terça-feira, 4 de março de 2008

Itamaraty e Forças Armadas são omissas sobre denúncias de invasão de áreas do Brasil pela Venezuela

Edição de Terça-feira do Alerta Total http://alertatotal.blogspot.com/

Adicione nosso blog e podcast a seus favoritos do Internet Explorer.

Por Jorge Serrão

"A violação do território de outro país deve ser condenada". Este princípio aplicado pelo ministro das Relações Exteriores Celso Amorim ao conflito (Equador-Colômbia) só não vale quando o Brasil é a vítima de uma invasão sistemática de seu território pela Venezuela. Os índios Yanomami denunciaram oficialmente – e ninguém tomou providência no Itamaraty ou nas Forças Armadas – que, no dia 8 de agosto do ano passado, tropas venezuelanas, em um helicóptero, invadiram a região do Xitei, extremo oeste da Terra Indígena Yanomami (TIY) em Roraima. A invasão aconteceu próxima à região do Surucucu, onde o exército brasileiro tem tropas aquarteladas.

A Hutukara Associação Yanomami (HAY) elaborou e enviou um documento às autoridades competentes denunciando a invasão. A HAY assinala que uma expedição de investigação organizada pelo Exército Brasileiro e assessorada pela CCPY confirmou posteriormente as preocupações dos Yanomami quanto à freqüência das incursões intempestivas dos militares venezuelanos em território brasileiro. Os yanomami denunciam que a recente invasão não é acontecimento isolado. Em 2003 foram denunciadas várias entradas não-autorizadas de militares venezuelanos na TIY. O documento foi assinado por Dário Vitório Kopenawa Yanomami, Tesoureiro da Hutukara Associação Yanomami

“Em determinado momento, soldados venezuelanos chegaram a pernoitar na comunidade yanomami do Poimopë, no alto rio Mucajaí, onde intimidaram uma funcionária da organização Urihi Saúde Yanomami (ex-conveniada da Funasa) que atuava então no atendimento de saúde na região. No mesmo período, outro grupo ocupou uma pista de pouso de garimpo clandestino no alto rio Catrimani, igualmente em território brasileiro, onde torturou garimpeiros e saqueou seus pertences. Uma expedição de investigação organizada pelo Exército Brasileiro e assessorada pela CCPY confirmou posteriormente as preocupações dos Yanomami quanto à freqüência das incursões intempestivas dos militares venezuelanos em território brasileiro”. (ver Boletim 41).

A retórica do Itamaraty só se aplica ao problemas dos outros – mas não ao nosso, brasileiro. “O Brasil condena qualquer violação territorial, a situação é grave”. O ministro das Relações exteriores brasileiros fez este comentário ontem. Acontece que a reclamação de Celso Amorim não foi para condenar o sistemático caso de invasão do território brasileiro por tropas da Venezuela (como no caso da entrada ilegal na área Yanomani, em setembro de 2007). Ontem, o desgoverno brasileiro condenou publicamente a Colômbia pelo ataque às Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia) em território equatoriano.

Crime contra o Brasil

Pela atual diplomacia de resultados do Itamaraty, órgão hoje aparelhado pela ideologia do Foro de São Paulo e pelas conveniências do desgoverno petista, o Brasil pode ser invadido pela Venezuela, pelas tropas das Farc e etc que nada será feito para reprimir os abusos contra a integridade do território nacional.

Mais grave que a posição do Itamaraty é a omissão pública das Forças Armadas brasileiras em relação a incidentes como o Yanomami.

Tal omissão só demonstra o descumprimento dos artigos 142: da Constituição e do Código Penal Militar.

Entenda por que relendo: Os artigos 142 contra os “171”, publicado no distante 17 de setembro de 2006 neste Alerta Total.

Carta em português

Confira a carta de Dário Vitório Kopenawa Yanomami, Tesoureiro da Hutukara Associação Yanomami, traduzida do Yanomani para o português por Bruce Albert e Luis Fernando Pereira:

