sexta-feira, 31 de agosto de 2007

Renan é cabra marcado para cassação, e Lula agora teme que ele se vingue revelando negócios de Lulinha

Edição de Sexta-feira do Alerta Total http://alertatotal.blogspot.com/

Ouça agora o podcast Alerta Total no seu computador.
http://podcast.br.inter.net/podcast/alertatotal

Adicione nosso blog e podcast a seus favoritos do Internet Explorer.

Por Jorge Serrão

Como a queda de Renan Calheiros é inevitável no Senado, o Palácio do Planalto agora se apavora com a possibilidade de o aliado cumprir as ameaças que vinha fazendo nos bastidores. Renan tinha se comprometido a não tocar mais em assuntos delicados para o presidente Lula da Silva, caso desse certa a manobra para absolvê-lo no Conselho de Ética. A armação do voto secreto, que o salvaria, falhou. Na quarta-feira que vem, a cabeça do presidente do Senado será pedida.

Renan pode deixar vazar detalhes de uma operação empresarial que não é mais segredo. A Gamecorp, do primeiro-filho Fábio Luiz da Silva, pretende explorar canais da nova rede de tevê a cabo que a Telefónica pretende implantar no Brasil, depois que a Editora Abril vendeu 19,9% da participação na TVA. O negócio envolveu R$ 1 bilhão de reais. Os ataques de Renan à revista Veja – que o detonaram – foram um recado indireto ao presidente Lula que a máquina do Planalto deveria ser usada para salvá-lo da cassação. Renan prometera ficar absolutamente quieto, em troca da absolvição política. Como será detonado, quer levar outros para o cadafalso político.

Renan Calheiros jogou ontem todas as fichas na competência do senador Leomar Quintanilha, cuja missão era impor a salvadora votação secreta no Conselho de Ética. Renan chegou a costurar um acordo por debaixo dos panos. No voto fechado, seria absolvido e renunciaria à presidência do Senado, ficando apenas com o mandato. Mas tudo deu errado. Diante da desmoralização do Senado, a maioria dos senadores pregou o voto aberto. A votação do caso Renan acabou adiada para quarta-feira que vem, dia 5 de setembro, na semana do feriadão. Renan ganhou uma sobrevida porque seus aliados Wellington Salgado (PMDB-MG) e Gilvam Borges (PMDB-AP), pediram vista, para analisar o mérito.

Cadê o decoro, senadores?

Se o Conselho de Ética existe para zelar pelo decoro parlamentar — um conjunto de normas de conduta a serem seguidas por senadores e deputados e inclui a proibição de expressões que configurem crime contra a honra -, ontem se transformou na negação de si mesmo.

A leitura do relatório de 73 páginas sobre o caso Renan foi tensa, com senadores trocando ofensas aos gritos.

Tasso Jereissati (PSDB-CE) insultou Almeida Lima (PMDB-SE), um dos defensores de Renan:

Calma, boneca. Calma, menina”.

Almeida Lima ficou mais nervoso e provocou:

Senador, esse trejeito não lhe fica bem”.

Tasso deu murros na mesa, devolvendo o insulto:

Você é um palhaço. Deixa de palhaçada, rapaz, você é um vendido”.

Ambos tiveram que ser contidos, e o presidente do Conselho de Ética, Leomar Quintanilha, interrompeu a sessão por alguns minutos.

Chega de impunidade

O senador Álvaro Dias (PSDB-PR) defendeu ao Alerta Total a agilidade no caso Renan Calheiros:

"Em relação ao caso do Presidente do Senado, defendo agilidade no julgamento. Entendo que a opinião publica já esta cansada, além do que a demora numa decisão desgasta demais o conceito da instituição, uma vez que a sociedade brasileira exige dos seus representantes no Congresso Nacional uma postura ética compatível com a confiança neles depositada. Por isso é preciso agilidade, com o encaminhamento da questão ao Plenário do Senado Federal para deliberar a respeito".

O senador Álvaro Dias defendeu as razões do voto aberto:

"A deliberação tem de ser feita através do voto aberto, tanto no Conselho de Ética, como no Plenário. Do contrário passa-se à opinião pública a idéia de que somos uma Casa de malandros corporativistas se auto-protegendo. Acho que o voto aberto faz com que o eleitor possa conhecer a postura ética dos seus representantes".

