domingo, 30 de setembro de 2007

Quem mata o Brasil?

Segunda Edição de Artigos de Domingo do Alerta Total http://alertatotal.blogspot.com/

Por Jorge Serrão

Nossa novela nunca termina. Já suportamos 507 anos de exploração colonial. Nos últimos 200 anos, o desenvolvimento do Brasil vem sendo assassinado pela Oligarquia Financeira Transnacional. Os banqueiros internacionais drenam os nossos recursos naturais e financeiros. Os donos do mundo nos mantêm artificialmente na miséria. E ainda contam com a colaboração da classe política e empresarial que são os agentes conscientes da ação que contém as potencialidades do Brasil e dos brasileiros.

O drama histórico brasileiro seria digno da melhor novela das oito. Mas a ignorância e o comodismo da maioria dos brasileiros prefere deixar os assuntos mais sérios para a ficção, e transforma a ficção em assunto “sério”. O País parou sexta-feira à noite diante da televisão para saber o motivo pelo qual Olavo matou a Taís. Enquanto isso, os problemas do Paraíso Tropical da vida real ficam esquecidos ou relegados a um segundo plano. Os controladores econômicos do mundo matam o Brasil e ninguém se sensibiliza diante do hipnótico televisor. Para nosso consolo, o imortal Ibrahim Sued proclamaria: “Sorry, Periferia!”.

Depois voltamos ao ilusório mundo da mídia. Agora, vamos dar uma rapidinha no submundo da política. Os bastidores acabam de produzir uma surpresa. Uma pesquisa de opinião feita em Porto Alegre apresenta o mais novo candidato em potencial à sucessão de Lula da Silva. A gauchada acaba de lançar a candidatura factóide do ministro Joaquim Barbosa, do Supremo Tribunal Federal. Não pelo papel dele como relator do caso do Mensalão. Mas pelo bate boca dele com o ministro Gilmar Mendes, esta semana, flagrado pelas câmeras da TV Justiça, durante uma sessão do STF.

Barbosa repreendeu Mendes por tentar mudar o resultado de um julgamento (já concluído no dia anterior). A manobra de Mendes beneficiaria servidores de Minas Gerais contratados ou promovidos de forma irregular. Barbosa chutou o balde: "Isso é jeitinho. Temos que acabar com isso". Mendes retrucou vociferando que o colega não tinha condições de lhe dar "lição de moral". Barbosa finalizou, indagando: “E Vossa excelência tem?”. A briguinha intestinal do STF aumentou a fama do Barbosa. O Alerta já avisou: estão fabricando um candidato presidencial... Cuidado...

Outra briga que promete sair dos bastidores é a da Globo com a Record. Os diretores da Vênus Platinada não sabem o que fazer. Há duas semanas, em São Paulo, no horário de 7 às 9h da manhã, a Globo perde para a Record na medição do Ibope. Ou melhor, a Record tem ganhado da Globo pelo placar de 8 pontos a 4. Cada ponto na audiência equivale a 54 mil domicílios, ou 176 mil pessoas, na Grande São Paulo. O Fala Brasil, da Record, tem superado o Bom Dia Brasil e o Mais Você, da Globo. O Louro José quer pegar o Grisalho Goiano. Te cuida, Marcos Hummel!

Mas quem deveria se cuidar mesmo é o Bispo Edir Macedo Bezerra. O líder da Igreja Universal do Reino de Deus deveria se preparar para mais uma guerra nada santa contra os profanos globais. A direção da Globo promete dar o troco no “proprietário” da Rede Record pelas provocações desta semana. Na inauguração do novo canal de notícias 24 horas Record News, o Bispo Macedo avisou que bateria no fígado até derrubar a Globo. Vai faltar Xantinon B-12 para debelar a briga que promete muitas intrigas nos bastidores da República Sindicalista do PT.

A direção da Globo ameaça fazer uma reclamação formal contra a Record no Ministério das Comunicações. Terá coragem para isto? Só Deus sabe. E quem trabalha com Ele é o Macedo. Mas antes que a briga chegue oficialmente lá em cima, diretores da Globo já armam o barraco nos bastidores aqui de baixo. O vice-presidente de Relações Institucionais das Organizações Globo, Evandro Guimarães, percorreu os corredores de Brasília para reclamar que a Record News, em canal aberto, feria a legislação. O dirigente global alega que a Record não pode, por lei, operar dois canais na mesma cidade – no caso, São Paulo. Leia também o artigo: Como se fazer tudo de firma ilegal, de Márcio Accioly.

