terça-feira, 16 de outubro de 2007

Entreguismo na Era Lula: Perdas internacionais do Brasil até agosto já são 31% maiores que em 2006

Edição de Terça-feira do Alerta Total http://alertatotal.blogspot.com/

Breve, a Rádio Alerta Total no seu computador.

Adicione nosso blog e podcast a seus favoritos do Internet Explorer.

Por Jorge Serrão

Aprofundam-se as “perdas internacionais” do Brasil e dos brasileiros no desgoverno Lula, em favor da Oligarquia Financeira Transnacional que controla a economia mundial. Até agosto deste ano da graça de 2007 para os investidores e especuladores externos, US$ 11 bilhões e 300 milhões de dólares já deixaram o Brasil. Em 2006, foram US$ 13 bilhões 883 milhões de dólares remetidos ao exterior. A abertura de capital da Bolsa de Valores de São Paulo, iniciada ontem, vai aprofundar o processo de fuga de recursos produzidos aqui, graças à assimilação de um número cada vez maior de empresas brasileiras.

O valor remetido ao exterior pelas transnacionais este ano é 31% maior que o mandado para fora no mesmo período de 2006. No ano passado, as filiais brasileiras de grandes bancos foram os que mais remeteram recursos para seus sócios estrangeiros. O montante de US$ 1 bilhão 404 milhões de dólares representou 10,11% do total remetido para fora do País. As empresas de energia e gás remeteram US$ 1 bilhão 378 milhões de dólares. Já as montadoras de automóveis enviaram para suas matrizes lá fora US$ 1 bilhão 318 milhões de dólares.

O economista Adriano Benayon, em seu livro “Globalização versus Desenvolvimento”, ensina que tais remessas oficiais de lucros são apenas a ponta do iceberg. Benayon explica que o iceberg é o total de mais de uma dezena de modalidades de transferências praticadas pelas transnacionais. Essas são feitas por meio dos preços de exportação e de importação - que ninguém controla, muito menos as “autoridades”, dissuadidas até pela Organização Mundial do Comércio (OMC) - e através de despesas a título de “serviços”, em favor das matrizes e de empresas próprias ou coligadas no exterior.

Benayon critica que, apesar dos imensos prejuízos que causa ao Brasil, o capital estrangeiro tem tido total favorecimento do governo, pois sempre foi subsidiado e goza de tratamento fiscal privilegiado, situação acentuada com as isenções propiciadas pelo governo Lula do Imposto de Renda e da CPMF nas remessas ao exterior. Só em 2006, segundo dados do Banco Central, ingressaram no Brasil US$ 26 bilhões e 500 milhões de dólares.

Adriano Benayon ensina que a taxa de câmbio é favorável às remessas ao exterior, como ocorreu em 1998, quando não só o real estava valorizado, mas também já se prenunciava sua débâcle, manifestada plenamente em 1999. Sob os petistas, o real se revalorizou, o que facilita as grandes transferências oficiais, em contraste com 2002, quando o real chegou a cair a R$ 3,60 por dólar. Ontem, o dólar comercial voltou a ser negociado ontem abaixo de R$ 1,80 pelo segundo pregão consecutivo. Mas no final do dia, o dólar fechou com valorização de 0,44%, a R$ 1,815.

A remessa de lucros e dividendos das empresas transnacionais às suas matrizes nos quatro primeiros anos do governo Lula foi o triplo da registrada no segundo mandato de FHC (1999-2002). No primeiro mandato de Lula, de 2003 a 2006, a cada US$ 10 investidos no Brasil, US$ 6 foram enviados ao exterior. Nos quatro últimos anos da gestão FHC foram remetidos US$ 2 para cada US$ 10 que entraram no país. No primeiro mandato de FHC - entre 1995 e 1998 - foram remetidos US$ 2,5.

Tudo ficou fácil para as transnacionais graças à permissividade do Banco Central, desde a regulamentação das contas CC-5, no “governo” de FHC, a cuja política o desgoverno Lula deu continuidade – obedecendo aos seus controladores externos.

Farra do crédito

Aproveitando o momento favorável para os mercados emergentes, bancos estrangeiros como o Calyon, o BBVA e o ING estão ampliando as suas operações de crédito no Brasil.

Aqui a demanda por empréstimos tem crescido a um ritmo recorde.

É a chamada economia sustentava com os ovos na barriga da galinha, cujos juros serão cobrados mais tarde, a um custo elevado.

Entregando a bolsa

Ontem começou a reserva de ofertas para quem vai participar e controlar a nova Bovespa Holding.

A empresa será resultante da transformação da bolsa paulista em companhia aberta com ações listadas no mercado.

Um dos principais desafios será o aumento da base de investidores e a diversificação de suas atividades.

Viva o comunismo dos ingleses

A China vive um frenesi em sua bolsa de valores que cada vez mais parece insustentável. As ações chinesas aumentaram quase seis vezes em apenas dois anos.

Ontem quebraram mais um recorde, quando o índice de referência da Bolsa de Xangai rompeu pela primeira vez os 6.000 pontos.

