terça-feira, 8 de maio de 2007

Equipe econômica e BC torram recursos no mercado de câmbio para facilitar fusões e aquisições de empresas

Edição de Terça-feira do Alerta Total http://alertatotal.blogspot.com/

Ouça agora o novo podcast Alerta Total no seu computador.
http://podcast.br.inter.net/podcast/alertatotal
No ar às 11h 30min

Adicione nosso blog e podcast a seus favoritos do Internet Explorer.

Por Jorge Serrão

A orgia global de fusões e aquisições de empresas, promovida pelos banqueiros seqüestradores de recursos da economia mundial, vai acirrar ainda mais o processo de desnacionalização das empresas brasileiras. O volume de negócios de fusões e aquisições no Brasil anunciados nos primeiros quatro meses deste ano aumentou 97,7% em relação ao mesmo período do ano anterior.

A equipe econômica de Lula da Silva e seu time do Banco Central (amestrado pelos banqueiros lá de fora) praticam o intervencionismo estatal no mercado de câmbio (mantendo o real artificialmente valorizado em relação do dólar) para facilitar as operações de compra, fusão e venda de empresas promovidas pelas grandes empresas transnacionais e seus bancos associados.

Este ano, as operações de fusões e aquisições já movimentaram entre US$ 17 bi e US$ 18 bilhões e 650 milhões de dólares. O valor ficou 80% acima do registrado no mesmo período de 2006. Os números são da consultoria Thomson Financial. Empresas supostamente “brasileiras” (na verdade, os sócios daqui são laranjas dos estrangeiros) também aparecem como compradoras no exterior. Tudo para abrilhantar o espetáculo de efeitos especiais da globalização.

O primeiro lugar do ranking de fusões e aquisições no Brasil é do banco suíço UBS, com US$ 7,5 bilhões em negócios. Em seguida, aparece o inglês Rothschild, com US$ 5,5 bilhões. Deste valor, cerca de US$ 5 bilhões se referem à oferta de recompra de ações preferenciais da Telemar. No mundo inteiro, os negócios de fusões e aquisições passaram de US$ 1 trilhão para US$ 1 trilhão e 760 bilhões de dólares no mesmo período. Foi um aumento de 70,9%.

Lá fora, o líder em fusões e aquisições é o Goldman Sachs, com US$ 593 bilhões e 700 milhões de dólares. O segundo lugar é do Citigroup, com US$ 575 bilhões e 100 milhões. Na América Latina, o segundo lugar também é do Citi, atrás do UBS.

Aqui no Brasil, os suíços do Banco UBS Pactual decidem seus negócios na Av. Pres. Juscelino Kubitschek, 50 6º andar - Itaim Bibi, São Paulo. Com R$ 49 bilhões e 900 milhões de reais de ativos em gestão (em setembro de 2006), o UBS Pactual é um dos maiores gestores do Brasil. O Banco Rothschild foi o líder no processo de privatização. Também promove a reestruturação da Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F Brazil). Mantém sua subsidiária na Avenida Brigadeiro Faria Lima, 2055, 18º andar, em São Paulo. Chama-se Luiz Muniz o sócio global do Rothschild e responsável por suas operações no Brasil.

A escalada de fusões e aquisições é sustentada pelo forte ingresso de recursos estrangeiros. Na Bovespa, a entrada líquida foi de R$ 1,2 bilhão em abril. Parte dos investimentos vai para o mercado de ações. Semana passada, a Bovespa rompeu ontem a barreira dos 50 mil pontos. Além de faturar com o juro alto no Brasil, o movimento do chamado capital motel (que entra e sai a hora que quer) também colabora para a valorização do real frente ao dólar. Azar dos exportadores brasileiros, que ganham cada vez menos, e suas empresas ficam vulneráveis às ofertas de fusão ou venda às grandes transnacionais.