Os escudeiros

Almeida é um dos três relatores do processo, aliado de Renan, e defendia o arquivamento, alegando falta de provas.

Os outros dois relatores — Renato Casagrande (PSB-ES) e Marisa Serrano (PSDB-ES) —, porém, pediram a cassação por quebra de decoro.

A votação foi adiada porque outros dois aliados de Renan, Wellington Salgado (PMDB-MG) e Gilvam Borges (PMDB-AP), pediram vista, para analisar o mérito.

Os oito Pecados do Renan

Os senadores Renato Casagrande (PSB-ES) e Marisa Serrano (PSDB-MS) apontaram ontem pelo menos oito razões para detonar a cassação de Renan Calheiros.

1) Usar lobista para pagar contas pessoais: "Há, aí, uma relação conflituosa. Por um lado o interesse da sociedade em que seja preservada a honra da Instituição Senado Federal e por outro o interesse pessoal do Representado na solução de seu problema particular. Deveria ter procurado outro meio que não ensejasse dúvidas sobre conflitos de interesses. Haveria, se fosse o caso, de procurar outro amigo que não tivesse a ocupação profissional de defender interesse de empresa com significativos pagamentos feitos por meio do Orçamento da União, na medida em que assim evitar-se-ia qualquer suspeita sobre a lisura do relacionamento. Houve quebra de decoro."

2) Patrimônio não condiz com pagamentos a jornalista: "No ano de 2005 houve falta de recursos para fazer frente às despesas do Representado em mais de R$ 24.500,00! Ou seja, a perícia demonstrou que o Representado não poderia ter pago os valores relativos às despesas privadas e mais os valores que foram pagos a Sra. Mônica Veloso, com os recursos que disse ao Conselho de Ética que possuía".

3) Irregularidades fiscais: "As irregularidades de declaração de sua renda, a escrituração inadequada de seus negócios agropecuários, a forma como desconsidera a aplicação da legislação fiscal são evidentes no presente processo. Restou provado que esta é uma prática longeva e reiterada do Representado, não um mero erro episódico. Não é admissível que um Senador da República assim se comporte. Houve quebra de decoro e prática reiterada de irregularidades fiscais".

4) Omissão de contas bancárias: "Nestes termos, concluem os peritos da Polícia Federal, com base nos atos normativos do BACEN que o DOC "D", sigla utilizada pelos bancos para as transferências interbancárias entre contas de mesma titularidade, evidencia haver outras contas correntes ou movimentações bancárias que não foram apresentadas pelo Senador Renan Calheiros. Este fato revela, de forma inequívoca, o cometimento de quebra de decoro parlamentar, pela prestação de informação inverídica ao Senado e à Nação, já que a existência de outras contas-correntes atesta que o Senador não patrocinou a quebra total de seu sigilo bancário que propalou em seu discurso".

5) Uso da verba indenizatória para gastos pessoais: "Em qualquer uma das alternativas possíveis para a explicação da declaração feita pelo Senador Renan Calheiros, resta configurada a prática de quebra de decoro parlamentar, pela utilização dos valores recebidos sob a rubrica de verba indenizatória ou como fonte de recurso para pagamento de despesas alheias à sua atividade de Senador ou para o incremento de seu patrimônio ou, ainda, pela prestação de informação falsa em Plenário".

6) Saques em dinheiro usados para pagamento de gastos das fazendas e não para a jornalista: "De fato, a verificação comparativa entre a Declaração de IR e a documentação de suporte apresentada pelo Representado juntamente com sua defesa, demonstra que diversos cheques listados na planilha encaminhada a este Conselho como "saques em dinheiro" informando que eram retirados para pagamento à sra. Mônica, na verdade se prestaram a pagamentos de imobilizações ou despesas com suas fazendas, representando, em 2004, valores superiores a R$ 550.000,00. Vê-se, pois, que aquelas planilhas contendo listagem dos "SAQUES EM DINHEIRO" produzida pelo Representado, a partir dos extratos bancários não se prestam a atestar que os valores neles contidos foram retirados em espécie daquela conta-corrente, o que nos leva a afirmar que houve tentativa de induzir o julgador a erro".

