domingo, 24 de junho de 2007

Forças Ocultas e Forças Desarmadas

Edição de Artigos de Domingo do Alerta Total http://alertatotal.blogspot.com/

Por Jorge Serrão

Tem gente muito boa que jura que Papai Noel existe. Não só existe como é um símbolo do capitalismo que tem o rostinho igual ao do bom velhinho Karl Marx. O cara ainda se veste de vermelho. E, ainda por cima, distribui presentes, como se fosse um exemplo de socialista. Crer ou não crer no Papai Noel não é a questão de agora. O ceticismo maior do nosso Brasil atual é não acreditar, no fato objetivo, de que existem “forças ocultas” (ou nem tanto) agindo contra o Governo do Crime Organizado. O mal logo cairá - de tão podre. Pode ser antes, ou depois, do Natal.

Os políticos da nossa Ilha da Fantasia cercada de corruptos deveriam jogar seus telefones celulares no lago Paranoá. Sim, eles deveriam imitar o marido traído daquela piada manjada que prefere jogar o sofá pela janela para se livrar do chifre. A culpa só pode ser do “telemóvel” (como chamam, lá na terrinha, os celulares grampeáveis). A Polícia Federal deu um xeque-mate no primeiro-irmão Vavá. Agora, a Polícia Civil do DF mancha a aquarela do senador Joaquim Roriz. Tudo depois que o Renan Calheiros foi detonado pela ex-amante. Quem estaria por trás de tais ações da Polícia Federal contra a classe política? Eis a verdadeira questão.

Enquanto você pensa, damos outra boa sugestão aos habitantes desonestos do Planalto: Todos deveriam “relaxar e gozar”, jogando a culpa de todo o apagão aéreo nos 14 controladores de vôo punidos. O software do Cindacta não funciona direito, e os sargentos se transformam no “sofá” da história. Atacar as lideranças deles - que realmente agem como sindicalistas de resultados, com jeitinho de futura pretensão política – é desviar o foco sobre os verdadeiros responsáveis pelo caos no ar, no mar e na terra do Brasil.

Sem perda de tempo, é preciso deixar claro que os culpados de tudo foram os governos dos presidentes FHC e Lula. Foram eles os responsáveis pelos “desinvestimentos” criminosos nas Forças Armadas, que são a real causa dos apagões aéreos, e do descontrole em nossas fronteiras terrestres e marítimas que facilitam os tráficos de drogas e armas que são parceiros do Governo do Crime Organizado. Os dois presidentes, Lula e FHC, e seus respectivos ministros da Defesa, junto com os presidentes da Anac e da Infraero, deveriam ser enquadrados em crime de responsabilidade.

O problema é que as instituições brasileiras foram tão corrompidas pela ação do crime organizado que se torna impossível esperar que eles sejam capazes de alguma reação contra ele. Algum louco até propõe a ação, mas o Legislativo ou o Judiciário não deixam o processo acontecer ou ir adiante. "Parece tudo dominado" - como diriam os narco-bandidos pés de chinelo, que são as bolas da vez das nossas guerras urbanas, trabalhando para poderosos que se locupletam com a verdadeira gerência do crime organizado.

Sem misturar incompetência e corrupção, analisemos os fatos por partes. De novo, as escutas telefônicas comprometem mais um senador aliadíssimo do Palácio do Planalto. O senador Joaquim Roriz (PMDB-DF) foi flagrado em comprometedoras conversas, nas quais eram negociados bilhões que nem poderiam se transportados em um carro. O interlocutor dele era o ex-presidente do Banco de Brasília (BRB) Tarcísio Franklin de Moura. Ele está preso desde a semana passada, sob suspeita de comandar um esquema de desvio de dinheiro de cartões de crédito que chega a R$ 50 milhões.

A Operação Aquarela, da Polícia Civil do Distrito Federal, pegou em cheio o senador Joaquim Roriz e botou no rolo outro empresário queridinho do Palácio do Planalto: Nenê Constantino" (presidente do Conselho de Administração da Gol e dono de empresas de ônibus da capital federal).Um relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), do Ministério da Fazenda, revela uma movimentação referente a um cheque em nome de uma empresa agrícola supostamente para Nenê Constantino. Há um saque no BRB de R$ 2,231 milhões, coberto por um cheque em nome de uma empresa do ramo agropecuário, que seria nominal a ele. Mas a assessoria de Nenê Constantino garante que ele nunca teve conta na instituição nem jamais entregou um cheque de R$ 2 milhões a Roriz.