A regra é clara. Ainda em vigor, o decreto 52.795, de 1963, estabelece que uma mesma empresa não pode controlar duas geradoras de TV numa única praça. Em tese, ninguém obedece a lei. A Globo já faz isso com suas emissoras de rádio e nunca foi punida por isso. A Bandeirantes a mesma coisa, inclusive com a PlayTV, o canal que hoje é controlado pela Gamecorp do primeiro-filho Lulinha. A Record já fazia a mesma coisa com a Rede Mulher, que também é “propriedade” do Bispo Macedo e agora virou Record News.

No Brasil, a lei de telecomunicações parece a casa da Bebel. Uma zona total. Ninguém obedece. A começar pela classe política. Grande parte dos políticos é proprietária das “capitanias hereditárias” da mídia no Brasil. A edição brasileira da revista Rolling Stones (abril de 2007, em reportagem de André Deak e Daniel Merli) revela que 27 senadores e 53 deputados federais são donos de concessões públicas de rádio e TV. O levantamento não leva em conta aqueles que usam “laranjas” para não aparecer no negócio. Não é verdade, excelentíssimo Renan Calheiros?

Tudo acontece ao arrepio da Lei Maior. O artigo 54 da Constituição Federal determina que parlamentares não podem firmar ou manter contrato ou aceitar ou exercer cargo, função ou emprego remunerado em empresa concessionária de serviço público. Os políticos ignoram a Constituição. Viva ao ex-presidente José Sarney. Entre os anos 1985 e 1990, o hoje senador promoveu a farra da distribuição de concessões de canais da rádio e tv como moeda de troca pelos seus cinco anos de mandato. Tais emissoras perdem o foco de servir ao público, para seus donos se servirem politicamente do público. Coisas de Terceiro (I)Mundo.

Outra guerra que promete agitar o mundo da mídia é o risco da abertura de uma Comissão Parlamentar de Inquérito para investigar a venda da TVA, do Grupo Abril, para a transnacional espanhola Telefônica. A tal CPI, desejada pelo inocente Renan Calheiros e já apoiada pelo também inocente PT, quer investigar se a transação entre a Abril e a Telefônica fere ou não a lei que estabelece em 49% o limite de capital estrangeiro numa empresa de TV a cabo.

Um Relatório do conselheiro-diretor da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), Plínio Aguiar Júnior, informou que o Grupo Abril e a Telefônica infringiram a lei brasileira assinando um Acordo de Acionistas pelo qual as deliberações do Conselho de Administração e da Assembléia Geral dependerão de uma “reunião prévia” na qual participam e votam todos os acionistas, inclusive os que possuem as ações que não dão direito a voto. Ou seja, na prática, a Telefônica assumiu o controle da TVA ilegalmente.

A baixaria no mercado de mídia brasileiro é total. No dia 4 de setembro, Renan Calheiros chutou o balde contra a Editora abril. E não foi desmentido à altura, como seria esperado. Além do caso da venda da TVA para a Telefônica, o inocente Renan revelou um suposto negócio escuso na venda das ações da Abril para a empresa sul-africana Nasper.

Denunciou Renan: "A Naspers tem aqui dentro, apenas no papel, uma empresa chamada MIH Brasil Participações, que funciona na Holanda. O CNPJ da MIH Brasil, vou ler devagar para aqueles que se interessam por “tudo que prejudica o Brasil e os Brasileiros”; o CNPJ da MIH é 72.091.963/0001-77. Só que a MIH é uma empresa fantasma, isso mesmo, fantasma. O endereço declarado é fictício e este CNPJ pertence à Curundéia Participações Limitada. A Curundéia também não tem sede, não tem funcionários e os endereços e telefones apresentados pela Curundéia são de outras pessoas ou estão em endereços inexistentes. A Curundéia é virtual, não existe, só existe no papel”.

Insistiu o inocente Calheiros: “Foi este laranjal de empresas inexistentes, com CNPJ duplicados, com endereços fictícios, sem sede, sem funcionários, que adquiriu 30% da Editora Abril. Um negócio que movimentou em torno de 900 milhões de reais. A MIH Brasil Participações não existe, o que existe, e só no papel é a Curundéia e esta desembolsou R$ 380 milhões de reais para comprar 30% da Editora Abril. O capital social da Curundéia é de apenas 878 mil reais. Isso significa que para concretizar o malcheiroso negócio, a Curundéia gastou 430 vezes mais do que seu capital Social na compra sorrateira de 30% da patriótica editora Abril”.

