segunda-feira, 14 de maio de 2007

Cortando Caminho

Edição de Artigos de Segunda-feira do Alerta Total http://alertatotal.blogspot.com

Por Márcio Accioly

O Brasil inteiro está se transformando numa zona conflagrada de guerra. E até mesmo os que insistem na defesa alienada (como fuga ou compensação), do caráter “bondoso” e “pacífico” do nosso povo, não mais se arriscam a circular em lugares isolados de nossas cidades, temerosos de assalto ou agressão.

O foco do desastre, por conta de impacto exercido pela mídia, parece estar centrado no Rio de Janeiro e São Paulo. Mas é nos esquecidos estados das regiões Norte e Nordeste onde se registram índices calamitosos de violência, corroendo a base de nossa atividade econômica e causando incalculáveis prejuízos.

São milhares de pessoas mutiladas, abarrotando hospitais desprovidos, que não dispõem de material adequado nem de cirurgiões qualificados como seria de se exigir. O Brasil que se vê na propaganda oficial está, a cada dia, mais distante da cruel realidade.

No Rio de Janeiro, autoridades ditas responsáveis se mostram agora preocupadas com a aproximação do mês de julho, data dos Jogos Pan-americanos. É que a atividade criminosa do tráfico já obrigou, inclusive, a criação de um mapa de “exclusão aérea”.

Matéria assinada por Antônio Werneck, no jornal O Globo do último domingo (13), mostrou que helicópteros civis que “invadem” áreas proibidas, no Rio de Janeiro, estão sendo alvejados com tiros de fuzis sofisticados.

As “Rotas Penha, Ferrovia e Maracanã” são consideradas áreas de “alto risco”. Elas passam por cima de favelas do Complexo Alemão, do Jacarezinho (bairro do Méier) e complexos de morros da Tijuca.

Já existem ameaças diretas, por parte dos traficantes, de se matar familiares de militares no caso de ações armadas contra suas organizações criminosas instaladas em favelas e morros. Junte-se a isso a possibilidade concreta de derrubada de helicópteros e teremos o caos generalizado.

Com suas ramificações se estendendo aos poderes da República (a recente prisão de magistrados e as denúncias contra parlamentares deixam bem claro o nível de seu alcance), chega-se à conclusão de que o crime organizado no Brasil é o próprio Estado constituído.

De indefeso mesmo somente o povo, pagando impostos e esperando ações por parte de autoridades corrompidas. As consideradas legítimas vivem ocupadas na criação de mecanismos de entrega perpétua de riquezas naturais do país, as quais poderiam propiciar meios indispensáveis à nossa libertação.

A inglória tarefa de desmonte nacional vem de há muito e não parece ter fim. Passa por cima de tudo aquilo que se possa crer racional ou justo. Até mesmo da legislação mais explícita. Nos Atos das Disposições Transitórias Constitucionais, em seu artigo 26, lê-se com todas as letras que:

“No prazo de um ano a contar da promulgação da Constituição, o Congresso Nacional promoverá, através de comissão mista, exame analítico e pericial dos atos e fatos geradores do endividamento externo brasileiro.”

Pois bem: passadas quase duas décadas, nenhum dedo se moveu no sentido de se instalar tal comissão, apesar de esforços empreendidos por alguns parlamentares e pela OAB – Ordem dos Advogados do Brasil.

A instituição de superávits primários, no pagamento de dívida externa já saldada, gera miséria e dor, enquanto se aprofunda o fosso diante de um Estado que não defende os interesses da população. Estado mergulhado em contradições e que acirra duramente seus conflitos. De cenário como tal, não se tem como receber bonomia.

Márcio Accioly é Jornalista.

2 comentários:

Anônimo disse...

Excelente artigo.
Estado pesado e ineficiente.
Instituicoes que nao funcionam ou funcionam para alguns.
O povo brasileiro infelizmente e refem de uma classe politica mediocre e corrupta.

Eliana Rocha disse...

MAPA DAS ÁREAS DE EXCLUSÃO AÉREA

VOLTO A INSISTIR O GOVERNO FEDERAL TEM QUE DECRETAR O ESTADO DE DEFESA.

AS FORÇAS ARMADAS DEVEM AGIR DE ACORDO COM A NOSSA CONSTITUIÇÃO.

Impossível entender como o PRESIDENTE DA REPÚBLICA AINDA não tomou providências para acabar com essa GUERRA que se arrasta e aumenta a cada dia.

O RIO DE JANEIRO TEM MAPAS DE EXCLUSÃO AÉREA.

Medida tomada por países em GUERRA, se não estamos em guerra civil porque temos essas áreas?

Vários helicópteros já foram atingidos ao sobrevoarem favelas como o COMPLEXO DO ALEMÃO, JACAREZINHO, VIDIGAL, ROCINHA, NOVA HOLANDA, MARÉ E OS COMPLEXOS DA TIJUCA, nessas áreas os helicópteros ficam a uma altitude de 1000 pés (equivale a 3oo metros) e os fuzis utilizados pelo NARCOTRÁFICO atingem de 1300 a 1500 metros.

São alvos fáceis.

OPERAÇÃO ENXUGA GELO - INVASÃO DO MORRO DO ALEMÃO

Na ação iniciada há 11 dias pela Polícia Militar no COMPLEXO DO ALEMÃO o número de vítimas subiu já são 14 mortos e 47 feridos.

Esse é o saldo da GUERRA.

Secretário Nacional de Segurança Pública disse que “onde houver sinal de emprego de violência, o estado vai entrar.”

Bonitas palavras, pena que são vazias.

O nosso secretário não lê as notícias na íntegra, a POLÍCIA MILITAR NÃO CONSEGUIU ENTRAR NO TERRITÓRIO.

A Polícia esta de fora, tentando entrar.

O poder bélico dos SOLDADOS DO NARCOTRÁFICO é grande e as estratégias são muitas para impedir o Poder Público de adentrar a FAVELA.

O Secretário sonhou que a polícia havia entrado.

O comandante da PM diz “é preciso resgatar o espaço público para devolvê-lo ao cidadão que ali mora.”

Falou bem.

Só que a estratégia utilizada pela PM esta sendo insuficiente, são poucos homens na operação.

Temos muitos homens e várias polícias porque não fazer um Pool das Polícias Militar, Civil e Federal e todos invadirem e RETOMAR OS TERRITÓRIOS OCUPADOS para devolvê-los ao GOVERNO CONSTITUÍDO.

Algo de estranho esta acontecendo, temos uma guerrilha que não termina e por quê?

Alguém não esta usando a inteligência ou não tem interesse de que realmente os territórios ocupados sejam retomados.

O que vejo são muitas mortes, muitos feridos e nada mais que uma brincadeirinha de esconde-esconde da POLÍCIA E SOLDADOS DO NARCOTRÁFICO, como se estivesse tudo devidamente calculado e combinado.

Enxugar gelo, esse é o nome da operação.

Como sempre a população é quem paga com a vida, à falta de paz, colégios fechados, comércio fechado só prejuízo.

A população é eternamente desrespeitada pelos governos eleitos por ela.
Eliana Rocha
http://acabarcomacorrupcao.blogspot.com/