segunda-feira, 10 de setembro de 2007

MP investiga se cooperativa controlada pela cúpula petista lavava dinheiro e desviava recursos de investidores

Edição de Segunda-feira do Alerta Total http://alertatotal.blogspot.com/

Breve, a Rádio Alerta Total no seu computador.

Adicione nosso blog e podcast a seus favoritos do Internet Explorer.

Por Jorge Serrão

Uma cooperativa em que o presidente Lula da Silva, os fundos de pensão de estatais (controlados pelo PT) e membros do partido aplicam seu dinheiro pode se transformar em mais uma dor de cabeça para o governo, depois do escândalo do mensalão e do ainda oculto escândalo de ajuda eleitoral dos bancos por baixo dos panos. Fundada em 1997 pelo hoje presidente do PT, deputado Ricardo Berzoini (SP), e sempre comandada pelo alto escalão do partido, a Bancoop (Cooperativa do Sindicato dos Bancários de São Paulo) é alvo de investigações do Ministério Público, por suspeita de desvio de recursos e lavagem de dinheiro.

Também controlados por membros do PT, os três maiores fundos de pensão estatais - Petros, da Petrobras, Previ, do Banco do Brasil e Funcef, da Caixa Econômica – injetam dinheiro no negócio. O promotor José Carlos Blat desconfia que a Bancoop é apenas a fachada de uma grande empreiteira. O negócio comando pela cúpula sindical petista, segundo o promotor, apenas gozaria do status de cooperativa para obter isenção fiscal. Nas investigações, o Ministério Público constatou que a Bancoop pratica preços de mercado – o que indica de visa ao lucro.

Mesmo assim, a construtora ergueu um déficit de R$ 100 milhões de reais. O rombo ameaça tungar o patrimônio de três mil pessoas. Uma delas é Marisa Letícia da Silva. Lula e a primeira-dama adquiriram a cota de um imóvel no Guarujá. Os cooperados correm o risco de perder seu patrimônio com a paralisação das obras em ao menos 10 empreendimentos da Bancoop, que alega falta de recursos para continuar a construção desses edifícios. O prejuízo, entretanto, pode atingir a todos os 15 mil associados da cooperativa, uma vez que os saldos adicionais impostos pela Bancoop para complementar o caixa dos empreendimentos deficitários são divididos entre todos os cooperados.

O procurador Marco Antônio Zanellato aponta a unificação das contas dos empreendimentos e a pouca participação dos cooperados na tomada de decisões pela Bancoop como indícios de falta de transparência da cooperativa em relação a seus associados.

Investimento de Lula

Em maio de 2005, Lula adquiriu cotas da Bancoop para comprar um luxuoso apartamento dúplex, de três quartos, em um condomínio de dois edifícios que estão em construção na Praia das Astúrias, localizada no balneário do Guarujá (SP), uma das regiões mais valorizadas do litoral paulista no mercado imobiliário.

A cota do “Mar Cantábrico” está no nome da primeira-dama, Marisa Letícia.

Mas consta do patrimônio declarado pelo presidente ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) no ano passado, como candidato à reeleição.

Na época, Lula declarou ter pago um total de R$ 47.695,38 em prestações.

Aloprados prejudicados

Outros cooperativados prejudicados seriam Aurélio Pimentel e José Carlos Espinoza, ambos ligados à Presidência da República, além de Oswaldo Bargas.

Conhecidos como os "aloprados", estiveram envolvidos no escândalo da compra do dossiê contra candidatos tucanos.

Eles fazem parte do chamado núcleo de inteligência do PT

Pimentel era assessor especial da Presidência; Espinosa foi ex-chefe do Gabinete Regional da Presidência da República em São Paulo.

Chineses do PT

Os petistas querem aprender como funciona a democracia na China, para aplicá-la devidamente por aqui, a partir de um eventual terceiro mandato presidencial em diante.

Onze dirigentes do PT viajam hoje para passar dez dias na China, a convite do Partido Comunista daquele país.

Liderada pelo presidente do PT, deputado Ricardo Berzoini (SP), a comitiva só retorna Brasil no dia 20.

A menos de três meses das eleições diretas para renovar sua direção, o PT está interessado em verificar de perto como o PC chinês, com 72 milhões e 400 mil filiados, organiza sua estrutura e a parte relativa à comunicação.