Vida que segue, outro escândalo abafado atinge um dos lucrativos negócios das Organizações Globo – em que ela mantém sociedade com o magnata anglo-australiano da mídia Rupert Murdoch. A Comissão de Defesa do Consumidor da Assembléia Legislativa do Rio de Janeiro ameaça um pedido de investigação contra o grupo Globo por não resolver problemas em sua operadora de tv a cabo. A pressão política sobre a Globo foi tão grande que até seus jornais impressos resolveram abrir espaços (antes censurados) para atacar os problemas do grupo.

Em maio, a NET Rio atingiu a desonrosa primeira posição no ranking das empresas mais reclamadas. As queixas foram geradas por três motivos: o combo (TV por assinatura, Net fone e banda larga), a mudança para o sistema digital e uma enxurrada de cobranças indevidas. Por causa das broncas, a NET ultrapassou até a Vivo, que ocupava o topo da lista desde 2004. A Sky (que pertence diretamente ao Murdoch) também estreou na lista das dez empresas mais reclamadas em 2007. O número de reclamações contra a TVA também cresceu 206% este ano.

Voltando ao mundo real da ficção, já que a realidade enche o saco de qualquer cristão, não é que os autores da falecida novela “Paraíso Tropical”, Gilberto Braga e Ricardo Linhares, não embarcaram naquilo que o Alerta Total ironicamente sugeriu na edição de artigos de 16 de setembro. Releia: Bebel dá para o Senado. Que catiguria! Bebel terminou a novela como prostituta exclusiva de um senador lá de Brasília metido em um escândalo. Na cena final da personagem, Bebel aparece depondo em uma CPI. Feliz da vida com os holofotes, ela comemora que fechou um contrato para posar nua para uma revista masculina.

Quanta ficção dos autores da novelinha global! Afinal, nada disso acontece no Brasil que é morto todos os dias pelos banqueiros – mas onde ninguém pára, diante da televisão, para comemorar o triste fim ou a simples punição dos assassinos. Que a terra lhe seja leve, Taís! E pena que o Olavo morreu também. Ele seria o cara perfeito para sucessão de 2010. Sorte do Lula que não tem concorrente na vida real. A não ser que Celso Daniel renasça na novela para contar quem realmente o matou e por qual motivo. O cadáver politicamente insepulto fede! Vida que segue...

Jorge Serrão, jornalista radialista e publicitário, é Editor-chefe do blog e podcast Alerta Total. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos. http://alertatotal.blogspot.com/ e http://podcast.br.inter.net/podcast/alertatotal

8 comentários:

Anônimo disse...

Como sempre vc foi brilhante, Jorge Serrão.
É isso aí, o brasileiro prefere fugir da trágica realidade, ele não lembra que essa fuga vai lhe custar muito caro no futuro catastrófico que está por vir. Aí ele terá que encarar muitas tristezas.

Anônimo disse...

Serrão,

Tinha razão meu velho pai, quando dizia que, enquanto não correr sangue nas calçadas brasileiras, não há a mínima chance de conserto.( em 1986 quando faleceu)

Estava certo, pois precisamos mesmo de uma grande tragédia como a que já está instalada no Brasil, para que, finalmente esse povinho de merda perceba a barbaridade que cometeu ao colocar essa quadrilha de criminosos no poder.

Anônimo disse...

Caro Jorge. Está escrito lá: "proporemos pela imprensa concursos de arte, de esportes, de toda a espécie: esses interesses alongarão definitivamente os espíritos das questões em que teríamos de lutar com êles. Desetimulando-se os homens cada vez mais de pensar por sí, acabarão por falar unanimente de nossas idéias, porque seremos os únicos que proporemos novos rumos ao pensamento. ...o sistema de repressão do pensamento já está em vigor no método denominado do ensino pela imagem, que deve transformar as pessoas em animais dóceis, que não pensam ..." O livro é profético, pois tudo vem se cumprindo frase por frase, palavra por palavra e letra por letra. Pena que tão poucos o conheçam.

Anônimo disse...