O Banco Central tem atuado com força no câmbio na tentativa de retirar parte dos dólares que ingressam no Brasil. Semana passada, vendeu no mercado futuro US$ 4 bilhões de swap cambial reverso e impediu que o dólar batesse nos R$ 2,00. No mercado à vista, O BC já comprou em quatro meses US$ 33 bilhões, quase o mesmo que adquiriu em todo o ano passado. A oligarquia financeira transnacional, que comanda a farsa do “investimento direto estrangeiro”, faz a alegria de suas empresas transnacionais, cada vez mais sugando recursos da economia brasileira.

Mantendo o Brasil artificialmente na miséria

Uma prova de que a área econômica do governo, que pensa e age segundo os interesses anti-nacionais, joga, propositalmente, contra o desenvolvimento do Brasil.

Entre janeiro e abril, o governo Lula só assumiu o compromisso de gastar com o Programa de Aceleração do Crescimento 20% dos investimentos previstos no Orçamento.

A área de saneamento não recebeu um só centavo de R$ 1,3 milhão prometido para obras no setor.

Sucesso para a filha do Ministro

A filha do ministro da Economia, Guido Mantega, quer abraçar de vez a carreira de atriz, depois de sua experiência na peça Cleópatra.

Antes de viajar para curtir um mês de completa lua-de-mel na Europa, com seu namorado, o ator e diretor da Rede Globo, Marcos Paulo, Marina deixou suas funções de consultora financeira no Banco Cruzeiro do Sul, de Otavinho Índio da Costa.

Apenas por coincidência, o banco Cruzeiro do Sul, onde a filha do ministro da Fazenda trabalhava, é um dos líderes na farra do empréstimo consignado aos aposentados e pensionistas do INSS.

Mata o velho, Mata...

Para reforçar o bolso, aposentados e pensionistas do INSS elevam o volume de operações de empréstimos consignados.

Até o mês passado, 7,6 milhões de segurados haviam fechado 17,09 milhões de contratos para sair do sufoco agora, mas entrar depois, sem conseguir pagar o que devem. Os idosos tomaram emprestados R$ 23 bilhões e 400 mil reais.

São 11,4 milhões de operações ativas.

Só em abril foram registradas quase 800 mil operações fechadas, com financiamentos de R$ 746 milhões.

O índio vai comprar?

A Petrobrás quer uma resposta em 48 horas para sua proposta de vender as duas refinarias que mantém nas regiões de Cochabamba e Santa Cruz de La Sierra, na Bolívia.

O presidente da empresa, Sérgio Gabrielli, espera que o país vizinho aceite fechar negócio "por um valor justo".

A Petrobrás vai propor que a Bolívia pague pelas refinarias entre US$ 120 milhões e US$ 160 milhões, o que é quase o triplo do que o governo Morales informa estar disposto a desembolsar.

"Expropriação do fluxo de caixa"

A decisão brasileira foi tomada após a publicação de decreto assinado domingo pelo presidente Evo Morales.

O documento permite à estatal Yacimientos Petrolíferos Fiscales Bolivianos (YPFB) assumir o monopólio sobre a exportação e a comercialização de petróleo bruto reconstituído e gasolina branca.

José Sérgio Gabrielli classificou a jogada boliviana como "expropriação do fluxo de caixa".

O Itamaraty distribuiu nota em que condena "gestos unilaterais" do governo boliviano e fala em prejuízo à "cooperação entre os dois países".

Remedinho dos ingleses

O Brasil vai pedir amanhã ao Unicef intermediação na compra de 18 milhões e 500 mil unidades do genérico do Efavirenz.

O remédio utilizado no coquetel de combate à aids.

Tá explicado: o genérico é fabricado por empresa indiana, que é controlada pelos parceiros ingleses do nosso governo brasileiro.

E mês que vem o presidente Lula fará mais um tour pela Índia, a bordo do nosso luxuoso Air Force 51.

Abortando Lula?

