domingo, 30 de dezembro de 2007

Para viver um grande ano

Edição de Artigos de Domingo do Alerta Total http://alertatotal.blogspot.com

Por Adriana Vandoni

Como foi seu ano de 2007? Trabalhou muito? Foi promovido? Ganhou dinheiro? Que legal! Parabéns! Tudo isso é muito importante, mas eu pergunto: em 2007 você teve um sonho a ser realizado? Assim tipo... uma mudança na vida ou na forma de viver? Quantos sonhos você sonhou em 2007?

Estava aqui pensando e...sei não, mas acho que para ser feliz é preciso ter sonhos a realizar. Ter amores a conquistar, vidas a mudar. Loucuras a cometer.

Não sonhar é pior que morrer, pois é viver sem tesão. E quem vive sem tesão fica assim, assim..., satisfeitinho com uma promoçãozinha ou uma boquinha aqui e acolá. São adeptos do tal “risco calculado”...ah, faça-me o favor! “Risco calculado” é pra Alain Robert, aquele alpinista francês conhecido como “homem aranha” que viaja pelo mundo escalando altos edifícios.
Daí sabe o que acontece quando não se tem esses sonhos que encorajam loucuras? As pessoas viram batedores de carimbo dos anos e passam a viver mecanicamente apenas atualizando folhinhas. Ficam irritantemente normais.

E pessoas normais...fala sério...ninguém merece! Pessoas normais costumam ser chatas e profundas conhecedoras do mundo. Agora me diga, alguém lá precisa entender o mundo? Pra quê, meu santo!, entender o mundo? Só se for pra virar um chato!!! René Descartes, pai da filosofia moderna e do cartesianismo, deve ter sido um chato. Veja, ele tentou racionalizar o sentimento distinguindo corpo e alma, vontade e paixão, como fossem separáveis. Ele entendia que algo era certo quando era evidente... imagine!, quantas coisas não evidentes são certas? E o seu tão famigerado “penso, logo existo”?, que me perdoem os cartesianos, mas se não fosse ele meio chatinho teria dito “sonho, logo existo”.

Ora, neste próximo ano largue mão de ser normal. O mundo existirá mesmo que você nunca o entenda. Na verdade o mundo se lixa pra sua tentativa de entendê-lo. Ele segue seu rumo implacável e impiedoso ao futuro, independente de sua vontade. Não seja mais um normal neste mundo doidão. Extravase seus desejos. Não conheço normais saltitantes de felicidade, você conhece? A felicidade só existe quando se tem um Q de loucura. Ou loucos, ou não se vive, não é mesmo?

Que neste ano você tenha muita coragem. Coragem para ter um sonho a realizar e atrevimento para persegui-lo sem desistir. Que você ouse ter um amor a conquistar ou uma vida a mudar.
Que seja bravo e ajuizado, ao mesmo tempo, para ter uma loucura a cometer, e cometê-la. Encha-se de intrepidez e chute todos os baldes que desejar. Seja livre para aplaudir ou vaiar quem você bem entender. Vire a canoa sem temer a correnteza do rio. Tire de sua vida, jogue fora mesmo, o que não quiser mais, o que te incomoda, e vá tirando e jogando até sentir sua alma leve. Claro que alguns cuidados se deve ter, como dizia Vinicius de Moraes: não pegue sereno, nem tome gelado...e não vá me virar a canoa sem saber nadar!

Viver vale a pena desde que você viva tudo com toda intensidade, suas insanidades e sobriedades, seus choros e suas gargalhadas.

A vida é uma extravagância, por isso deve ser vivida vigorosamente.

Vamos lá, comece agora mesmo a planejar as loucuras que quer cometer e a vida que quer viver em 2008, antes que seja tarde e chegue o mundo com seu implacável e impiedoso rumo ao futuro, te pegue e te leve daqui.

Ah, e não se esqueça que se precisar de uma forcinha, qualquer coisa vale a pena, pule ondinhas, chupe romã, acenda velas aos orixás, peça a Oxum, mande rosas a Iemanjá, se vista de branco às sextas-feiras, ore ao padre Cícero, faça o jejum do Bispo ou uma fervorosa novena.
E daí então ficamos assim: que 2008 seja o mais louco, extraordinário e pleno ano da sua vida.

Adriana Vandoni é economista, especialista em Administração Pública pela Fundação Getúlio Vargas/RJ. Professora universitária e Articulista do Jornal A Gazeta. Site: www.prosaepolitica.com

Um comentário:

João Batista de Andrade disse...

BRILHANTE... E NÃO PRECISOU DE ANÁLISE FREUDIANA!