7) Empréstimo da empresa Costa Dourada: "Os noticiados empréstimos feitos pelo Representado junto à empresa Costa Dourada Ltda. são, de qualquer ângulo de análise, elementos complicadores de sua situação. De um lado, a falta de prestação de informação ao Conselho é absolutamente inadmissível. Outra irregularidade gravíssima é a ausência de informação ao fisco, a não informação nas Declarações de Imposto de Renda sobre os contratos. Há quebra de decoro pela omissão do contrato, bem como pelas conseqüências de sua apresentação dos pontos de vista da inapetência para produzir veracidade das alegações que ele procura comprovar".

8) Mentir ao omitir informações essenciais à investigação: "Há quebra de decoro quando o Representado omite deliberadamente qualquer informação que poderia ter relevância para as investigações. É verdade que a ninguém, em processo judicial, é imputado dever de produzir prova contra si próprio, mas aqui não é este o caso. O que fez o Representado foi omitir a entrega voluntária de um documento e a posterior apresentação oportunista do mesmo. O resultado da avaliação do processo revelou que o senador Renan Calheiros não obedeceu aos ditames ético-políticos do princípio da veracidade, tentando induzir a erro os senadores da República, desonrando o Senado Federal através de informações sabidamente inverídicas

Atriz substituta

Os leitores da revista Playboy terão um bom motivo para esperar um mês para apreciar as fotos de Mônica Veloso do jeito que Renan cansou de ver.

Na edição deste mês de setembro, Mônica é bem substituída pela atriz Bárbara Paz.

A gracinha posou para o ensaio no Teatro Oficina, em São Paulo.

Senha para o acordão em 2010

O Partido dos Trabalhadores inicia hoje seu 3º congresso nacional articulando a sucessão de Lula, que jura não querer terceiro mandato.

O presidente petista, Ricardo Berzoini, já avisou o partido pretende repensar a estratégia para as eleições de 2008 e admite ser possível abrir mão da cabeça de chapa para a sucessão presidencial de 2010.

"Não devemos ser arrogantes, temos de dialogar".

O caminho está escancarado para uma chapa presidencial com Nelson Jobim na cabeça, pelo PMDB, tendo a Super Poderosa Ministra Dilma Rousseff como vice.

Arakiri Supremo

O ministro Ricardo Lewandowski foi obrigado ontem a pedir desculpas aos demais integrantes do Supremo Tribunal Federal (STF) por ter afirmado que, no julgamento da denúncia do mensalão, todos votaram "com a faca no pescoço".

"Na verdade, o que quis dizer foi que eu é que estava com a faca no pescoço".

Ninguém continua entendendo o que quis dizer o ministro – um dos poucos que aliviou a barra dos mensaleiros nas votações do STF

Digno de Deuses

A presidente do Supremo Tribunal Federal, ministra Ellen Gracie Northfleet, foi obrigada a divulgar uma nota oficial, para ressaltar que o tribunal "não permite nem tolera que pressões externas interfiram em suas decisões".

Ellen Gracie teve de reafirmar "a dignidade da Corte, a honorabilidade de seus ministros e a absoluta independência e transparência dos seus julgamentos".

Com o “comunicado” ficou claro que os ministros do nosso STF estão degraus acima de Deus – que nos perdoa a todos pela heresia.

Brecha para o Zé

A resposta dura de Ellen Gracie foi provocada porque José Dirceu de Oliveira e Silva, horas antes, havia colocado em suspeição a votação no STF.

O julgamento, no mínimo, está sob suspeição. Quem me dá garantia que vou ser julgado, daqui a dois anos, seguindo apenas a Constituição? Estou perplexo, estupefato e quase em pânico. Isso é impensável em qualquer País”.

Sempre com mania de perseguição, José Dirceu reclamou temer pelo seu futuro, e criticou a influência da imprensa sobre as decisões do Judiciário:

Estamos caminhando para a ditadura da mídia no País”.

Jurando inocência

Dirceu promete silêncio, até responder pelos crimes de corrupção ativa e formação de quadrilha.