O Vaticano vai aproveitar a visita de cinco dias que Bento XVI inicia amanhã em São Paulo para pressionar o governo brasileiro a impedir a legalização do aborto no País.

Em entrevista a emissoras de rádio católicas, ontem, o presidente Lula disse que, como cidadão, é contra o aborto.

Mas ressalvou que o Estado não pode abrir mão de tratar o caso como uma questão de saúde pública.

Idosos nas trevas

Metade da população de brasileiros com mais de 60 anos não sabe ler nem escrever.

Segundo uma pesquisa divulgada ontem, 18% dos 2.136 entrevistados nunca entraram numa escola.

A maioria viveu no campo e só 4% do total sabem o que é internet.

Problema com a esmola que dá voto

O governo federal suspendeu a distribuição de 330.682 benefícios do Bolsa Família.

Outros 198.634 benefícios estão sob investigação.

O governo Lula distribui a benesse para quase 11 milhões de famílias.

A principal causa do corte foi a discrepância entre a renda detectada nos cadastros e os limites do programa.

Uma auditoria descobriu que as famílias beneficiadas têm renda superior ao máximo permitido: R$ 120 mensais por pessoa.

Apagão do Apagão da CPI

Pelo menos oito dos 24 integrantes da CPI que investigará o caos nos aeroportos aparecem como réus em processos judiciais.

Supostas irregularidades cometidas vão de crime eleitoral a mau uso de dinheiro público.

Perguntinha idiota: Que moral eles terão para investigar irregularidades na Infraero, sem ficarem à mercê das pressões do governo?

Risco de apagão

O Operador Nacional do Setor Elétrico está de cabelo em pé.

Consumo de energia elétrica cresce 8,1% em abril.

Houve um aumento de 5,4% no mês de março.

A explosão de consumo de energia traz preocupações em relação ao segundo semestre de 2008.

Casa nova para Sua excelência

O presidente da organização criminosa PCC, sua excelência Marcos Willians Herbas Camacho, o Marcola, deixou hoje de manhã o Regime Disciplinar Diferenciado (RDD) em Presidente Bernardes, a 589 km de São Paulo, onde estava desde maio de 2006.

No RDD, aplicado em presídios de segurança máxima, o detento fica preso em cela individual monitorada por câmera, com saídas para banho de sol apenas uma vez por dia, e comunicação indireta com os carcereiros.

Marcola foi para a Penitenciária 2 de Presidente Venceslau, a 620 km da capital.

No novo endereço, Sua Excelência não terá restrições de comunicação com carcereiros e não ficará mais isolado - vai dividir cela e conviver normalmente com outros detentos.

Os militares estão adorando...

A Comissão Especial dos Mortos e Desaparecidos Políticos e a Secretaria de Direitos Humanos, ligada à Presidência da República, promoveram ontem, em Belo Horizonte, o recolhimento de sangue de parentes de 13 pessoas que viviam em Minas e sumiram durante a ditadura.

O material vai para um banco de DNA que ajudará a tentar identificar os restos mortais deles.

Além da capital mineira, também foi feita coleta em São Paulo, Rio, Recife e Salvador e haverá ainda no interior do País.

Os caçadores de indenizações milionárias do governo gritam que cerca de 350 militantes de esquerda foram mortos durante o regime militar e não se sabe o paradeiro de aproximadamente 150.

O Papa e o Mengão

Depois da conquista do Campeonato Carioca 2007, o Flamengo espera vender todos os 63.774 ingressos para o jogo decisivo, de acesso às quartas de final da Copa Libertadores, contra o Defensor, do Uruguai, no Maracanã.

Para ter casa cheia, a diretoria do mengão reduziu o preço da arquibancada para R$ 15.

As cadeiras azuis custarão R$ 10, as especiais, R$ 100.

Estudantes com carteirinha pagam meia.

Os ingressos podem ser encontrados na Gávea, no Maracanã, nas Laranjeiras, na Universidade Estácio de Sá e Loja Kappa, na Barra, e no Rio Sampa, em Nova Iguaçu.

