sexta-feira, 7 de setembro de 2007

Jobim ameaçou exonerar General Enzo por reação a livro, mas ainda deseja a cabeça do General Carvalho

Edição de Sexta-feira do Alerta Total http://alertatotal.blogspot.com/

Breve, a Rádio Alerta Total no seu computador.

Adicione nosso blog e podcast a seus favoritos do Internet Explorer.

Por Jorge Serrão

No dia da parada terceirizada de 7 setembro, uma revelação do Estadão azeda o clima entre o Alto Comando do Exército e o “genérico” Nelson Jobim (a quem os próprios chefes militares, em surto de puxa-saquismo, deixaram usar, ilegalmente, um uniforme camuflado com a insígnia de general de quatro estrelas). O jornal revelou que Jobim ameaçou exonerar (demitir do cargo) o comandante do Exército, general Enzo Peri, e todos os generais do Alto Comando que se juntassem em um ato de contestação da autoridade dele, contra o lançamento do livro “Direito à Memória e à Verdade”. Editado pela Secretaria Nacional de Direitos Humanos, a publicação apresenta uma versão contra as Forças Armadas, condenando-as por torturas, mortes e desaparecimentos no regime militar (1964-1985).

A ameaça da “bilhete azul” ao comandante “verde oliva” ocorreu na sexta-feira da semana passada, antes do começo de uma tensa reunião dos 15 generais do Alto Comando do Exército. Momentos antes da reunião, que começaria às 13 horas, Jobim mandou um assessor telefonar para o Forte Apache (o Quartel General do Exército). O funcionário de Jobim advertiu o comandante do Exército que o chefe “não admitiria ofensas e contestação da autoridade”. O servidor de Jobim deixou claro que, se isso ocorresse, demitiria o comandante e quem ficasse do lado dele na contestação. Ao final da reunião, que terminou às 17 horas, os chefes militares decidiram, por consenso, elaborar um texto sem agressividade, para marcar posição.

Diante do recado de Jobim, por volta das 19 horas, o comandante do Exército decidiu submeter-lhe a nota oficial. O ministro considerou o texto "aceitável". O escrito do Alto Comando só teve um verbo censurado por Jobim. Onde estava escrito que a Lei da Anistia "produz a indispensável concórdia", Jobim mandou escrever "produziu". O comandante Jobim copidescou a nota oficial do EB, apenas deixando passar um errinho de acentuação no primeiro verbo da primeira linha. No original, o termo “Reuni” estava grafado “Reuní” (com acento no i). A pequena falha demonstra que a revisão do texto foi mais tensa do que parece.

Antes da divulgação do comunicado do EB, o “genérico” Jobim telefonou para o presidente Lula. Leu o texto para aquele que deveria ser o “Comandante em Chefe” das Forças Armadas. Jobim garantiu a Lula que, por ele, estava tudo bem. O episódio estava encerrado. No dia seguinte, Jobim viajou para o Haiti na companhia dos comandantes Enzo Peri e Juniti Saito (da Aeronáutica). No Haiti, apenas para demonstrar seu vaidoso estilo de poder, Jobim voltou a usar, ilegalmente, a farda camuflada do Exército especialmente preparada para seu estilo corpulento. O presidente aposentado do Supremo Tribunal Federal e potencial candidato a presidente da República pelo PMDB sabe muito bem usar os símbolos do poder.

Alvo de Jobim

O principal alvo de Jobim no Exército é o segundo homem na hierarquia da Força, General de Exército Luiz Edmundo Maia Carvalho, que é o chefe do Estado Maior do Exército.

Foi o General Carvalho quem, na manhã de quarta-feira (29 de agosto) procurou pessoalmente Nelson Jobim para advertir que os militares estavam insatisfeitos com a decisão de o governo fazer uma solenidade no Palácio do Planalto, transformando o livro “Direito à Memória e à Verdade” em um documento oficial.

Carvalho era o Comandante interino do EB naquele momento, pois substituía Enzo Peri, que estava na Argentina em missão oficial.

Ameaça na conversa

Na conversa de quarta-feira com Carvalho, Jobim chegou a argumentar com o vice do Exército que, se os militares continuassem a reagir contra as contestações de certos grupos da esquerda à Lei da Anistia, isso poderia gerar até uma revisão da legislação.

A conversa foi se alongando e ficando tensa porque o general adotou um tom de advertência para a possibilidade de os militares da ativa criticarem o livro.

Jobim então avisou ao General Carvalho que não toleraria reações e, se elas ocorressem, responderia à altura.

E pediu ao General que acalmasse a tropa.