Zé avisou que não pretende tomar nenhuma medida judicial para anular a decisão do STF, pois jura inocência:

Não há culpabilidade como deixaram claro todos os ministros do Supremo. Eu preferia estar servindo ao país, seja como dirigente do PT; ou como parlamentar; ou como membro do governo que ajudei a eleger e reeleger. Mas a realidade é outra”.

Não há provas...

José Dirceu voltou a afirmar que é inocente e que conseguirá responder a todas as acusações feitas pelo procurador-geral da república, Antônio Fernando de Souza.

Quaisquer indícios, provas e denúncias de que eu tenha participado ou omitido, não de mensalão porque não houve e nem desvio de dinheiro público porque não está provado, e em todo o processo que levou ao chamado 'valerioduto', envolvendo recursos para campanha e para dívidas de campanha, o que chamamos de caixa dois no Brasil, não há provas de que eu tenha participado”.

Dirceu deu uma ótima notícia: desistiu de fazer uma campanha para pedir a anistia da cassação do seu mandato de deputado federal, ocorrida no final de 2005 em função do escândalo do mensalão.

Quadrilha contra o tempo...

Se até agosto de 2011 o tribunal não levar a julgamento o caso do mensalão, parte dos réus pode ficar imune à punição.

O Código Penal prevê pena de 1 a 3 anos de prisão para condenados por formação de quadrilha.

Como os réus investigados no processo do mensalão são primários, a tendência é de que, se forem condenados, será aplicada pena próxima à mínima.

Se isso for confirmado, a prescrição ocorrerá quatro anos após a abertura do processo - ou seja, em 2011.

Para outros crimes incluídos no inquérito os prazos são maiores.

Vargas não merecia esta

Na reunião ministerial na Granja do Torto, o presidente Lula da Silva afirmou que, em termos de avanço do País, seu governo só poderá ser comparada ao período do ex-presidente Getúlio Vargas, que governou duas vezes o Brasil, de 1930 a 1945 (metade sob ditadura) e de 1951 a 1954.

"O legado do meu governo será a consolidação das políticas sociais. As realizações sociais, econômicas e políticas desse governo só serão comparáveis com o governo Vargas".

O relato foi do ministro da Comunicação Social, Franklin Martins, que divulgou outra declaração de Lula:

"As instituições funcionam plenamente, a imprensa é livre para falar o que quer, as decisões políticas são sólidas, porque são fruto de um debate maduro".

Pressão contra o promotor assassino

A cidade de Jales, distante 596 quilômetros de São Paulo, se mobiliza para impedir que o promotor Thales Ferri Schoedl, assuma na próxima segunda-feira seu cargo no Ministério Público na cidade.

O promotor é acusado do assassinato do estudante Diego Mendes Modanez, de 20 anos, em dezembro de 2004,

O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil, da subseccional Jales, Guilherme Soncine da Costa, informou o Ministério Público que Schoedl não é bem-vindo.

Os moradores fizeram um abaixo-assinado e organizam um ato de repúdio na Câmara Municipal contra a decisão do Órgão Especial do Ministério Público de mantê-lo na promotoria, com cargo vitalício e salário de R$ 10 mil.

Corporativismo é isso...

A votação, apertada no órgão Especial do Ministério Público (16 votos a 15), a favor de Schoedl, ocorreu na quarta-feira.

Schoedl também ganhou direito a ter foro privilegiado e não será julgado pelo Tribunal do Júri.

O advogado da família do jovem assassinado, Pedro Lazarini, já apelou ao Conselho Nacional do Ministério Público para reverter a decisão.

Com 14 membros, o Conselho tem o poder de afastar novamente Schoedl do cargo.

Matando na ferrovia

Enquanto os governadores Sérgio Cabral Filho (PMDB) e José Serra (PSDB) anunciavam, no Palácio dos Bandeirantes, o megalômano projeto do Trem Bala ligando o RJ a SP, um acidente ferroviário, gerado pelo descaso e má conservação da linha da Supervia, provocava a morte de 8 pessoas e deixava 111 feridas, na Baixada Fluminense.

Foi o segundo maior acidente ferroviário dos últimos 50 anos no Rio de Janeiro.

De acordo com a concessionária, a composição prefixo UP-171, que partira da Central do Brasil em direção a Japeri às 15h10m, com cerca de 800 passageiros, bateu às 16h09m no último vagão do comboio WP-908, que manobrava vazio a 200 metros da estação de Austin, em Nova Iguaçu.