Investimento

O PT paga as passagens de seus dirigentes para Pequim.

Os chineses, por sua vez, arcarão com as despesas de alimentação, hospedagem e transporte.“É um investimento político. Não é um passeio, como aqueles que dirigentes do PSDB e do DEM fazem, para conhecer a Broadway, em Nova York ”.

Quem garante é o secretário de Relações Internacionais do PT, Valter Pomar.

EB investigado

Foi só a cúpula do Exército falar mais grosso com a cúpula do ministério da Defesa e com os políticos que defendem o revanchismo pós lei de anistia que a instituição vira alvo de denúncias.

O aumento de mais de 700% em seis meses no preço de alimentos comprados, para ao quartéis do Rio, pelo 1º Depósito de Suprimentos do Exército, sofrerá auditorias do Tribunal de Contas da União.

O pedido será feito pelos deputados federais Fernando Gabeira (PV) e Otávio Leite (PSDB).

Até CPI do EB?

Gabeira e Otavinho vão pedir ao presidente da Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional, deputado Vieira da Cunha (PDT-RS), para que seja até instalada uma Comissão Parlamentar de Inquérito para investigar a compra de alimentos pelo depósito de suprimentos subordinado ao Comando Militar do Leste (CML).

Gabeira promete fazer nesta terça-feira um requerimento à Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional pedindo que o TCU investigue o caso.

Otávio Leite fará pedido semelhante à Comissão de Fiscalização Financeira da Câmara.

Preço mais alto

Entre janeiro e julho, os preços pagos pelo Exército por alimentos para abastecer unidades do Rio subiram, em média, 55%.

Dos 387 itens negociados há dois meses, 246 tinham as mesmas características de pregão no início do ano.

Mesmo assim, a previsão de gasto saltou de R$ 34 milhões para R$ 53 milhões.

Doeu na canela

Boa parte dos valores mais que triplicou, em muitos casos, aumentou acima dos preços de supermercado. Um exemplo é a canela em pó, 20g, que subiu de R$ 0,07 para R$ 0,60, ou seja, 757%.

Entre casos em que o preço foi superior ao de mercado está a laranja lima.

A empresa Comercial Milano venceu licitação oferecendo o quilo por R$ 2,30.

Mas a pesquisa da Fundação Getúlio Vargas (FGV) — referência do Tribunal de Contas do Estado (TCE) — mostra que em mercados e feiras, custava R$ 1,47, em média.

Superfaturamento negado

O senador Renan Calheiros terá de se defender de mais uma acusação de negócios escusos com o governo.

A diretoria da Fundação Nacional de Saúde, órgão ligado ao Ministério da Saúde, divulgou ontem uma nota oficial em que questiona reportagem publicada pela revista “Época”, que revela um suposto esquema de fraudes e superfaturamento em projetos do órgão, que envolveria o presidente do Senado.

Com base em investigações do Ministério Público Federal, do Tribunal de Contas da União (TCU) e da Controladoria-Geral da União (CGU), a revista afirma que, nos últimos anos, a Funasa fechou contratos por valores até dez vezes acima dos praticados no mercado.

Operação limpeza

Na nota, o presidente da Funasa, Danilo Forte, garante que, de imediato, promoveu a exoneração do então coordenador de recursos logísticos, Paulo Roberto de Albuquerque Garcia Coelho, ato publicado no Diário Oficial, no dia 2 de abril de 2007.

Em 3 de Abril de 2007, foi suspenso qualquer procedimento decorrente do contrato nº 50/2006, firmado com a empresa DIGILAB S/A - (TV FUNASA), inclusive os pagamentos.

Em 24 de abril de 2007, a presidência da Funasa, em conjunto com os órgãos de assistência direta e imediata dos órgãos seccionais, deliberou pela imediata medida de redução de custos do contrato nº 074/2002, referente à contratação de mão-de-obra terceirizada.

A beneficiada era a empresa BRASFORT, resultando na demissão de 116 terceirizados.

Terceirizando problemas

O enxugamento vai reduzir os custos do contrato em R$ 3.715.444,56, até 31/12/2007 (prazo legal de vigência do contrato).

Desde que assumiu a gestão, a nova diretoria da Funasa garante não contratou nenhum funcionário terceirizado.

As únicas contratações foram por meio de DAS, publicadas no Diário Oficial da União.