Sim, é dirigido a vocês, grandes homens, que nós Yanomami, membros da Hutukara Associação Yanomami, fizemos este documento. No dia 08/08/2007 durante nossa reunião na região do Xitei vimos um helicóptero do exército venezuelano (sobrevoando), havia também não-indígenas (vendo isso conosco). Ao pousarmos na pista do Xitei, na floresta brasileira, lá estava o helicóptero da Venezuela vindo em nossa direção, todos nós o vimos. Havia representantes da Diocese, Ministério Público Federal, o chefe do Distrito Sanitário Especial Yanomami e Ye´kuana, o membro da Hutukara Associação Yanomami. Foi assim que nós vimos o helicóptero da Venezuela. Nós Yanomami ficamos muito preocupados, por isso fizemos este documento. Na região do Surucucu se encontra o Exército Brasileiro mas ele não falou ainda, o que é não é bom. Em Auaris há também o Exército Brasileiro mas ele não ficou realmente com os olhos atentos a isso. Os venezuelanos tal vez estão procurando por ouro no Brasil, é o que nós Yanomami pensamos. O pessoal (Yanomami) de Xitei vive na terra do Brasil. Como o Exército Brasileiro realmente pensa sobre este assunto? Quando os habitantes da Venezuela entram no Brasil vocês do Exército Brasileiro não falam nada? Vocês estão presente na terra-floresta yanomami, mas por que não mostram sua valentia? Por esses motivos, nós Yanomami estamos muito preocupados, pelo fato do Exército não falar nada.
Assim foram nossas palavras.
Atenciosamente.
Dário Vitório Kopenawa Yanomami,Tesoureiro da Hutukara Associação Yanomami- HAY

Carta em yanomami

Agora, só de sacanagem, tente ler e traduzir a carta de Dário Vitório Kopenawa Yanomami, Tesoureiro da Hutukara Associação Yanomami, escrita na língua falada pelos indígenas:
Awei, pata wama ki hamë kami yanomae Hutukara Associação Yanomami- HAY thëri yama kini hwei documento yama a thaprarema. Dia 08/08/07 thë kuo tëhë Xitei hamë yama ki hereãmuu huu tëhë helicóptero exército do Venezuelano yama taama, ihi tëhë napëpë pree kuoma. Pista Xitei ha yama ki ithorayu tëhë Brasil urihi hamë helicóptero da Venezuela a kuaimama, tëhë komi yama kini yama a taama. Representantes da Diocese a kuoma, Chefe de Distrito Sanitário Especial Yanomami e Ye´kuana a kuoma, Ministério Público Federal a kuoma, Hutukara Associação Yanomami a kuoma. Inaha kure yama kini helicóptero da Venezuela yama a taama. Kami yanomae yama ki pata xuhurumoma yaro hwei documento yama thaprarema. Exército Brasileiro Surucucu hamë pë kuama kure thë ã hwaimi yaro thë yai pata hoximi mahi, Auaris hamë ai exército Brasileiro pë pree kuama kure thëpë mamo yai xatioimi mahi. Brasil a urihi hamë Venezuela pëni ouro a thai hãthoaheta kami yanomae yama ki pihi kuu. Brasil urihi hamë Xitei thëri pë piria yaro thë yai pata mahi xuhurumuu. Witi naha exército Brasileiro wama ki pihi yai kuu tha? Brasil thë urihi hamë Venezuela thëripë huu tëhë exército Brasileiro wama kiã yai hwaimi mahi, witi pii thëha exército Brasileiro yanomae yama ki urihi pëhamë ai exército pë kua makure thë ã waithiri hwaimi tha? Kuë yaro kami yanomae yama ki yai xuhurumuu mahi, exército peã hwaimi mahi yaro.
Inaha thë ã kutaoma.
Dário Vitório Kopenawa Yanomami,Tesoureiro da Hutukara Associação Yanomami- HAY

Ligações com o crime e o terror

O general Oscar Naranjo, comandante da polícia colombiana, jura ter provas, ainda não exibidas, de que o presidente da Venezuela, Hugo Chávez, teria doado US$ 300 milhões às Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc).

O militar também afirma ter indícios de que a guerrilha teria planos de comprar urânio no mercado negro internacional.

Evidências disso teriam sido encontradas em computadores e em documentos achados no acampamento onde foi morto Raúl Reyes, o número 2 das Farc..

Aliado chegando

O presidente do Equador Rafael Correa virá a Brasília para um encontro com o poderoso Lula da Silva, amanhã, às 10h, no Palácio do Planalto.

A visita do companheiro do Foro de São Paulo é parte de um "giro" pela América Latina para reunir apoios contra Uribe.

No telefonema de ontem para marcar a reunião, Correa não comunicou a Lula que iria romper relações com a Colômbia.

Itamaraty aparelhado

O ministro brasileiro de Relações Exteriores, Celso Amorim, classificou como grave e condenável a violação do território equatoriano pela Colômbia, na madrugada do último sábado, que resultou na morte de 16 guerrilheiros das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), incluindo um de seus principais líderes, Raúl Reyes.