Vida que segue, seguindo no assunto “forças ocultas”, vale a pena um replay de um comentário deixado esta semana na (agora moderada) área de comentários do Alerta Total. O texto, que está circulando na Internet, fala dos militares e da atuação deles diante de crises institucionais como a que vivemos agora. Vamos analisar alguns trechos do comentário do nosso leitor que se “identificou” pelo nick (apelido) “Sargento da Marinha”.

“Pessoal, os militares não são bobos. Nós conhecemos o povo brasileiro. Qualquer atuação militar não é executada sem antes ter sido feita uma análise minuciosa da situação. Nenhum comandante militar inicia um movimento ou uma guerra, sem saber se terá condições de vencê-la. A atual conjuntura mundial e a globalização, não permitem uma intervenção militar no Brasil. A época de hoje é diferente da de 64. Naquele tempo havia apoio internacional para que aquele movimento ocorresse, pois o comunismo e o fascismo, já andavam dando as caras por aqui. Era do interesse da comunidade internacional que houvesse uma intervenção militar”.

O “Sargento da Marinha” vai além: ”Hoje é diferente, os tempos são outros. Os EUA jamais apoiariam uma nova intervenção militar hoje. O Brasil está do jeito que qualquer grande potência gosta. Suas forças militares estão fracas, o seu povo não possui patriotismo, o estado é corrupto, a população é desinformada e sem estudo, e etc”.

O Sargento da Marinha ainda desenha um cenário: Vejamos o que aconteceria hoje, se houvesse uma intervenção militar:

- Os políticos iriam iniciar discursos inflamados contar o regime, alegando que não haverá mais democracia (liberdade para que possam fazer suas libertinagens corruptivas);

- O povo iria para a rua protestar. Levados por cantores e artistas, interessados nos lucros que terão com a queda do regime e a volta a normalidade, diga-se, "roubalheira desenfreada". Esses artistas seriam recompensados com incentivos a cultura R$, cargos no governo R$, verbas gigantescas para redes e emissora de radio e TV etc...;

- Os estudantes, os Sem Terra, os Sem Teto e outros mais, iriam para as ruas forçar o confronto, realizando badernas, fechando estradas, invadindo escolas, invadindo hidrelétrica e fazendas produtivas e causando muita destruição etc...;

- As diversas ONGS, interessadas nas nossas riquezas iriam atuar ativamente contra o novo regime, divulgando informações mentirosas e caluniosas etc...

- Os movimentos de defesas dos direitos Humanos iriam fazer diversas denúncias com já o fazem hoje, etc... e muito mais.

Diante desce cenário, nosso leitor “Sargento da Marinha” adverte: “Não esperem nada dos militares, pois para que aconteça algo hoje nesse sentido, teria que vir do povo, o povo teria que legitimar esse movimento, a comunidade internacional teria que ver e reconhecer como um movimento legitimo para que o País continue com o seu comércio exterior, pois ninguém investe ou faz negócios em um País em ebulição.E se isso não ocorrer logo, se o povo não acordar, talvez quando tentar reagir, seja tarde de mais. Aí não vai adiantar mais reclamar. O futuro é sombrio”.

Será que os militares concordam com o leitor “Sargento da Marinha”? Quem puder que responda, antes que as “forças ocultas” (ou nem tanto assim) derrubem o Governo do Crime Organizado. Uma constatação é objetiva: os militares não podem ser vistos como “inimigos” ou “ditadores” pela opinião pública que teve a cabeça feita pela propaganda ideológica pós-64 - que transforma o agora “general genérico” Carlos Lamarca em herói, e os militares em criminosos que precisam ser punidos com a revisão da lei de anistia no Brasil.

A Pátria Brasil, que precisa ser defendida pelas Forças Armadas, não necessita de profissionais que se comportem como meros funcionários públicos fardados, mal remunerados em sua base, mas não em sua cúpula, que vivem acuados pela guerrilha ideológica praticada pelo Governo do Crime Organizado, cuja missão é manter o Brasil artificialmente na miséria, para que continue sendo uma histórica colônia de exploração. Em resumo: Forças Desarmadas de Consciência Patriótica servem para nada. Ou melhor, servem, sim: ao governo do crime. E PT saudações (sem trocadilho infame a la Casseta & Planeta).

Por isso, reafirmamos o desafio institucional: Será que os militares concordam com o leitor “Sargento da Marinha”? Quem puder que responda, antes que as “forças ocultas” promovam a faxina geral.

Jorge Serrão é jornalista, radialista e publicitário, especialista em Administração Pública e Assuntos Estratégicos. Editor-chefe do blog e podcast Alerta Total (http://alertatotal.blogspot.com)

13 comentários:

Anônimo disse...

