domingo, 2 de março de 2008

Até sempre, Haroldo de Andrade


Homenagem do Alerta Total a um dos maiores radialistas brasileiros.


Por Jorge Serrão

O rádio brasileiro perde um de seus maiores ídolos. O corpo do radialista Haroldo de Andrade será enterrado neste domingo, às 11h, no Cemitério do Caju. O velório acontece na capela A. Ele morreu neste sábado, aos 73 anos, de falência múltipla dos órgãos. Haroldo lutava há 10 anos contra complicações provocadas por diabetes. Ele estava internado há cerca de 40 dias no Hospital Pró-Cardíaco, em Botafogo, onde faleceu às 16h 20min deste sábado.

Haroldo de Andrade tinha três grandes paixões: a filha Cristina, o Flamengo e a cidade do Rio. Por ironia, o paranaense Haroldo morreu exatamente no dia do aniversário do Rio que tanto amava. Por muitos anos, Haroldo foi o comunicador número 1 das manhãs da Rádio Globo. Saiu da emissora magoado, em 2002, porque discordava do projeto de transmissão em rede nacional. Depois de muita luta, idas e vindas, decepções com "amigos" que lhe viraram as costas em momentos difíceis, Haroldo conseguiu o milagre de fundar uma rádio com seu próprio nome, na freqüência 1060 AM. Tomara que seus filhos dêem continuidade ao trabalho do pai que estava afastado dos microfones desde 2007.
Nascido em 1° de maio de 1934, Haroldo era natural de Curitiba, Paraná. Ainda criança, começou trabalhou no serviço de alto-falantes de um parque de diversões. Foi nesta ocupação que foi convidado para o rádio. O sucesso veio da década de 50, quando Haroldo trabalhou na Rádio Mauá do Rio e lançou o Musifone, o primeiro programa interativo do rádio brasileiro. A atração logo alcançou o primeiro lugar na audiência. Depois disso, sua casa foi a Rádio Globo. Até dela ser despejado tristemente.

Do Haroldão, vou me lembrar dos tempos de Rádio Globo - onde fui seu ouvinte desde criança e com quem trabalhei. Também vou guardar carinhosamente na lembrança os vários almoços que partilhamos juntos, no restaurante da Associação Comercial do Rio de Janeiro, onde tive a honra e a felicidade de conhecer o verdadeiro Haroldão - um sujeito simples, carinhoso e que amava muito o que fazia: o rádio.
Haroldo se emocionava muito com seus amigos. Certa feita, em plena Igreja da Candelária, teve um infarto fulminante. Não suportou a emoção da missa de sétimo dia do filho de seu fiel amigo Arthur Sendas (que havia cometido suicídio). Haroldo foi salvo, por milagre, pelo empresário Paulo Chalhoub que lhe fez massagens cardiacas e lhe prestou os primeiros socorros. Aquele coração tão grande não merecia parar de bater naquele momento. Infelizmente, agora, parou.
Viva Haroldo de Andrade! Viva para sempre no coração daqueles que sempre te amaram. Agora, o seu bom dia será dado eternamente para Deus.

Nenhum comentário: