sábado, 25 de agosto de 2007

Golpe do PT: Radicalóides provocam militares para forjar clima de reação que justifique fechamento do regime

Edição de Sábado do Alerta Total http://alertatotal.blogspot.com/

Ouça agora o podcast Alerta Total no seu computador.
http://podcast.br.inter.net/podcast/alertatotal

Adicione nosso blog e podcast a seus favoritos do Internet Explorer.

Por Jorge Serrão

Caem as máscaras dos radicalóides no governo. Já está em curso o “plano Cohen petista”. O objetivo tático é provocar o setor militar a alguma reação que possa ser considerada “anti-democrática”. Assim, o “democrático” governo do presidente Lula poderá tomar medidas de força para reprimir seus opositores, abrindo o caminho para a implantação da nova ordem institucional desejada pelos petistas e pelo Foro de São Paulo no Brasil. O Plano Cohen foi um documento falso, com o intento de simular, para efeitos de estudo, uma revolução comunista no Brasil, usado como pretexto para Getúlio Vargas instaurar a ditadura do Estado Novo, em 1937.

Agora, a provocação é oficial. O livro "Direito à Memória e à Verdade", publicação oficial da Secretaria Especial dos Direitos Humanos da Presidência da República, acusa integrantes dos órgãos de repressão da ditadura militar (1964-1985) de decapitar, esquartejar, estuprar, torturar, ocultar cadáveres e executar opositores do regime que já estavam presos e que não podiam reagir. O documento sugere cobrança de explicações das Forças Armadas. O livro desconfia de que há arquivos guardados em segredo e sugere que militares da ativa e da reserva sejam ouvidos.

Em São Paulo, os radicais na Assembléia Legislativa lançaram uma provocação direta aos militares. Prometem apresentar, nas próximas semanas, um projeto de lei ou uma moção para que seja erguida, no pátio da assembléia, um busto em homenagem ao “general” Carlos Lamarca – capitão traidor e desertor do Exército, mas considerado um ícone heróico dos radicalóides. A estátua ficaria exatamente de frente para a sede do Quartel General do Comando Militar do Sudeste, no Ibirapuera. A idéia foi lançada esta semana pelo deputado Carlos Gianazi, do PSOL. No dia 6 de outubro, em sessão presidida por Rui Falcão, a Assembléia paulista fará uma homenagem ao guerrilheiro Carlos Maringuela.

No livro, os radicalóides do governo pregam a abertura de novas ações judiciais contra as Forças Armadas e também contra militares que atuaram na repressão política, estejam eles ainda na ativa ou já na reserva. A comissão de mortos e desaparecidos defende que a "Lei da Anistia é considerada polêmica, ainda hoje, por muitos juristas, sobretudo quanto à interpretação de que ela absolve automaticamente todas as violações de direitos humanos que tenham sido perpetradas por agentes da repressão política, caracterizando-se assim o que seria uma verdadeira auto-anistia concedida pelo regime a si mesmo".

Maniqueísmo Histórico

O livro-relatório "Direito à Memória e à Verdade" registra o que a Comissão Especial de Mortos e Desaparecidos Políticos, ao longo de 11 anos de trabalho, considera ser a verdade histórica sobre a repressão política.

Ou seja, só é válida a versão deles – e não a dos militares, como a contida no livro “A Verdade Sufocada”, escrito pelo coronel Carlos Alberto Brilhante Ustra, da ONG Terrorismo Nunca Mais. http://www.averdadesufocada.com/

Maniqueísmo histórico mais escroto que este imposto pelos radicalóides é impossível.

O Plano Cohen original

O Plano Cohen foi um documento escrito pelo capitão Olímpio Mourão Filho - na época membro do Serviço Secreto Integralista -, a pedido do líder Plínio Salgado, com o intento de simular, para efeitos de estudo, uma revolução comunista no Brasil, em 1937.

Membros do Estado Maior do Exército usaram uma cópia do tal documento, e a sua divulgação foi o estopim para a execução de um plano de tomada do poder por parte do então presidente Getúlio Vargas.

O documento foi apresentado à imprensa em 30 de setembro de 1937, no programa radiofônico oficial "Hora do Brasil".