Atraso justificado

A cerimônia do lançamento do livro, no Planalto, marcada para as 15h30 de 29 de agosto, só começou às 17 horas.

Boa parte do atraso se deveu ao tempo gasto na negociação de Jobim com Lula para definir como iria responder de público à pressão que havia recebido pela manhã, no encontro com Carvalho. Jobim pediu autorização a Lula para discursar na solenidade, informando-lhe o que queria dizer e como seria dito.

O discurso chamaria para si a atenção dos militares, mas serviria para, ao mesmo tempo, evitar que o problema se alastrasse para o Planalto e outras áreas do governo.

Recado direto para Carvalho

A reprimenda do ministro, mandando os militares calarem a boca, foi dirigida especialmente a Carvalho:

“Estamos num processo efetivo de conciliação e que as Forças Armadas Brasileiras recebem este ato como um ato absolutamente natural. Não haverá indivíduo que possa a isto reagir. Se houver, terá resposta”.

A resposta houve, mas foi dada sob absoluto controle de Jobim e do Palácio do Planalto.

Criando divisões no EB

O “genérico” Nelson Jobim tentou até criar divisões e intrigas no Exército.

Ao fim da solenidade, chegou a ligar para um general gaúcho, seu conhecido, para saber como estava a reação entre os oficiais mais novos.

Jobim pediu ao General amigo cooperação para evitar mais problemas.

Confira a íntegra da nota oficial do EB:

1. Reuni (sic) o Alto-Comando do Exército, em Brasília, no dia 31 de agosto de 2007, para tratar de assuntos de interesse da Força e de fatos recentemente divulgados pela mídia. Com a sua concordância unânime, decidi reafirmar que:

- o Exército Brasileiro, voltado para suas missões constitucionais, conquistou os mais elevados índices de confiança e de credibilidade junto ao povo brasileiro;

- os Comandantes, em todos os níveis, ensinam, diuturnamente, em nossos quartéis, os valores da hierarquia, da disciplina e da lealdade, os quais têm sido cultuados como orientadores da ação permanente da Força;

- a Lei da Anistia, por ser parâmetro de conciliação, produziu a indispensável concórdia de toda a sociedade, até porque fatos históricos têm diferentes interpretações, dependendo da ótica de seus protagonistas. Colocá-la em questão importa em retrocesso à paz e à harmonia nacionais, já alcançadas.

2. Reitero aos meus comandados que:

- não há Exércitos distintos. Ao longo da História, temos sido sempre o mesmo Exército de Caxias, referência em termos de ética e de moral, alinhado com os legítimos anseios da sociedade brasileira;

- estamos voltados para o futuro e seguimos trabalhando, incansavelmente, pela construção de um Brasil mais justo, mais fraterno e mais próspero.

Gen Ex ENZO MARTINS PERI (Comandante do Exército)

Lula caiu...

Mas calma, gente, pois se trata apenas do noticiário esportivo.

O técnico Lula Ferreira perdeu o emprego na seleção brasileira masculina de basquete, depois de o Brasil terminar em quarto lugar no Pré-Olímpico de Las Vegas, encerrado no último domingo.

Comandando o time desde 2003 (que coincidência histórica), Lula levou toda a culpa porque o Brasil conseguiu apenas a classificação para o Pré-Olímpico Mundial, que será disputado em julho do ano que vem.

A reação deu um revoltado admirador do técnico caído teria sido:

Toda besteira que acontece é culpa do Lula... Assim não dá... Me traz uma Kaiser para aliviar minha tristeza...

Poder do Genérico

O ministro da Defesa dá cada vez mais demonstrações de poder no desgoverno Lula, que hesita em tomar decisões enérgicas.

Ontem, Jobim conseguiu derrubar mais um baiano na Agência Nacional de Aviação Civil.

Leur Lomanto foi o terceiro diretor da ANAC obrigado a renunciar por pressão de Jobim.

O substituto

O ministro Nelson Jobim indicou para o lugar dele o brigadeiro e doutor em engenharia Allemander Jesus Pereira Filho, que foi durante 25 anos do antigo DAC (Departamento de Aviação Civil).

Jobim também determinou que o comando do setor de aviação civil estará concentrado a partir de agora na Secretaria de Aviação Civil.

Será ocupada pela economista Solange Vieira, funcionária de carreira do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) e ex-secretária de Previdência Complementar no governo FHC.

Guerra ao Genérico

O 1º Tenente R/2 Infantaria Carlos Luiz Rodrigues Pitta resolveu partir para a guerra contra o comandante Nelson Jobim.