Mudando a regra do jogo

Um grupo de senadores favorável à cassação do mandato do senador Renan Calheiros fará hoje uma última tentativa de transformar em aberta a sessão sigilosa que decidirá, na quarta-feira, o futuro político do presidente do Senado.

Será apresentado um projeto de resolução para mudar o regimento interno, que prevê a votação de cassações em sessão fechada.

Objetivo é aumentar a pressão popular sobre os senadores, pois a votação continuará sendo secreta.

Memorial Renan

O presidente do Senado, Renan Calheiros, telefonou para todos os senadores no feriado, em uma intensa campanha para derrubar o relatório que pede a cassação do seu mandato.

A justificativa da abordagem foi o envio de uma defesa, batizada por ele de "Memorial Renan Calheiros".

Cá entre nós, esse negócio de Memorial não lembra cemitério?????

Não adianta chorar

Renan Calheiros reclamou, principalmente, do rigor da pena que o deixaria 12 anos fora da política.

"Chorar e dizer que não tem culpa não convence ninguém".

É o que avalia um desafeto do senador que sabe muito bem que Renan tem votos suficientes para se salvar da cassação.

Caixeiro viajante

A primeira visita de um chefe de Estado do Brasil aos países nórdicos foi chamada por Lula de “dívida” – no seu sensacional e imperdível programa de hoje “Café com o Presidente”.

Nós queremos discutir com eles duas coisas fundamentais. Primeiro, estreitar a relação do Brasil com esses países. Segundo, convencê-los a participar do PAC, ou seja, mostrar as grandes obras de infra-estrutura para despertar interesse neles a participar conosco”.

Lula visita quatro países da Escandinávia: Noruega, Suécia, Dinamarca e Finlândia

Tudo importante

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva começa sua visita oficial à Finlândia no Palácio Presidencial, onde será recebido por sua colega finlandesa, a social-democrata Tarja Halonen.

Depois da cerimônia de boas-vindas, primeiro ato oficial de uma viagem européia de uma semana que levará o governante a quatro países nórdicos e à Espanha, os dois chefes de Estado manterão uma reunião de duas horas que terminará com a assinatura do Memorando de Entendimento sobre a Mudança Climática, e em seguida participarão de uma entrevista coletiva conjunta.

Depois, Lula assistirá, junto aos 50 empresários que o acompanham na viagem, a um seminário econômico organizado pela Finpro, uma associação de empresas exportadoras finlandesas encarregada de promover o comércio exterior.

Roteiro de amanhã

Na terça-feira, o presidente viajará a Estocolmo.

Após ser recebido pelas principais autoridades políticas da Suécia, seguirá para Dinamarca e Noruega.

Lula encerrará sua visita à Europa na Espanha.

Luz no Apagão

O deputado estadual Paulo Ramos (PDT), que presidiu a CPI na Assembléia Legislativa do Rio de Janeiro que investigou a "doação da VARIG", vai prestar depoimento na CPI do Apagão Aéreo da Câmara Federal, na próxima quinta-feira, dia 13 de setembro, às 09h 30 mim.

Ramos reclama que a venda da Varig não passou de uma "grande maracutaia e um crime de lesa pátria", fruto de uma grande orquestração que passou por decisões do governo federal, pelo processo de recuperação judicial e a utilização de "laranjas" na compra da empresa.

O grupo, liderado pelo chinês Lap Chan, comprou a empresa por cerca de US$ 20 milhões e, oito meses depois, vendeu por algo em torno de US$ 320 milhões".

O relatório final ficou pronto e o deputado espera que tenha desdobramentos nas CPI's da Câmara e Senado bem como no Ministério Público Federal, na Receita Federal, no Banco Central (BC) e na Polícia Federal.

Origens do apagão

O relatório da CPI foi contundente e mostra que a "venda da Varig " foi um grande escândalo que originou a chamado Apagão Aéreo, com a saída de cerca de 60 aeronaves do Brasil e a saturação das rotas voadas pelas empresas concorrentes.

O deputado observa que e elas foram beneficiadas com esta “operação de venda” bem como as empresas estrangeiras acabaram dominando as rotas internacionais.

Segundo Paulo Ramos, o Brasil perdeu mais de US$ 1 bilhão e 500 milhões de dólares ao ano na balança comercial.

