quinta-feira, 17 de maio de 2007

Especuladores lucrando pressionam Banco Central a manter o teatrinho do real valorizado diante do dólar

Edição de Quinta-feira-feira do Alerta Total http://alertatotal.blogspot.com/

Ouça agora o novo podcast Alerta Total no seu computador.
http://podcast.br.inter.net/podcast/alertatotal
No ar às 11h 45min

Adicione nosso blog e podcast a seus favoritos do Internet Explorer.

Por Jorge Serrão

O real continuará “valorizado” artificialmente por um bom tempo. Os investidores estrangeiros (ou melhor, especuladores) são os que mais lucram com a queda da moeda-norte-americana. Além de se beneficiarem com a oscilação do câmbio, também ganham com as taxas de juros atraentes nas aplicações feitas no País que pratica a maior usura do mundo, graças ao Comitê de Política Monetária do Banco Central que segue a cartilha dos verdadeiros donos do Brasil: o pequeno grupo de bancos internacionais que controla os negócios das bolsas de valores, o fluxo internacional de moeda e o comércio internacional.

Com o dólar em queda, aprofunda-se a dependência econômica do Brasil. As empresas endividadas aproveitam o momento para buscar empréstimos no exterior, em dólares. As operações de crédito no exterior aumentaram 65% em um ano. Como a tendência é de que a moeda norte-americana fique manipuladamente fraca diante do real, serão necessários menos reais para pagar a mesma dívida em dólar. Além disso, os juros para a captação de dinheiro lá fora continuam mais baixos que aqui dentro.

O Banco Central continua fazendo seu teatrinho de “otoridade” monetária que faz aquilo que convém aos seus controladores externos. O BC comprou ontem US$ 2 bilhões de dólares. Foi US$ 1 bilhão no mercado à vista (para aumentar as reservas internacionais), e mais US$ 1 bilhão no mercado futuro. A manobra não serviu para evitar a queda do dólar. A moeda norte-americana fechou a R$ 1,9540. Foi a menor cotação desde 16 de janeiro de 2001.

Nada custa lembrar que o processo artificial de “depreciação” do dólar já dura três anos, na gestão do Presidente Henrique Meirelles (homem com mais poder “real” que o presidente Lula da Silva, um inteligente boneco “João Bobo” que apanha, avança e recua, ficando sempre no mesmo lugar, ao sabor das conveniências políticas e econômicas).

Na veia

Reflexão sobre o “real valorizado” do professor Paulo Nogueira Batista Júnior, ligado ao PT e agora representante brasileiro no FMI e que é autor do livro "O Brasil e a Economia Internacional: Recuperação e Defesa da Autonomia Nacional" (Campus/Elsevier, 2005):

Barbaridade! Os custos da valorização excedem as suas vantagens. Os países dinâmicos, que crescem de forma sustentada, combinam juros moderados com câmbio depreciado. Brasil insiste em fazer o oposto. Em alguns setores, a erosão da competitividade tem levado ao fechamento de unidades de produção e a demissões de trabalhadores. Empresas importantes, inclusive de capital nacional, estão transferindo atividades produtivas para outros países, em resposta às perdas provocadas pelo fortalecimento do real”.

Dólar alto é bom pra quem, Lula?

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva apontou benefício para os trabalhadores:

"O dólar mais baixo é bom para uns, ruim para outros. Certamente, para quem vive de salário, é bom".

Lula sinalizou que o governo não tem pressa para definir medidas de compensação para empresas exportadoras.

Mais imposto, ministro?

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, adverte que, em breve, o governo anunciará um pacote de "bilhões de reais" para ajudar a indústria a enfrentar a queda do dólar.
Essas empresas estariam enfrentando dificuldades para concorrer com produtos importados, mais baratos.

A principal medida seria um alívio nos custos sobre a folha salarial.

Com esse benefício, as fábricas teriam obrigação de abrir mais vagas e, assim, compensar os cofres públicos gerando mais receita com essas contratações.