Em coletiva realizada ontem em Brasília, Amorim informou que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva conversou por telefone com os presidentes Álvaro Uribe (Colômbia) e Rafael Correa (Equador).

Amorim defendeu uma reunião na sede da Organização dos Estados Americanos (OEA), em Washington, para discutir a crise que envolve os dois países - e a Venezuela, que tem liderado as negociações com os guerrilheiros visando à libertação de grupos de reféns.

Pronto para a guerra

Em resposta à morte do guerrilheiro Raúl Reyes e outros 16 rebeldes, o presidente da Venezuela, Hugo Chávez, enviou tanques para a fronteira com a Colômbia e mobilizou aviões militares.

O Chapolim Colorado, que ajudou na intermediação para a libertação dos reféns das Farc, deseja ver o circo pegando fogo com balas traçantes de fuzil.

Rafael Correa também intensificou a presença militar de seu país na fronteira.

Dia de tensão

A Organização dos Estados Americanos (OEA) fará hoje em Washington reunião de emergência para discutir o conflito entre a Colômbia e o Equador.

O governo brasileiro vai propor que seja criada comissão de investigação.

A Colômbia defende a participação da União Européia na mediação do conflito - idéia que enfrenta resistência dos países da América do Sul.

Homem da mala

O empresário venezuelano Carlos Kauffmann, ligado à estatal de petróleo PDVSA, se disse culpado no caso que corre na Justiça norte-americana para averiguar a tentativa de entrada de US$ 800 mil na Argentina

O caso ocorreu antes da eleição presidencial argentina e levantou dúvidas de que Chávez estaria financiando a campanha da então candidata Cristina Kirchner.

Tanto Kirchner quanto Chávez negam o financiamento ilegal.

Bailarinas e bailarinas

O desgoverno petista arranjou uma linda explicação para o pagamento de 20 bailarinas com cartão corporativo feito por funcionário.

A Casa Civil da Presidência da República divulgou ontem nota afirmando que não se trata de "de contrato de '20 moças'.

Mas, sim, de 20 vasos com flores para ornamento chamado de 'bailarina'".

Devassa

Por determinação do presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Marco Aurélio Mello, auditores do tribunal começaram ontem a vasculhar as prestações de contas dos partidos políticos em busca de irregularidades cometidas no uso do Fundo Partidário.

A princípio, a investigação se concentrará nas denúncias de que o PT usou recursos dos R$ 27,8 milhões que recebeu do fundo para pagar parte da festa de 26 anos do partido, em 2006, em Brasília.

Também serão analisadas as contas do PTB, que pagou R$ 255 mil para a realização de seminários que nunca aconteceram.

Justificativa festiva

A Lei dos Partidos Políticos, que estabelece as regras para uso do fundo, não prevê o pagamento de festas.

O PT lançou as despesas na rubrica "propaganda doutrinária e política".

Ao todo, foram gastos R$ 39,3 mil do fundo, que bancou o bufê e as bebidas do evento, entre elas 342 garrafas de vinho e champanhe compradas num restaurante de Porto Alegre.

Medinho de perder poder

O chefão Lula da Silva manifestou sua preocupação com a alteração no rito das medidas provisórias pelo Congresso.

Lula argumentou que é preciso encontrar uma fórmula que contente o Congresso - que tem tido problema de votar propostas de autoria dos parlamentyares pelo excesso de medidas provisórias editadas - mas que não prejudique a governabilidade de seu governo ou futuros governo.

O medinho foi manifestado em encontro com o líder do PT na Câmara, deputado Maurício Rands (PE), o presidente da Casa, Arlindo Chinaglia (PT-SP) e o líder do governo, deputado Henrique Fontana (RS) na noite de ontem, no Planalto.

Negar agora é preciso

O governador de Minas Gerais, Aécio Neves, avisou ontem que está aberto ao diálogo com todos os partidos para a construção do que chama de "projeto para o país".

Aecinho jura que não cogita trocar o PSDB pelo PMDB, apesar do convite oficial que já recebeu do presidente do partido, deputado Michel Temer (SP), com quem se encontrou ontem.

O PMDB, que pretende lançar candidato próprio em 2010, vem assediando Aécio para concorrer à sucessão de Lula.

Os interesses

O PMDB seria uma opção viável ao governador mineiro caso se concretize a opção dos tucanos por José Serra, governador de São Paulo.