Prejuízo nos Fundos

Ramos denuncia que a lei de Recuperação Judicial 11.101, que já foi questionada pelo PDT através de uma Ação Direta de Inconstitucionalidade, serviu de instrumento para que os trabalhadores e demais credores fossem fraudados em seus direitos.

Da mesma forma o Fundo de Pensão AERUS foi criminosamente destruído, sofrendo uma intervenção e liquidação quando os trabalhadores tentavam recuperar a empresa.

A CPI da Alerj indicou os nomes dos dirigentes que devem ser responsabilizados criminalmente por tudo o que aconteceu contra a Varig e seus funcionários.

Porto de negócios

Será encaminhada esta semana ao Congresso a medida provisória que altera a Lei dos Portos e derruba os principais obstáculos à aceleração das obras do setor.

A MP abre a possibilidade da execução dos serviços de dragagem por empresas estrangeiras e cria a modalidade de dragagem por resultado.

A medida prevê ainda a implantação de unidades de gestão ambiental em cada porto, com o objetivo de destravar a obtenção de licenciamento.

Armação de Serra

O governador José Serra (PSDB) iniciou na semana passada uma nova ofensiva para engordar o caixa do Estado.

Serra pediu à Assembléia Legislativa autorização para repassar R$ 1 bilhão da Nossa Caixa ao Tesouro estadual.

Não seria problema se o dinheiro não fizesse parte do reservado de R$ 1,4 bilhão em depósitos judiciais e administrativos – aguardando sentenças para serem pagos.

Dinheiro alheio

Na prática, o que Serra pede é o uso antecipado de um dinheiro depositado em juízo por autores de ações contra o Estado e que não pertence, até que haja sentença nesse sentido, ao governo.

Em geral, são contribuintes questionando a cobrança de impostos, taxas ou multas administrativas.

Em vez de deixar de pagar o tributo, correndo o risco de ter de ressarcir o Estado de uma só vez se perder a ação, muitas pessoas preferem fazer o pagamento do tributo em juízo e, se ganhar a ação, receber o dinheiro de volta.

Os depósitos foram criados para resguardar o direito de receber do possível credor sem ter que entrar na fila de precatórios que o Estado empurra sempre com a barriga para pagar.

Culpa da ignorância

O consórcio construtor da refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco, formado pela Odebrecht, Queiroz Galvão, Galvão Engenharia e Camargo Corrêa, não consegue contratar mão-de-obra para o início das obras, que deve ocorrer até o fim do mês.

A carência aparece em técnicos para operar as máquinas de última geração para terraplanagem e que devem ter segundo grau completo.

De 60 vagas para operadores de motoscreper, por exemplo, foram encontrados apenas três profissionais.

Mais uma prova de que qualquer projeto de desenvolvimento fica inviabilizado em um País cuja população tem baixa escolaridade ou má formação escolar.

Vida que segue...

Fiquem com Deus!

O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Inteligente, inovador, fortemente analítico e propositivo, utilizando as mais modernas tecnologias para transmissão instantânea e eletrônica de informação privilegiada e análise estratégica, junto com a difusão de novos conhecimentos voltados para a construção e consolidação de novos valores humanos.

7 comentários:

Anônimo disse...

BASTIDORES...PROGRAMAS SOCIAIS

Se você quer se torturar então leia ...

Você gostaria de ser o...
Diretor de Gestão Interna do Gabinete-Adjunto de Gestão e
Atendimento, do Gabinete Pessoal do Presidente da República?

ou então um...

Assessor Especial no Gabinete-Adjunto de Gestão e Atendimento, do
Gabinete Pessoal do Presidente da República ?


Resistiria à oportunidade de se tornar o:

Chefe de Gabinete-Adjunto de Gestão e Atendimento, do Gabinete
Pessoal do Presidente da República?

ou talvez um:

Assessor Especial no Gabinete-Adjunto de Informações em Apoio à
Decisão, do Gabinete Pessoal do Presidente da República ?

Já se imaginou entrando em casa e dizendo:

- MÃE, eu sou agora o...
Chefe de Gabinete-Adjunto de Agenda, do Gabinete Pessoal do
Presidente da República ?


Tem idéia de que, em qualquer dos casos acima, o seu salário estaria
entre... R$ 8.400,00 e R$ 10.448,00 mensais?