Mas se isso não acontecer, o ameaçador Mantega deixou claro que o governo buscará uma compensação elevando outros impostos.

Em tempo: A atividade produtiva convive com 74 impostos, e o governo (sócio indesejado) come quase a metade de tudo que é produzido com o terrorismo fiscal praticado desde a Era FHC e aprofundado na Era Lula.

Navalha neles

A Polícia Federal (PF) deflagrou, às 6h desta quinta-feira, a operação Navalha, com o objetivo de desarticular um esquema de desvio de recursos públicos federais, por meio de fraudes em licitações.

Cerca de 400 policiais federais estão moblizados em nove Estados e no Distrito Federal na captura de funcionários públicos e empresários envolvidos nas falcatruas.

Foram expedidos 40 mandados de prisão preventiva e 84 mandados de busca e apreensão.

As safadezas

A Polícia Federal revela que o esquema tinha três etapas.

Primeiro, garantia o direcionamento de verbas públicas para obras de interesse da quadrilha.

Segundo, obtinha a vitória das empresas envolvidas nas licitações para executar as obras.

Terceiro, o governo do crime organizado assegurava a liberação de pagamentos de obras superfaturadas, irregulares ou mesmo inexistentes.

A quadrilha desviou recursos do Ministério de Minas e Energia, da Integração Nacional, das Cidades, do Planejamento, e do DNIT.

Detonados

A Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero) afastou ontem mais três funcionários de alto escalão suspeitos de envolvimento com irregularidades na estatal.

O objetivo é facilitar o trabalho de sindicância da Controladoria-Geral da União.

Foram afastados o assessor da presidência Tércio Ivan Barros e dois ocupantes de funções de confiança no Aeroporto de Cumbica, Mariângela Russo e Roberto Spinelli Júnior.

Maldito telefonema

O governador Sérgio Cabral exonerou ontem o sub-coordenador adjunto militar, coronel Cláudio Rosa da Fonseca, que trabalha em seu gabinete, no Palácio Guanabara.

A exoneração do coronel — o terceiro no controle da segurança do governador — deve ser publicada hoje no Diário Oficial.

Uma conversinha gravada pela Polícia Federal, revela um juiz, preso na Operação Furacão, oferecendo propina ao coronel em troca da liberação de indenização que o estado devia à mulher do magistrado.

A mulher do juiz ganhou, na Justiça, indenização de R$ 300 mil contra o metrô do Rio.

Na gravação, em 28 de fevereiro, o magistrado liga para o Palácio Guanabara e diz ao coronel que teria conversado com o governador sobre uma maneira de a assessoria jurídica autorizar o pagamento do valor.

Investigue-se

O Tribunal de Contas da União (TCU) vai abrir auditoria para apurar a venda das duas refinarias da Petrobras ao governo da Bolívia por US$ 112 milhões.

A decisão foi tomada pelo órgão após análise de ofício do deputado federal Augusto Carvalho (PPS-DF).

Efeito Bolívia

O presidente da Petrobras, José Gabrielli, admitiu ontem a necessidade de promover reajustes no preço do gás para conter a demanda pelo insumo, que cresce a taxas superiores a 17% ao ano.

A intenção é conseguir reequilibrar a relação entre oferta e demanda em quatro a cinco anos.

Mas o motivo real do aumento é que a Petrobrás vai colocar a sociedade brasileira para pagar as contas do prejuízo que a empresa teve com a burrada boliviana.

Energia para o Conde

O Poderoso Lula da Silva fechou ontem com o presidente do PMDB, Michel Temer, um acordo que dará ao partido mais oito cargos no segundo escalão.

Um dos principais mimos é a presidência de Furnas para o secretário de Cultura do Rio e ex-prefeito Luiz Paulo Conde.

Grana para o Rio

O Rio passará a ter participação no bolo de 25% da arrecadação estadual no ICMS.

A grana hoje é dividida apenas entre os demais 92 municípios do Estado.

A cidade foi excluída da partilha em 1996, por iniciativa do ex-governador Marcello Alencar, considerada inconstitucional pelo Supremo Tribunal Federal.

