sábado, 27 de outubro de 2007

Poder e Liberdade

Edição de Artigos de Sábado do Alerta Total http://alertatotal.blogspot.com

Por Arlindo Montenegro

Não é possível discutir racionalmente com alguém que prefere matar-nos a ser convencido pelos nossos argumentos.” (Karl Popper)

A afirmação acima, retrata o clima que impera quando os conservadores do Brasil ousam discutir os atos dos poderosos que esculhambam aceleradamente com este país e enganam de modo insidioso os nacionais.

Para que o estado de direito funcione é necessário que a justiça funcione e que as liberdades sejam respeitadas. Ao estado de direito, cabe o aperfeiçoamento continuado da gerencia geral, com mínimos poderes, porque qualquer poder concentrado ou ampliado, tende a limitar as liberdades e penalizar os cidadãos com práticas terríveis, como os altos e crescentes impostos, tipo CPMF.

Durante as ditaduras militares que conhecemos no século passado - e a que o Chavez implanta na Venezuela -, o poder totalitário, concentrado num só partido, acaba em matança, tortura, prisão e fuga em massa de cidadãos.

As conseqüências são funestas e as feridas perduram. Os documentos mostram a ação criminosa das ditaduras totalitárias pelo mundo afora. Comparando com os nossos ditadores, lembrados exclusivamente pelos “excessos” cometidos durante os anos de guerra suja, os nossos militares foram, no mínimo, extremamente honestos, cautelosos e mais tolerantes que outros deste hemisfério, que promoveram contra revoluções mais severas e ferozes até, em estados de população menor que a nossa.

O que estamos vivendo hoje no Brasil, em termos de corrupção e guerra civil não declarada, as dezenas de milhares de mortes anuais nas favelas, nas periferias, nos grandes centros urbanos e aquelas decorrentes dos movimentos da Via Campesina e MST, financiados pelos cofres públicos, excedem sim “o terrorismo do passado” e indicam que nos conduzem firmemente no caminho de uma nova ditadura. Desta vez, sem estudantes nas ruas, nem grandes manifestações para exigir mudanças contra a revolução socializante.

Os governantes estão descaradamente amealhando grandes fortunas e distribuindo algumas migalhas aos famintos, aqueles que por motivos regionais, educacionais, profissionais, não partilham dos benefícios que a globalização da economia concentra nas mãos de uns poucos, ampliando o fosso entre ricos e pobres, semelhante ao fosso entre nações ricas e nações pobres. Globalização abraçada pelo governo populista, que privilegia os conglomerados financeiros para atrair o capital dos ricos e pagar grandes lucros aos investidores, lucros obtidos com o trabalho árduo dos nacionais. Globalização que sucateia empresas, aluga e vende parte do território para a exploração desmedida das riquezas minerais, fauna e flora.

A cada dia são inaugurados novos grandes projetos como o do biodiesel e grandes áreas são devastadas, obstruindo fontes de água potável, onde os viventes norte/nordestinos amargam a pior das secas, 500 metros acima de um lençol freático que poderia transformar o deserto em oásis... mas os poços que os políticos cavam não ultrapassam o lençol superficial, onde a água é salgada e imprópria...mas em meio aquele deserto, existem hotéis com muita água e verdura para hospedagem de quem pode pagar... existem piscinas imensas e muita água de coco para os visitantes.

A transição da era de governos militares para o pleno estado de direito, parece atravancada, travada por sentimentos de culpa não resolvidos, que conservam e alimentam o ódio natural dos coletivistas contra os individualistas, isto é, dos socialistas contra os conservadores, sentimento dispersivo que deixa campo aberto para a violência, para o caos e proliferação de crimes continuados, tanto os de responsabilidade dos poderosos acima das leis, quanto dos “humanos” narcotraficantes e suas guerrilhas criminosas contra a população indefesa, abestalhada, que em nome de pretensos e distorcidos “direitos humanos”, é convidada a desarmar-se embora não conte com a segurança que o estado deveria prover.