Tanto que o militar da reserva não remunerada do EB mandou um ofício ao ministro da Defesa, com um seguinte teor bélico:

Através da imprensa, tomei conhecimento que V.Exa. compareceu à solenidade militar envergando uniforme com insígnias de General de Exército, não sendo V.Exa. oficial-general.

Como antigo oficial da Polícia do Exército, aprendi que "uma vez PE, sempre PE", cumpro com meu dever, a saber:

Conforme é de conhecimento de V.Exa. por se tratar de pessoa de "notório saber jurídico", exigência para todos aqueles que fazem parte ou fizeram do STF, foi cometido ato que fere o direito militar com tal atitude (Art. 172 do CPM: "Usar, indevidamente, uniforme, distintivo ou insígnia militar a que não tenha direito: Pena - detenção, até seis meses.").

Causa-me espécie, que nenhum dos militares presentes, incluído o Exmo. Sr. Comandante do Exército, tenha cumprido com o seu dever conforme determina o Art. 243 do CPPM ("Qualquer pessoa poderá e os militares deverão prender quem for insubmisso ou desertor, ou seja encontrado em flagrante delito.").

Pela imprensa também, tomei conhecimento que V.Exa. na oportunidade do lançamento da publicação “Direito à memória e à verdade” em discurso declarou: "Não haverá indivíduo que possa a isto reagir, e se houver, terá resposta.” Conforme me garante a Constituição da República Federativa do Brasil, estou reagindo à citada publicação! Assim sendo estou aguardando sua resposta. Só me permito lembrar a V.Exa. que sendo Oficial R/2 e tendo servido na Polícia do Exército, se V.Exa. optar por dar a resposta pessoalmente não reincida envergando peça de uniforme militar brasileiro, pois não faltarei com o meu dever de dar a V.Exa. voz de prisão.

Salvem a Amazônia

Um vazio de poder ameaça a Amazônia brasileira, abrindo espaço para o crescimento do narcotráfico e dos desmatamentos.

A avaliação do general Raimundo Nonato de Cerqueira Filho, comandante do Comando Militar da Amazônia (CMA), é endossada pelo alto escalão do Exército.

O vazio a que Cerqueira se refere é a não-presença do Estado brasileiro na região norte – a maior em área (45% do Brasil) e a menos povoada (3,35 habitantes por quilômetro quadrado), segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Sob as ordens do General Cerqueira, há 19 organizações militares e cerca de 25 mil homens (entre oficiais e recrutas do serviço obrigatório).

Ameaça das FARC

A presença de narcotraficantes e de guerrilheiros das Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia) nas fronteiras amazônicas do Brasil fez com que o Exército adquirisse competências de polícia, podendo revistar e prender pessoas em flagrante (conforme a Lei Complementar 117, de 2004).

Muitos outros “vazios” na região Amazônica fazem as atividades do Exército na região se desdobrarem, para áreas como transporte e saúde.

Um exemplo é o Hospital Militar do município de São Gabriel da Cachoeira (852 quilômetros de Manaus).

O Centro de Embarcações do CMA (Cecma) é responsável por 86% do transporte de suprimentos alimentares e médicos para comunidades afastadas, em lugares de difícil acesso.

O PACo dos militares

Em solenidade com a presença de quase cem oficiais-generais da ativa do Exército, da Marinha e da Aeronáutica, o presidente Lula da Silva assinou ontem o decreto criando um grupo de trabalho para formular a nova política da estratégia nacional de defesa, no prazo de um ano.

"Eu acho que agora está na hora de construir o PAC das nossas Forças Armadas e o PAC da nossa Defesa. Eu acho que está na hora de a gente colocar a nossa inteligência, militar e civil, para pensar o que nós queremos ser enquanto Forças Armadas, enquanto nação soberana nos próximos dez ou 15 anos".

Em discurso Lula ponderou que as únicas coisas que podem atrapalhar o crescimento do Brasil são omissão e submissão.

Para militar escutar...

Ao defender a necessidade de investimentos nas Forças, Lula criticou "um vício" que existe no Brasil de que criticar qualquer gasto que o governo decida fazer, por ser considerado sempre caro.

"Quando discutimos no governo a questão da recuperação das Forças Armadas brasileiras, a questão da defesa, sempre aparecem pessoas dizendo que o gasto será muito grande. Esse é um vício do Brasil. Você não pode cuidar dos pobres porque gasta muito, você não pode cuidar de tal coisa porque gasta muito, você não pode cuidar das Forças Armadas. Todos nós estamos assistindo, ao longo de várias décadas, as Forças Armadas perdendo o seu potencial. Empresas que foram extraordinariamente produtivas, de vasto conhecimento tecnológico quebrando, falindo. É preciso recuperar isso."