Pan Demônio

O Tribunal de Contas da União divulgou seu relatório mais alarmante sobre o Pan.

O TCU adverte que o atraso nas obras pode até inviabilizar a disputa em algumas instalações.

De acordo com parecer do ministro Marcos Vinicios Vilaça (concluído no dia 25 e divulgado ontem), os atrasos geram também o risco de algumas federações não aprovarem os locais para as disputas.

Lula fazendo o jogo

Respondendo ao ato público em que 12 mil pessoas protestaram na Esplanada dos Ministérios, em Brasília, pela regularização dos bingos, o Poderoso Lula da Silva jogou para o Congresso a tarefa de definir a situação das casas de jogos.

"Ou proíbe ou regulamenta".

O presidente da Câmara, Arlindo Chinaglia, acha o debate necessário, mas não se comprometeu a apoiar a regularização.

Os bancos vão obedecer?

Os juros do empréstimo com desconto em folha para aposentados poderão ser limitados a 6% ao ano.

A CSSF (Comissão de Seguridade Social e Família) da Câmara dos Deputados aprovou o Projeto de Lei 7.130/06, que impõe taxa máxima à modalidade.

A mesma matéria determina que o segurado não poderá comprometer mais de 20% do valor do benefício com o financiamento e isenta aposentados e pensionistas do pagamento da TAC (Taxa de Abertura de Crédito).

Assim, esse público teria de arcar apenas com a TR (Taxa Referencial), ao tomar o empréstimo.

Em tempo: O duro é tal regra ser mesmo aprovada, virar lei e, depois, ser obedecida pelos bancos, que fazem apenas o que querem.

Não mexa com o copo dele...

Garoto propaganda da Brahma, o cantor Zeca Pagodinho criticou a proposta do ministro da Saúde, José Gomes Temporão, de proibir a participação de artistas e atletas em propagandas de bebidas alcoólicas.

Para Zeca, a atitude do Temporão é sinal de incompetência.

Ou será que o Zeca quis dizer IncomPTência?

Vida que segue...

Fiquem com Deus!

O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Inteligente, inovador, fortemente analítico e propositivo, utilizando as mais modernas tecnologias para transmissão instantânea e eletrônica de informação privilegiada e análise estratégica, junto com a difusão de novos conhecimentos voltados para a construção e consolidação de novos valores humanos.

7 comentários:

Anônimo disse...

Breves:
A idéia de aumentar importações para conter a queda do dólar é um estropício, levaria à bancarrota as indústrias locais que estão se aguentando aos trancos e barrancos. Não é à toa que o proponente é o Delfim Neto, o do milagre.
Cá entre nós, entre o Zeca Pagodinho e o Temporão, O Lula fica mesmo é com a 51.

Anônimo disse...

O Brasil nao tem mais jeito.

É o que dá entregar o país a 1 analfabeto chefe da maior organização criminosa no Mundo: A Máfia do Foro de São Paulo!!!!!

Anônimo disse...

Tem gente que não enxerga nada.

O projeto petista de poder já está quase completo, só falta a finalização, que se iniciará nas eleições municipais de 2008 e termina nas eleições presidenciais de 2010. Depois disso, quando eles tomarem mais de 80% das prefeituras do País, aí incluídas S.Paulo, Rio, Belo Horizonte, Porto Alegre, etc, eles iniciarão o desmonte final das FFAA, passando para a reserva todos aqueles que não concordam com o novo regime a ser implantado (República Socialista Bolivariana do Brasil), os que ameaçarem qualquer tipo de reação, serão imediatamente presos por insubordinação pelos já cooptados (hoje algo em torno de uns 30 mil). O que restar das FFAA, irá compor as “Fuerzas de Defensa Latino-americana”, forças estas que não terão fronteiras, podendo atuar em qualquer país que componha a “União das Repúblicas Socialistas da América Latina” (U.R.S.A.L.), ou seja: Oficiais bolivianos, equatorianos, entre outros estarão atuando no Brasil, bem como oficiais brasileiros estarão atuando, digamos na Argentina, no Paraguai, entre outros.