Não temos oposição política, é verdade, mas temos algo muito melhor.
Temos jornalistas sérios e muito inteligentes como vc, Diogo Mainardi, Reinaldo Azevedo, Olavo de Carvalho e tantos outros que muitos brasileiros lêem avidamente todos os dias.
São vcs que estão liderando e incentivando os movimentos que estão acontecendo a favor do Brasil.
Seus artigos não são apenas bálsamos. São ensinamentos que estão conscientizando, politizando milhares de brasileiros.
Vcs não têm noção da importância desse trabalho.
Ai de nós se não fossem vcs e a internet.
Aí, sim, estaríamos perdidos.
Nós vamos reagir, nós temos muito mais competência do que elles.
Eu nunca posto nenhum comentário, mas notei em vc hoje um certo desânimo.
Não fique triste, vcs estão formando uma massa crítica de Norte a Sul e Leste a Oeste do Brasil. O processo é vagaroso mas chegaremos lá.
Fomos educados para estudar e produzir, não para resistir, para enfrentar ditaduras. Ao contrário desses vagabundos que sempre viveram às custas de sindicatos.
Não somos mais tão jovens, mas temos força e, repito, competência, para aprender rapidinho como travar uma luta e vencer esses ladrões.

Anônimo disse...

Não consigo entender como uma novela mobiliza tantas pessoas alienadas em frente a uma tv. Não consigo entender tamém o por que das pessoas reclamarem tanto da violência que está aí e depois assistem esse último capítulo violento ao extremo. Mas parece que querem isso mesmo. É bom ver a desgraça do outro. Querem nos acostumar com a violência. Tudo isso deve ter um propósito, e com certeza não deve ser dos bons. A coisa não melhora... vem aí outra bomba (duas caras) salientando ou seria enaltecendo o pior do ser humano...alienando ainda mais nós, brasileiros.

Se eu pudesse deixaria este país, este mundo, me envergonho de ser brasileiro de pertencer a raça humana. Sinto culpa de tudo isso que esta ai, apesar de ter anulado meu voto nas duas últimas eleições, por que não consegui influenciar as pessoas para pensarem no melhorar para todos, etc etc....

por um brasileiro qualquer, estudante de direito, do sul deste pobre país..

Anônimo disse...

meu deus este blog é um cocô/não há uma só linha q seja aproveitavel/não dá para saber quem é mais tosco: se é quem perde tempo lendo ou quem perde tempo (muito mais tempo perdido) a escrevê-lo ah e ainda tem os piores de todos: os q lêem e ainda comentam concordando. Com tanta mente oca junta não dá pra reclamar da onipotência da Globo, da Record, da Igreja Universal e q tais pq o campo pra elas é amplo e fértil. Putz, é a internet a serviço da inutilidade

Anônimo disse...

Dois comentários:
1)Assim como nos blogs de Diogo Mainardi,Reinaldo Azevedo e assemelhados "coincidentemente" todos os comentários "autorizados" são à favor das opiniões do "dono". Galera não é assim q se faz jornalismo, debate de idéias ou um simples blog q se queira respeitável, vcs podem até achar q estão ganhando alguma coisa agindo assim (¿será?)mas no longo prazo quem perde é a democracia e o país q continuará sendo a mesma merda q sempre foi. Além do q a maioria da turma q tem o mau gosto de ler esse tipo de coisa "dirigida" sempre prefirirá os "famosos" da Veja, não há espaço para tanta gente assim.
Vcs são muito óbvios, escrevem do mesmo jeito, dão a mesma bandeira (como por exemplo nunca citar o governo anterior como se o governo atual fosse um fim em si mesmo; nunca conseguem achar algo q preste no governo atual mesmo q seja mínimo, nunca publicam comentários contrários, inventam inúmeros epítetos para suas vítimas, ou seja, nem ao menos tentam disfarçar a intenção por trás do q é escrito. Como já dizia o velho mestre do Direito: "O exagero nos argumentos faz perder a causa" pq dá muito na vista.

2)Quanto ao comentário ao lado: "...meu velho pai, quando dizia que, enquanto não correr sangue nas calçadas..." Meu filho o sangue já tá correndo faz tempo vc q deve ser meio lento para poder enxergar em volta(tb pudera olha só o baixo nível das coisas q anda lendo!) Olha só os casos do Paulinho da Viola, da Helena Ranaldi e o do filho do Dr. Lídio Toledo! Os pobres estão vindo galera e agora, como parece q veio meio tarde, parece q nem Bolsa família nem bolsa caralho vão conseguir segurá-los...

Anônimo disse...

"por que não consegui influenciar as pessoas para pensarem no melhorar para todos" quem escreve um troço desses sofre da síndrome de Napoleão e realmente precisa deixar este mundo pq não aprendeu o q é conviver numa democracia. Vc deveria ter nacido na época do nazismo ou do Mussolini, talvez até Vargas te servisse vc poderia ser um galinha verde do Plínio Salgado e usar aquelas roupas maneras. Hein? Q tal?