Lula ainda completou: "Toda vez que alguém perguntar para algum general, para algum oficial: 'Mas não vai gastar muito?', nós temos de perguntar quanto custou a gente deixar chegar ao ponto que chegou. Quanto o Brasil perdeu por nós termos interrompido várias coisas que nós já fazíamos e já produzíamos no Brasil?".

Papo do Mangabeira

Os militares não gostaram do discurso do chefe da Secretaria de Planejamento de Longo Prazo, Mangabeira Unger, que coordenará o estudo da nova política de Defesa.

Ao citar cinco pontos de preocupação, considerados fundamentais para a formação de uma estratégia nacional de defesa, Mangabeira Unger, com seu forte sotaque norte-americano, reclamou que um dos pontos tem de "partir da constatação elementar de que as Forças Armadas brasileiras não existem para ajudar outra potência a policiar o mundo".

Mangabeira Unger ressaltou que "elas existem para defender o Brasil".

Subordinação

No discurso, Mangabeira Unger afirmou que "é preciso esclarecer, de forma cristalina, as bases para a participação das Forças Armadas, em questão de lei e ordem internas".

Para Mangabeira Unger, "o princípio é o da subordinação das Forças Armadas ao poder civil, mas, também, de que o ordenamento constitucional preveja sempre os instrumentos e ocasiões de sua própria salvaguarda".

Na mesma toada, o “genérico” Nelson Jobim afirmou que o projeto estratégico de defesa nacional servirá também para permitir a integração das Forças Armadas ao poder civil brasileiro, assim como a revisão do débito que existe hoje em relação a elas, lembrando que elas foram esquecidas por este poder civil.

Para quem acredita em promessa...

O grupo de trabalho terá de estudar e traçar, até dezembro, uma política estratégica de Defesa Nacional, a ser apresentada até dezembro.

O trabalho será presidido por Jobim, e coordenado pelo ministro-chefe da Secretaria de Ações de Longo Prazo, Mangabeira Unger - contará, ainda, com a participação dos três comandantes das Forças Armadas (Exército, Marinha e Aeronáutica).

Faz parte dessa política fortalecer a indústria de material de Defesa.

Para o ministro Jobim, o País não pode ser dependente de equipamentos e insumos bélicos de nações estrangeiras.

E o orçamento?

O novo plano estratégico de Defesa é que definirá os investimentos e despesas das três Forças, e poderá garantir a continuidade do desembolsos dos recursos para a modernização permanente do Exército, da Marinha e da Aeronáutica.

Para o ano que vem, o governo já ampliou o teto de orçamento da Defesa, de uma previsão de R$ 6 bilhões para R$ 9 bilhões.

Mas o governo acena com a possibilidade de recursos adicionais ao longo do ano, chegando a pelo menos R$ 11 bilhões.

Toda a promessa é para acalmar as legiões sem dinheiro.

Vale mais que um bifinho?

Prestes a assumir a Secretaria Nacional de Justiça, o policial e ex-deputado estadual Romeu Tuma Júnior (PMDB-SP) rechaça a possibilidade de o novo cargo estar relacionado a uma troca política, orquestrada pelo governo federal com seu pai, para garantir o apoio do senador Romeu Tuma (DEM-SP) em votações importantes.

"Eu valho mais do que uma CPI".

Tuminha se referiu a um eventual engavetamento da CPI da Petrobras, cuja instalação foi solicitada pelo senador Tuma para investigar contratos da estatal com organizações não-governamentais ligadas ao PT.

Parabéns, professor

Acusado de ter cometido uma série de crimes, dentre os quais falsidade ideológica, uso de documentos falsos, descaminho, contrabando e corrupção ativa, o delegado André Luiz Martins Di Rissio Barbosa foi aprovado em um concurso para ser professor da Academia da Polícia Civil de São Paulo.

O amado mestre vai lecionar a disciplina inquérito policial.

A nomeação do policial, atualmente afastado, foi publicada pelo "Diário Oficial" do Estado de ontem, no setor reservado às ações da Secretaria da Segurança Pública.

Di Rissio é processado pelos Ministérios Públicos Federal e Estadual por suspeita de enriquecimento ilícito..

Abre a sala

Senadores como o petista Delcídio Amaral protestaram contra a realização de sessão secreta para votar a cassação do mandato de Renan Calheiros.

Apesar de a regra ser regimental, Delcídio deve apresentar requerimento para abrir a sessão.

