segunda-feira, 28 de maio de 2007

Tenente-Coronel da PM defende tortura contra policiais que pegam propina e condena ação do Exército no RJ

Edição de Segunda-feira do Alerta Total http://alertatotal.blogspot.com/

Ouça agora o novo podcast Alerta Total no seu computador.
http://podcast.br.inter.net/podcast/alertatotal

Adicione nosso blog e podcast a seus favoritos do Internet Explorer.

Por Jorge Serrão

A sinceridade pode custar cara ao tenente-coronel Antônio Washington Borges Germano, comandante do Batalhão de Policiamento de Vias Especiais (BPVE) — responsável pelo patrulhamento da Avenida Brasil e da Linha Amarela , na pacata cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro. Em reunião no batalhão, no dia 17 de abril, Germano manifestou sua vontade de torturar policiais que recebem propina.

O tenente-coronel Germano também bateu de frente com a insistência do governador Sérgio Cabral Filho (PMDB) em pedir ao presidente Lula da Silva o envio das Forças Armadas para combater os bandidos no Rio de Janeiro. Na instrução aos subordinados, Germano advertiu: “Quem gosta de escutar que as Forças Armadas vêm pra cá e não se indigna deve ir pra outro canto, neném. Não fica aqui, não. Aqui é pra quem gosta. Pra quem nasceu. Tá me indignando escutar isso aí”.

O Governador Sérgio Cabral Filho (PMDB), aliado de Lula da Silva, pode exonerar hoje o militar cargo, depois da revelação, pelo jornal O Dia, do conteúdo gravado de suas preleções aos subordinados. Afinal, quem costuma falar verdades no setor público acaba punido. As declarações de Germano também batem de frente com a retórica do comandante-geral da PM, Ubiratan Ângelo, que apóia Cabral. Germano entrou para a PM em 1983. Foi comandante do Grupamento Tático- Móvel (Getam), em 2003 e 2004, e do Batalhão Ferroviário, em 2005 e 2006.

Triste constatação do PM

No discurso aos subordinados, o tenente-coronel Germano reclama dos policiais que fazem negociatas com tabela de R$ 10 e R$ 20:

Como tá na democracia, eu só posso punir. Minha vontade, se tá na ditadura militar, é botar tomando choque elétrico a noite inteira. O meu sonho é voltar essa ditadura. Você botava tomando choque a madrugada toda, não precisava punir, não. Choque e porrada. Bota ele a noite inteira. Magnésio... os mais novos nem sabem o que é magnésio. Magnésio, segura uma ponta e... (trecho inaudível). Treme que nem perereca. Mas o que eu posso fazer? Tem que seguir os limites da lei. E a gente vai cumprir os limites da lei. Como é que eu vou pagar advogado de defesa para me defender de tortura, que é um crime inafiançável?”.

Questionado pela reportagem do jornal O Dia, Germano alegou que não é a favor de tortura, apesar de ter saudades de “alguns aspectos” do regime militar:

O culto ao símbolo nacional, o civismo, o ensino público, os índices de criminalidade eram melhores”.

Realmente, extrapolei. Mas jamais ajo fora da lei”.

O Grande Advogado de Renan

O Supremo Magistrado e Poderoso Lula da Silva usou hoje seu programinha semanal de rádio, o "Café com o presidente", para absolver, preventivamente, o senador Renan Calheiros (PMDB-AL).

O presidente do Senado foi acusado de receber R$ 12 mil da construtora, a Mendes Júnior, que já negou o pagamento, para custear despesas de uma jornalista com quem teve um filho.

Lula comentou que a reportagem publicada sobre Renan Calheiros o colocou sob suspeita, mas "isso não quer dizer que o senador Renan seja culpado ou que tenha qualquer culpa. Até prova em contrário, ele é inocente".

O advogado Lula complementou: "Ou seja, se há insinuações, que se investigue essas insinuações e se estabeleça um critério para avaliar se ele é culpado ou se é inocente. Ou seja, nós temos processo de investigação e vamos investigar".