O Sargento da Marinha tem razão! Mas é uma questão de sobrevivência das próprias forças armadas e do Brasil, e num momento que uma onda ameaçadora cresce na Venezuela.
O povo nunca fará nada enquanto estiver de barriga cheia com a bolsa esmola e muito crédito.
A solução tem que ser rápida a atingir os 3 poderes. A lei deve ser cumprida e os criminosos punidos.
Uma intervenção não pode durar 20 anos, pois tira a credibilidade do movimento, tem que ser rápida e conclusiva. Não deve dar tempo para manifestações orquestradas pelos traidores da pátria. A lei deve ser cumprida e só.

Anônimo disse...

Eu ainda acredito no patriotismo dos militares brasileiros. Mesmo que a conjuntura internacional não se mostre favorável a uma mudança no status quo nacional,o sentimento de brasilidade falará mais alto aos ouvidos de quem de direito.Assim espero!

Anônimo disse...

OU TODOS NOS LOCUPLETEMOS, OU RESTAURE-SE A MORALIDADE.

OS CIVIS E MILITARES BRASILEIROS NACIONALISTAS, UNIDOS, JAMAIS SERÃO VENCIDOS !!!

OU NÃO ???

Anônimo disse...

John Kennedy destruiu o decálogo de Maquiavel ao dizer:

“Os que tornam impossível à revolução pacífica, tornam inevitável a revolução violenta”.

Anônimo disse...

Senhores do GG: Sobrevoei com meus olhares no congresso nacional e vi uma corda pendurada a FORCA, isto significa a formação de um (colapso) Eu estou apreensivo não por minha vida mais sim por muitos e se não houver uma revolução pacifica com uma retomada dos poderes e sua reestruturação democrática ira ficar mais insuportável a vida muitos bateram palmas inicialmente mais adiante também irão chorar e será muito triste.

http://ricardoricofil.blogspot.com/

Anônimo disse...

Prezado Serrão: O "Sargento da Marinha" faz boa analise dos fatos, tendências e conjecturas; porém, a inércia e a submissão das FFAA diante de humilhações, terríveis e sistemáticas, sofridas desde o governo Collor, passando por FHC e agora Lula, estão a nos mostrar algo mais importante; os militares são adestrados e condicionados para somente obedecer. Militares que tomam iniciativas são “estranhos no ninho” e não fazem parte da tendência geral das tropas e, historicamente, são os que se destacaram e têm seus nomes grafados no tempo.

O Golpe de 64 foi idealizado pelo mesmo poder mundial que depois promoveu a “Abertura”, os “governos neoliberais” e agora a “esquerdização” ignóbil. E em toda América Latina, quase ao mesmo tempo. O “Sargento da Marinha” tem razão quando diz que um movimento militar agora não teria sucesso. Claro que não!! Os donos do poder mundial não o querem neste momento; se quisessem o encomendariam e ordenariam. E todos se curvariam! A mídia também faz parte deste “esquema”; durante a ditadura militar era totalmente, como de costume: venal, vil e servil. Sequer ousava falar em “ditadura”, tratava respeitosamente de “Regime Militar”. Agora, por “orientação” financeira, trata os militares com deboche e humilhações.

É de bom alvitre, observarmos as tendências que vêem do ORIENTE. Um provérbio espanhol diz que: "Quando você vir as barbas de seu vizinho pegando fogo, ponha as suas de molho".

Nada acontece por acaso, há um comando para tudo. E, logicamente, este comando vem de pessoas ou setores mais preparados e inteligentes. Quem pensa que este mundo não tem dono está totalmente enganado. É um insensato. Tem dono e não é só uma pessoa ou poucas pessoas, mas grupos perfeitamente organizados e ricos, por isso poderosíssimos. Quem são eles? É a pergunta que se poderia fazer, mas nem esta chance é dada à plebe rude, que também prefere ficar alheia e cética em relação ao assunto.

Quando fala-se que o povo só enxerga a superficialidade, não estão exagerando. É isso mesmo. Tive oportunidade de fazer esta citação inúmeras vezes, como também já cansei de ouvi-la; só que sem repercussão alguma no meio popular.

O homem, generalizando, se prende exclusivamente ao visível e ao palpável, que são as conseqüências e os fatos concretos, deixando, por pura preguiça mental, para os exploradores e os espertalhões, as interpretações coletivas das causas que originaram estas conseqüências e estes fatos, teleguiando a plebe para os caminhos propícios aos seus interesses pessoais e grupais.