Em todas as pesquisas recentes, Serra desponta na frente na intenção de voto do eleitorado para a escolha do próximo presidente.

A ida de Aécio para o PMDB também agradaria o presidente Lula, que gostaria de vê-lo trocando o PSDB por um partido aliado, apostando na divisão tucana para sua própria sucessão.

Frente versus Crivella

Em reunião ontem da Frente Rio, formada por PSDB, PPS e PV, o deputado federal Fernando Gabeira avisou que aceita ser candidato a prefeito do Rio este ano.

No PSDB, apesar do apoio do ex-governador tucano Marcello Alencar, Gabeira enfrenta a resistência de um dos pré-candidatos à prefeitura, o deputado federal Otávio Leite.

Os outros dois pré-candidatos, a vereadora Andréa Gouvêa Vieira e o deputado estadual Luiz Paulo Corrêa da Rocha, já demonstraram que aceitam Gabeira como cabeça de chapa, numa aliança em que o PSDB pode entrar com o vice.

Decisão semana que vem

Na próxima segunda-feira, o PSDB se reúne para decidir oficialmente se aceita Gabeira como candidato.

Andrea Gouvêa Vieira defendeu a indicação do deputado Gabeira.

E ainda admitiu que aceitaria ser sua vice, ressalvando que este assunto será decidido apenas numa segunda etapa.

Nada de acordo?

O deputado estadual e apresentador Wagner Montes (PDT-RJ) confirmou ontem que não disputará a sucessão do prefeito Cesar Maia, embora apareça entre os primeiros nas pesquisas de opinião.

Wagner alegou que os seus eleitores queriam elegê-lo para enfrentar a violência na cidade, o que poderia gerar insatisfação mais tarde:

“A Guarda Municipal é desarmada. Não tem nem atiradeira. Além do mais, não posso abandonar os policiais militares, civis e bombeiros, que me apoiaram nas últimas eleições e agora vivem um momento crucial”.

Wagner Montes negou os boatos de que teria sofrido pressões da TV Record, onde apresenta o programa "Balanço geral", por causa da ligação de emissora de TV com o senador Marcelo Crivella, que pretende concorrer a prefeito

O deputado, que renovou em outubro o contrato com a Record até 2010 e grava seu programa no maior estúdio da emissora, garante que não fala com Crivella há cinco meses.

Sai do armário

O governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral (PMDB), pediu ao STF (Supremo Tribunal Federal) que a união estável de pessoas do mesmo sexo tenha o mesmo valor de uma união entre parceiros heterossexuais.

No Rio, o governo do Estado concedeu, no ano passado, os benefícios de pensão aos companheiros de servidores públicos que comprovem a relação homoafetiva estável.

Cabral propôs uma ação chamada argüição de descumprimento de preceito fundamental, alegando desrespeito à Constituição.

Segundo a ação, os princípios constitucionais violados são igualdade, liberdade, dignidade da pessoa humana e segurança jurídica.

O porteiro do Puteiro

Pérola que circula na Internet, mas vale até uma boa reflexão:

Não havia no povoado pior ofício do que 'porteiro do puteiro'.

Mas que outra coisa poderia fazer aquele homem? O fato é que nunca tinha aprendido a ler nem escrever, não tinha nenhuma outra atividade ou ofício.

Um dia, entrou como gerente do puteiro um jovem cheio de idéias, criativo e empreendedor, que decidiu modernizar o estabelecimento.

Fez mudanças e chamou os funcionários para as novas instruções.

Ao porteiro disse:

- A partir de hoje, o Senhor, além de ficar na portaria, vai preparar um relatório semanal onde registrará a quantidade de pessoas que entram e seus comentários e reclamações sobre os serviços.

- Eu adoraria fazer isso, Senhor - balbuciou - mas eu não sei ler nem escrever!

- Ah! Quanto eu sinto! Mas se é assim, já não poderá seguir trabalhando aqui.

- Mas Senhor, não pode me despedir, eu trabalhei nisto a minha vida inteira, não sei fazer outra coisa.

- Olhe, eu compreendo, mas não posso fazer nada pelo Senhor. Vamos dar-lhe uma boa indenização e espero que encontre algo que fazer. Eu sinto muito e que tenha sorte.

Sem mais nem menos, deu meia volta e foi embora. O porteiro sentiu como se o mundo desmoronasse. Que fazer? Lembrou que no prostíbulo, quando quebrava alguma cadeira ou mesa, ele a arrumava, com cuidado e carinho.