Hoje já estão acertados com o coordenador da “U.R.S.A.L.” e provável “premier”, o Cel Hugo Chávez, os seguintes países: Cuba, Venezuela, Brasil, Argentina, Equador, Bolívia, Haiti, Honduras, El Salvador e Nicarágua. O Paraguai e o Uruguai estão próximos de se juntarem ao “bloco”, faltando apenas alguns acertos financeiros, acertos estes que já se encontram em andamento (vide o governo brasileiro que vai enterrar US$ 4 bilhões para comprar a parte paraguaia de Itaipu), faltando apenas uma solução a ser dada pelo Cel Chávez mo caso do Uruguai. Os casos do Chile, Colômbia e Peru são um pouco mais complicados, apesar de que a Presidenta do Chile, Michelle Bachelet, ser totalmente favorável ao projeto de “integração” (já repararam que o nosso “algoz-presidente” vive repetindo essa palavra), o problema é o povo chileno e os EUA, é um caso difícil, mas não impossível. Quanto à Colômbia e ao Peru, vão aguardar as eleições nestes países em 2010 e desestabilizar, via FARCs qualquer candidato que não reze pela “cartilha vermelha” e impor um candidato do “projeto”. A Guiana, o Suriname, a Costa Rica, a Guatemala e a República Dominicana serão presas fáceis.

Ah! Dirão alguns, mas e os EUA ficarão só olhando? Não, vão tentar intervir de alguma maneira, apesar de já estar mais do que tarde para essa intervenção, porém o que os “cabeças” desse tal projeto mais querem é um confronto armado com os EUA, pois aí eles poderão solicitar ajuda aos “amigos” do Oriente Médio, tipo Irã, Síria, Líbano, etc mais a Coréia do Norte e quem sabe não acabam arrastando a China e a Rússia para a aventura e deflagram, a terceira guerra mundial. Bobagem! Alucinação! Pois tolos são os que nada enxergam na atual geopolítica do continente sul americano. Ou seja, nós, nós mesmos brasileiros temos pela primeira vez na história uma responsabilidade perante o resto do mundo inimaginável. Por quê? Vejam bem todo o “projeto” do Cel Chávez (ou provavelmente de Fidel Castro e iniciado no lançamento do Foro de S. Paulo), baseia-se na adesão do Brasil, no domínio que ele terá sobre o Brasil, sem o Brasil o barco dele começa a fazer água, não aderem nem Argentina, nem Paraguai e nem o Uruguai, o Chile desiste de uma vez por todas e então o que sobra para eles? Equador e Bolívia, quiçá Nicarágua. Notem senhores, o “hitler caribenho”, precisa do Brasil como o verdadeiro, o alemão, precisou da União Soviética na segunda guerra (depois ele invade).

Cabe a nós brasileiros conscientes darmos um basta nisso o mais rápido possível, já passou da hora, pensem no seu futuro, dos seus filhos, seus netos, pensem no futuro do Brasil, esqueçam daquela maioria que colocou essa “gente” no poder, eles não valem nada, só vivem o “hoje”, Brasil? Não estão nem aí. Filhos? Isso eles fazem em linha de montagem. Quem sustenta essa camarilha somos nós, vamos cortar os “tubos” que alimentam a “hidra” que vermina o País, vamos exigir do que resta de saudável nas FFAA que tomem coragem, afinal para que servem? Desfilar em 7 de setembro, tomar conta do Papa, do Bush e dos jogos do Pan?

Ah! Os senhores respeitam a Constituição, que “constituição”? Os “vermes” que estão nos poderes, nos três poderes, sem exceção respeitam essa tal “constituição”? Claro que não. Então porque só os senhores das FFAA são tão respeitosos, deixem de babaquices, respeitem o País, o Brasil, os cidadãos que lhes sustentam e não o mesmo bando de comunas que lhes enfrentaram em 35, em 64 e estão aí de volta para lhes dar o “golpe final”, estão ressentidos? Querem se vingar de quem lhes virou as costas? Ta bom, mas e o Brasil como é que fica?