Quando alguém disse pela primeira vez que o golpe militar de 1964 fora encomendado pelos “donos do mundo”, poucos acreditaram, pois a ordem geral era achar que foi iniciativa dos militares brasileiros, frente ao caos que se avizinhava. Aos poucos foram todos percebendo a realidade e poucos, hoje, contestam a primeira versão de “encomenda”. Na época era proibido falar em golpe militar ou ditadura militar. Só era permitido, não só por parte dos militares, mas também pelas consciências cativas do povo, o uso da sentença: “Regime Militar”. Era puro exercício de dominação. O mesmo se deu em toda América Latina. Regimes Militares foram semeados e tutelados pelos “donos do mundo”, mas era proibido falar disso. Depois veio a onda de democratização, também comandadas pelos donos do mundo, também em seqüência em toda América Latina. Depois a onda neoliberal com as eleições de títeres da poderosa economia mundial, com grande aparato logístico e publicitário dos financistas; vendiam presidentes como se fossem produtos; também em toda América Latina. Agora a moda, também em seqüência em toda América Latina, é levar ao poder, falsos esquerdistas. Não se esqueçam, tudo isso obedece ao comando dos “donos do mundo” . Já dá para perguntar: - Quem são eles? Acho que ainda não. Eles mudam de cores e formas de acordo com as necessidades e interesses.

Porque comandariam estas seqüências de mudanças de poder nos paises periféricos? Aos poucos vai-se formando idéias a respeito. Porque propagariam os regimes militares, os neoliberais e agora os socialistóides.

Militares: dinheiro sobrando no mundo e havia necessidade de investi-lo nos paises periféricos. Para isso necessitavam de governantes dotados de regimes autoritários para que o processo de tomada de capitais e desenvolvimento à qualquer custo se desse sem contestações. Nota-se que as obras públicas durante o regime militar não tinham o mínimo de preocupação ambiental. Os ambientalistas eram “subversivos”. As reformas sociais de interesses econômicos grupais também foram feitas na marra; houve concentração econômica sob tutela do estado para construções de infra estrutura e mega empresas estatais de serviços essenciais. Estatização de empresas de serviços essenciais que haviam sido exauridas por grupos estrangeiros; e desenvolvimento estrutural às custas do dinheiro do povo, para que o país pudesse receber investimentos externos e empresas multinacionais.

Neoliberais: Esgotado o ciclo dos investimentos estruturais, com ênfase na produção de energia, produção mineral, siderúrgica, telecomunicações, pesquisas, etc. Os “donos do mundo” vislumbraram um novo tipo de bons negócios: Retomada das empresas estatais de serviços essenciais e de infra estrutura à preços de banana e financiados pelo próprio governo (novamente dinheiro do povo). Para isso teriam que mudar o perfil dos governantes títeres.

Socialistóides: Para a finalidade de re estatização das empresas de serviços essenciais sucateadas, estagnadas e exauridas econômica e tecnológicamente pela iniciativa privada. Novamente entra o “governo”, desta vez de apelo populista e falso nacionalismo, novamente com dinheiro público, recomprar as empresas estatais doadas no período neoliberal, agora, para saneá-las, modernizá-las e reestruturá-las.
Depois o ciclo se reinicia: nova onda de restrições, nova onda neoliberal, nova onda de nacionalismo,etc,etc,etc.

O povo sempre trabalhando para pagar tudo isso e achando que é tudo normal: feito gado.

Não sei quem são os “donos do mundo” mas tenho boas pistas. Os “donos do mundo” não são pessoas, são organizações; e organização de organizações. Eles superaram as personificações e personalizações; para eles o que valem são os preceitos, destinações e finalidades. Só depois são inseridas as pessoas.

Pode ser que a vez dos militares possa voltar. Mas não por eles, mas pela vontade do poder mundial. E pode ter certeza: estarão prontos para obedecer.

Abraço,
Paulo Figueiredo

Anônimo disse...

Pois é Serrão. Estou curioso para saber quem são as "forças ocultas". Empresários? Nem pensar! Acovardaram-se! Banqueiros? É uma piada. O Povo? Cadê o povo? Cadê a classe média, que nos últimos anos já percedeu mais de 50% de seu poder de compra? Acovardou-se, também. Então, quem???

Anônimo disse...