E que trabalharia pouco... pois o seu chefe estaria frequentemente viajando?


Quer saber onde conseguir tudo isso?

Não sabe? Nunca ouviu falar?

Pois tenha certeza de que não saber , nem nunca ter ouvido falar,
poderá se tornar em grande vantagem para conseguir um desses cargos
e, adianto, você não vai precisar prestar nenhum concurso .

Surpreso?

Leia a mensagem abaixo.



BOLSA FAMÍLIA DOS AMIGOS E PROTEGIDOS.

Nomeados somente nesta data(Diário Oficial 21/08/07), exclusivamente
para o GABINETE PESSOAL do Presidente da LULA:

18 cargos de DAS 5 com salário de 8.400 reais por mês cada = gasto
de R$151.200,00 por mês

03 cargos de DAS 6 com salário de 10.448 reais por mês cada = gasto
de R$ 31.334,00 por mês Total de 21 cargos com gasto mensal de
R$182.534,00 fora todos os outros cargos que já existiam no Gabinete
Pessoal do Presidente LULA.

Nº 892 - N O M E A R FANIE OFUGI RODRIGUES MIRANDA, para exercer o
cargo de Diretor de Gestão Interna do Gabinete-Adjunto de Gestão e
Atendimento, do Gabinete Pessoal do Presidente da República, código
DAS 101.5, ficando exonerada do que atualmente ocupa.


Nº 893 - N O M E A R JOSÉ HENRIQUE OLIVEIRA DE SOUZA, para exercer o
cargo de Assessor Especial no Gabinete-Adjunto de Gestão e
Atendimento, do Gabinete Pessoal do Presidente da República, código
DAS 102.5, ficando exonerado do que atualmente ocupa.

Nº 894 - N O M E A R ROGÉRIO AURÉLIO PIMENTEL, para exercer o cargo
de Assessor Especial no Gabinete-Adjunto de Gestão e Atendimento, do
Gabinete Pessoal do Presidente da República, código DAS 102.5,
ficando exonerado do que atualmente ocupa.

Nº 895 - N O M E A R BISMARCK DE MOURA ALCÂNTARA, para exercer o
cargo de Assessor Especial no Gabinete-Adjunto de Gestão e
Atendimento, do Gabinete Pessoal do Presidente da República, código
DAS 102.5, ficando exonerado do que atualmente ocupa.

Nº 896 - N O M E A R JULIO CEZAR BERSOT GONÇALVES, para exercer o
cargo de Assessor Especial no Gabinete-Adjunto de Gestão e
Atendimento, do Gabinete Pessoal do Presidente da República, código
DAS 102.5, ficando exonerado do que atualmente ocupa.

Nº 897 - N O M E A R RICARDO DE ALMEIDA COLLAR, para exercer o cargo
de Assessor Especial no Gabinete-Adjunto de Gestão e Atendimento, do
Gabinete Pessoal do Presidente da República, código DAS 102.5,
ficando exonerado do que atualmente ocupa.

Nº 898 - N O M E A R SWEDENBERGER DO NASCIMENTO BARBOSA, para
exercer o
cargo de Chefe de Gabinete-Adjunto de Gestão e Atendimento, do
Gabinete
Pessoal do Presidente da República, código DAS 101.6, ficando
exonerado do que atualmente ocupa.


Nº 899 - N O M E A R RONALDO LUIZ CABRAL, para exercer o cargo de
Assessor Especial no Gabinete-Adjunto de Informações em Apoio à
Decisão, do Gabinete Pessoal do Presidente da República, código DAS
102.5, ficando exonerado do que atualmente ocupa.

Nº 900 - N O M E A R MAYA TAKAGI, para exercer o cargo de Assessor
Especial no Gabinete-Adjunto de Informações em Apoio à Decisão, do
Gabinete Pessoal do Presidente da República, código DAS 102.5,
ficando exonerada do que atualmente ocupa.

Nº 901 - N O M E A R ALBERTO NOBRE MENDES, para exercer o cargo de
Assessor Especial no Gabinete-Adjunto de Informações em Apoio à
Decisão, do Gabinete Pessoal do Presidente da República, código DAS
102.5, ficando exonerado do que atualmente ocupa.