No desejo dele, seria mantido só o voto secreto, como manda a Constituição.

Tadinho do Renan

O advogado Bruno Lins complicou ainda mais a situação de Renan Calheiros.

Bruno reafirmou à Polícia Federal que o senador é beneficiário do esquema de propinas pagas por um banco.

Só não apresentou provas de suas acusações à PF.

Salvação garantida

O ministro das Relações Institucionais, Walfrido dos Mares Guia, e a líder do PT no Senado, Ideli Salvatti (SC), têm procurado dirigentes de partidos aliados e senadores que apóiam o governo para dizer que não interessa ao Planalto a cassação de Renan.

O lobby pró-Renan é discreto porque a posição oficial do presidente Lula da Silva é não se intrometer num assunto do Congresso.

O líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), calcula que a oposição não consegue obter 33 votos pró-cassação de Renan.

Briga da Dilma

PMDB e PP alegam que o segundo governo Lula é de coalizão e deve abrir espaço para os aliados.

O PT disputa com os partidos aliados do governo as indicações para as diretorias de Furnas e da Petrobras.

A ministra Dilma Rousseff quer escolher um nome para a diretoria de Abastecimento da Petrobras - hoje ocupada por um apadrinhado do PP, que não quer perder o posto.

Viva a CPMF

O presidente Lula da Silva fez ontem a defesa da política tributária de seu governo, definindo a questionada CPMF como "um imposto justo e fiscalizador".

Lula alertou que, sem a receita do tributo, terá de cortar R$ 40 bilhões de recursos para diferentes áreas.

O Brasil, na sua opinião, arrecada mais este ano, sem elevar a carga tributária, contrariando seus críticos.

O PT ama os fundos de pensão...

O governo encaminhou, ontem, ao Congresso Nacional um projeto de lei que limita a aposentadoria dos funcionários públicos com base no teto do INSS (hoje em R$ 2.890,00) e cria o plano de previdência complementar para aqueles que quiserem aumentar os rendimentos na aposentadoria.

As novas regras só valerão para os funcionários que ingressarem no serviço público após a criação da Funpresp (Fundação de Previdência Complementar do Servidor Público Federal).

Será uma entidade jurídica de direito privado que administrará as contribuições feitas pelos funcionários do Executivo, Legislativo e Judiciário, bem como as contrapartidas da União, que será a patrocinadora do fundo.

O fundo será mais um “aparelho” para os petistas se encostarem, a exemplo do que já ocorre em outros poderosos fundos de pensão de estatais.

Bancos de olho

O dinheiro arrecadado será administrado por instituições financeiras escolhidas por licitação.

Cada um delas poderá cuidar de, no máximo, 40% dos depósitos

Mas o governo deixou uma brecha para beneficiar os bancos federais.

Enquanto não for feita a licitação, caberá à Caixa Econômica e ao Banco do Brasil a gestão dos recursos.

Mais folgas

A cada dois domingos trabalhados, os empregados do comércio têm direito a folgar no próximo.

A decisão que põe fim a três anos de negociações entre empregados e empregadores está na Medida Provisória (MP) n° 388, que regulamenta o trabalho no comércio aos domingos e feriados e foi publicada no Diário Oficial da União de ontem.

A medida aumenta o número de folgas de 8 milhões de trabalhadores em todo país, já que a atual legislação (Lei Federal 10.101, de 2000) estipula apenas o número mínimo de folgas.

Mais empregos

O Ministro do Trabalho e Emprego, Carlos Lupi, destacou o impacto da medida na geração de empregos.

"O acordo mostra maturidade de ambas as partes e com certeza vai aumentar a demanda do setor, já que será preciso mais funcionários para cumprir as escalas dos fins de semana".

A lei diz que o repouso semanal remunerado deve coincidir com o domingo pelo menos uma vez a cada quatro semanas.

Cuidado, Renan...

Uma mulher que viveu durante 25 anos com ex-militar, mesmo sabendo que ele era casado, ganhou na Justiça Federal o direito de receber 30% de pensão do INSS concedida após a morte do companheiro.

O direito foi garantido graças à comprovação de convivência e de dependência econômica.

Quem bateu o martelo foi a 2ª Turma do TRF-2 (Tribunal Regional Federal).

Dividindo com a ex

De acordo com a decisão judicial, a esposa legítima do ex-militar, com quem conviveu por 60 anos e teve quatro filhos, deverá receber 70% da pensão.

Ela só tomou conhecimento do adultério após a morte do marido.

Segundo comprovantes do INSS anexados aos autos e parecer do MPF (Ministério Público Federal), a totalidade da pensão corresponde a cerca de R$ 32 mil.