O Flamengo tem a missão quase impossível de vencer os Uruguaios por uma diferença de quatro gols.

Mais fácil pedir a Bento 16 que dê uma rezadinha em favor de São Judas Tadeu, padroeiro do Flamengo.

Vida que segue...

Fiquem com Deus!

O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Inteligente, inovador, fortemente analítico e propositivo, utilizando as mais modernas tecnologias para transmissão instantânea e eletrônica de informação privilegiada e análise estratégica, junto com a difusão de novos conhecimentos voltados para a construção e consolidação de novos valores humanos.

3 comentários:

Anônimo disse...

Jornal do Brasil, 07 Maio

Suplício por merecimento
Antonio Sepulveda, escritor
Confesso sentir certo prazer sádico sempre que leio ou ouço alguma queixa contra a atual situação do Brasil. As lamúrias soam como o coral de carpideiras de uma ópera-bufa. Eis aí o lado tragicômico da democracia brasílica: o povo elege seus anti-heróis e, apesar do desastre resultante, os reelege entusiasticamente ante à perplexidade do senso comum.

Gatunos, terroristas, vadios, boçalóides e gramcistas de ambos os sexos conseguem desfrutar, com impunidade cínica, o hedonismo que distingue a famigerada Praça dos Três Poderes, com os votos dos amorfos, dos indiferentes, dos medíocres, dos mal-intencionados e dos socialistas. Conclusão a que se chega: a choradeira deve ser encarada como uma autocrítica e os eleitores da matula merecem a existência lastimosa que escolheram livremente nas urnas; fazem jus ao infortúnio e têm todo direito ao peso desse aviltamento.

Nunca antes neste país, sem qualquer intenção de plágio, a verdade política foi tão límpida, tão cristalina: a safadeza vem à tona, as evidências se multiplicam, os crimes são comprovados, as mentiras se mostram transparentes e nada, rigorosamente nada, acontece. É como se todos os poderes da República fossem coniventes com a sordidez reinante sob a aclamação de uma maioria tomada por instintos bestialmente suicidas.

Não importam os dólares sonegados, os cheques assinados, as contas estrangeiras, as máquinas caça-níqueis, as gravações de voz e imagem... Todos os implicados - parlamentares, juízes, policiais, com a honrosa exceção dos bicheiros que jamais se disseram castos - são sacerdotizas de Vesta, exigem fórum especial e, com o beneplácito de uma legislação caduca e nociva, almejam outros mandatos, outras sinecuras e outras mamatas, a fim de evitar que suas falcatruas sofram solução de continuidade.

Lula da Silva, que nos deveria estar presidindo e ser atento ao que ocorre a um palmo de seus olhos opacos, repete os clichês de sempre e jura que de nada sabe, que nada viu, que nada escutou.

Conhecendo-lhe o currículo, duvidamos que não tenha visto, duvidamos que não tenha ouvido, mas acreditamos, sinceramente, que ele não saiba ou tenha discernimento para saber.

Os brasileiros nos acostumamos à lama de Brasília e perdemos a capacidade de sentir indignação, de sentir vergonha. Hoje, a podridão está às escâncaras, conquanto poucos sintam a fedentina ou estejam dispostos a denunciá-la. A verdade, ao se ver exposta, baixa a pupila e se esconde na própria desonra; a razão perde a altivez e se vê escravizada pelo sofisma; e ao se abrirem as urnas, de lá espirram, soberbos e ovantes, o vício e a mendacidade. É como se o próprio Mefistófeles nos guiasse o juízo. Os protestos, portanto, não se sustentam; colhe-se exatamente o que se plantou e replantou.