De repente, a China ganhou um mercado acionário tão poderoso quanto sua economia, agora a terceira maior do mundo.

Quem comanda o frenético crescimento chinês é a City de Londres, principalmente sob a liderança do banco inglês HSBC.

O perigo

A corrida dos investidores para ações na China espalha temores de uma queda épica de mercado, como as que aconteceram quando bolhas estouraram nos Estados Unidos, Japão e Taiwan.

A questão é se uma queda excessiva das ações destruiria a classe de investidores que ainda está em desenvolvimento.

As bolsas chinesas são dominadas por 50 milhões de investidores individuais, responsáveis por cerca de 70% das negociações

Mudança de rumo

O presidente chinês defendeu uma mudança no padrão de crescimento do País.

O objetivo é tirar da China o rótulo de país poluidor, paraíso da pirataria e gerador de desigualdade.

Hu Jintao propôs também o diálogo com Taiwan, onde a economia é forte.

Missão quase impossível

O Palácio do Planalto precisará trabalhar duro no Senado se quiser aprovar a prorrogação da CPMF até 2011 e garantir cerca de R$ 40 bilhões de arrecadação no próximo ano.

Pelo menos 44 senadores disseram votar contra o chamado imposto do cheque da forma como foi aprovado recentemente na Câmara.

A enquete foi promovida pelo jornal Folha de S. Paulo.

Papo do Chefão

O poderoso Lula tentou ontem convencer os idiotas que a licença de Renan Calheiros da presidência do Senado não terá influência na votação da CPMF.

O presidente em exercício do Senado, Tião Viana (PT-AC), se reúne hoje com os líderes partidários, para tratar da tramitação da matéria.

O Chefão Lula está confiante na aprovação da CPMF, mas chantageia que as obras do Programa de Aceleração do Crescimento poderão atrasar se o imposto não for aprovado.

Só acontece na China...

Em seu discurso na abertura do 17º Congresso do Partido Comunista chinês, o presidente Hu Jintao reconheceu a necessidade de combater a corrupção e a burocracia.

O mandarim citou "órgãos governamentais fracos, extravagâncias e desperdício".

Nos últimos anos, 8.310 filiados ao PC foram punidos por suborno, embora o número de corruptos seja muito maior.

Ainda bem que essa coisa de partido cheio de comunistas corruptos só acontece na China...

Comemorando

Em setembro, o total de empregos formais na economia do Brasil foi o melhor desde 1992.

O número de vagas com carteira assinada voltou a ser recorde: 251.168.

No acumulado do ano, chega a 1,6 milhão, segundo o Ministério do Trabalho.

Dados do IBGE mostram forte crescimento do emprego na indústria.


O Bem Avaliado

A avaliação do governo Lula da Silva recuou entre junho e outubro.

Mas a popularidade de Lula permanece elevada.

Os petistas respiram aliviados.

Os números

A pesquisa divulgada pela Confederação Nacional do Transporte (CNT) mostra que a avaliação positiva do governo passou para 46,5 por cento em outubro, ante 47,5 por cento em junho, data do levantamento anterior.

A percepção negativa passou de 14 por cento para 16,5 por cento neste mês.

Já o desempenho pessoal do presidente Lula foi aprovado por 61,2 por cento dos entrevistados, ante 64 por cento em junho.

O desempenho se encaixa na margem de erro da pesquisa, de 3 pontos percentuais.

Só não marcou a data

Renan Calheiros decidiu que vai renunciar ao cargo de presidente do Senado, do qual se licenciou cercado de denúncias.

Assim Renan espera preservar seu mandato de senador.

O garanhão alagoano só não estabeleceu a data do anúncio oficial da saideira.

Renan analisa cuidadosamente os prós e contra de uma renúncia imediata ao cargo, antes mesmo do término de sua licença de 45 dias, dentro de uma negociação para evitar um processo de cassação.

Pega Renan

O presidente licenciado do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), terá de responder a uma nova representação no Conselho de Ética.

Na quinta denúncia, Renan é acusado de ter usado um servidor da Casa, o ex-assessor da Presidência Francisco Escórcio, conhecido por Chiquinho, para espionar a vida dos senadores Demóstenes Torres (DEM) e Marconi Perillo (PSDB).

O presidente interino Senado, Tião Viana, esclareceu que a Mesa se limitou a examinar o pedido dos partidos, sem entrar no mérito da acusação.

Guerra da Seca

O Exército suspendeu o abastecimento de água às vítimas da seca em oito Estados (CE, BA, MG, PE, PI, PB, RN e TO).

O motivo alegado pelo Exército para interromper ontem o programa de carros-pipa é a falta de repasses pelo Ministério da Integração Nacional, responsável pelos recursos.

A burrocracia prejudica milhares de moradores de 387 municípios do semi-árido do país que já tiveram decretada situação de emergência justamente por causa da falta de chuvas.

