quinta-feira, 11 de outubro de 2007

Veloso e Calheiros: algo mais em comum

Edição de Artigos de Quinta-feira do Alerta Total http://alertatotal.blogspot.com

Por Rebecca Santoro

Essa gente é completamente "lunática", sem a menor noção de realidade... A (sei lá o quê) Mônica Veloso abandona entrevista que estava concedendo ao jornalista Roberto Cabrini, da TV Bandeirantes: "Cabrini, você tá pegando muito pesado!", disse Mônica, enquanto retirava o microfone de lapela que estava preso à sua roupa. O jornalista ainda tentou esboçar um "deixa disso", mas foi em vão - fim de papo...

A senhora, que deve estar sendo assessorada por gente da revista Playboy - na qual Mônica é justamente a capa do mês - para cumprir aquela maratona de entrevistas que dá divulgação ao trabalho e, é claro, para vender o maior número possível de exemplares. A gente percebe que a maquiagem que Veloso trás no rosto é coisa de profissional - profissional, no caso, é quem está fazendo a maquiagem da moça...

Por acaso a senhora Mônica, que inclusive é formada em Jornalismo, não conhece o "estilo" Cabrini de entrevistar? O que a dona Veloso esperava? Perguntas sobre sua carreira jornalística? É claro que o Cabrini iria fazer as perguntas que fez - nesse caso, ele está certíssimo. Tudo bem, ele poderia ter começado com o "papo de cerca - Lourenço", fazendo as perguntinhas de praxe do tipo: "Você teve problemas de timidez para pousar nua?". E a senhora responderia: "Tive sim, mas, depois, o pessoal da revista foi me descontraindo - eles são profissionais incríveis... blá, blá, blá". "Qual foi a reação de seus familiares?"... E assim por diante.

Mas, não. Mostrando perfeita coerência com seu estilo de trabalho, Cabrini foi direto ao ponto: "Se a senhora (que todos sabemos ser formada em jornalismo) fosse entrevistar, hoje, a amante do presidente do Congresso Nacional, que pergunta faria?" Retirando, instantaneamente, o sorriso que sustentava no rosto, Mônica respondeu: "Não faria nenhuma pergunta". Cabrini: "Por que?". Mônica: "Porque eu não tenho nenhum intuito de entrevistar a amante do CN ou a amante de quem quer que seja".

Ora, por que é que a moça acha que foi parar na Playboy? Por sua incrível, estonteante e irresistível beleza? Ela pode até ser muito autoconfiante, mas, certamente, deve ter boa dose de noção de realidade. Além do mais, enxerga muito bem. O que faria Mônica Veloso pensar que há algum interesse outro sobre sua vida que não seja justamente na parte em que esta se cruza com a vida de Renan Calheiros? E o povo vai querer saber lá se a moça gostou de fazer as fotos, onde era o cenário ou mesmo quem tirou as fotos? Ora, convenhamos, madame, quem "tá na chuva é pra se molhar!"

Não aceitou o convite? Não embolsou a grana? Agora, ficaria muito mais bonito assumir as atitudes, dentro da exata medida com que foram tomadas. Assim, como uma Bruna Surfistinha, na careta de pau mesmo! Ser chamada de amante ofende?! É exatamente esse o termo que se usa para definir a pessoa que se relaciona afetivamente com um homem casado. Quem não quiser sustentar a "pecha" sobre si que não aja dessa forma. Simples assim. E não se está fazendo aqui nenhum julgamento de cunho moral ou ético - isso é outra estória.

A senhora "estou acima de todo o julgamento moral" sentiu-se "espancada" ("Cabrini, você tá batendo muito pesado") moralmente, podemos dizer assim, quando questionada pelo entrevistador se ela sabia que o dinheiro que pagava a pensão de sua filha (menina, hoje, com 3 anos, e fruto de seu relacionamento com Renan Calheiros) vinha do lobista Cláudio Gontijo, da construtora Mendes Júnior. Mônica livrou-se do microfone de lapela e saiu de cena... "pau da vida!"

Essa gente é engraçada mesmo, para não dizer outra coisa. A mulher tem um relacionamento amoroso com um político poderoso e casado; engravida do sujeito, passa a receber uma pensão "bem gorda", mensalmente, e pelas mãos de quem ela sabe perfeitamente não ser o tal do pai da criança; se aproveita do fato tornado público para posar nua (e certamente para, depois, publicar um livro de "memórias") e ganhar mais dinheiro ainda; e vem dar uma de "super-ofendida" com umas perguntinhas básicas dessas?! Pelas reações e pelo comportamento que tem apresentado publicamente, a senhora Veloso tem muito mais em comum com Renan Calheiros do que apenas uma filha!

Rebecca Santoro é Jornalista, mas nunca foi amante de senador, nem de deputado e muito menos de vereador, motivo pelo qual não posará para a Playboy.

(ASSISTAM AOS TRÊS VIDEOS DA MOÇA EM:http://www1.freewebs.com/imortaisguerreiros/

3 comentários:

Anônimo disse...

O que mais me dói é ver pessoas comprando esse exemplar de mulheres nuas....
Puxa, pelo menos esse exemplar poderia ficar encalhado em sinal de protesto contra essa imoralidade geral, bandalheira nas esferas públicas e privadas, etc, etc.
Mas o povo legitima isso e tem que levar na cabeça...

Anônimo disse...

Prezada Rebeca, em uma frase os antigos definiam este relacionamento Reanan/Monica: "só um gambá cheira outro".

Anônimo disse...

A Rebeca pode nao ter tido caso com o Renan, pode nao ter aparecido nua na Playboy, mas depois de escrever "a maquiagem que "tras" no rosto", ela deveria ter aparecido mais nas aulas de portugues. que jornalista mais anta eh essa? Ou o revisor de voces nao eh tao bom quanto o maquiador da Monica?