O clima de tensão nacional permitiu que Getúlio Vargas e seus aliados instaurassem o Estado Novo, em 10 de novembro de 1937.

Um trecho da armação

“XVIII - OS REFÉNS - No plano de violências deverão figurar, como já foi dito atrás, os homens a serem eliminados e o pessoal encarregado dessa missão. Todavia, tão importantes quanto estes serão os reféns, que, em caso de fracasso parcial, servirão para colocar em xeque as autoridades. Serão reféns: os Ministros de Estado, presidente do Supremo Tribunal, e os presidentes da Câmara e do Senado, bem como, nas demais cidades, duas ou três autoridades ou pessoas gradas. A técnica para a colheita de reféns será a seguinte: os raptos deverão ser executados em pleno dia, nas próprias residências, que serão invadidas por grupos de 3 a 5 homens dispostos e bem-armados e munidos de narcóticos violentos (clorofórmio, éter em pastas de algodão empapadas) e serão transportadas para pontos secretos e inatingíveis, com absoluta segurança. Em caso de fracasso, proceder ao fuzilamento dos reféns”.

Veja mais na obra de Hélio Silva: A ameaça vermelha: o plano Cohen. RS: LP&M, 1980.

Justiçamento contra o Cabo Anselmo

O Cabo Anselmo é mesmo vítima de um “Justiçamento burocrático” da Comissão de Anistia do Ministério da Justiça.

Esta semana, o advogado do “Cabo”, Luciano Blandy foi impedido de acessar o processo do pedido de anistia para José Anselmo dos Santos, em Brasília.

Um funcionário da comissão apenas lhe deixou dar uma olhada, folheando o processo.

Além disso, os burocratas da comissão cometerem a irregularidade de não juntar a petição enviada pelo advogado, onze meses atrás, pedindo celeridade no processo.

A petição de Blandy, devidamente protocolada, sumiu, misteriosamente, no Ministério da Justiça.

O drama do “Cabo”

Anselmo, que não é cabo, mas sim marinheiro de primeira classe, vive na clandestinidade desde 1964, quando os militares tomaram o poder.

Não tem identidade. Nem CPF. Sequer a sua atual companheira sabe que ele foi o famoso marinheiro, autor do discurso inflamado no dia 25 de março de 1964, que acirrou a indisposição dos militares contra o presidente João Goulart.

O Alerta Total produziu sobre ele a série de reportagens exclusivas "Cabo Anselmo - um homem que não existe” – que foi notícia do Jornal da Record, em 5 de julho.

Pelegagem violenta

Ameaçados pelas vaias de 20 integrantes do Movimento Luto Brasil, 300 pelegos sindicais e ativistas lulistas apelaram ontem à tarde para a violência extrema, em Porto Alegre.

A pancadaria ocorreu Federação das Indústrias do Estado (Fiergs), na Avenida Assis Brasil, zona norte da capital gaúcha.

Confira o relato de uma das agredidas:

Estávamos na paz, mas assim que fomos detectados por eles a coisa ficou preta, eles vieram encima da gente, machucam vários de nós, senhoras gente, machucaram senhoras, pessoas de bem e indefesas foi pura covardia dessa CORJA. Estou viva por milagre. Todas as senhoras que estavam na manifestação forma agredidas verbal ou fisicamente por integrantes do MST.

Eles não portavam sua bandeira característica por isto achamos que seria uma manifestação pacífica Uma senhora de 65 anos foi derrubada ao solo por um homem que não foi identificado. A nota destoante foi da Brigada Militar,que foi OMISSA em não separar as duas facções. Estou decepcionada com nossa Polícia Milita. A impressão que tive é que foram escolhidos simpatizante do PT.

Vi quando esta senhora pediu ao cavalariano um socorro,ela ameaçou montar o cavalo dele,tão perto se viu da turba demoníaca. Outra foi derrubada e lançada à rua por sorte não passava carro naquele momento. Vocês não tem noção da coisa... eles são marginais e estavam sendo incitados por uma caminhão de som a nos intimidar e nos agredir. Eu pedi ao Comandante da Brigada que separasse aos lados e eles foram insensíveis nos deixaram à mercê da sanha do PT.Aquele que derrubou a idosa ainda tripudiou: “Vocês roubaram por 500 anos,deixem o PT roubar um pouquinho!”