Nº 902 - N O M E A R MARISETE APARECIDA BEU RIBEIRO, para exercer o
cargo de Assessor Especial no Gabinete-Adjunto de Agenda do Gabinete
Pessoal do Presidente da República, código DAS 102.5, ficando
exonerada do que atualmente ocupa.

Nº 903 - N O M E A R CLARA LEVIN ANT, para exercer o cargo de Chefe
de Gabinete- Adjunto de Informações em Apoio à Decisão, do Gabinete
Pessoal do Presidente da República, código DAS 101.6, ficando
exonerada do que atualmente ocupa.

Nº 904 - N O M E A R NELSON AKIO FUJIMOTO, para exercer o cargo de
Assessor Especial no Gabinete-Adjunto de Agenda do Gabinete Pessoal
do Presidente da República, código DAS 102.5.

Nº 905 - N O M E A R LEONILSE FRACASSO GUIMARÃES, para exercer o
cargo de Assessor Especial no Gabinete-Adjunto de Agenda do Gabinete
Pessoal do Presidente da República, código DAS 102.5, ficando
exonerada do atualmente ocupa.

Nº 906 - N O M E A R CEZAR SANTOS ALVAREZ, para exercer o cargo de
Chefe de Gabinete- Adjunto de Agenda, do Gabinete Pessoal do
Presidente da República, código DAS 101.6, ficando exonerado do que
atualmente ocupa.


Nº 907 - N O M E A R SANDRA PROCÓPIO DA SILVA, para exercer o cargo
de Assessor Especial no Gabinete Pessoal do Presidente da República,
código DAS 102.5, ficando exonerada do que atualmente ocupa.

Nº 908 - N O M E A R WILLIAN SILVA BONFIM, para exercer o cargo de
Assessor Especial no Gabinete Pessoal do Presidente da República,
código DAS 102.5, ficando exonerado do que atualmente ocupa.

Nº 909 - N O M E A R VERA LÚCIA LOUREDO BARRETO, para exercer o
cargo de Assessor Especial no Gabinete Pessoal do Presidente da República,
código DAS 102.5, ficando exonerada do que atualmente ocupa.

Nº 910 - N O M E A R MEIRY ANDRÉA BORGES DAVID, para exercer o cargo
de Assessor Especial no Gabinete Pessoal do Presidente da República,
código DAS 102.5, ficando exonerada do que atualmente ocupa.

Nº 911 - N O M E A R JÚLIO HECTOR MARÍN MARÍN, para exercer o cargo
de Assessor Especial no Gabinete Pessoal do Presidente da República,
código DAS 102.5, ficando exonerado do que atualmente ocupa.

Nº 912 - N O M E A R JOÃO FERREIRA SANTIAGO, para exercer o cargo de
Assessor Especial no Gabinete Pessoal do Presidente da República,
código DAS 102.5, ficando exonerado do que atualmente ocupa.

Serrão,

De que cargos estas pessoas foram exoneradas?

Anônimo disse...

Luiz Inácio organiza polícia política para se garantir na Presidência - Parte IV

Do Observatório de Inteligência, por Orion Alencastro, em 10/09/07


Com a próxima investidura do delegado da polícia federal Paulo Lacerda nas funções de diretor-geral da Agência Brasileira de Inteligência, Luiz Inácio da Silva poderá atenuar os fantasmas que rondam as noites do Palácio da Alvorada, semeando expectativas para as manchetes do dia seguinte.

Questões de insônia do presidente
Qual será a turbulência da mídia do dia? A continuidade das matérias sobre a “quadrilha dos 40” sub judice, os efeitos retardados do mensalão fazendo o Chefe da Nação colocar as barbas de molho, as ligações perigosas com banqueiros, as negociatas da Gamecorp e outras mais por vir, a expansão patrimonial dos Da Silva, o preguiçoso colaborador Geddeu Vieira, Ministro da Integração Nacional, o vergonhoso caso Renan, as armas para a guerrilha rural, o atentado terrorista, alienígenas na Amazônia, o colaborador pego com a boca na botija ou a próxima vitima do caso Celso Daniel?

Implantando a blindagem do Presidente

O "estadista" experimentará o risco de alterar a nobre função da ABIN pela vaidade, não se importando de desconectar a inteligência brasileira do acompanhamento das ameaças internas: o Talebã tupiniquim.

Com a repercussão do descontrole aeroportuário e a monumental vaia inaugural do Pan, a ordem foi blindar o mandatário, às vésperas de um importante ano de eleições nas bases municipais.