Financiamos a burocracia de assaltantes, pagando residências luxuosas, viagens, escritórios, assessores, alimentação, vestuário, barbeiro, manicure, massagens, telefone, transporte, serviços gráficos, correio, isto tudo deixando livres os altos e crescentes salários. Pagamos mais: obras superfaturadas, ongs locais e internacionais que não prestam contas, propinas a partidos e pessoas físicas encasteladas no poder, financiamento ilegal de campanhas eleitoreiras com utilização de máquinas sob suspeição, financiamento de bilhões de dólares para outros países, como para a construção de um metro em Caracas, em detrimento dos metrôs inconclusos e rodovias esburacadas que supliciam os profissionais do transporte público e privado.
Financiamos mais e obrigatoriamente: a decoração de apartamentos dos congressistas, banheiras de hidromassagem, cartões de crédito ilimitado, viagens internacionais, notas fiscais frias... corrupção institucionalizada, em todos os níveis desde o município mais pobre aos corredores dos palácios de Brasilia.

E recebemos de volta a propaganda enganosa que vem pela televisão e pelo rádio, falando do mundo que só existe nas mentes revolucionárias, as maravilhas e promessas não realizadas, ou seja, a hipnose do estelionato oficial, paga pelos contribuintes para promover os “salvadores”.
A realidade complica-se a cada dia na ótica do cidadão comum bombardeado por modismos dispersivos e notícias que identificam a ladroagem e promessas alardeadas como providências tomadas, mas nunca efetivadas ou no mínimo distorcidas e mudadas nos meandros burocráticos, do mesmo modo como um certo sr. Ministro mudou indevidamente o próprio texto constitucional em sua origem. E ficou por isto mesmo!

A liberdade que esteve ausente durante os anos de ditadura militar, nos momentos de guerra em que o poder concentrado mostrou-se severo em defesa da manutenção de princípios e valores necessários à implantação do estado de direito, está ameaçada e encurralada pela ação e discurso dos que pretendem multiplicar a miséria e concentrar mais poder.

A liberdade trocada em miúdos: aquela de certeza do emprego digno, da informação lastreada em fatos verdadeiros, a liberdade de viver em segurança sem medo de assaltos ou balas perdidas, a liberdade de pensar no futuro, a liberdade de fazer escolhas e construir a própria vida, amar e ser amado mesmo por quem seja da outra religião ou da outra opinião ou do outro time de futebol... mas reconhecido antes de tudo como gente, ser humano...

Os conservadores, os que antes defendiam a civilização ocidental cristã agora parecem não querer assumir responsabilidades, parecem não querer arriscar-se em defesa de valores éticos e cidadania consciente.

Os demolidores, que por um instante pareciam ter fracassado, dominam a paisagem, atacando sistematicamente a cultura, a família, desorganizando o estado, o aparato jurídico, as forças armadas, avançando no proselitismo ideológico. Os conservadores, aqueles que não acreditam na falácia de mudar o mundo com a violência revolucionária se acovardam na tarefa, missão cidadã, responsabilidade de lutar para impedir a bestialidade humana.

Parece haver temor diante da gritaria ideológica dos que destroem sistematicamente os valores, para implantar à força, uma sociedade que dizem ser plural e tolerante, mas que, verdadeiramente, produz carradas de idiotizados, de gente que age como mane gostoso.
Não é apenas uma crise passageira. É a omissão diante dos valores da civilização cristã diante de uma encruzilhada, quando a responsabilidade social se deveria traduzir em disseminar os ideais conservadores, os valores que fortalecem um sociedade livre.

A coisa da ideologia socialista na escola é crime! A doutrinação política distancia filhos de pais, das religiões e abre caminho para comportamentos aéticos, amorais, desrespeito, desprezo às instituições, provocando comportamentos imediatistas, que acabam em violência contra a pessoa. Esta doutrinação parece mais um catecismo sem os valores morais, sem os freios da fé. A família, o civismo, a religião, as liberdades individuais são desprezadas. Formam-se pessoas facilmente manipuláveis e bestializadas.