Tudo muito confuso para nós, estávamos cercados, tinha 2 homens dos nossos e os repórteres e cinegrafistas que ficaram apavorados com o tumulto, ouvi um vamos cúmpanheiros defender nosso presidente...

Infelizmente a "zelite" a qual o apedeuta se refere, são trabalhadores e não puderam ir em massa, éramos na maioria senhoras, e apanhamos sem dó nem piedade, uma de nós quase foi atropelada depois de empurrada na Av. Assis Brasil que é movimentadíssima. Quebraram os vidros do nosso carro de som roubaram nossa faixas. As integrantes do Movimento Luto Brasil lutaram bravamente contra a turba.

Deus queira que a governadora tome providência contra o descaso com nossa segurança. Só pedíamos ao comandante que nos separassem dos petistas e só no final é que alguns elementos da Brigada nos deram espaço no canteiro central. Foi horrível ver a Malu atirada ao chão na beira da rua e desabafando: "Já estamos em CUBA".

Gente, não deu pra fazer nada foi uma correria só, tivemos que sair do local escoltados pela polícia que nos disseram pra ir embora pois o efetivo deles não daria conta de nos proteger. As fotos sairão na imprensa.

Lula ridículo

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva reclamou ontem que é alvo da inveja e do preconceito ao rebater denúncias contra o seu governo.

O presidente protestou que a oposição torce contra a sua administração.

Tem gente que fica o tempo todo torcendo para não dar certo. A inveja e o preconceito são duas doenças malignas que nasceram na cabeça de algumas pessoas - disse ele, num discurso de 15 minutos numa escola pública da cidade”.

Foi o que Lula falou durante lançamento do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), em Piraquara, na região metropolitana de Curitiba.

Pau na imprensa

Lula ainda reclamou dos jornalistas:

Pensam que por falar na TV têm o dom da verdade”.

Lula também dirigiu críticas aos políticos:

"Vão morrer sem entender porque um metalúrgico que não tem diploma universitário é capaz de fazer mais do que eles. Queremos que os pobres possam subir o degrau e ter as mesmas condições que os mais ricos."

A força do general Jobim

A diretora da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) Denise Abreu entregou ontem sua carta de demissão à agência e ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

"Que se remeta ao senhor presidente, a quem pessoalmente esclarecerei as razões que me levaram a tomar essa decisão".

O ministro da Defesa, Nelson Jobim, recebeu, feliz, a carta de demissão.

A demissão de Denise, segundo Jobim, "reduz uma área de atrito com a sociedade".

Pequeno recuo

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva mandou redigir o ato de indicação do ministro do STJ (Superior Tribunal de Justiça) Carlos Alberto Menezes Direito para o STF (Supremo Tribunal Federal) anteontem, mas recuou na última hora.

O ato deveria ter sido publicado na edição de ontem do Diário Oficial da União, junto com a aposentadoria do ministro José Paulo Sepúlveda Pertence, que abriu a vaga.

Direito é indicação do PMDB ao Palácio do Planalto.

Os réus

Dois anos após o mensalão eclodir, o Supremo Tribunal Federal abriu os primeiros processos criminais do caso

Dos 40 denunciados, 19 já viraram réus, entre eles o ex-ministro Luiz Gushiken e o ex-presidente da Câmara João Paulo Cunha.

Gushiken, um dos ministros mais influentes do primeiro governo Lula, é acusado de ter ordenado em 2003 ao então diretor de Marketing do Banco do Brasil, Henrique Pizzolato, a antecipação de um pagamento de R$ 73 milhões a agência de publicidade, que teria distribuído o dinheiro a parlamentares aliados do governo e a credores do PT.

A acusação a Gushiken é de peculato - apropriação de dinheiro público.

Busca da salvação

No segundo dia de julgamento do caso do mensalão no STF, o ex-ministro José Dirceu, o ex-presidente do PT José Genoíno e o ex-tesoureiro Delúbio Soares livraram-se da acusação de peculato.

Mas ainda podem ser indiciados por formação de quadrilha e corrupção ativa.

As sessões do STF só deverão terminar na terça-feira.

Ajuda confirmada

O avião que levou os pugilistas que desertaram no Pan de volta a Cuba era da Venezuela.

