sábado, 9 de fevereiro de 2008

Eles só pensam naquilo

Edição de Artigos de Sábado do Alerta Total http://alertatotal.blogspot.com

Por Márcio Accioly

No jogo de faz-de-conta da pouca vergonha nacional, descobre-se, agora, um outro motivo que levou o deputado federal Carlos Sampaio (PSDB-SP), a ser tão reticente na criação de CPI mista para “moralizar” gastos públicos com o tal cartão corporativo: todos são bem parecidos.

Na sexta-feira (08), matéria na Folha de S. Paulo, assinada por Cátia Seabra e José Alberto Bombig, mostrava que a transparência no gasto efetuado com cartões é muito “menor em SP que na União”.

E exibiu-se a honrada “oposição” (PSDB), liderada pelo presidenciável (2010), José Serra, gastando R$ 108.384.268,26 (cento e oito milhões, trezentos e oitenta e quatro mil, duzentos e sessenta e oito reais e vinte e seis centavos), no ano passado, através do mesmo sistema (cartão) que diz condenar na “administração” federal.

É muito bom ser mandatário no Brasil. Com as portas dos cofres escancaradas e nenhum problema. O contribuinte que se ferre, pagando impostos em dia, sem receber prestação de serviços correspondentes em troca. As classes médias estão arrasadas, sufocadas, sem dinheiro para nada, mas nada disso importa.

Agora, será aberta pelo PT, em São Paulo, CPI para investigar o governo estadual enquanto no Congresso Nacional tentar-se-á CPI que investigue mais um grave escândalo no plano federal. Joga-se lama para todos os lados e nada acontece.

É preciso que se dê início a movimentação na sociedade civil, buscando-se expurgar o crime organizado instalado em todas as esferas do poder pátrio. O Brasil está aprofundando seu mergulho na barbárie, montada desde a chegada dos portugueses. Descalabro que se consolidou com a vinda de D. João VI, O Imundo.

O que mais falta acontecer para se concluir que o presidente Dom Luiz Inácio (PT-SP), não dispõe de qualquer condição moral para continuar à frente dos destinos nacionais? Quando serão apurados os assassinatos do prefeito de Santo André, Celso Daniel e o de Campinas, Antônio da Costa Santos, o Toninho, ambos do PT?

Senhores, as quadrilhas que aí se encontram já não enganam a ninguém: estamos sendo “governados” por bandidos, pessoas sem qualquer escrúpulo e que deveriam estar encarceradas. Vamos acabar com o desrespeito e dar um basta a tudo isso!

Será que iremos à última instância? O país terá de rachar ao meio e se dividir num banho de sangue para que alguma força se mova? Observem-se os números da violência nas ruas. O descaso do poder público, a completa inação e os maus exemplos.

O cinismo tomou conta de todos os setores. Ao defender a instalação de CPI para apurar os horrores cometidos com os cartões corporativos, o deputado Carlos Sampaio foi logo avisando que “a família do presidente não deveria ser investigada”.

Ora, se todas as más ações, os malfeitos denunciados, passam pelo presidente da República e parte de sua família, como não investigar? Estão comprovados gastos dos cartões corporativos com sua filha, Lurian Cordeiro Lula da Silva, e com a primeira-dama, Marisa Letícia. Ninguém deve ser colocado acima ou à margem da lei.

Ou, ao fazer ressalvas, o ilustre parlamentar paulista já previa a emersão dos gastos sob a responsabilidade do governador José Serra, seu correligionário? Afinal, que brincadeira é essa entre governo e anunciada oposição, quase todos enodoados até à raiz dos cabelos? Quem é o rato e quem é o gato? Será que só se pensa em locupletação?

Imagine-se o que acontece nos 5.564 municípios desse imenso país. A maioria deles sem qualquer fiscalização e funcionando de acordo com os ditames do titular de plantão. O cenário é o mais preocupante que se possa ter. Os alicerces estão ruindo.

Márcio Accioly é Jornalista.

Um comentário:

Anônimo disse...

Graças a Deus, Márcio, você está falando dos municípios em seu artigo. Quem vive em pequenas regiões está estarrecido com o desgoverno, o enriquecimento ilícito, todo tipo de fraude, em licitações, em folhas de pagamentos, em caixa 2, em nepotismo. São verdadeiras famílias-reais que estão comandando alguns municípios, provavelmentre com as benesses da quadrilha central pois os argumentos são os mesmos, o cinismo, a imprensa comprada, os processos na Justiça que algum juiz inescrupuloso senta em cima, gerando a impunidade insuportável que vivemos tanto no macro quanto no micro ambiente deste país.