Muitas caras

A nova novela da Rede Globo terá o nome de DUAS CARAS.

O comandante Paulo Resende, sempre irônico, aproveita para perguntar:

Será que o Autor da mesma se baseou no nosso muy amado Presidente LULA?

Os militares terão como responder à pergunta no palanque da parada de 7 de setembro...

Vida que segue...

Fiquem com Deus!

O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Inteligente, inovador, fortemente analítico e propositivo, utilizando as mais modernas tecnologias para transmissão instantânea e eletrônica de informação privilegiada e análise estratégica, junto com a difusão de novos conhecimentos voltados para a construção e consolidação de novos valores humanos.

8 comentários:

Anônimo disse...

Terminantemente: Não se fazem mais militares como antigamente. Fico imaginando o Gen. Antonio Carlos de Andrada Serpa numa situação como esta. Certamente perguntaria publicamente: "Este Jobim não é aquele que confessou ter fraudado a Constituição quando era sub relator da Constituinte em 1988 ??"

rico_fil disse...

Senhores do GG.
E sociedade civil.
Democracia não é Libertinagem.
Comunismo a porta se abre.
Ate quando aquentaremos.
Rio de janeiro 07 setembro 2007
Por :Ricardo Antonio filgueiras.
1. Todos nós sabemos que estamos no grande caminho de um sistema que ira arruinar toda a sociedade porque, porque esta sendo destruída os pilares das instituições que não responde mais a altura das necessidades humana muitos de voz estão observando o sentido que vem se armando não só em no Brasil mais no mundo todo o (grande golpe) dos comunistas eles dizem DEUS é o dinheiro e com estas mesmas palavras de sempre e no mesmo modo e no mesmo caminho de sempre só que agora com a Lei aos seus interesses (deles) é lógico, pois eles viram na democracia a grande arma de controle e com o poder econômico na mão vão comprando e comprando mais e mais empregos públicos inchando ainda mais a maquina e espalhando as bolsas e mais bolsas como dizem (bolsa família), pois conseguiram na verdade empobrecer ainda mais as famílias brasileiras muitas delas já se encontravam na miséria e agora ficou mais fácil dominar estas pessoas e assim eles vão influenciando e levando a outras camadas sociais com campanha do bom samaritano, dão uma bala e arranca o saco dos inocentes dão com uma mão e tira com a outra na bofetada da política que empregam e nada fazem para melhorar há vida do povo sofrido pois eles só se interessam por eles e pelos seus pares que comungam no mesmo pensamento.A política de moradia não tem saúde para os que necessitam esta em falta, política de ensino só na Europa estabilidade com tranqüilidade para trabalhar ta difícil, política de formação profissional com desenvolvimento nacional não existe e ai vai etc.etc. mais tudo isto ainda é pouco muitas coisas ainda poderá acontecer quando tiver tudo dominado como podemos sentir em nossa alma. Vejo sim os empresários pela TV como eles estão preocupados somente com o tributo do CPMF que pagam é vergonhoso. Caminhamos para o desastre concentrador do comunismo e os homens que produzem riquezas que deveriam se mobilizar mais não enxergam onde estamos indo a final eles só enxergam na verdade os lucros e o que fazer, os partidos políticos continuam com as mesmas fala de sempre dizendo em suas propagandas eleitorais que vão mudar, mais mudar o que, nem sabem o que fazem, ou que falam ou não querem fazer nada a vaidade e prepotência os impede, ainda não apareceu nenhum partido com um programa serio de política que traga as mudanças que a nação espera por centenas de anos e ate hoje não nasceu, pudera, os mesmos são alimentados pelos nossos recursos financeiros vão mudar o que e pra que não há interesse e assim vão dando a continuidade no palanque da demagogia da vida cotidiana falando das misérias e das necessidades intelectuais que o povo necessita mais no fundo mesmo desta política podre que é emprega pela maioria de políticos podres deste sistema que já demonstraram não terem a intenção de consertar nada pois são eleitos e reeleitos e a saga assim continua no Brasil sem um caminho que leve o intelectual ao nosso povo Brasileiro...
2. E os Militares**** o que dizem calados estão.?

Anônimo disse...

Caros amigos, as necessidades das Forças Armadas são latentes e salta aos olhos. O Presidente é mentiroso, todos nós sabemos disso, é claro que essa é mais uma conversa pra "boi" dormir. Não há necessidade de se criar um grupo de estudo para estudar algo que já está pronto. Cada força já tem as suas necessidades prontas, é só liberar a verba. A Marinha já sabe de quantos navios precisa para ter um mínimo necesário, o Exército e a Aeronaltica também, lembram do projeto "FX". Não sei como esses comandantes acreditam nessa anedota do Presidente, acho que é porque os cargos deles são comissionado "DAS".

