quinta-feira, 6 de setembro de 2007

Renan espera pelo menos 46 votos contra a degola semana que vem, e Lula quer Sarney presidindo o Senado

Edição de Quinta-feira do Alerta Total http://alertatotal.blogspot.com/

Breve, a Rádio Alerta Total no seu computador.

Adicione nosso blog e podcast a seus favoritos do Internet Explorer.

Por Jorge Serrão

Depois de salvar a pele de cordeiro de Renan Calheiros, em acordo já costurado pelos lobos desde sábado passado, o Palácio do Planalto agora quer garantir que a presidência do Congresso não caia em mãos adversárias. Todas as manobras de bastidores são para que o senador José Sarney seja o substituto de Renan (que vai renunciar à presidência da Casa, assim que for absolvido, conforme o Alerta Total vem informando, em primeira mão, há várias edições). O objetivo de Lula é trocar seis por meia dúzia. Sarney e Renan conversaram, longamente, ontem.

Renan conta hoje com o voto favorável de 46 dos 81 senadores. Para facilitar o arquivamento do pedido de cassação, Renan já concordou em renunciar à presidência do Senado. Só não gostaria de fazer isto antes da votação no plenário. Renan já sabe que sua casa caiu há muito tempo. Só não quer demonstrar isto politicamente. Embora pareça um cadáver politicamente insepulto, Renan é um arquivo muito vivo. Por isso, continua fazendo ameaças, nos submundo do Congresso, a vários senadores a quem cobra o salvador voto secreto na semana que vem.

O objetivo principal de Renan é garantir a preservação de seu mandato. Nem pensa em ficar sem direitos políticos por oito anos. Absolvido, Renan promete se comportar como um “simples senador”, Depois, Renan dará uma sumida do mapa. A intenção é manter o espaço político, além de reduzir a pressão produzida pelo acúmulo de denúncias. Renan é acusado de ter despesas pessoais pagas por lobista de empreiteira e de usar laranjas para adquirir empresas de comunicação.

O caso Renan será definido em votação secreta, na terça ou quarta-feira que vem. O que ocorreu ontem no Senado foi um teatro armado. Na votação aberta, Renan foi derrotado por 11 a 4 no Conselho de Ética. Os três senadores do PT no conselho votaram contra ele. Na Comissão de Constituição e Justiça, também em voto aberto, a derrota programada foi maior: 20 a 1. No voto secreto, semana que vem, os senadores não devem repetir o gesto de ontem para a galera. Apesar disso, Renan e sua tropa de choque cobram fidelidade do partido do presidente Lula. O senador Gilvan Borges (PMDB-AP) deixou claro ontem: "O PT tem que responder com lealdade".

Ou seja... Cerveja...

Também ontem, o Conselho de Ética da Câmara iniciou o processo de cassação do irmão de Renan.

Mas a tentativa de detonar o deputado Olavo Calheiros (PMDB-AL) já começou cheia de suspeição.

O relator do caso, deputado Sandes Júnior (PP-GO), recebeu na campanha eleitoral R$ 50 mil da Schincariol.

O conselho investiga, justamente, a relação perigosa da família Calheiros com a cervejaria.

Revolta das Legiões II

O Alto Comando do Exército não ficou fulo da vida com o desgoverno Lula apenas por causa do livrinho "Direito à memória e à verdade", organizado pela Secretaria Nacional de Direitos Humanos.

Os generais estão na bronca com as armações em curso no Planalto para a desnacionalização de Itaipu da usina hidrelétrica de Itaipu binacional.

O explosivo tema foi pauta da mais recente reunião dos comandantes de quatro estrelas – muitos deles abertamente insatisfeitos com a ação da estrela petista em assuntos que mexem com a soberania nacional.

Guerra, Sombra e piada Fresca

O ataque dos piadistas de plantão no Ministério da Defesa não pára.

A mais recente galhofa compara o "genérico" Jobim, posando com a farda camuflada do EB, com o lendário e trapalhão Sargento Schultz, do filme "Guerra, Sombra e Água Fresca".

