quinta-feira, 24 de maio de 2007

Carrascos e Monstros

Edição de Artigos de Quinta-feira do Alerta Total http://alertatotal.blogspot.com

Por Márcio Accioly

O presidente Dom Luiz Inácio (PT-SP), aquele que nunca sabe de nada do que ocorre debaixo do próprio nariz, acaba de levar enorme bordoada: num país comandado basicamente por ladrões, o líder de seu governo no Senado, Romero Jucá Filho (PMDB-RR), foi flagrado, também, liderando emendas para a construtora Gautama.

O mais interessante de tudo é observar que o senador já havia sido defenestrado do Ministério da Previdência, no dia 22/07/05, exatos quatro meses depois de ter sido nomeado, por falta de condições morais para o posto.

Sua demissão só aconteceu depois que a Folha de S. Paulo denunciou que ele entregou sete fazendas inexistentes no estado do Amazonas, como garantia de empréstimo milionário arrancado no Basa – Banco da Amazônia S/A.

Nesta quinta-feira (24), o Jornal do Brasil informou que, em 2005, o senador Filho “incluiu no Orçamento da União” daquele ano, “R$ 94,3 milhões em emendas destinadas a obras tocadas pela Gautama, empreiteira de Zuleido Veras”.

A matéria, assinada por Sérgio Pardellas, diz ainda que “no dia em que a PF deflagrou a Operação Navalha, três senadores foram atendidos no serviço médico do Senado com pressão alta. Entre eles, Jucá”.

Mas não saiu uma só linha a respeito de um shopping milionário, em Recife (PE), no qual o irmão de sua excelência, Álvaro Oscar Ferraz Jucá é um dos principais proprietários. Como é que um cidadão classe média, sem fortuna, sem ter acertado a mega-sena ou prêmio similar, tem condições de possuir um shopping?

O presidente da República tem a obrigação de vir a público e esclarecer a razão pela qual um cidadão que não possui crédito moral para ficar à frente de um Ministério como o da Previdência tem condições de ser o líder de seu governo no Senado.

O (des)governo Dom Luiz Inácio acabou. Aliás, nem começou. Sobrevive apenas por conta de bolsas-esmolas que aprisionam milhões de excluídos, adiando problema que irá explodir mais adiante.

O Brasil se encontra em aberta guerra civil, mas nossas autoridades, de maneira irresponsável, continuam roubando. Desviando recursos financeiros destinados à educação e à saúde, sem preocupação com o drama que se expõe nas ruas conflagradas.

São vários os governadores envolvidos, como também são vários os parlamentares citados, inclusive o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), acusado pelo senador ACM (DEM-BA) de estar envolvido com Zuleido Veras desde 2001!

Que governo é esse, cujo líder no Senado, Romero Jucá Filho, posto para fora da Previdência por acusação irrespondível, emerge como líder de recursos financeiros públicos destinados à Gautama? O presidente da Republica, deve-se repetir, encontra-se no dever e na obrigação de vir a público se defender.

E na desordem instaurada, preocupa sobremaneira as acusações trocadas entre o ministro do STF, Gilmar Mendes e o procurador-geral da República, Antônio Fernando de Souza. O ministro responde a ação de improbidade oferecida pelo procurador da República Luiz Francisco dos Santos.

A Folha de S. Paulo (no último 11 de março), trouxe reportagem contundente contra Mendes, mostrando envolvidos na Operação Anaconda que foram livrados por ele de implicações penais sérias. Agora, as decisões de sua excelência parecem repeteco de medidas anteriores.

O ambiente está fermentando a geração de um salvador à moda Hugo Chávez.

Márcio Accioly é Jornalista.

7 comentários:

Anônimo disse...

A MÁFIA DE TÃO SEGURA DE SI E DE SUA IMPUNIDADE , ESTÁ CAMINHANDO PASSOS LARGOS PARA O FIM.
IGNORANTES, CRIMINOSOS, IMORAIS E AMORAIS, TODOS CEGOS PELO PODER E ACOBERTADOS PELO LIDER MONSTRUOSO E ASQUEROSO LULA.

NÃO HÁ MAU QUE SEMPRE DURE E ESTE USURPOU O PODER HÁ 5 ANOS... QUE O DIABO O CARREGUE!!!

Anônimo disse...

A situação é bem clara e não sei qual a razão não falam do assunto, provocando pedidos de demissão para salvar pescoços desse desgoverno. Afinal, quem foi que assinou a liberação das verbas destinadas à Gautamo, mesmo tendo à frente vários relatórios do TCU contrários a qualquer liberação? Posso de dar a plena certeza de que não fui eu.
Basta encontrar essa pessoa e colocá-lo na cadeia, mas querem fazer parecer que a quantidade de ladrões no governo é tão grande que levaria a um impasse ou lacuna de poder.
Isto é uma história para boi dormir.

ATENÇÃO BRASIL disse...