Constatamos que a saúde continua um caos. A educação é melancolicamente ineficaz e os que conseguem formação universitária esbarram na falta de emprego, porquanto as empresas não têm cacife para, simultaneamente, pagar bons salários, suportar impostos extorsivos e cumprir leis trabalhistas simplesmente inexeqüíveis. Os bandoleiros e desordeiros do movimento dos sem-terra, com verba do erário e a bênção do politburo tupiniquim, invadem, pilham, matam e morrem por uma revolução maoísta no Brasil. As rodovias sucateadas são assassinas e um entrave à economia. A dívida pública esbarra em um trilhão de reais. A carga tributária anda insuportavelmente a beirar os 40% do PIB. O cenário nacional é de violência, drogas, corrupção, criminalidade e, sobretudo, impunidade. Contudo, nossos laboriosos parlamentares só trabalham três dias por semana e se aliam aos nossos condescendentes magistrados no gozo de privilégios inaceitáveis.

Embora sejamos minoria, assestemos a fúria do verbo contra toda essa canalhice; a palavra é o canhão do homem livre.

Bagli&Blog disse...

Prezado Jorge Serrão,

Bom dia.

Eu me sinto humilhado quando vejo as organizações criminosas do PSDBdoPT e PMDBdoPT assediando o atual governo com o próprio rabo. É vergonhoso, antes de ser repulsivo, constatar que os proxenetas eleitos através destas camorras, estejam mais vendidos que artigos em final de feira.

Me sinto humilhado, também, quando vejo a ascensão de um subversivo, terrorista e sequestrador como
Franklin Martins no colo do Bandido da Luz Vermêia.

O crime compensa, sim, velo!

Há muitos anos que não canso de dizer: "no Brasil de hoje, onde imperam as regras dos marginais e criminosos do fundamentalismo petista, a prova NÃO VALE NADA. O elemento maior de incriminação, não representa coisa alguma contra os desprezíveis comensais marxistas - que de marxistas não tem nada!

o que vem a seguir, deve ser lido com toda atenção:

“...não se consegue combater o terrorismo, amparado nas leis normais, elaboradas para um cidadão comum.”

“O terrorismo só pode ser combatido, eficientemente, com leis especiais, exatamente como no passado fizeram os brasileiros.”

“Quando ataca, é um combatente que julga ter o direito de fazer justiça com as próprias mãos. Quando é atacado, exige ser considerado como um combatente, mas nunca age como um soldado.”

“Quando o governo percebe que, mesmo empenhando a polícia e utilizando os métodos tradicionais que combate aos marginais, a guerrilha continua crescendo a ponto de abalar as instituições democráticas, resolve empregas as Forças Armadas. Quando se chega a esse ponto, ou elas acabam com a guerrilha, ou, então, o Estado é derrotado.”

“Quando as Forças Armadas, com determinação, enfrentam a guerrilha, o terrorista exige ser tratado de acordo com as leis que amparam o cidadão comum, intitulando-se preso político, denuncia arbitrariedades e exige tratamento segundo a Convenção de Genebra”.

“Em nenhum lugar do mundo, terrorismo se combate com flores”.

(A Verdade Sufocada – A história
que esquerda não quer que o Brasil conheça, Cel. Carlos Alberto Brilhante Ustra, Ed. Ser, DF, 2006, págs. 345 e 346)

Não acredito em outra forma de se combater o crime organizado que se instalou no Brasil que não seja com leis especiais, pois hoje o comando da nação têm subversivos, terroristas, assaltantes de banco e seqüestradores e, é lógico, o regime da anomia: A PRINCIPAL LEI QUE ORIENTA E REGE OS MARXISTAS POR TODO O MUNDO.

Abração,

RIGHT WING disse...

Excelente texto sobre a "Economia Brasileira"!
Nunca fomos tão vendidos e tão subjugados ao poder econômico internacional e a mídia especializada está completamente muda a respeito.
Enquanto somos governados por Soros e Rotchield, os brasileiros acham o máximo que o dolar esteja tão baixo, não percebendo a irrealidade do Real.
Você é meu herói e seu blog o MELHOR meio de informação do Brasil!
PARABÉNS E OBRIGADA!