Jobim em campanha

No quarto dia de sua Aventura na Amazônia, o genérico de quatro estrelas Nelson Jobim criticou a falta de profissionais de saúde na região.

Em Palmeiras do Javari, no sudoeste do Amazonas, Jobim voltou a demonstrar não ter medo de enfrentar polêmicas ao defender que os estudantes de Medicina e Enfermagem de universidades federais sejam obrigados a prestar serviço militar.

Segundo Jobim, concluídos os cursos, isso seria uma forma de pagarem seus estudos, recompensando o Estado.

Jobim avalia que a falta de pessoal crônica na região poderia ser suprida com a mão-de-obra das universidades públicas.

Pensão militar

A possibilidade de haver reajuste de soldo diferenciado entre atividade militar fim e pensionistas causou muita preocupação entre as esposas de militares, que, antes mesmo da oficialização, já se mobilizam contra a proposta.

A presidente da Unemfa (União Nacional de Esposas de Militares das Forças Armadas), Ivone Luzardo, lembrou que a mulher quando se casa com um militar perde sua identidade.

Por isso, merece o reajuste tanto quanto quem é da atividade-fim.

Tropa de Elite

O diretor do filme Tropa de Elite, José Padilha, prestou ontem depoimento ao encarregado do Inquérito Polícia Militar (IPM) que investiga a participação de policiais militares nas filmagens do longa metragem.

Segundo a Corregedoria da Polícia Militar, Padilha depôs na condição de testemunha e o local da audição não foi divulgado.

Padilha não comentará o depoimento por orientação de seus advogados.

Mudança de rota

Na semana passada, Padilha divulgou nota informando que iria "seguir a orientação dada pelo governador do Estado do Rio, Sérgio Cabral, de ignorar a intimação por considerá-la uma inibição despropositada".

O capital da PM Rodrigo Pimentel, um dos autores do livro Elite da Tropa, que inspirou o filme, também foi intimado a depor.

Pimentel está em Recife e não foi localizado para informar se comparecerá à Corregedoria da PM.

Blindagem

Um grupo de bancos norte-americanos, entre eles Citigroup, Bank of América e JP Morgan, anunciou ontem a criação de um fundo de cerca de US$ 100 bilhões para cobrir estragos da crise do mercado imobiliário dos EUA.

O dinheiro será usado para comprar papéis de curto prazo de fundos que não conseguem compradores e correm o risco de quebrar.

A criação do superfundo está sendo coordenada pelo Tesouro americano.

Petróleo dispara

A alta do petróleo, que ontem bateu mais um recorde histórico.

Atingiu US$ 86,13 o barril na bolsa nova-iorquina, esquentou as discussões sobre a possibilidade de reajuste nos preços dos combustíveis no mercado interno.

A baixa cotação do dólar permite à Petrobrás segurar os preços da gasolina, por enquanto.

O fator câmbio compensou parte das perdas da Petrobras registradas com a valorização do petróleo.

Se beber, não governe

O governo do Rio mandará para a Alerj projeto de lei proibindo a venda de bebidas alcoólicas nas rodovias estaduais.

Cabral se inspira na medida provisória que será editada pelo governo federal proibindo a venda de bebida nas rodovias federais e restringindo o horário de propaganda no rádio e na televisão.

A imprudência e o excesso de velocidade custaram ao Rio, no ano passado, R$ 197 milhões, gastos com 7.482 acidentes, segundo o DER.

Mortes nas estradas

Em todo o país, foram registradas 92 mortes nas rodovias federais no feriado.

Foram 23 vítimas por dia, considerando apenas os mortos no local dos 1.592 acidentes.

A Polícia Rodoviária Federal estima que 80% dos acidentes tenham como causa principal a imprudência dos motoristas.

Vida que segue...

Fiquem com Deus!

O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Inteligente, inovador, fortemente analítico e propositivo, utilizando as mais modernas tecnologias para transmissão instantânea e eletrônica de informação privilegiada e análise estratégica, junto com a difusão de novos conhecimentos voltados para a construção e consolidação de novos valores humanos.

3 comentários:

Anônimo disse...

Acorda Brasil!!!!!!

http://br.youtube.com/watch?v=WxHcSMajJYY

Anônimo disse...

Venezuela admite possível guerra contra o Brasil
Venezuela e Bolívia se armam contra o Brasil!

http://www.defesanet.com.br/al1/ven_arms_6.htm


Censura contra sites que divulgam matérias sobre a segurança nacional?

Site defesanet fora do ar.

http://www.defesanet.com.br


Para quem quer ler a matéria completa, consulte aqui e rápido, antes que também tirem do ar.

http://resistensanleo.blogspot.com/2007/10/se-ve-venir-un-conflicto-con-brasil.html

Anônimo disse...

Jorge,

Não sei se é em nível nacional, mais aqui no RS há um merdamoto do PC do B, várias vezes ao dia, ancorado pela gloriosa dep. Manuela e mais 3 idiotas de onde a tese de Einstein fica mais uma vez comprovada, de que o infinito e a boçalidade humana não tem limites.