Pensou que esta poderia ser uma boa ocupação até conseguir um emprego. Mas só contava com alguns pregos enferrujados e um alicate mal conservado. Usaria o dinheiro da indenização para comprar uma caixa de ferramentas completa. Como o povoado não tinha casa de ferragens, deveria viajar dois dias em uma mula para ir ao povoado mais próximo para realizar a compra.

E assim o fez. No seu regresso, um vizinho bateu à sua porta:

- Venho perguntar se você tem um martelo para me emprestar.

- Sim, acabo de comprá-lo, mas eu preciso dele para trabalhar ... já que....

- Bom, mas eu o devolverei amanhã bem cedo.

- Se é assim, está bom.

Na manhã seguinte, como havia prometido, o vizinho bateu à porta e disse:

- Olha, eu ainda preciso do martelo. Porque você não o vende para mim?

- Não, eu preciso dele para trabalhar e além do mais, a casa de ferragens mais próxima está a dois dias mula de viagem.

- Façamos um trato - disse o vizinho. Eu pagarei os dias de ida e volta mais o preço do martelo, já que você está sem trabalho no momento. Que lhe parece?

Realmente, isto lhe daria trabalho por mais dois dias...aceitou.

Voltou a montar na sua mula e viajou. No seu regresso, outro vizinho o esperava na porta de sua casa.

- Olá, vizinho. Você vendeu um martelo a nosso amigo. Eu necessito de algumas ferramentas, estou disposto a pagar-lhe seus dias de viagem, mais um pequeno lucro para que você as compre para mim, pois não disponho de tempo para viajar para fazer compras. Que lhe parece?

O ex-porteiro abriu sua caixa de ferramentas e seu vizinho escolheu um alicate, uma chave de fenda, um martelo e uma talhadeira. Pagou e foi embora. E nosso amigo guardou as palavras que escutara: 'não disponho de tempo para viajar para fazer compras'.

Se isto fosse certo, muita gente poderia necessitar que ele viajasse para trazer as ferramentas. Na viagem seguinte, arriscou um pouco mais de dinheiro trazendo mais ferramentas do que as que havia vendido.

De fato, poderia economizar algum tempo em viagens. A notícia começou a se espalhar pelo povoado e muitos, querendo economizar a viajem, faziam encomendas.

Agora, como vendedor de ferramentas, uma vez por semana viajava e trazia o que precisavam seus clientes. Com o tempo, alugou um galpão para estocar as ferramentas e alguns meses depois, comprou uma vitrine e um balcão e transformou o galpão na primeira loja de ferragens do povoado.

Todos estavam contentes e compravam dele. Já não viajava, os fabricantes lhe enviavam seus pedidos. Ele era um bom cliente. Com o tempo, as pessoas dos povoados vizinhos preferiam comprar na sua loja de ferragens, do que gastar dias em viagens.

Um dia ele lembrou de um amigo seu que era torneiro e ferreiro e pensou que este poderia fabricar as cabeças dos martelos. E logo, por que não, as chaves de fendas, os alicates, as talhadeiras, etc.

E após foram os pregos e os parafusos... Em poucos anos, nosso amigo se transformou, com seu trabalho, em um rico e próspero fabricante de ferramentas.

Um dia decidiu doar uma escola ao povoado. Nela, além de ler e escrever, as crianças aprenderiam algum ofício. No dia da inauguração da escola, o prefeito lhe entregou as chaves da cidade, o abraçou e lhe disse:

- É com grande orgulho e gratidão que lhe pedimos que nos conceda a honra de colocar a sua assinatura na primeira página do Livro de atas desta nova escola.

- A honra seria minha - disse o homem. Seria a coisa que mais me daria prazer, assinar o Livro, mas eu não sei ler nem escrever, sou analfabeto.

- O Senhor?!?! – espantou-se o prefeito sem acreditar. O Senhor construiu um império industrial sem saber ler nem escrever? Estou abismado. Eu pergunto:

- O que teria sido do Senhor se soubesse ler e escrever?

- Isso eu posso responder - disse o homem com calma. Se eu soubesse ler e escrever, ainda seria o PORTEIRO DO PUTEIRO!!!

Vida que segue...

Ave atque vale!

Fiquem com Deus!

O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Inteligente, inovador, fortemente analítico e propositivo, utilizando as mais modernas tecnologias para transmissão instantânea e eletrônica de informação privilegiada e análise estratégica, junto com a difusão de novos conhecimentos voltados para a construção e consolidação de novos valores humanos.