Anônimo disse...

Des-industrializacao esse e o nome certo para a politica burra desse governo incompetente.
A industria manufatureira Argentina foi dizimada a epoca do cambio(artificialmente)fixo.
Delfim Neto o homem que ficou milionario negociando emprestimos externos c/ os banqueiros internacionais agora e consultor do Apedeuta...quem diria.

Anônimo disse...

Saudações.

A Desobediência não tão Civil do século XXI

Estamos vivendo o Socialismo do Século XXI .
Assim, parafraseando o Socialismo do Século XXI, contrapomos:

A Desobediência não tão Civil do século XXI
Como patrioticamente acima foi falado (12:10 PM)..... senhores das FFAA .....respeitemos o País, o Brasil, os cidadãos que lhes sustentam e não o mesmo bando de comunas que lhes enfrentaram em 35, em 64 e estão aí de volta para lhes dar o “golpe final”, ...

Bem,
... o autor americano Henry David Thoreau pioneiro da teoria da Desobediencia Civil, já em 1849 pregava em seu ensaio um método de oposição e resistência pacífica e democrática a um poder político (seja o Estado ou não).

Ou seja, oposição ao imoral, ao desgoverno, ao injusto, ao corrupto, ao apátrida, etc..

Portanto a coisa já vem de longe....

e já foi solução já foi apresentada !!!

Hoje no Brasil a A Desobediência não tão Civil do século XXI esta facilitada pela execução impecável do PROJETO DO FORO DE SÃO PAULO ...

O “PROJETO” segue seu curso, como um polvo abraçando o país com seus tentáculos vermelhos.

A Constituição está efetivamente desmoralizada e inútil.

Os mandatários a rasgaram em pedaços.

Não existe ordem, segurança, direitos respeitados ... não temos Bandeira, Hino, Símbolos Nacionais, nem país para nos orgulhar-mos.
Na verdade a fusão do Estado Nacional com o resto dos países cooptados (pelos fundadores do Foro de São Paulo) parece uma triste realidade.

Logo cabe ao que resta de saudável nas FFAA uma posição firme e patriótica.

NOTA:
Aos indecisos ou acovardados, acrescento como estímulo, que milhares de civis assim como eu, estamos aguardando essa posição firme e patriótica.

Anônimo disse...

Meu Caro Jorge:

Você notou que o Apedeuta está cada dia mais megalomaníaco e se endeusando de forma doentia e despudorada?
É impressionante como esta criatura se ama e se considera um Salvador da Pátria!

Sidney Rogério disse...

“PROTESTO DE EX CABOS DA FAB.”.

A Lei da Anistia Política de Propriedade do Presidente Lula, acabou se transformando em nepotismo os quais parentes amigos, e muito em particular os políticos do PT, receberam um presentão com anistias asseguradas pela aludida Lei, mais o perdão da anistia para a classe baixa foi injustamente negada, onde a Lei 10.559/2002 estar sendo um shoping de grandes negócios e de interesse governo do PT, os quais os principais beneficiados com as anistias foram: O Presidente Lula, José Dirceu, Antônio Palocci, José Genuíno e vários políticos, e mais 3.000 Ex Cabos da Força Aérea Brasileira amigos e simpatizantes do PT. O restante dos 4.400 ex Cabos não simpatizante do Partido, “ficaram com seus direitos cerceados” e foram excluídos do benefício. Nada adiantou ter vindo a Lei da Anistia Política 10.559/2002 para toda a Sociedade Brasileira, onde os Ex Cabos da FAB perderam seus empregos e foram presos, torturados, espancados até a morte, e os que conseguiram sobreviver foram expulsos como subversivos por uma portaria política no período da Ditadura Militar. Por que o beneficio foi discriminatório? O que era para todos só foi estendido aos apadrinhados? Estamos numa República democrática ou num império totalitário onde só fala mais alto os poderosos?