A SuperVia informou que naquele trecho os trens trafegam a até 80km/h.

A omissão

O presidente do Sindicato dos Ferroviários, Valmir de Lemos, o Índio, denunciou a má conservação da linha.

Há denúncia desde 2001, enviada ao Ministério Público, sobre a má-conservação e o excesso de trabalho dos ferroviários. O normal é se trabalhar oito horas. Só que eles estão trabalhando de 10 a 12 horas e sobre forte pressão psicológica”.

O sindicalista também acusou a SuperVia de não investir na sinalização e em equipamentos de segurança para o sistema:

Foi falha técnica da SuperVia. Tenho informação de que é comum trilho ser preso no dormente por três parafusos mas, às vezes, põe um ou nenhum. Por falta de parafuso, o trilho abriu e tombou”.

Trem bala na nossa cabeça

Há mais de 20 anos no campo das intenções, o projeto que prevê a ligação ferroviária entre os estados do Rio de Janeiro e São Paulo voltou a ser discutido ontem.

Os governadores Sérgio Cabral Filho e José Serra assinaram um convênio que cria um grupo de trabalho interestadual para acompanhar o desenvolvimento do que seria o primeiro trem-bala brasileiro.

O Ministério dos Transportes e a empresa italiana Italplan começaram a desenvolver um projeto técnico sobre a futura linha.

O negócio interessa à ministra Dilma Rousseff, madrinha do projeto.

Obra bilionária

Pelos cálculos da Italplan, o custo da obra seria de US$ 9 bilhões.

E se a licitação fosse aprovada no ano que vem, o trem entraria em funcionamento em 2015.

Ainda pelo projeto da empresa italiana, o trem teria capacidade para transportar 855 passageiros por viagem, além de carga leve.

Sem paradas intermediárias, o percurso seria feito em 1h30m, em uma velocidade média de 280 quilômetros por hora.

A passagem ficaria em torno de R$ 130.

Brincando de candidato

Ainda na cerimônia do acordo ferroviário megalômano, José Serra fez brincadeira de candidato:

Espero que isso aconteça no primeiro mandato, mas pode acontecer no segundo”.

Em tom de brincadeira, Serra admitiu a possibilidade de se candidatar à reeleição em 2010.

Era tudo o que Geraldo Alckmin e Aécio Neves gostariam que fosse realidade...

Dança das pesquisas

Números da pesquisa Ipsos, do mês de agosto, divulgada por Cesar Maia em seu ex-Blog de hoje:

1. Entre estes candidatos da oposição a presidente do Brasil em 2010 em quem votaria?

Serra 27%.

Alckmin 24%.

Aécio 10%.

Denise Frossard 2%.

N/B/N/NS/NR 37%

2. Entre o candidato mais forte do governo e estes da oposição, em quem votaria?

Serra 39% x Ciro Gomes 27%.

Alckmin 33% x Ciro Gomes 29%.

Ciro Gomes 39%x Aécio Neves 15%.

Roubo nos trilhos

As empresas usuárias do transporte ferroviário de cargas vão formalizar nos próximos dias uma representação no Sistema Brasileiro de Defesa da Concorrência (SBDC) contra as concessionárias que operam a malha nacional, alegando práticas abusivas de tarifas e coação sobre clientes.

As empresas de carga acusam a ferrovias teriam obtido resultados financeiros expressivos nos últimos anos, sem contrapartida na melhoria dos serviços prestados.

A representação será levada pela Associação Nacional dos Usuários de Transporte de Carga (Anut), que representa 26 grupos empresariais, entre eles siderúrgicas, cimenteiras, madeireiras, fabricantes de celulose e papel, de fertilizantes, indústrias químicas e petroquímicas e produtores de ferro-gusa e grãos.

Jobim venceu

Depois de um “acerto” com o governo, o presidente da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil), Milton Zuanazzi, e os outros dois diretores da agência decidiram renunciar aos cargos até o final de setembro.

O próximo a sair será Josef Barat, que deve deixar o cargo até 7 de setembro.