A confirmação é da FAB.

Não foi informado quem era o dono, mas suspeita-se de que a ajuda de Chávez tenha vindo por meio da estatal PDVSA.

Pânico no bolso da Rede TV

A RedeTV! foi condenada a pagar indenização de R$ 250 mil para Luana Piovani, e R$ 50 mil para Dado Dolabella.

O programa Pânico não pode mais sequer mencionar o nome deles.

Muito menos persegui-los ou mostrar a imagem dos imóveis onde residem.

Missão Impossível

O advogado do YouTube, Luiz Edgard Montaury, afirma que a empresa trabalha para cumprir a decisão judicial "incumprível" de retirar do ar imagens do filme "Amor Estranho Amor" (1982), em que Xuxa Meneguel aparece em cenas eróticas com um garotinho de 12 anos.

A assessoria de imprensa da apresentadora reconhece que é difícil ter controle sobre o que é colocado na internet.

"Pedimos para tirar o vídeo, mas o público coloca novamente. É difícil controlar".

Tudo o que é divulgado sobre o filme proibido é encaminhado para o departamento jurídico da empresa de Xuxa.

Vida que segue...

Fiquem com Deus!

O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Inteligente, inovador, fortemente analítico e propositivo, utilizando as mais modernas tecnologias para transmissão instantânea e eletrônica de informação privilegiada e análise estratégica, junto com a difusão de novos conhecimentos voltados para a construção e consolidação de novos valores humanos.

10 comentários:

Anônimo disse...

É ISSO,A ESQUERDA SEQUESTROU,MATOU,DESVIOU ARMAS,SE FIZERAM DE MÁRTIRES.TUDO PARA CHEGAR AO PODER......AGORA,AONDE ESTÃO OS MILITARES DE PEITO?

Anônimo disse...

A militância delinqüente lulo-petista, misto de jagunços e cangaceiros, é embrião da versão tupiniquim dos “Tontons-Macoutes” - milícia armada do ditador
François Duvalier, do Haiti. O Brasil está em perigo. Vejam o que nos aguardam: Foi assim no Haiti.

Duvalier começou a engendrar a sua perpetuação no poder logo depois de sua posse. Suas primeiras medidas foram neutralizar a rica elite mulata e o Exército que o tinha apoiado - raiz e estopim de repetidos golpes contra presidentes.

Para a neutralização das forças políticas, que desde a independência se alternavam na briga pelo controle da ilha, Duvalier retomou um antigo método secular haitiano: a formação de milícias armadas de paramilitares.
Duvalier começou a efetuar seu plano atacando as Forças Armadas. Primeiro, demitiu o general Antonio Kébreau que o tinha conduzido ao poder. Depois, aposentou, de uma só vez, toda a cúpula do Exército, dentre os quais 50 coronéis. Em seus lugares nomeou jovens oficiais negros obedientes à sua figura.

Mesmo assim, receoso da fidelidade de seus soldados, resolveu fazer o seu exército particular, criando os tontons-macoutes, uma força paramilitar violenta e temida por todas as classes sociais e altamente fiel ao Papa Doc.

O contingente de tontons-macoutes, que chegou ao número de 12 mil homens, foi essencial para intimidar também a elite mulata.
Papa Doc edificou uma das mais perversas e sangrentas ditadura das Américas, iniciada em 1957.

Bagli&Blog disse...

Prezado Jorge Serrão,

Boa tarde.

Tudo bem? Qual a novidade? Pergunto isso porque muitos incautos devem devem ficar admirados e chocados com as "táticas" de demonização golpistas dos casos psiquiátricos, todos sócios do presidente do Brasil e, também, de boa parte da Organização Criminosa que está "aguardando" uma moleza so Supremo, ainda esta semana.

Tudo isso é lógico e previsível. Nada me espanta.

A única coisa que eu tenho medo e que me espanta é o corpo mole da Força. Só isso. Quer mais, Serrão? Isso já é muito.

Abração,

Anônimo disse...

FULMINANTE, ASSIM É QUE TEM QUE SER.
NÃO PODE HAVER TEMPO PARA REAÇÃO.
ELES ESPERAM QUE HAJA DEBATE, E COM A MÍDIA COMPRADA, ACABAM SE FORTALECENDO, POIS SÓ A VERSÃO DELES PREVALECE.
CRIMINOSOS, TRAIDORES DA PÁTRIA, CORRUPTOS, ASSASSINOS, CADEIA NELES!!!!!

bastilha disse...