6 comentários:

Esperança disse...

GUARARAPES NA LINHA DE FRENTE. Doc 32/2008
www.fortalweb.com.br/grupoguararapes

No dia 18.02.2008, a coluna do Jornalista Cláudio Humberto, no Jornal de Brasília, trouxe um tópico com os seguintes título e dizeres.

“Cartão Lula não paga impostos. Mais uma bofetada no contribuinte: além de pagar a conta do cartão corporativo do presidente Lula e dos seus ministros, a sociedade também não vê a cor dos tributos gerados pela gastança. É que a lei isenta de impostos os cartões corporativos. Só paga tributos indiretos, como ICMS, nas notas fiscais. A falha, segundo um analista da Receita Federal, está na origem: o governo FHC criou o cartão, mas não o regulamentou.”

E no mesmo dia o jornalista Helio Fernandes, na sua coluna na Tribuna da Imprensa, disse o seguinte: “No Congresso, a senadora Fátima Cleide (PT-RO) foi à tribuna anteontem para se congratular com os parlamentares que apóiam a Declaração Universal dos Direitos dos Povos Indígenas. Lógico, defendeu os índios. Mas se percebe que a ilustre senadora nada entende do assunto. E nem entendeu que a tal Declaração simplesmente transforma os territórios indígenas em nações independentes. Onde nem mesmo as Forças Armadas podem entrar. É por aí que a Amazônia e o Brasil naufragarão.” Frisemos: a incompetência dessa senadora, que nem se dá conta do perigo em que se constitui essa Declaração da ONU, atesta a má qualidade de nossos políticos de hoje.

Como devem se lembrar aqueles que nos lêem, estas opiniões dos jornalistas acima confirmam denuncias feitas pelo Grupo Guararapes, transmitidas ou retransmitidas a todos os seus correspondentes, sobre os mesmos temas.

Com relação aos cartões corporativos queremos, apenas, destacar que se trata de um dissimulado, e descabido, aumento de salário do servidor (sem desconto para o Imposto de renda) uma vez que tanto no Governo como nas Instituições particulares, os pagamentos e os saques realizados são considerados como despesas das entidades, oficiais ou particulares, autorizadoras dos cartões e não daqueles que os usam em proveito próprio. É importante ressaltar que, no caso das empresas particulares, as despesas feitas com os cartões corporativos, entrando como despesas destas empresas, são abatidas para fins do calculo do Imposto de Renda, o que se traduz em duplo prejuízo para o Estado.

E com relação à gravíssima ameaça à nossa Soberania e Integridade Territorial, tão bem apontada pelo jornalista Helio Fernandes, achamos que basta ressaltar, abaixo, o que, no momento, está ocorrendo na Europa e sendo notícia em todo o Mundo:

O PROBLEMA DA SÉRVIA COM A INDEPENDÊNCIA DE KOSOVO, DEFENDIDA EM RAZÃO DA SUA MAIORIA ÉTNICA ALBANEZA.

E AQUI NO BRASIL, ONDE O PRÓPRIO GOVERNO CRIOU AS NAÇÕES INDÍGENAS, ONDE NEM AS FORÇAS ARMADAS PODEM ENTRAR?

MAS O GRUPO GUARARAPES VAI CONTINUAR NA LINHA DE FRENTE EM DEFESA DO BRASIL, POIS ESTE É O DEVER DE QUALQUER PATRIOTA.

NADA DE NAÇÃO INDÍGENA! TUDO É BRASIL E OS INDIOS SÃO BRASILEIROS. E DEVEM TODOS SER INTEGRADOS À COMUNIDADE BRASILEIRA.

ESTAMOS VIVOS! GRUPO GUARARAPES!

Anônimo disse...

LEITOR DO BLOG : www.coturnonoturno.blogspot.com

CORONEL,

LI NA INTERNET QUE AS FARC ESTAO TREINANDO MILITANTES DO MST, NO PARAGUAI. O LINK E ESTE.
http://www.montfort.org.br/index.php?secao=imprensa&subsecao=brasil&artigo=20051030&lang=bra

UM ABRACO,

CEL ( AV-RM1) ICARO
4 de Março de 2008 11:25
03/2008 do Olavo de Carvalho


http://www.blogtalkradio.com/olavo


3 aviões da TAM carregados de armamentos com destino a Venezuela em “missão secreta”, por parte do governo brasileiro!!!!



fala aí Jobim!!!
4 de Março de 2008 10:17






http://www.blogtalkradio.com/olavo

Anônimo disse...

É ponto do Serrão para o Brasil.

Abraço.

Sharp Random

Esperança disse...

DITADURA MILITAR ????
Isto Posto - Paulo Martins - Gazeta do Parana

Está aí uma ditadura pior do que aquela que hoje insistem em apelidar de “ditadura militar”.

Como nos dias de hoje, naquele período fui também um crítico. Não lembro de ter sido perseguido, como insistem em afirmar que era o hábito da época aqueles que, por falta de argumento para uma retórica razoável, apelam sem disfarces para o desvirtuado e corrosivo “ouvi dizer”.

Que ditadura era aquela que me permitia votar ? Que nunca me proibiu de tomar uma cervejinha num desses bares da vida após as vinte e três horas ? Ou num restaurante de beira de estrada ?

Que ditadura era aquela que (eu não fumo) nunca proibiu quem quer que seja de fumar ?

Que ditadura era aquela que nunca usou cartão corporativo para as primeiras damas colocarem até botox no rosto ou para outros roubarem milhões de reais do povo brasileiro ?

Vi, sim, perseguições, porém contra elementos de alta periculosidade à época, como o eram os Zés Dirceus, Zé Genoino, Dilma Rousseof – a Estela – Marco Aurélio Garcia, Diógenes, o assassino do Capitão Schandler, como os que colocaram bombas em lugares públicos, como aquela no aeroporto de Guararapes, cujo resultado foi a morte de gente inocente, ações de subversivos que desejavam implantar no Brasil um regime comunista, e para tal seguiam planos de formar nas selvas o que hoje, na Colômbia, chamam de FARCs.

Que ditadura era aquela que permitia que a oposição combatesse o governo, como ocorria com deputados como Ulisses Guimarães, apenas para se citar um nome?

Que ditadura era aquela que jamais sequer pensou em proibir a população de usar armas para se defender, como hoje criminosamente pretendem ?

Que ditadura era aquela que em nome da democracia, jamais admitiu invasão de propriedades e jamais sustentou bandidos com cestas básicas em acampamentos e jamais impediu a policia de agir, como a ditadura de hoje ?

Que ditadura engraçada aquela que chegou a criar até partido de oposição!

Curiosa essa democracia de agora, em comparação ao que chamam de “ditadura militar”, “democracia que permite que ladrões do dinheiro público continuem ocupando cadeiras no parlamento e cargos no governo e tolera até mesmo um presidente alegar que “não sabia”, para fugir de sua responsabilidade para com a causa pública.

Que ditadura militar era aquela que jamais deu dinheiro de mão beijada para governantes comunistas, amigos de presidente, como ocorre com a ditadura de hoje e, contra a qual não nos permitem sequer contestação ?

Que ditadura era aquela que jamais proibiu a revelação das fuças de bandidos em foto e TV como ocorre na “democracia” de hoje, numa gritante e vergonhosa proteção do meliante, agressor da sociedade?

Escuta telefônica, eis mais uma ação da “democracia” de hoje e proibida à época “daquela ditadura militar”.

Ah...é verdade...Aquela ditadura proibia casamento de homem com homem, sexo explícito na TV alcançando crianças, proibia a pouca vergonha e não dava folga para corruptos que eram cassados quando prevaricavam, sem permitir que a sociedade fosse punida com a permanência no palco da corrupção dos delinqüentes, que hoje fazem CPIs para tapearam a sociedade e se escalam às mesmas como raposas cuidando do galinheiro.

Caetano Veloso está quieto em relação a essa ditadura que hoje aí está. Apostasia de “seu ideal”? À época lançou a música “É proibido proibir”. Hoje se cala.
O que ajudou a promover, junto com Chico Buarque, Gilberto Gil e outros, está no poder. Que pelo menos altere o nome da música para os dias de hoje para: “É permitido proibir”. E que vá se catar.

Fonte: Portal Ternuma

Anônimo disse...

O BRASIL LITERALMENTE ESTA SEM GOVERNO, LULACORLEONE NESTE CASO DA COLOMBIA/VENEZUELA/EQUADOR SE POSICIONA DE FORMA ESCANCARADA A FAVOR DE TERRORISTAS E DITADORES, O BRASIL SANGRA NAS MÃOS DOS CORRUPTOS E DELINQUENTES, A VIDA DO SER HUMANA NO BRASIL NÃO VALE NADA! O CRIME REINA IMPUNE SOB OS AUSPICIOS DA ESQUERDA VERMELHA PROTETORA DE MALANDROS E CRIMINOSOS ..A QUE SERVEM NOSSAS FFAA? PARA DESFILAR NO DIA 7 DE SETEMBRO? PARA AMEDALHAR POLITICOS, MALANDROS E TERROSRISTAS? PARA SERVIR DE VIGIA AOS GANGSTERS DE PLANTÃO NO PLANALTO??? A QUE SERVEM AFINAL???
A VIDA NO BRASIL ESTA INTOLERAVEL E SEM ESPERANÇA E O QUE ESTÃO FAZENDO NOSSOS OMISSOS E CALADOS COMANDANTES MILITARES DIANTE DESTA TRAGEDIA CHAMADA LULA DA SILVA???

O CORNETEIRO DE PLANTÃO

Esperança disse...

Discriminação imposta pela lei e autoridades
Yves Gandra da Silva Martins / Gazeta Mercantil/Caderno A - Pág. 8

"Art. 3º Constituem objetivos fundamentais da República Federativa do Brasil: ...
IV - promover o bem de todos, sem preconceitos de origem, raça, sexo, cor, idade e quaisquer outras formas de
discriminação".

Hoje, tenho eu a impressão de que o "cidadão comum e branco" é agressivamente discriminado pelas autoridades e pela legislação infraconstitucional, a favor de outros cidadãos, desde que sejam índios, afro-descendentes, homossexuais ou se auto-declarem pertencentes a minorias submetidas a possíveis preconceitos.
Assim é que, se um branco, um índio ou um afro-descendente tiverem a mesma nota em um vestibular, pouco acima da linha de corte para ingresso nas universidades e as vagas forem limitadas, o branco será excluído, de imediato, a favor de um deles.
Em igualdade de condições, o branco é um cidadão inferior e deve ser discriminado, apesar da Lei Maior.

Os índios, que pela Constituição (artigo 231) só deveriam ter direito às terras que ocupassem em 5 de outubro de 1988, por lei infraconstitucional passaram a ter direito a terras que ocuparam no passado. Menos de meio milhão de índios brasileiros - não contando os argentinos, bolivianos, paraguaios, uruguaios que pretendem ser beneficiados também - passaram a ser donos de 15% do território nacional, enquanto os outros 183 milhões de habitantes dispõem apenas de 85% dele.
Nesta exegese equivocada da Lei Suprema, todos os brasileiros não índios foram discriminados.

Aos "quilombolas", que deveriam ser apenas os descendentes dos participantes de quilombos, e não os afro-descendentes, em geral, que vivem em torno daquelas antigas comunidades, tem sido destinada, também, parcela de território consideravelmente maior do que a Constituição permite (artigo 68 ADCT), em clara discriminação ao cidadão que não se enquadra nesse conceito.

Os homossexuais obtiveram, do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e da ministra Dilma Roussef, o direito de ter um congresso financiado por dinheiro público, para realçar as suas tendências, algo que um cidadão comum jamais conseguiria.

Os invasores de terras, que violentam, diariamente, a Constituição, vão passar a ter aposentadoria, num reconhecimento explícito de que o governo considera, mais que legítima, meritória a conduta consistente em agredir o direito.
Trata-se de clara discriminação em relação ao cidadão comum, desempregado, que não tem este "privilégio", porque cumpre a lei.

Desertores e assassinos, que, no passado, participaram da guerrilha, garantem a seus descendentes polpudas indenizações, pagas pelos contribuintes brasileiros. Está, hoje, em torno de R$ 4 bilhões o que é retirado dos pagadores de tributos para "ressarcir" àqueles que resolveram pegar em armas contra o governo militar ou se disseram perseguidos.

E são tantas as discriminações, que é de se perguntar: de que vale o inciso IV do artigo 3º da Lei Suprema?

Como modesto advogado, cidadão comum e branco, sinto-me discriminado e cada vez com menos espaço, nesta terra de castas e privilégios.

(Ives Gandra da Silva Martins - Professor emérito das Universidades Mackenzie, UNIFMU, UNIFIEO, UNIP, do CIEE/O Estado de São Paulo e das Escolas de Comando e Estado Maior do EXÉRCITO-ECEME e Superior de Guerra-ESG, presidente do Conselho Superior de Direito da Fecomercio e do Centro de Extensão Universitária (CEU).)