O que é sério é a passividade dos conservadores, das instituições religiosas, dos formadores de opinião conscientes, “plurais” e “tolerantes”, incapazes de agir para criar uma alternativa congruente, evolutiva, na construção de uma sociedade de direito, livre e soberana.

A revolução socialista está nas ruas, nas escolas, nas fábricas, nos quartéis... mas é proibido ver e comentar. É urgente pensar e agir... em nome de Deus!

Arlindo Montenegro é Apicultor.

3 comentários:

Anônimo disse...

GOSTARIA A SUA OPINIÃOSOBRE OS TEMAS ABAIXO LISTADOS

1. Fim da divida com FMI e outros organismos internacionais
2. Fortalecimento das relações dos países da America Latina, do MERCOSUL em detrimento da ALCA.
3.Crescimento recordes de empregos formais
4. Queda dos juros, gradativos, mes a mes.
5. Aumento recordes da exportação de produtos brasileiros
6. Aumento do salário minimo acima da inflação
7. Autosuficiencia em petroleo e desenvolvimento do biodiesel
Obs.Na bacia de Santos que se estende por Vitoria ES e tambem no Nordeste novas fontes de exploração, com produção previstas bem superior a Bacia de Campos
está a caminho, o que pode valorizar ainda mais as suas ações,méritos do gerenciamento da PETROBRAS(Gabrielli)
8. Inflação controlada e preços estabilizados de produtos básicos e de moradia.
9. Bolsa Familia(vai dizer que é populismo,hehehe e quando tinha o nome de Vale Gas+vale Leite+vale educação, vale tudo do periodo FHC)
10. A grande popularidade do nosso Presidente(62%) capaz de um terceiro mandato pela força do povo. Como brasileira é muito bom apresentar essa imagem positiva de nosso País produto de um grande mandatário.

BRAGA disse...

Gostaria de saber se vivemos no mesmo país, sr. Jerônimo. Quandos os salários ficam “congelados”, qualquer inflação repesenta perda.
O aumento do s.m. acima da inflação até acho justo, porém os pensionistas,(desvinculados do s.m. pelo fdp do FHC e mantido pelo Lula)estão sifuuu, com achatamento salarial. Solicito ao nobre companheiro, que não aja como APEDEUTA. Informe-se melhor!
Desde 1989 votei no Lula e no PT até 2002. No poder, vocês mostraram a “cara”. Não passam de burgueses traidores ávidos por $$$.
Criticam (quando fora do poder) o que adoram! Ou não?
Estamos diante do favorecimento de capitais estrangeiros especulativos e, remessas de lucros para o exterior jamais vistos, tal o montante!
Os setores vitais entregues a grupos estrangeiros (espanhóis, principalmente). As esmolas oficiais, o maior crime contra os pobres. Educação pública de qualidade PARA TODOS, nem pensar! Com os salários pagos a professores do ensino fundamental, o que se pode esperar?
Os companheiros que tanto criticaram a concentração de renda, estão fazendo o contrário. As empresas nacionais estão indo “pro cacete”. O trabalhador, qualquer cidadão que trabalha, ganha migalhas, enquanto a turma do PT (partido de traidores)foge do trabalho e adora criticar, sem apresentar soluções.
Moral e ética que nunca foram o “forte” nesse país, na era Lula foram para a “vala”.
Acorda cidadão brasileiro senão será tarde quando você “acordar”.
Parabéns ao sr Arlindo.
Braga

Anônimo disse...

jERÔNIMO



VOCÊ ANDOU TOMANDO ÁGUA DE PENICO?

VAI SE TRATAR, Ô PESTILÓIDE
(PETISTA-DEBILÓIDE)