A curto prazo, colocaram um jurista para tomar conta do Ministério Trambolho da Defesa para melhor articular as relações com as Forças Armadas como garantidoras constitucionais da Lei e da Ordem no país e distraí-las com a elaboração do PAC da Defesa, a ser elaborado até 7 de setembro de 2008.

Substituiu-se o diretor-geral da Polícia Federal por um delegado partidário e identificado com líderes do mensalão petista, ainda sob julgamento. Emplacou-se um ex-parlamentar petista para tomar conta da Secretaria Nacional de Segurança Pública e sua Força Nacional de Segurança.

Com a substituição de um valoroso e experiente profissional de inteligência por um policial na chefia da ABIN estará completo o trinômio para garantir, em “boa hora”, um razoável dispositivo de Policia Política, assegurando-lhe discreto aparelhamento.

A determinação é isolar o Chefe de quaisquer ameaças a sua inabalável idoneidade, com a concordância dos seus acomodados generais palacianos. Para todos os efeitos, ele continuará a não saber de nada como nunca jamais fora visto em um presidente do Brasil. A imprensa, por enquanto, continuará livre aguardando pela máquina de mídia, em montagem no DIP do Governo.

Abin e Polícia Federal, duvidosa harmonia

Ministro Beria (Tarso Genro) está feliz e sorri a toa com as conquistas para o dispositivo da Polícia Política.

Os novos dirigentes da Policia Federal e da ABIN já devem ter combinado que tudo estará bem entre as duas organizações do Estado e que a questão do grampo pela ABIN será uma circunstância simples a resolver em defesa do governante e do Estado.

O que importa é preservar o presidente para garantir-lhe o futuro almejado, detectando e neutralizando as forças adversas para mantê-lo no governo os três anos restantes ou projetar uma conjuntura com mecanismos jurídicos que o levem para o terceiro tempo com as recomendações do ditador e amigo Hugo Chávez. Existe o risco de que o Estado poderá não ser mais a prioridade da ABIN e nem da PF.

Regulamentação da mídia e policiamento da Internet

Deixando cair a máscara, Berzoini vai à China buscar modelo de comunicação para a escravidão brasileira.

Nos subterrâneos do Governo fermentam os anseios para que os grandes vetores, a mídia e a internet, obstáculos à implantação do “socialismo do Século XII” no Brasil sejam subjugados ao controle oficial.

Há que se implantar no país a disciplina do uso intelectual da liberdade de expressão da mídia, a grande muralha para o avanço programático das ambições radicais da esquerda tupiniquim, e do controle estatal da internet, poderosa rede de resistência às imposições e combate pela democracia. Por isso a preocupação do PT organizar a comitiva da Direção Nacional à China Comunista para conhecer o sistema de comunicação social da maior escravidão humana.

Necessidade vital para o obstinado gramscimo – o pensamento único - no compasso da batuta do Foro de São Paulo, o novo dispositivo de Polícia Política oferecerá orientação complementar ao ministro Beria. (OI/Brasil acima de tudo)

http://brasilacimadetudo.lpchat.com/

Anônimo disse...

O mensalão assustou até a rainha da Inglaterra
Por Rodrigo Rangel (*) 10/09/07

Documentos obtidos por ISTOÉ mostram preocupação do Reino Unido com escândalo no IRB

O maior escândalo da história recente do Brasil impôs ao governo Luiz Inácio Lula da Silva constrangimentos que vão além da crise política e das implicações jurídicas surgidas a partir das acusações contra ex-ministros, políticos aliados e altos dirigentes do partido do presidente. O mensalão tinha acabado de eclodir. É junho de 2005, e um documento de duas páginas chega ao gabinete do então ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos. O remetente é Peter Collecott, “embaixador de sua Majestade Britânica”. O ofício, ao qual ISTOÉ teve acesso, traz uma mensagem de Londres: o governo britânico estava preocupado com rumores de que o mercado brasileiro de resseguros, do qual participam importantes companhias londrinas, estava metido num lodaçal de corrupção. O representante da rainha Elizabeth II referia-se, pontualmente, aos esquemas de arrecadação montados no Instituto de Resseguros do Brasil (IRB), uma das fontes da dinheirama que os aliados do governo sugavam dos cofres públicos em troca de apoio político no Congresso.