Flores inflamáveis: ajude a espalhar
Enquanto a grande imprensa destaca que os alunos amotinados na USP estão fabricando flores de papel crepom para receber a polícia, Reinaldo Azevedo , que está fazendo uma cobertura intensa desde o primeiro dia da ocupação, afirma que há gasolina estocada na reitoria.

Sim, vocês leram direito: há gasolina estocada entre os estudantes que ocupam a reitoria da USP - e que devem enfrentar uma ação policial, por ordem da justiça, nas próximas horas. Os detalhes estão lá no blog do Reinaldo. E,embora ele não revele a fonte, é sério o suficiente para merecer crédito.

Talvez, como sugere o Reinaldo, o pessoal das flores de crepom não saiba da gasolina - os movimentos sociais são prenhes de inocentes úteis; são eles que costumam ser colocados na linha de frente para apanhar, enquanto aqueles que os incitam ficam na retaguarda. Então, talvez eles não saibam da gasolina. Mas uma coisa é certa: é preciso que a opinião pública saiba.

Primeiro porque nenhuma boa intenção pode justificar o estoque de combustível em tais condições. Depois, porque é preciso conhecer integralmente a situação que a polícia vai enfrentar ao entrar lá. Como o Reinaldo vem alertando há horas, na primeira biaba que um estudante destes tomar da polícia, farão um escândalo. Os organizadores da coisa querem hematomas para exibir - e é provável que alguns deles queiram também cadáveres.

Portanto, para que nos próximos dias seja preservada a versão integral dos fatos, espalhe por aí: há gasolina estocada na Reitoria da USP.

BRASIL ACIMA DE TUDO disse...

Uma semana depois de ter sido declarado inelegível até 2007 por uma juíza de Campos dos Goytacazes (RJ) - o que, aliás, ainda pode ser objeto de recurso ao TRE-RJ, o presidente regional do PMDB e secretário de Governo e Coordenação do Estado do Rio, Anthony Garotinho, foi condenado, em segunda instância, a indenizar o general Newton Cruz [foto] . Por decisão da 9.ª Câmara Cível do TJ-RJ, Garotinho terá de pagar R$ 26 mil a Cruz. O processo começou em 1994, ano em que o general e Garotinho foram adversários na eleição para governador, vencida pelo tucano Marcelo Alencar. Durante a campanha, Garotinho teria declarado, num encontro com evangélicos, que disputava a eleição com "um bêbado, um ateu e um assassino". As referências seriam, respectivamente, a Alencar, ao deputado Jorge Bittar (PT) e a Newton Cruz, que foi chefe do Serviço Nacional de Inteligência - antecessor da Agência Brasileira de Inteligência (Abin) - durante o governo do presidente João Figueiredo, o último general-presidente do regime militar iniciado em 1964. Sentença do juiz da 8.ª Vara Cível deu ganho de causa a Cruz. A apelação de Garotinho foi fulminada em abril passado, sendo a respectiva intimação das partes publicada ontem no Diário Oficial. O valor corresponde a 100 salários mínimos da data da decisão de segundo grau. Os juros retraogirão à data da citação inicial. Para comemorar o resultado do processo o general Newton Cruz fez um churrasco em seu sítio na Região Serrana do Rio, que segundo ele foi custeado com parte do que vai receber de Garotinho

Bagli&Blog disse...

Prezado Jorge Serrão,

Boa noite.

Quem está na lista? Quem são os navalhados que compõe o governo imundo e sórdido do marginal de governo o Brasil?

Sairá um novo mensalão?

Teremos chances de depor o atual governo através de um impeachment?

A CPI da Navalha que fará barba, cabelo e bigode, sai?

Abração,

Paulo Roberto de Oliveira disse...

“A VERDADE TEM QUE SER DITA”


O arbitrário descumprimento da Constituição de 1988 e outros dispositivos legais pedimos respeitosamente ao Exmo. Procuradores da República do Ministério Publico Federal dos Direitos do Cidadão, que sejam adotadas imediatos providências a serem concretizadas tais como: ação direta de inconstitucionalidade e denúncia crime de responsabilidade contra as pessoas do Ex Comando da Aeronáutica Tenente Brigadeiro Luiz Carlos da Silva Bueno, o Ex Ministro da Justiça Márcio Thomaz Bastos e o Presidente da República, Sr. Luiz Ignácio Lula da Silva, onde praticaram e praticam os seguintes crimes tipificados no Código Penal Brasileiro.