Leia o artigo: O Boi, a Vaca e a Corrupção Sagrada

Defesa do Indefensável

O presidente do Senado e do Congresso, Renan Calheiros (PMDB-AL), pretende fazer hoje, às 15h 30min, um discurso para rebater a notícia publicada pela revista Veja de que o lobista Cláudio Gontijo, da construtora Mendes Júnior, teria pago pensão mensal de R$ 12 mil para uma filha de três anos que o senador tem com a jornalista Mônica Veloso, entre outros benefícios.

O valor teria sido repassado de janeiro de 2004 a dezembro do ano passado.

A reportagem da revista informa ainda que Gontijo pagou aluguel de R$ 4,5 mil por um apartamento duplex, de quatro quartos, onde Mônica morou com a filha de Renan, na Asa Norte, em Brasília.

Antecipando o tiro

Renan pretende se antecipar ao Conselho de Ética do Senado, que marcou reunião para quarta-feira, quando vai apreciar o caso.

Também quer se prevenir do “fogo amigo” aceso por senadores do seu amado PMDB, que pretendem convocar reunião do Conselho Político do partido.

De acordo com amigos, que estiveram com ele no sábado e ontem, o presidente do Senado pretende, com o discurso, convencer os seus pares de que está com a razão e não tem nada a esconder.

Todos negando

A Mendes Júnior negou que tenha feito os pagamentos.

Em nota, na sexta-feira, Renan disse que todas as suas despesas e de seus familiares são bancadas por ele.

No discurso, Renan deverá levar suas declarações de Imposto de Renda dos últimos cinco anos, para provar que lá constam o pagamento das pensões para Mônica Veloso e que tem renda suficiente para isso.

O problema é que, como senador, a renda de Renan não seria compatível com tamanhas despesas.

De acordo com as declarações do Imposto de Renda de 2005 e de 2006, no entanto, ele teve rendimentos de R$ 201 mil e de R$ 435 mil, provenientes, em sua maioria, do setor agropecuário.

Navalha igual às outras?

Lula defendeu no mesmo programa de hoje a Operação Navalha, egando que ela é igual a tantas outras operações que a Polícia Federal tem feito nesses últimos anos, sobretudo depois que ele tomou posse em 2003.

"Por que isso tem acontecido? Porque nós achamos que uma forma de você combater a corrupção é você permitir que a Polícia Federal tenha uma ação totalmente republicana, que ela tenha independência de investigar quem quer que seja".

Lula defendeu a PF e jurou que “não há nenhum interesse do governo em impedir que o Ministério Público utilize o poder que tem para investigar":

"Se as pessoas não querem ser molestadas pelo Ministério Público ou serem molestadas pela imprensa, as pessoas que não cometam erros. Se não tiver erros, não há investigação a respeito das pessoas. Portanto, eu acho que é preciso que a gente estabeleça uma política de seriedade no Brasil. Todas as denúncias de corrupção, todas, sem distinção, contra quem quer que seja, serão investigadas".

O Rondeau que rodou

Lula também voltou a comentar a demissão do ex-ministro de Minas e Energia, Silas Rondeau.

"O afastamento dele era uma necessidade para que ele não ficasse sangrando a vida inteira, porque ninguém suporta ficar nas primeiras páginas de jornais o tempo inteiro. Se tiver alguma coisa contra o ministro Silas, ele pagará pelo erro que cometeu. O que não dá, na verdade, é para a gente condenar as pessoas por insinuações ou ilações, seja de quem quer que seja. Até agora, não tem nada contra o Silas, a não ser suposições. Como eu acredito no processo de investigação, vamos investigar".

Vamos parar com conversa do Boi Tatá: Quem detonou Rondeau, nos bastidores, foi a dupla Dilma Roussef e José Dirceu - interessados em comandar as bilionárias obras do PAC em hidrelétricas, tirando o lucrativo negócio da mão da turma do senador José Sarney. O resto é conversa para Boi dormir ou encher a cara.