Anônimo disse...

Ideologia dos Militares
Por Grupo Guararapes 10/09/07

Soube-se que o Ministro Nelson Jobim, em recente solenidade na AMAN, provavelmente querendo referir-se à Revolução de 31 de Março de 1964, teria dito que havia, agora, uma nova mentalidade militar, entendendo-se uma nova ideologia, como já dissera o ex ministro Viegas.

É lógico que Nelson Jobim quis referir-se à Ideologia no campo político e, por isso, vamos iniciar com o significado deste tipo de Ideologia que é: Conjunto de convicções políticas que estão em relação com a situação social dos seus representantes dentro da sociedade. São exemplos de Ideologia Política, entre outros, o Comunismo e a Democracia. E, ainda, vale lembrar que a Guerra Fria nasceu deste conflito ideológico entre Nações.

Vamos ao Brasil. Desde a Independência, os militares sempre se preocuparam com a Unidade Nacional e a Paz Social. Um grande exemplo foi o de Caxias que, na Revolução Farroupilha no Rio Grande do Sul, berço do Ministro Jobim, derrotou os revoltosos, manteve a Unidade Nacional, e perdoou e incorporou revoltosos ao Exército Imperial. E foi um Militar quem proclamou a República. E então, o Brasil tornou-se uma Democracia, com alternância de Poder, até o Período Vargas, na Revolução de 1930 e no Estado Novo, este um Governo Ditatorial mas, sem a violência do Comunismo na Sibéria, e do Nazismo nos guetos, responsáveis pelo assassinato de milhões de pessoas. Lembramos que a Democracia foi restabelecida em 1945 com o apoio dos Militares, particularmente, os que retornaram da Guerra na Europa. Entre estes, Castello Branco e Amaury Kruel, Generais na Revolução de 1964.

Antes disso, nos idos de 1917, na Rússia, nasceu o Comunismo Internacional (sem pátria, sem liberdade e sem alternância de Poder) que assassinou a família do Czar, até as crianças, e passou a se expandir. São exemplos, a Revolução Espanhola, derrotada pelo Gen Franco após anos de sofrimento e a perda de milhares de vidas; e a Intentona no Brasil, em 1935, comandada por Olga Benario e Prestes que assassinou militares brasileiros nos quartéis, até quando dormiam. E lembramos que após a II Guerra Mundial, a já, URSS, expandiu-se por quase todo o Leste Europeu, e o Comunismo, em 1948, conquistou a China.

Então, nesta ocasião, começou a Guerra Fria. A URSS querendo impor o Regime Comunista ao Mundo (treinando e subvencionando as guerrilhas internas nos outros países) e as Nações Ocidentais, lideradas pelos EUA, procurando barrar este avanço. E foi nesta Conjuntura Mundial, Cuba já era Comunista, que os militares, com o apoio do Gov Magalhães Pinto e do Povo Brasileiro, iniciou a Contra-Revolução de 1964. Lembramos que alguns setores das Forças Armadas só foram apoiando aos poucos. Que antes de aderir, o Gen Kruel, Cmt do II Exército (SP), tentou antes, demover Jango, e que o III Exército (RGS), só aderiu dias depois.

Lembramos que nenhum General Presidente quis continuar ao fim do seu mandato e que após a derrota do Comunismo Internacional, foi da Revolução a iniciativa de devolver o Governo aos Civis. É lógico que foi um período de exceção, porque nenhum Governo pode combater uma guerrilha interna, terrorista, sem prejuízo das liberdades individuais. Mas, não se pode esquecer que partiu do próprio Governo Revolucionário, a volta destas liberdades, a anistia dos terroristas, inclusive dos seqüestradores e assassinos, e o retorno dos exilados.

Pelo que mostramos, parece não haver dúvida de que os militares brasileiros ficaram ao lado das Nações Ocidentais, na Luta contra a Expansão do Comunismo Internacional. E concluímos, lembrando que Gorbachev acabou com o Regime Comunista, com a URSS e, em conseqüência, com a Guerra Fria, nos idos de 1989, 15 anos depois do Presidente Médici ter derrotado o Comunismo Internacional no Brasil.

Quem mudou de Ideologia? Os Militares Brasileiros ou Nelson Jobim?
http://brasilacimadetudo.lpchat.com/

Anônimo disse...