O corpulento militar da ficção era um sargentão do exército nazista que era vítima das chacotas dos presos em um campo de concentração.

Em tempo: o uniforme de campanha (presidencial) do ministro, para parada deste 7 de setembro, deverá ser o terno.

Pensando bem...

Um leitor chama atenção que o “homenageado” está mais para CORONEL KLING.

Além de trapalhão, o milico era metido a esperto e a bom com seus subalternos e prisioneiros.

E o mesmo leitor lembra que “nazistas” todos são mesmos – os patetas do seriado e os do filme atual a que ninguém está gostando de assistir.

Batalha do grampo

O direito de grampear o telefone dos outros virou motivo de briguinha intestina no desgoverno Lula.

O novo diretor-geral da Polícia Federal, o delegado Luiz Fernando Corrêa, avisou ontem que é contrário à idéia de a Abin (Agência Brasileira de Inteligência) ser autorizada a fazer escutas telefônicas.

A arapongagem é defendida pelo delegado Paulo Lacerda, antecessor de Corrêa na PF, e que agora vai comandar a Abin.

Abram a caixa preta

Os fabricantes de “laranjas” já estão operando em ritmo frenético, a todo vapor.

Tudo porque a Comissão de Valores Mobiliários determinou ontem que todas as companhias abertas terão que revelar os nomes de seus controladores e principais sócios.

A CVM também divulga em 15 dias a regra para atuação destas empresas nas bolsas como empresas abertas.

Quadrilha na Infraero

Em depoimento à CPI do Apagão Aéreo, Sérgio Gaudenzi, presidente da Infraero, admitiu que “uma quadrilha pode estar atuando dentro da estatal” que administra os aeroportos brasileiros.

Sérgio Gaudenzi indicou a possibilidade de superfaturamento de 10% em obras nos aeroportos – conforme indícios do Tribunal de Contas da União.

Mas alegou que o afastamento de funcionários suspeitos de envolvimento nessas fraudes depende de relatório da Controladoria Geral da União.

A ONU te ferrou, Lula

As Nações Unidas acabam de detonar o desempenho da gestão econômica do governo Lula.

Um relatório da ONU destaca que o resultado da política monetária brasileira é "decepcionante".
Os custos são "insustentáveis para a economia real" e a especulação do real só tende a crescer.

Previsões sombrias

"Uma crise maior no cenário internacional ainda pode ser esperada, levando moedas a situações insustentáveis".

Foi o que destacou Heiser Flassbeck, autor do relatório da Conferência das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Unctad) e ex-vice-ministro de Finanças da Alemanha.

Para Flassbeck, os países emergentes estão mais bem preparados para enfrentar esse cenário, já que muitos conseguiram sair da situação de dependência de capital externo.

Flassbeck advertiu que a reação padrão dos emergentes não deverá ser acompanhada pelo Brasil.

O tarado do mosquito da Dengue também

A proliferação da dengue no Brasil preocupa a Organização Mundial da Saúde.

A OMS alerta que o problema não será solucionado se não houver profunda mudança na infra-estrutura sanitária das grandes cidades do País e teme que o atual surto possa superar o de 2002, ano em que o Brasil teve recorde de casos.

De janeiro a julho houve 438.949 contaminações, 45,12% mais em relação ao mesmo período de 2006.

Claro, a culpa é do mosquito, que é um maníaco sexual, e se reproduz sem parar, prejudicando o excelente trabalho de nossos burocratas do setor de saúde pública na prevenção à Dengue.

Thank´s, FHC

A norte-americana de biotecnologia Monsanto vai investir US$ 28 milhões no Brasil para pesquisar semente transgênica específica para soja da América do Sul.

O presidente da Monsanto, Alfonso Alba, ressalta que a opção pelo Brasil se deve ao cumprimento das leis de propriedade intelectual.

Tudo devidamente elaborado na gestão do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso – quem a Oligarquia Financeira Transnacional (que manda no mundo) será eternamente grata.

O retorno do famoso ex-genro

O ex-genro de FHC e ex-diretor da Agência Nacional de Petróleo volta com a corda toda ao mercado de energia.

Membro do grupo “Reconstrução do Partido Comunista” (de Luiz Carlos Prestes) na juventude, Mr David Zylbersztajn – que hoje é um camarada blogueiro, igualzinho a José Dirceu – vai comandar as operações da Companhia Vale do Rio Doce no setor de exploração de gás natural.

A Vale vai disputar os blocos exploratórios com as companhias petrolíferas nos próximos leilões da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

A Vale é um dos maiores consumidores de energia do Brasil, sendo responsável por 4,5% do consumo empresarial de energia elétrica, 4% do gás natural, 20% do óleo combustível e 3% do diesel no País.

Outra batalha da Vale

Se perder a batalha que trava contra decisão do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) e tiver de cumpri-la, a Companhia Vale do Rio Doce optará pelo fim de seu direito de preferência na compra do excedente de minério de ferro da Casa de Pedra, mina da Companhia Siderúrgica Nacional.

O Cade decidiu, em agosto de 2005, que a Vale deveria escolher entre o fim do direito de preferência na mina da CSN ou vender a Ferteco, após julgar a compra de oito mineradoras pela Vale.

O objetivo foi evitar a formação de um monopólio no setor de minério de ferro.

A Vale recorreu à Justiça e não cumpriu a decisão.

A Vale já avisou ao Cade que pretende manter a propriedade da Ferteco, mineradora que adquiriu em 2001.

Problema do problema

O governador Sérgio Cabral Filho reclamou ontem que “estão fazendo alianças que lhe causam problemas”.

O recado foi direto para a família Garotinho.

Cabral e seus aliados petistas temem uma aproximação entre o DEM de Cesar Maia e a banda peemedebista leal ao ex-governador Antony Garotinho.

Usura conservadora

O Comitê de Política Monetária (Copom) decidiu, por unanimidade, reduzir o ritmo de queda da taxa básica de juros (Selic) de 0,5 para 0,25 ponto percentual.

A última decisão unânime do comitê foi em março deste ano.

Com o corte, a Selic caiu para 11,25% ao ano.

Este foi o menor percentual desde que a taxa foi criada, em 1995.

TV Brasil com o PMDB?

O economista Luiz Gonzaga Belluzzo presidirá o conselho curador da rede pública de TV que o governo lançará em setembro.

Mesmo atuando com um conselheiro informal de Lula, igualzinho a Delfim Netto, Beluzzo ainda não tinha aceitado nenhum cargo em seu governo.

Belluzzo, faz parte do conselho editorial e é colunista da revista Carta Capital.

Foi secretário do Ministério do Planejamento do governo Sarney e secretário de cultura e tecnologia de São Paulo na gestão Quércia, além de ter sido assessor econômico do PMDB.

Quem vai pagar?

Os empresários Nelson Tanune Filho e Flávio Martinez pretendem encerrar hoje a complicada negociação das dívidas entre ambos para que a TVJB continue no ar.

A Companhia Brasileira de Multimídia, que arrendou a CNT, alega que tem dívidas a receber.

O dono da CNT alega a mesma coisa.

Rádio Zona

O Ministério da Cultura acaba de liderar R$ 180 mil para a Associação das Prostitutas da Bahia, que possibilitou a entrada no ar do site Rádio Zona ( www.radiozona.org.br ).

Com programação diversificada, o site prioriza o universo das prostitutas e, de quebra, dos garotos de programa também.

"Zona" é uma expressão usada, há muitos e muitos anos, para identificar as áreas onde se localizam casas de atuação de prostitutas.

E tinha gente pensando que Zona era algum órgão do governo do crime organizado no Brasil...

Record News

Se Deus abençoar abundantemente, o canal de jornalismo 24 horas da Record, nos moldes da Globo News, estréia dia 27.

A Record anuncia investimentos de US$ 7 milhões no negócio.

A nova emissora será uma vitrine estratégica para a política de seus controladores contra as Organizações Globo, em busca da hegemonia no mercado de televisão.

Que Deus nos ouça

A Record News contará com uma redação de 1000 m², em uma news room com 60 posições e um estúdio para gravações.

Deus queria que a Record News também tenha jornalismo, “abundantemente”.

O Reino de Deus vai ficar eternamente grato e muito bem gratificado, com certeza.

Até sempre, Pavaroti

Morreu na madrugada desta quinta-feira, em Modena, na Itália, o tenor italiano Luciano Pavarotti.

Foi decorrência de um câncer no pâncreas.

O tenor, de 71 anos, havia sofrido uma cirurgia para retirada de um tumor no órgão, em julho do ano passado.

Vida que segue...

Fiquem com Deus!

O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Inteligente, inovador, fortemente analítico e propositivo, utilizando as mais modernas tecnologias para transmissão instantânea e eletrônica de informação privilegiada e análise estratégica, junto com a difusão de novos conhecimentos voltados para a construção e consolidação de novos valores humanos.

5 comentários:

Anônimo disse...

QUE NADA MEU CARO.

O SARGENTO SCHULTZ ERA SÓ ATRAPALHADO, MAS DE BOA ÍNDOLE..

NA COMPARAÇÃO, SOU MUITO MAIS "a" CORONEL KLING....

ESSE SIM, ALÉM TRAPALHÃO AINDA METIDO A EXPERTEZA E A BOM COM OS SEUS SUB-ALTERNOS E PRISIONEIROS...

E NAZISTAS, ISSO ELES SÃO TODOS MESMOS, OS DO SERIADO E OS DA SÉRIE ATUAL...

NELIOJS


A mais recente galhofa compara o "genérico" Jobim, posando com a farda camuflada do EB, com o lendário e trapalhão Sargento Schultz, do filme "Guerra, Sombra e Água Fresca".

Anônimo disse...

Jorge Serrão,

Bom dia!
É muito triste saber que a morte calou A VOZ e nos privará para sempre do MAGNÍFICO (não encontro palavras que façam jus a ele) LUCIANO PAVAROTTI!!

Em compensação... FIDEL CASTRO continua RESPIRANDO... para infelicidade de todo povo cubano, e alegria dos "socialistas" que vivem em todos os lugares do mundo, menos nos países de DITADURA comunista!!!

É PRÁ ACABAR!!!!

Anônimo disse...

Lula: O Pobre Metalúrgico Rico
Por Christina Fontenelle (*) 06/09/07

Esta semana a coluna do Cláudio Humberto falou sobre a nova casinha de veraneio do pobre presidente Lula no Guarujá (SP). Segundo declarou ao TSE, antes das eleições presidenciais do ano passado, o presidente possuía uma caminhonete, uma modesta chácara e um apartamento em construção no Guarujá (SP), cujas prestações ainda estariam sendo pagas. O presidente, à época, havia dobrado o seu patrimônio declarado, desde as eleições de 2002. O feito já era um pouco fantástico para uma pessoa que teria
vivido apenas de seu salário de presidente, mais a aposentadoria de anistiado (R$ 4 mil) e algumas aplicações.

O apartamento do Guarujá foi comprado através da cooperativa habitacional Bancoop, do Sindicato dos Bancários – na época em que o deputado federal Ricardo Berzoini presidia a entidade. Muitos petistas compraram apartamentos através dessa cooperativa. Num dos empreendimentos, por exemplo – o Torres da Mooca – possuem unidades Rogério Aurélio Pimentel, José Carlos Espinoza e Osvaldo Bargas. Os do caso VEDOIN-DOSSIÊ-DE ONDE VEIO O DINHEIRO? Os próprios. Estão sentindo falta de alguém? Pois é, olha ele aqui – é o Freud Godoy.

O ex-chefe da segurança de Lula, que trabalhava no Gabinete da Presidência da República, antes do escândalo do Dossiê, recebendo salário de R$ 6,3 mil por mês, possui, pelo menos, uns quatro apartamentos espalhados por São Paulo – mas não sei se são todos da Bancoop. A única coisa que eu sei é que a Polícia Federal chegou a descobrir que um pequeno apartamento de Freud Godoy teria sido alugado para o assassinado prefeito Celso Daniel. Não sei como anda o caso.

Voltando ao presidente, e de acordo com outra nota de Cláudio Humberto, Lula parece ter decidido comprar a nova casa, que fica num dos mais luxuosos condomínios do Guarujá, o Iporanga, depois de ter ido passar boa parte das férias do verão passado (já depois das eleições) na casa do ex-ministro da justiça Márcio Thomaz Bastos. Também possuem casa no Iporanga, a viúva do ex-ministro de FHC Sérgio Motta e Luiz Carlos Mendonça de Barros, ex-ministro de Fernando Henrique Cardoso.

Quem vai financiar o casebre? É a Bancoop outra vez – agora sofrendo acusações de fraude, de superfaturamento, de apropriação indébita e de formação de quadrilha (pobres trabalhadores atrás de justiça é o que não falta).
http://intra.pps.org.br/forum/topic.asp?TOPIC_ID=67

As casas do condomínio santista não custam menos do que R$ 2 milhões cada. Mas, para os paulistas, o lugar é considerado como sendo de classe média alta. Nesse caso, eu seria o quê? Pobre ou Muito Pobre? E o restante dos 80% do povo brasileiro? Estariam na classe dos Miseráveis ou dos “Cutuca esse cara e avisa que ele já morreu”?

Tem gente especulando sobre de onde teria vindo o dinheiro do presidente para comprar uma casa nesse valor, já que seus vencimentos não suportariam nem as prestações e nem eventualmente a possibilidade de que tenha acumulado reservas financeiras de tão grandes proporções. Já eu tenho outras curiosidades: como é que Lula vai fazer para conviver com gente para qual ele sempre disse que não gostava de governar? Será que vai conseguir sair de casa sem ser vaiado? E, ainda: por que é que o presidente não resolveu comprar uma casa nos lugares onde mora o povão que ele diz adorar e para o qual distribui bolsa-voto?

Fotos:
http://bp2.blogger.com/_U1biL2sgtH8/Rt-QiDpl1-I/AAAAAAAABZE/WJMsg88glSI/s1600-h/ZA.bmp
http://bp0.blogger.com/_U1biL2sgtH8/Rt-xYjpl2EI/AAAAAAAABZ0/-4jxvaK_TFc/s1600-h/zd.bmp
http://bp2.blogger.com/_U1biL2sgtH8/Rt-SvDpl2BI/AAAAAAAABZc/QIbdp2bfznw/s1600-h/zc.bmp
http://bp0.blogger.com/_U1biL2sgtH8/Rt-wCjpl2DI/AAAAAAAABZs/IDsCM3qELB4/s1600-h/zb.bmp

(*) BLOG/artigos: http://infomix-cf.blogspot.com/
BLOG/Série CAI O PANO: http://christina-fontenelle.blogspot.com/
BLOG/Nossa VOZ: http://infomix2.blogspot.com/
BLOG/CRISE AÉREA: http://acidentetam2007.blogspot.com/

Anônimo disse...

Luiz Inácio organiza polícia política para se garantir na Presidência – Parte I
Do Observatório de Inteligência, por Orion Alencastro, 31/08/07

A comunidade de inteligência dos países com significativo patrimônio econômico, financeiro e interesses de expansão no Brasil e na América Latina está atenta e presente no país para acompanhar a situação conjuntural e ensaiar cenários nos campos político e econômico.

Populismo gera desconfiança

O fato mais importante para a principal agência dos serviços secretos e que merece acurado acompanhamento refere-se às ações políticas deliberadamente estudadas e montadas para oferecer suporte às encenações pontuais populistas do presidente Luiz Inácio da Silva.

Elas sempre encontram ecos propositais em organizações e movimentos sociais, todos sensivelmente favoráveis aos ímpetos de insurgência ideológica, inclusive dando força no exterior a conhecidas organizações esquerdistas da América Latina.

Arriscadas ligações do PT

A parceria com movimentos sociais
é parte essencial no processo de
instauração do poder hegemônico.

Goebbels é a inspiração
para Tarso Genro na
busca do poder hegemônico.

As ligações do partido, cabeça de coligação em apoio ao presidente, são vistas com reservas face às relações ideológicas contaminadas pelas aspirações políticas radicais do Foro de São Paulo, um audacioso conluio de representações marxistas, revolucionárias, narco-traficantes e movimentos sociais, com relações ramificadas em movimentos terroristas do Oriente Médio, Ásia e Europa, cujos agentes circulam livremente pelo território nacional.

Fortuna do presidente seria conhecida

Os serviços de inteligência, em geral, compartilham da desconfiança gerada pelas denúncias de ministros, políticos e colaboradores do presidente Luiz Inácio da Silva no rumoroso caso da “quadrilha dos 40 do Palácio do Governo”, sob ação controladora de ex-Ministro da Casa Civil.

O sistema da área de inteligência fazendária dos países do G8 possui registros, classificados como ultra-secretos, devastadores contra governantes e ex-governantes da América Latina, capazes de provocar a queda de presidente ou levar ex-mandatários aos tribunais.

Livro suspeito e tendencioso

A notícia do lançamento do livro “Direito a Memória e à Verdade” pelo presidente da República do Brasil ocorrido na última quarta-feira no palácio do governo em Brasília suscita algumas suspeitas pela inoportunidade do documento. O livro já se encontra em poder de agências de inteligência e em análise. A principio, o texto é duvidoso e leviano pela índole político-ideológica dos inúmeros componentes da comissão encarregada da publicação e do staff presidencial.

A igreja católica não deverá emitir opinião sobre o documento publicado, a sua experiência brasileira no contágio ideológico foi um duro golpe que afastou seus fiéis durante décadas, fazendo-os migrar para outras confissões.

O alentado trabalho oferece dimensões de verdade que não corresponderiam aos dados historicamente conhecidos no sistema interamericano de segurança e em publicações não oficiais disponíveis em universidades e bibliotecas.

O livro é aguardado para ampla leitura na comunidade do Foro de São Paulo. O encontro do Partido dos Trabalhadores em São Paulo, nesse fim de semana, resultará em posturas afirmativas e disposição da agremiação partidária em buscar os caminhos da radicalização, de acordo com o processo gramscista, em apoio ao pequeno ditador que agora estrutura a sua Polícia Política para o governo hegemônico de regime socialista e expropriador tributário. (OI/Brasil acima de tudo)
http://brasilacimadetudo.lpchat.com/index.php?option=com_content&task=view&id=2975&Itemid=140
=======================================================================

Luiz Inácio organiza polícia política para se garantir na Presidência - Parte II
Do Observatório de Inteligência, por Orion Alencastro, Brasília, 02/09/07

Mídia estatal e polícia política: Franklin Martins trabalhando na surdina a montagem da mídia estatal que atuará em dueto com a polícia política.

A notícia da substituição de Márcio Paulo Buzanelli na direção-geral da Agência Brasileira de Inteligência por Paulo Lacerda, delegado de Polícia Federal, a partir de setembro, correu a web e chegou até Washington, confirmando o que já se aguardava há sessenta dias. Na ONU, onde o terrorismo e os conflitos marcam a pauta cotidiana, o fato foi devidamente observado e, na Casa Branca, aguardam-se do governo brasileiro as medidas que regulamentarão o combate ao terrorismo.

Inteligência aliada lamenta a perda de Mr.Buzanelli

O fato compõe o mosaico que está sendo montado na capital da República do Brasil na tentativa de se organizar uma camuflada polícia política. A baixa do profissional é considerada deplorável para os serviços de inteligência aliados, segundo comentários trocados informalmente via internet pelos colegas de serviços de inteligência em distintas regiões.

Mr.Buzanelli é reputado como um dos mais lúcidos estudiosos e experientes "homens de informação" no campo do terrorismo internacional, merecendo a simpatia e a consideração de privilegiadas cabeças pensantes de agências e centros de inteligência em todos os continentes.

Ignorância palaciana derrotou a inteligência

Márcio Paulo Buzanelli projetou reconhecido conceito da ABIN no exterior. Poderia ser aproveitado em organismo internacional.

A iniciativa do presidente da República do Brasil de substituir um profissional de larga experiência, incansáveis serviços e lealdade ao país por um policial federal terá como consequência inicial o rebaixamento imediato do conceito de confiabilidade da ABIN nos campos externo e interno.

A sociedade brasileira, até que se prove o contrário, correrá o risco de sofrer o desvirtuamento das funções de Estado da ABIN que, segundo transpirou em Brasília, assumirá um perfil mais para servir o presidente do país.

Isto corrobora a idéia de blindar, com antecedência, as nuvens negras em formação e graves cenários em confirmação como a corrupção que permeia o governo, o desperdício do dinheiro público, o conhecido patrimônio familiar dos Da Silva, o avanço da cobiça adversa internacional apoiada em agentes do governo, as facilitações às organizações terroristas e intimidades com as FARC, as ligações comprometedoras com movimentos radicais e o insistente conluio de ONG's com governantes para lograr a "guarda" das florestas e, futuramente, das fronteiras.

Polícia política, a grande evidência

Ameaçado pelo apagão, Luiz Inácio de-termina o ritual para a organização da polícia política, aguardando iluminação do poder pelas luzes do futuro sistema de comunicação estatal.

Vaidades pessoais, ambições inconfessas e ignorância de enfoque de estadista induziram o presidente brasileiro a recomendar alterações nos procedimentos, métodos e estrutura da ABIN . Esta, embora dirigida agora pelo competente delegado Paulo Lacerda, ensejará sérias suspeitas de que, para atender o presidente, o órgão estatal vai se dedicar às atividades de polícia política, mesmo a contragosto da maioria dos seus 2000 servidores de razoável preparo.

Aparelhamento da ABIN

Tarso Genro, Ministro da Justiça, encarna o espírito de Lavrenty Beria, chefe da NKVD de Stalin, enfeixando poderes da polícia política: ABIN, Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Secretaria Nacional de Segurança, Força Nacional de Segurança e link com a Polícia Fazendária do Ministério da Fazenda.

Na percepção de especialistas, há o receio de que será inevitável o aparelhamento político da ABIN, alimentando o já fragmentado espírito de corpo e as evidências de desvirtuamento da necessária nobreza nas suas missões de Estado.

Está aberta a possiblidade de um grupo de delegados e agentes federais virem a ser designados para diversas funções no âmbito da agência, principalmente servidores próximos ao partido político que lidera a coalizão de apoio ao presidente da República, a exemplo do novo titular da Polícia Federal.

Assim, estarão estabelecidas as facilidades para a discreta polícia política mirar pessoas e entidades que julgar adversas ao governante e ao próprio Governo, conforme a história do século passado registrou nos regimes stalinista, nazista e na Ilha Cárcere do Caribe. (OI/Brasil acima de tudo)
http://brasilacimadetudo.lpchat.com/index.php?option=com_content&task=view&id=2995&Itemid=140
========================================================================

Luiz Inácio organiza polícia política para se garantir na Presidência - Parte III
Do Observatório de Inteligência, por Orion Alencastro, Brasilia, 06/09/07

Sob a batuta do Beria brasileiro, está inaugurada a polícia política de Luiz Inácio.

A partir desta semana a Polícia Federal brasileira passou a ser dirigida pelo conceituado delegado Luiz Fernando Corrêa que, na qualidade de Secretário Nacional de Segurança Pública, se destacou como responsável pela garantia da tranqüilidade dos Jogos Pan-Americanos do Rio de Janeiro.

Com a instituição do “Manual de Planejamento Operacional”, deixado pelo seu antecessor delegado Paulo Lacerda que ocupará o comando da ABIN, procura-se conscientizar e disciplinar as ações de combate ao crime, aplicando com prudência os recursos humanos da PF, na crença de que a organização deva cumprir sua estatura de polícia de Estado, isenta de privilegiar a proteção aos interesses populistas e personalistas do Presidente da República.

Polícia Política, a nova missão velada

Diferenças e divergências entre Abin e PF já começaram.

A familiaridade do delegado Luiz Fernando Corrêa com lideranças do universo petista, inclusive com o ex-Ministro da Casa Civil, quadrilheiro sub-judice, em princípio, coloca-o em situação desconfortável, maximizada pelas declarações do seu superior e amigo Tarso Genro.