Até lá o ministro Nelson Jobim (Defesa) irá indicar os substitutos de Denise Abreu e Jorge Velozo, os primeiros a renunciar.

O Senado precisa aprovar os nomes.

Assim é mole juntar dinheiro...

Cerca de 85% dos recursos correspondentes aos royalties e participações especiais arrecadados com a exploração de petróleo e que seriam destinados aos ministérios do Meio Ambiente, Ciência e Tecnologia e da Marinha e à Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) foram desviados de suas finalidades previstas em lei para engrossar o superávit primário.
Os recursos foram bloqueados, contingenciados ou continuam nos cofres do Tesouro Nacional.

Da arrecadação de R$ 22,5 bilhões, apenas R$ 3,3 bilhões foram efetivamente gastos.

Entre as atribuições previstas em lei, os recursos deveriam financiar a proteção da costa marítima e das plataformas de petróleo, capacitação de profissionais, reparação de danos ao meio ambiente e estudos geológicos.

Prometer é fácil

Segurando tantos recursos assim no caixa do Tesouro – e não fazendo o que precisa ser feito -, o Brasil atingirá déficit nominal zero dentro de dois anos, quando terá receitas suficientes para cobrir todas as despesas, incluindo o pagamento de juros.

Foi o que afirmou ontem o Ministro da Fazenda, Guido Mantega

O prazo para cumprir a meta era, inicialmente, para 2011.

O déficit nominal acumulado nos últimos 12 meses é de aproximadamente R$ 50 bilhões, correspondendo a 2,08% do Produto Interno Bruto (PIB).

Vida que segue...

Fiquem com Deus!

O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Inteligente, inovador, fortemente analítico e propositivo, utilizando as mais modernas tecnologias para transmissão instantânea e eletrônica de informação privilegiada e análise estratégica, junto com a difusão de novos conhecimentos voltados para a construção e consolidação de novos valores humanos.

4 comentários:

bastilha disse...

Participe da Campanha


Oscar Maroni, manager de putas, está pedindo asilo político em sete países onde a prostituição seja vista com bons olhos (QUE OLHOS?). Proponho uma campanha para que Fidel, "o justo sanguinário", aceite Maroni em Cuba e que este possa levar, de quebra, o José Dirceu. Uma dupla perfeita para um país perfeito: No futuro poderemos vê-los numa disPUTA pela presidência de Cu ba. Que orgulho podermos ler, em breve, as manchetes do GRANmA: Cu ba lança o Oscar Maroni.. Cuba lança o Dirceu.


* Pedro Caroço, Daniel, Carlos Henrique Gouveia de Mello ou, simplesmente, José Dirceu é ganancioso; ditadura só a que ele, Lulla e os petralhas querem implantar no Brasil.

blogandofrancamente.blogspot.com

Anônimo disse...

AGRADECIMENTOS ÀS NOSSAS AUTORIDADES

Então ficamos assim:

O Brasil vai se tornar socialista, com a conivência dos senhores deputados, dos senhores senadores, das autoridades do nosso Judiciário e das nossas Forças Armadas.
No video abaixo, sobre o Congresso do PT (o último) está tudo muito claro.

Obrigada aos nobres profissionais acima citados por fazerem o povo pensar que vivíamos numa democracia, para deixar que o socialismo comunista tomasse nosso país.

Obrigada a todos pela presteza com que serviram à nossa Constituição e ao nosso povo. Esperamos que, ao menos, retardem ao máximo possível o aprisionamento e o fuzilamento dos brasileiros que não se conformarem com este novo país com o qual nos presenteiam.

Pedimos o favor de que nos deixem ficar andando pelas ruas protestando, pacificamente, com nariz de palhaço, vaiando quem quisermos e escrevendo abobrinhas nos jornais e na internet. Nada disso afetará o novo Estado Brasileiro que, com sua inestimável colaboração, já vemos implantado quase que completamente.

Dentro de duas gerações, no máximo, a natureza se encarregará, sozinha, de mandar todos esses incovenientes cidadãos inconformados para outro mundo. Portanto, pedimos que tenham um pouco de paciência e não usem de violência. Parabéns a todos pelo excelente trabalho!