É absurdamente irreal uma guarnição de 23 homens patrulhar 20km de fronteira na Amazônia Brasileira. Não podemos nos esquecer que, sendo a Amazônia, região estratégica vital para o Brasil, atrai a cobiça de Nações como os EUA (Lembram-se do Iraque?) Porque o Brasil acha que não seremos num futuro próximo atacados em nosso soberano direito à Amazônia? Onde está a ENGESA? (lembram-se do OSório? cuja patente foi vendida aos EUA depois de quebrarem a ENGESA?) Brasileiros às armas pelo Brasil e pela Amazônia que é muito nossa ...
Não podemos ficar reféns de potências estrangeiras ... Nosso Exército e as nossas forças armadas vem sendo desmobilizadas dia a dia ... Acorda Brasil ... Isso não é um devaneio de um Patriota com P maiúsculo é mais real do que podemos supor afinal como se justifica o emprego da 4ª frota Americana no Atlântico Sul? Ou será que acreditam que os Americanos estão passeando de barco (isso é no mínimo afrontar a inteligência do Brasileiro)... A única coisa que invejo no Americano é o sentimento patriótico deles ... Afinal, se, algum Americano encontrar-se em perigo, certamente eles mandam um comando para resgatá-lo de onde quer que esteja... Deveríamos ter esse amor pela nossa Pátria Mãe Brasil (certamente não falo dos nossos valorosos e abnegados soldados mas, do povo Brasileiro de maneira geral) ... Chega de imbecilidades baratas ... O povo deve aprender a ser P A T R I O T A ... os 365 dias do ano e, não somente no, futebol, carnaval, e 7 de Setembro. Avante Brasil ... Avante Infantaria Rainha das Armas ... Baioneta Neles ...

Unknown disse...

Ao excelentíssimo
Dr. Nelson Jobim
M.D. Ministro da defesa. Santa Maria, 30 de março de 2009.


Excelentíssimo Senhor!

Estava em duvida se dirigia está carta ao Exmo. Sr. Ministro da Defesa ou ao Ministro da Justiça, pois o assunto que levou-me a escrever-lhe trata-se de uma injustiça que vem ocorrendo aqui em nossa cidade, a qual eu e minha família estamos sendo atingidos.
Meu esposo é militar na 3ª CIA COM BLD, moramos em um apartamento alugado, eu, meu esposo, nossa filha e um irmão meu que é deficiente o qual eu estou com a sua curatela.
Por mais de oito anos fiz hemodiálise, há mais de 7sete anos, graças a Deus, consegui um transplante de rim e agora, devido aos fortes medicamentos que tomo, as defesas de meu organismo enfraqueceram e seguidamente sou internada no hospital para tratamento, e tudo isto com autos-custos.
Mas não foi este o motivo real para o qual lhe escrevo o motivo verdadeiro, é que, como o senhor bem sabe, nós temos aqui em Santamaría uma VILA MILITAR para militares daqui da cidade, o que o senhor não sabe é que há militares que ocupam as casas da vila, mas são proprietários de imóveis na cidade.
Existem aqui na vila, militares que moram na vila e a sua residência própria foi colocada para alugar, enquanto que, como é o caso de meu marido, mora de aluguel e está passando por dificuldades financeiras, não somente por causa do auto preço do aluguel, mas também devido a minha doença.
Eu sei que o senhor tem acesso e pode confirmar minha denuncia e ao confirmá-la espero que o senhor aja com justiça e coíba este tipo de situação que não condiz com as normas de nossas transparentes Forças Armadas.
Não sei quais são as regras para a escolha de quem irá morar na vila militar, mas tenho certeza que se caso algum militar for proprietário de um imóvel não deveria de maneira alguma colocar seu imóvel para alugar e ir usufruir dos benefícios da vila militar, tirando assim, o direito de quem de fato necessita deste benefício, como é o caso de minha família.
Exmo. Dr. Ministro. Perdoe-me por importuná-lo com está minha denuncia, mas é por que sei do imenso apoio e colaboração que o Exmo Dr. Tem prestado a nossa tão sofrida sociedade e mais ainda as nossas Forças Armadas e por disto saber é que tenho a absoluta certeza que o Exmo.Dr. irá averiguar e regularizar esta situação que ocorre aqui em nossa vila militar.
Certa de contar com sua ajuda e no aguardo de seu retorno, desde já reitero protestos de alta estia e distinguido apreço.

Atenciosamente,



Rosane Portella Rodrigues

Unknown disse...

nao deu em nada a denuncia

Unknown disse...

NAO DEU EM NADA A DENUNCIA CONTINUA A MESMA COISA