Crime de falsidade ideológica prevista no art. 299 do Código Penal brasileiro;

c) ao retardarem ou deixarem de praticar, indevidamente, ato de ofício contra expressa disposição legal (art. 8o do ADCT da Constituição Federal de 1988; Lei n. 9.784/1999, com as alterações da Lei n. 11.417/2006), obraram em prevaricação, tipo penal descrito no art. 319 do Código Penal brasileiro.


d) em razão dos crimes de falsidade ideológica, de prevaricação, ante a falta de respeito com os direitos dos cidadãos com idades avançadas, por negarem o cumprimento da Lei n. 10.559/2002, que assegura direitos constitucionais da classe do pessoal subalterno da Força Aérea Brasileira, sargentos, cabos, soldados e taifeiros, que foram efetivamente atingidos pela Portaria nº 1.104/1964, de conotação política, onde anistiou uma parcela de 2.880 (dois mil e oitocentos oitenta Ex Cabos pela punição da aludida Portaria), e não anistiou o restante discriminando e dividindo toda a classe em pré e pós 1964, gerando descontentamento e desconforto em uma mesma unidade de ex-militares, que foram punidos na mesma situação a partir dos anos de 1964 á 1982, ofendendo a honra e a integridade subjetiva dos (des) anistiados e anistiados, os quais as citadas autoridades cometeram o crime de injúria e calúnia, capitulado no artigo 140 do Código Penal Brasileiro.



Estar escrito na Constituição Federal de 1988, qual é a função das Forças Armadas:
Art. 142 - As Forças Armadas, constituídas pela Marinha, o Exército e a Aeronáutica, são instituições nacionais permanentes e regulares, organizadas com base na hierarquia e na disciplina, sob a autoridade suprema do Presidente da República, e destinam-se à defesa da Pátria, à garantia dos poderes constitucionais e, por iniciativa de qualquer destes, da lei e da ordem. È um absurdo “A LEI e a ORDEM” no período da Ditadura Militar, desaparecer nas Forças Armadas, onde prevaleceram os arbitrários Atos Institucionais juntos com a Portaria 1.104/Gm3/1964, nos anos de 1964 á 1982, os quais, mais uma vez o Governo Central demonstrou e ainda demonstra ser totalitário, comunista, nazista ou fascista e o permanente desejo de neutralizar informações repassa-la de acordo com sua vontade particular, francamente facciosa em defesa da manutenção do seu poder conivente com a cumplicidade em sua posição, em apoiar os princípios da ilegalidade no descumprimento da Lei de Anistia Política 10559/2002. Cadê a Secretaria Especial dos Direitos Humanos da Presidência da República, que em 4 anos ainda não percebeu que o Presidente Lula continua cometendo um crime humanitário contra cidadãos frágeis e indefesos? E o pior, nas vistas do Secretário Geral dos Direitos Humanos do próprio Governo.

Walter Souza Pinto - Ex Cabo da FAB. disse...

“DESABAFO DE EX CABO DA FAB ANISTIADO”


Estou indignado com a postura do Presidente Lula, porque juntos com três irmãos ingressamos na Aeronáutica, o qual sendo o irmão mais velho incorporei em 1961, e o segundo irmão em 1964, porém os dois mais novos incluíram em 1966 e 1969, onde fomos vítimas da Portaria 1.104/Gm3/1964. Uma vês ingressado antes de 1964 e anistiado junto com 2.880 companheiros, os quais fomos contemplados com a graduação de Suboficial, não acho justo uma parcela de Ex Cabos da FAB serem anistiados e a outra parcela punidos na mesma situação ficarem com seus direitos cerceados, onde meus dois irmãos que sofreram a mesma punição ficaram totalmente prejudicados.

A meu ver, teria que anistiar todos ex militares do período de 1964 á 1982 anos que a Portaria foi revogada, ou então não anistiasse ninguém, porque é muito triste dois irmãos ser considerados anistiados políticos porque entraram da FAB antes de 1964, e os outros (dois) com mais três mil Ex Cabos ainda lutando pelo os mesmos direitos, que por perversidade e crueldade do próprio Presidente da República, em não querer conceder a todos, um direito líquido amparados na Lei 10559/2002. Não pode haver interpretação diferente num ato nocivo, os quais os Comandantes através da referida Portaria, torturaram e espancaram quase todos até a morte, e o restante que sobreviviam eram expulsos como subversivos da Corporação sem direito a nada.

A portaria 1.104/Gm3/1964 não pode ter duas mãos de direções diferentes e nem dois pesos e duas medidas, e muito menos ser equiparado ou superior a uma Lei, porque se for assim, vamos ter quer substituir todas as Leis do País por Portarias Ministeriais, onde a quatro anos e cinco meses da administração do Presidente Lula, que esta discursão não encerra, e nas cabeças de pessoas perniciosas e más intencionadas, a Portaria 1.104/Gm3/1964 vigente do Ministério da Aeronáutica no período da Ditadura Militar, continua sendo enaltecida como se fosse superior a nossa Constituição de 1988, passando a ser de tamanha magnitude, que deveria substituir imediatamente a Lei do Serviço Militar comum as Forças Armadas, uma vez que toda administração do Partido do Trabalhador em consonância com o Comando da Aeronáutica, ainda defende a aludida Portaria como um instrumento precioso para a Força Aérea Brasileira, que País é este? “DEMOCRACIA TRANSFORMADA EM DITADURA”!!!!!!!!!!!!!!