Assistam ao video abaixo - 3° Congresso do PT - parte 3 - Socialismo Petista

Parte 1
http://www.youtube.com/watch?v=UMqdbWzSycA

Parte 2
http://www.youtube.com/watch?v=aNHGFSf3emM

Parte 3
http://www.youtube.com/watch?v=VNPjm0qfByc

Parte 4
http://www.youtube.com/watch?v=8uFYZakk6-4

http://infomix-cf.blogspot.com/

Anônimo disse...

Saudações.

ASSUNTO: Previsão com base na histórica firmeza de caráter da instituição militar.

Não é preciso ser um “vidente” ter “bola de cristal” ou “bater cabeça” num terreiro de umbanda.

Teremos no Brasil um dia especial e esclarecedor que ocorrerá exatamente no dia 7 de setembro de 2007.

O dia 7 de setembro de 2007 será um dia histórico.

Nesse dia especial teremos a verdadeira resposta às dúvidas que pairam no sofrido e espoliado povo Brasileiro.

Embora todos os desmandos, des-construções ou re-arrumações sociais, desse desgoverno, não vamos misturar o “joio com o trigo”.

Continuaremos a confiar nas nossas Forças Armadas como sempre tivemos o orgulho de confiar e poderemos continuar a acreditar que são as únicas instituições que não cederam à covardia, à corrupção e a sórdida cumplicidade com os comuno-petistas.

Como poderemos confirmar essa afirmação? Simples.

Basta fazer como eu sempre faço.
Vá ao desfile prestigiar nossas Forças Armadas.

Lá, a resposta estará explícita ... clara ....e contundente.

A reposta virá durante o desfile !!!

Não haverá militares prestando homenagens aos apátridas !!!

Quanto à continência, entendemos que a continência ou cumprimento militar, visa ao posto e não à pessoa.
Assim, o soldado presta continência ao capitão, etc.
O subordinado é que primeiro bate a continência.

Logo, quem bater continência à claque do palanque, estará reconhecendo “superioridade hierárquica” dos ocupantes, seguindo os ritos da ordem.
Seria colocar os meliantes como “superiores hierárquicos”.

Essa continência seria a “sublime humilhação”, fato que não aceitamos.

Isso não ocorrerá certamente !!!

Assim, você não verá ninguém batendo continência.

Tenho certeza que é isso que você ira confirmar.

Jogo a minha “última ficha” nessa convicção, acreditando que sempre estive certo ao confiar na honra, na ética, na bravura e no Patriotismo das nossas Forças Armadas.

AS NOSSAS FORÇAS ARMADAS SÃO A NOSSA ÚLTIMA ESPERANÇA !!!

Atenciosamente.

Manoel Vigas

Vivi disse...

CLUBE DA AERONÁUTICA
AMEAÇAS NÃO !

Neste momento delicado, desmandos, corrupção e incompetência governamentais agridem a sociedade válida do País em verdadeira dança macabra que parece não ter mais fim.
Além do vergonhoso “mensalão”; da dramática descordenação das atividades de Aviação Civil; das denúncias de venda de sentenças e dos “cochichos” eletrônicos praticados por ministros das mais altas cortes; e outros tantos desatinos, surge, agora, sob a égide da própria Presidência da República, o lançamento, pela Secretaria de Direitos Humanos, com dinheiro público, de um livro de memórias com visão unilateral, sobre acontecimentos do último período de governo sério do País (15/04/1964 a 15/03/1985).
Com esse ato de verdadeiro revanchismo institucional, o Presidente acaba desempenhando o papel de incendiário de si mesmo, como se não bastassem todas as iniqüidades praticadas sob sua responsabilidade, como Chefe do Governo Federal.
Tal fato suscitou um infeliz pronunciamento do Ministro da Defesa que, mais uma vez, adota um tom truculento e desrespeitoso em relação aos Comandantes Militares, explicitando infantis ameaças àqueles que ousassem questionar a referida iniciativa do Governo Federal, com isso demonstrando despreparo e falta de maturidade para dirigir uma instituição de elite, como as Forças Armadas Brasileiras.
Em respeito aos elevados interesses nacionais e, em nome de suas tradições centenárias, as Forças Armadas, estou certo, não se deixarão vilipendiar por quem quer que seja.

Ten.-Brig.-Ar Ivan Frota
Presidente