Pente fino na Terceirização

Os gastos com contratos de serviços terceirizados cresceram sem parar durante o governo Rosinha Garotinho, chegando a R$ 4 bilhões, em 2005.

Por isso, os responsáveis por 33 órgãos públicos na administração da ex-governadora terão que esclarecer evidências de irregularidades em contratos de serviço terceirizado.
Inspeção feita pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE) encontrou problemas sérios na prestação de contas das principais autarquias e secretarias do Rio.

O TCE também quer detalhes de 90 contratos de serviços terceirizados que não foram enviados para a apreciação dos conselheiros.

Alvos da devassa

Os ex-gestores responsáveis pelos seguintes órgãos terão que dar explicações sobre as irregularidades nas terceirizações encontradas pelo TCE:

Cedae, Cehab, Central, Detran, Detro, Fesp, Fundação Leão XIII, Fundação para a Infância e Adolescência, Fundação Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Fundação Estadual da Assistência Social, Fundo Estadual de Saúde, Iaserj, Ipem, Iperj, , Proderj, Rio Previdência, Rio Segurança, Rio Trilhos e Vital Brazil.

No caso das secretarias, os ex-ocupantes das seguintes pastas terão que prestar esclarecimentos: Agricultura, Administração Penitenciária, Defesa do Consumidor, Desenvolvimento Econômico, Educação, Finanças, Infância e Juventude, Integração Governamental, Justiça, Meio Ambiente, Receita, Saúde e Segurança.

Falta de Educação dá cadeia

Sem aulas há 106 dias, turmas inteiras de 1ª a 4ª séries do Ensino Fundamental das escolas estaduais do Rio de Janeiro ainda esperam o começo do ano letivo de 2007, mesmo faltando algumas semanas para o fim do primeiro semestre.

O deputado estadual Comte Bittencourt, presidente da Comissão de Educação da Assembléia Legislativa do Rio (Alerj), vai se reunir, na quarta-feira, com o juiz da Vara da Infância e Juventude de Niterói, Eduardo Paiva, para tratar do problema.

A Comissão de Educação dará entrada esta semana com Ação de Responsabilidade contra o secretário estadual de Educação, Nelson Maculan, responsabilizando-o criminalmente por negligência contra os estudantes.

Negligência é ato de omissão do Governo em prover as necessidades básicas para o desenvolvimento ou o sustento dos cidadãos.

Vida que segue...

Fiquem com Deus!

O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Inteligente, inovador, fortemente analítico e propositivo, utilizando as mais modernas tecnologias para transmissão instantânea e eletrônica de informação privilegiada e análise estratégica, junto com a difusão de novos conhecimentos voltados para a construção e consolidação de novos valores humanos.

4 comentários:

Pátria Limpa disse...

De Renan em Renan esta fedentina irradia em todos. Se a operação navalha fôsse completa, nos tres poderes, teríamos que suspender o campeonato brasileiro. Porque? Ora, teríamos que usar os estádios para aprisionar esta quantidade enorme de bois e vacas da nossa república. É cada vez mais difícil explicar aos nossos filhos lições honestas de cidadania, a toda hora os exemplos de Brasília nos lululam!
Pátria Limpa

Bagli&Blog disse...

Prezado Jorge Serrão,

Boa tarde.

O Brasil precisa saber! Qual o mais difícil?

"O goleiro do mengão, Bruno, ter pego aquela bola na forquilha, ou o Renan Calheiros se defender da navalhada que querem lhe perpetrar?

Abração,

marco disse...

Estabelecer critérios pra culpar ou inocentar Renan? Como um presidente pode dizer uma besteira dessas? O critério é a lei,nada mais do que a lei! Nessa afirmação ele mostra seu lado ditatorial;um legalista relativo,de ocasião. Não está longe do pirata do Caribe,seu companheiro Coronel Chaves.

marco disse...

Caro Serrão,depois que dom Cláudio Hummes,com toda sua autoridade eclesiástica, comparou Lula a Jesus Cristo acho que a próxima aspiração do Nosso Guia é ser equiparado ao próprio Supremo Arquiteto do Universo.