No documento, Collecott relatava que, um ano antes, corretoras com sede em Londres já haviam procurado autoridades britânicas para informar a existência de “distorções” na concorrência do setor de resseguros no Brasil. “Empresas estrangeiras, incluindo algumas sediadas no Reino Unido, teriam realizado negócios com o IRB por meio de corrupção”, cravava. O IRB administra contratos de seguro cujos valores não podem ser arcados pelas seguradoras nacionais. É onde entra o chamado resseguro, uma espécie de seguro do seguro. Só no ano passado, a estatal arrecadou R$ 3,2 bilhões em contratos.

Nos primeiros anos do governo Lula, as negociações passaram a ser controladas por prepostos de políticos, principalmente Roberto Jefferson, do PTB. O escândalo, que se somou ao mesmo enredo do mensalão, segue até hoje sob investigação. Mas ainda há muito a ser conhecido. ISTOÉ apurou que uma das companhias britânicas que pediram ajuda política de Londres para conter o propinoduto que estava armado no IRB foi o grupo Willis Insurance Brokers. Até 2003, quando se instalou o esquema, ele figurava no topo do ranking de negócios da estatal. De repente, outras empresas que não tinham desempenho notável – dentre elas, algumas igualmente britânicas – experimentaram um salto espetacular no volume de contratos.

A reportagem obteve cópia de depoimento prestado à Polícia Federal pelo português Américo Pinto Lopes, representante no Brasil da Willis. Lopes contou ter sido procurado por um lobista chamado Luiz Latini, que dizia ter a receita para aproximá-lo da direção do IRB e, em conseqüência, manter os bons negócios da empresa. Em troca, a corretora só teria que abrir mão de parte de sua comissão nos contratos que fossem fechados. Antes de prosseguir, o representante da corretora disse que pediu autorização a seus superiores, em Londres, para manter o contato com o lobista. Conseguiu. Num dado momento, Latini achou que o português estava desconfiando de sua capacidade de ingerência nas decisões do IRB. Sugeriu-lhe um encontro com um deputado. A reunião foi marcada. E quem aparece? O mensaleiro José Janene, um dos 40 que viraram réus no processo do mensalão. Janene, que havia nomeado o então diretor comercial da estatal, Eduardo Pereira de Lucena, foi curto e grosso: disse a Lopes que, se quisesse “ter um apoio” para fazer uma “parceria com o IRB”, era só acertar os detalhes com seu emissário, Latini. Ali estava a chave para entender por que as corretoras de alguns polpudos contratos de resseguro estavam sendo trocadas ao bel-prazer dos diretores do IRB.

(*) Fonte: http://www.terra.com.br/istoe/edicoes/1976/artigo60743-1.htm?o=r

Anônimo disse...

Matéria de Christiane Samarco para o Estado de S. Paulo informa que Renan Calheiros passou o feriado pendurado ao telefone, tentando convencer seus pares a não cassá-lo na próxima quarta-feira.
Está, pois, declarado o combate telefônico do qual falei no sábado: serão os mugidos dos bois senatoriais contra o rugir do monstro da opinião pública.
Ligue 0800 61 22 11 e avise ao seu senador que você quer ver Renan Calheiros cassado.
A ligação é gratuita e pode ser feita de celular.


narizgelado.apostos.com

Anônimo disse...

Jorge Serrão,


Boa tarde!
Acho que essa viagem dos petistas é para aprender a censurar a INTERNET, que é o que a China faz muito bem!
A mídia convencional, com raríssimas excessões, já está cooptada e não os preocupa, mas a "rede" tem sido a "pedra no sapato" deles!
Aguardemos...

BRAGA disse...

Boa noite Serrão.
Tá feia a coisa.
“La Dolce Vita” de Felini, foi um filme profético, feito em 1958.
E que dizer de “Farenheit 459”?
“Laranja Mecânica”, etc.
Sem essa de dizer que quem gosta do passado é museu.
Se enquadra perfeitamente no Brasil 2007.
A situação chegou a este ponto porque a grande mídia, subliminarmente ou não estimula o TER para não termos tempo de SER!
Um grande abraço,
Braga

Anônimo disse...

Caro Jorge Serrão parabéns pela denominação GENÉRICO, e obrigado por aceitar a sugestão.