PRECONCEITO DUVIDOSO

Ari Cunha -
Correio Braziliense, 25/08/07


Quando nos acercamos de qualquer data ligada aos militares, jornais, rádios e televisões dão guarida a verdadeiros absurdos de contestação. Isso faz alguns anos, e muitos dos assuntos divulgados não correspondem à verdade. Nem aconteceram, para falar mais claro.

Formam-se na consciência dos que receberam indenizações financeiras por lutar contra a revolução. É o instinto de desprezo. O fato não acrescenta nada ao patriotismo que o brasileiro deveria trazer consigo. A prova é que muitas pessoas foram distinguidas com gordas indenizações. Algumas, além do dinheiro, levam consigo um salário até o final dos seus dias.


Pelo que se observa, as pessoas que se dispuseram a enfrentar governos militares estavam querendo futuro bem guardado, com dinheiro recebido em paga de oposição fiduciária. O que se estranha é que, quem assim procede, nem sequer defende as mesmas indenizações às famílias dos militares mortos com requintes de maldade. Houve casos em que jovens, em serviço nos quartéis, foram mortos para que suas armas fossem roubadas.

A anistia concedida tem duas mãos. Não foi só para distinguir aqueles que teriam pagamento em dinheiro pelo fulgor patriótico exibido no final da história.

Anônimo disse...

sinceramente, tenho medo do que o brasil está se tornando.

terra de ignorantes, coniventes e covardes.

sim, os cidadaos de bem sao covardes, estao todos vivendo suas vidinhas enqto a nossa nação tá indo pro buraco(pra mim, já está no buraco)

sonho com o dia de aparecer uma violenta equipe paramilitar para combater esta nojeira.

Anônimo disse...

Artigo e comentários, simplesmente, RIDÍCULOS! Mas, afinal, papel aceita tudo.

Ademir disse...

Serrão;
Sou seu leitor assíduo, mas hoje procurei nos jornais de Porto Alegre alguma notícia sobre os incidentes relatados por vc, acima, dos quais eu copiei um pequeno trecho e repeti a seguir, porém nada encontrei em nenhum jornal online. Gostaria que vc informasse o nome de algum jornal gaúcho que tenha divulgado a notícia...ou então a imprensa gaúcha é covarde (ou comprada)!

"Pelegagem violenta
Ameaçados pelas vaias de 20 integrantes do Movimento Luto Brasil, 300 pelegos sindicais e ativistas lulistas apelaram ontem à tarde para a violência extrema, em Porto Alegre.

A pancadaria ocorreu Federação das Indústrias do Estado (Fiergs), na Avenida Assis Brasil, zona norte da capital gaúcha.

Confira o relato de uma das agredidas:
Estávamos na paz, mas assim que fomos detectados por eles a coisa ficou preta, eles vieram encima da gente, machucam vários de nós, senhoras gente, machucaram senhoras,..."

Anônimo disse...

A imprensa em geral boicotou a notícia.

http://alertatotal.blogspot.com/2007/08/golpe-do-pt-radicalides-provocam.html

http://angelodacia.blogspot.com/

http://jbonline.terra.com.br/extra/2007/08/24/e24083867.html

http://www.clicrbs.com.br/clicnoticias/jsp/default.jsp?uf=1&local=1&tab=00001&newsID=a1598510.htm

alê fonseca disse...

O povo brasileiro é ignorante porque?
Talvez porque a ditadura tenha acabado com o ensino público no país...
E essa corrupção?
Essa corrupção sempre houve, só que não aparecia!
também tem raízes nos militares brasileiros que, ao invés de serem "valentes defensores" da soberania, foram comprados pelo serviço secreto norte americano. A tortura dos militantes de esquerda era às vezes trazida do mundo soviético mas muitas vezes era "amadora", enquanto a tortura dos militares, além de financiada por dinheiro público e instituída pelo governo tinha "phd", foi ensinada por agentes da CIA. Os mesmos agentes da CIA que deram "consultoria" nos nossos ministérios da educação e das telecomunicações.