo, seja através da manipulação da informação ou mesmo pelo silêncio comprometedor. O Brasil não fica atrás, nossa mídia é hoje conhecida como “GOLPISTA”. Veja a situação do jornal O Globo, voltou a incentivar a discórdia entre países sulamericanos. A manipulação da informação chega as raias da imbecilidade, como é o caso de Reinaldo Azevedo, pau-mandado da Elite Paulista, disse em seu blog (da Veja): "Lula construiu até hoje um único presídio, o de Catanduvas". Tem credibilidade um jornalista como esse? Ou é um mentiroso a serviço da oposição, ou é um ignorante desinformado. O que a mídia golpista não pode desfazer é as conquistas do governo Lula, em 30 anos de luta após o início do movimento de reorganização sindical no Brasil, a classe trabalhadora vive agora o seu melhor período de vitórias. Leia tudo no DESABAFO PAÍS: http://desabafopais.blogspot.com. Com cara nova.

VAI PRO BLOG QUE VOS PARIU VAI! disse...

JUSSARA SEIXAS


Vê se dá um tempo vai?


ô mulherzinha repugnante sô!

tá mais manjada na web do que as moças, da calçada da Vieira Souto.

Anônimo disse...

SERRÃO


conta mais istorinhas do boi

boi boi boi
boi da cara preta
pega esse safado
que tem medo de sarrafo

Anônimo disse...

Como Napoleão, devemos nos livrar, o mais rapidamente possível, dos ignorantes com iniciativa.

Um ignorante com iniciativa é capaz de fazer besteiras enormes.

Um ignorante com iniciativa faz o que não deve, fala o que não deve e até ouve o que não deve.

Um ignorante com iniciativa é, portanto, um grande risco. Não precisamos dele.

Nem Napoleão os queria.

O problema da humanidade é que os ignorantes estão cheios de certezas e os inteligentes estão cheios de dúvidas.

P.G.Moura

Junior disse...

..., há varios motivos para a penuria das Forças Armadas, mas posso destacar duas:
1. Os nossos Comandantes das tres força nada podem fazer, pois ir contra aquele que os promovem!!É de saber que esses comandantes tem parentes empregados no governo, recebem gratificações pousudas e almejam um cargo após vestirem o pijama...,enfim, infelizmente eles fazem de conta que esta tudo bem...
2. E a outra culpa são dos proprios militares que nada fazem!!Ficam nos quarteis calados, pois tem um tal de RDE que os proibem de fazerem greve. Lamemtamos, pois sabemos que as Forças Armadas de armadas não tem nada...