O Brasil esta tão apodrecido, tamanho é o estado de putrefação que já se descompos e o povo ainda não se apercebeu que o país não mais existe, existe sim uma terra de ninguem cada estado é um feudo de uma gang ou gangs de famiglias mafiosas cada uma roubando o mais que puder..quando a Lei não é mais respeitada pelo presidente ,pelos politicos e os juizes são venais entao estamos todos refens de um gigantesco sequestro coletivo, a nação inteira por meliantes travestidos de "autoridades", em pouco tempo vai haver uma desgregação federativa, ou seja R.G do SUL será o 1° a pular fora da podridão chamada brasil, minusco mesmo, depois segue SP e e os demais cairam nas maõs de bandidos conhecidos , a amazonia sera tomada pelo gringo DESCARADAMENTE só restará o nordeste com sua miseria e corruptos que virará uma verdadeira Somalia latino americana, as FFAA já acabaram há muito tempo só tem uns recrutinhas MORTOS DE FOME E ANALFABETOS com 18 anos para desfilar dia 7 de set e enfeitar as portas dos falidos quarteis. quem puder que se mande o brasil acabou pelas mãos de FHC e Lulla e a legião de politicos canalhas e corruptos e juizes venais.

Anônimo disse...

Vergonha, olhem aí, e o pior de tudo e ver a toda poderosa Globo fecha os olhos para esse evento!


A Verdade do Pan 2007
http://averdadedopan2007.blogspot.com/

Anônimo disse...

Olha meu caro concordo com meu companheiro da Armada o pensamento das forças armadas hoje em dia é de democracia, apesar de não concordarmos com essa podridão que vemos hoje por ai, a democracia hoje exercida pelo povo, logo cabe ao povo decidir o que quer,agora a situação é preocupante? é sim, pois a manipulação das informações em cima dos "sem cultura" é muito grande, a tentativa de nos enfraquecer aumenta a cada "desgoverno" mas podem ficar tranquilos um bom exército não precisa do combate para estar preparado, em tempo de paz o treinamento é constante (treinamento arduo = combate fácil)basta ter em suas fileira pessoas com dignidade, amor a patria, comprometimento com a profissão e vontade para fazer nem que seja a força a vontade do povo (será que você vê isso em outra carreira)...é só ele pedir das forças armadas e não se decepcionará. agora nós por si só virarmos a mesa, não somos tolos de cometer essa burrice, porque é isso que os despatriotas querem para instaurarem o caos, as forças armadas têm em suas fileiras o retrato do seu povo: sua crença, raça, religião, nivel social. antes de ser militar sou cidadão, minha mulher é cidadã, meus filhos, educo para serem exepcionais cidadãos e por ai vai.que deus nos proteja para que não precisamos de empunhar as armas com baionetas para nossos "irmãos" porem o povo terá que tomar uma decisão pois o tempo a cada dia se torna mais nebuloso. exemplo vem de cima, não adianta querer acabar com a criminalidade no RJ ou SP se na Esplanada dos Ministérios encontramos os profetas da criminalidade e o pior em flagrande delito e nada contece....haa já ia me esquecendo a venezuela e o chile já possuem o maior poderio aéreo da américa do sul, a bandidagem esta se armando com fuzis americanos e armamento argentino, via portos e paraguai (como se explica quase um mês de intervenção no alemão e aquela munição não acaba) isso ainda é só o começo, "O Haiti não é aqui, aqui já esta mais para Faixa de Gaza podendo se tornar o Iraque." ou alguem tem dúvida? Só espero que não seja tarde demais. Caro Anonimo, pessoas como vc são despresíveis para nós, pelo que parece você deve ser mais um da legião de desinformados ou analfabetos funcionais. Brasil.

Anônimo disse...

Não é necessário uma ação como a de 64.

Existe a força do poder, quando legítimo e o poder da força para
colocar as coisas no lugar.

Anônimo disse...

Para vcs terem uma idéia da gravidade da situação brasileira, foi feita uma pesquisa e 56% da população reelegeria Lula.
Como vê, o nosso pais está emburrecido e nao existe saída.

Anônimo disse...

Concordo com o Sgt da marinha no tocante à sociedade não esperar ações isoladas por parte das FFAA. Acredito que nosso país só terá uma solução possível quando surgir uma liderança com ideologia de direita, nos impondo ações radicais, tais como destituição e prisão do alto escalão do executivo, legislativo e judiciário e substituição desses por pessoas que tenham credibilidade no seio da comunidade; repressão total a movimentos ilegais( MST, MAST, MAB, etc), aos legais conturbadores e ao crime organizado; criação urgente de prisões federais controladas pelo exército, na Amazônia, onde possamos isolar todas as grandes lideranças da bandidagem do PCC, CV, políticos e outros vermes corruptores; reformulação urgente de leis penais e reformulação de planos diretores de grandes cidades, transferindo populações inoscentes das favelas para cidades planejadas que tenham vida própria. E outras coisas possíveis e que são urgentes e necessárias para que nossos filhos possam ter um possível amanhã.