O ministro da Justiça declarou enfaticamente que a PF agora vai atuar sem pirotecnia e evitar a exposição pública dos que são presos. Quer dizer, atuará de acordo com a vontade do ministro Beria, enaltecendo o que for a favor do governante ou do governo e abafando o que for contra. A ordem velada é blindar a mais alta magistratura e periféricos da sua intimidade dos riscos potenciais de fatos incendiários do poder, complementando com o acompanhamento e a catalogação de cidadãos e instituições adversas.

Vulnerável Chefe do Poder

São ostensivamente conhecidas as ligações perigosas do exitoso homem de negócios, filho dileto do Chefe da Nação, as persistentes incursões silenciosas do mano Vavá e outras mazelas, como o fantasma do caso Celso Daniel e os braços além-mares com bancos e empresas mui amigos.

A nova estratégia da PF, até que transpareça o contrário, terá sem dúvida um viés de policia política para a blindagem e proteção do Presidente da República: a ordem é evitar os arranhões dos eventuais lapsos que o possam atingir perante a mídia ou na arena política.

Vaias acordaram o showman populista

Escapou à percepção de assessores próximos do cerimonial palaciano, da ABIN e do então Secretário Nacional de Segurança Pública encarregado da segurança dos jogos Pan-Americanos do Rio a possibilidade do Presidente da República ser vaiado durante a solenidade de abertura do evento.

Todos estavam convictos de uma apoteótica aparição do Chefe, desconsiderando o fato de que esporte amador não se mistura com política e de que o inconsciente coletivo resiste a continuar sendo enganado. O fato inibiu a pretendida saudação do Chefe da Nação, acalentada durante longos meses, deixou-o profundamente sem graça e taciturno, levando-o a insurgir-se contra seu staff institucional de apoio.

Esta e outras vaias de escape da indignação democrática culminaram nas transformações do aparato de inteligência e segurança do Governo para blindar o inconformado mandatário de tais vexames de repercussão internacional e evitar escorregões do pedestal populista.

Dia da Pátria, um oportuno teste

Luiz Inácio se prepara para novas vaias no 7 de setembro.
Talebã pode aparecer no desfile para abafar e intimidar os manifestantes contrários.

A partir do dia 7 de Setembro, o cerimonial, o Ministério da Comunicação Social de Franklin Martins e as áreas de segurança e inteligência procurarão pautar procedimentos de sutil rastreamento e projeção de cenários, próprios de polícia política, para estimar, neutralizar, dissuadir e oferecer alternativas para evitar episódios que levem ao desgaste da imagem do líder populista Luiz Inácio da Silva.

Risco de aparelhamento da Polícia Federal

É muito provável o aparelhamento da cúpula das Polícias Federal e Rodoviária, da Secretaria Nacional de Segurança. Faz parte da logística necessária da permissividade radical da esquerda, sempre canalizada por partidos e movimentos sociais oportunistas da democracia que, com apoio político e financeiro do próprio Governo, agridem a consciência política e social do país. (OI/Brasil acima de tudo)
http://brasilacimadetudo.lpchat.com/index.php?option=com_content&task=view&id=3023&Itemid=140

Anônimo disse...

Vulnerável Chefe do Poder


São ostensivamente conhecidas as ligações perigosas do exitoso homem de negócios, filho dileto do Chefe da Nação, as persistentes incursões silenciosas do mano Vavá e outras mazelas, como o fantasma do caso Celso Daniel e os braços além-mares com bancos e empresas mui amigos.


A nova estratégia da PF, até que transpareça o contrário, terá sem dúvida um viés de policia política para a blindagem e proteção do Presidente da República: a ordem é evitar os arranhões dos eventuais lapsos que o possam atingir perante a mídia ou na arena política.

Luiz Inácio se prepara para
novas vaias no 7 de setembro.
Talebã pode aparecer no des-
file para abafar e intimidar os
manifestantes contrários.

http://brasilacimadetudo.lpchat.com


... e o grande e iluminado Pavarotti, é quem morre

é justo isso?